Fechamento de posto de saúde prejudica moradores do Rio Corrente e usuários dizem que reforma foi apenas “desculpa”

posto-de-saude-rio-corrente

O fechamento de uma Unidade de Saúde está causando muitos transtornos para os moradores do bairro Rio Corrente, na zona oeste de Petrolina. A população  que antes recebia atendimento no local, agora precisa se deslocar até a unidade de Atendimento Multiprofissional Especializado (AME) do bairro Cohab Massangano, o que revolta pacientes.

Segundo a administração municipal, a unidade teria sido fechada para uma reforma, mas os moradores alegam que a suposta reforma teria sido apenas um “pretexto” para fechar a unidade.

(mais…)

Como o Blog adiantou, Restaurante Curaçá encerra atividades no Bodódromo

bode-curaca-fechado

Como este Blog já havia adiantado há alguns dias, o Restaurante Curaçá – um dos mais frequentados do Bodódromo de Petrolina – encerrou suas atividades.

Quem passa pelo centro gastronômico, localizado na Cohab II/Areia Branca, zona leste da cidade, já pôde perceber o Curaçá com as portas fechadas. O estabelecimento deve ser arrendado pelos proprietários.

Fica a torcida para que o Curaçá seja reaberto o mais breve possível. Até porque o Bodódromo vem perdendo restaurantes e se descaracterizando desde sua inauguração (no ano 2000).

Artigo do leitor: “O Banco do Brasil e o fechamento de agências”

Banco-do-BrasilDiante do fechamento de agências anunciado esta semana pelo Banco do Brasil, o leitor Billy Martins faz uma ponderação pertinente neste artigo enviado ao Blog.

Confiram:

Por alguns anos, sempre em meados de setembro, os bancos paravam por greve.  Os bancários não se atentaram que estavam cavando a própria cova.  A crescente utilização de aplicativos de celular, internet e lotéricas, determinaram chegar a esse ponto. Temos até um banco que abre conta pelo celular ou navegador, isso é tendência. Agora, os bancários colhem a abertura que deram, e como foram inocentes, antecipando algo que poderia ser implantado aos poucos.

Depois de testes bem executados, ficou fácil identificar que a população não tinha a mesma necessidade de ir às agências como antigamente, e mais: não fiquemos surpresos se a Caixa ou até os bancos privados acompanharem essa tendência. Posteriormente veremos uma quantidade enorme de bancários disponíveis para o mercado de trabalho, ou seja, demissões voluntárias, demissões de fato e os poucos que trabalharem nesses postos de atendimento serão terceirizados e remunerados com valores bem menores.

Outro ponto ruim para os bancários é que a maioria não se preparou para atuar em outras áreas, a não ser o próprio banco. Mesmo que recebam uma boa quantia financeira, será grande a dificuldade em se voltar para um novo momento do mercado de trabalho, aceitando até funções menores. Ou pior, como aconteceu no passado, enfrentarem o desafio de empreender e depois durarem no máximo dois anos com um formato de negócio inviável. 

Aqueles que forem “espertos”, digo espertos mesmo, não apenas inteligentes, que busquem o quanto antes a capacitação e uma nova visão do cenário atual, para não passar por grandes dificuldades.

Billy Martins/Leitor

Equipe do Blog comenta sobre aumento da violência e fechamento de agências do Banco do Brasil

Sento-Sé: Prefeitura rebate denúncia sobre fechamento do único hospital da cidade e alfineta imprensa

A assessoria da prefeitura de Sento-Sé, no norte da Bahia, rebateu a denúncia de moradores que afirmam que o único hospital do município está fechando as portas por falta de médicos. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde diz que o compromisso da atual administração “está em consonância com a politicas de saúde Federal e Estadual“. Na nota, a atual administração ainda critica a atuação da imprensa regional, por divulgar as denúncias. “A Secretaria de Saúde lamenta que órgãos conceituados de comunicação, ao receberem denúncia, não procurem ouvir a outra parte, antes de tornar público“, diz a nota. Vale frisar que a reportagem deste Blog procurou, sim, ouvir a prefeitura, mas não conseguiu.

Acompanhe a nota na íntegra:

A Secretaria de Saúde do município de Sento-Sé vem, através desta esclarecer que, ao contrário do que foi publicado nos blogs regionais, sites e rádios da região, o Hospital e Maternidade Dr. Heitor Sento-Sé nunca fechou por falta de médico.

 O Compromisso da atual Administração com a Saúde de nossa população está em consonância com a politicas de saúde Federal e Estadual. Mais que uma obrigação, a saúde na atual gestão Ednaldo Barros é um compromisso, acima de tudo, considerando que saúde pública é um direito de todos e está sendo tratada com humanidade, responsabilidade e prioridade desde 2009.

Dados disponibilizados nos portais da Secretaria Estadual da Saúde, Ministério da Saúde, portal do Datasus, Funasa – Fundação Nacional de Saúde, mostram claramente os avanços no âmbito da saúde em Sento-Sé.

O Hospital e Maternidade Dr. Heitor Sento-Sé, considerado pelo Ministério da Saúde como de pequeno porte por dispor de 50 leitos, atende uma média de 1.700 pacientes por mês no setor de urgência e emergência, realiza internações em clínica médica, pediátrica e obstétrica. Dispõe de outros serviços como fonoaudiologia, fisioterapia, exame de imagem (raio X) e laboratório. Ao contrário do que foi publicado na mídia, o equipamento de raio X funciona normalmente sem comprometer o diagnóstico do paciente. A unidade possui equipamento de reanimação de pacientes com parada cardiorrespiratória (desfibrilador).

Passou por profundas reformas. Novas enfermarias, novo e moderno Centro Cirúrgico, moderna lavanderia, novos equipamentos estão garantindo a realização de exames de pequena e média complexidade. Aparelhos adquiridos, contratação de uma excelente equipe de profissionais em saúde composta por médicos, enfermeiras, Odontólogos,  Fisioterapeutas,  Farmacêutica,  Psicólogos,  Fonoaudióloga,  Assistente Social e  Bioquímicos.

Os pacientes atendidos na unidade hospitalar nunca foram transferidos para as cidades de Remanso e Sobradinho, pois esses municípios não são referência no atendimento. O processo de pactuação para a transferência de pacientes para outras unidades hospitalares (Juazeiro/BA e Petrolina/PE) é feita através da regulação de leitos localizadas no município de Juazeiro, através do Sistema SISREG (via internet). A única vez que o hospital foi fechado aconteceu em 2008, quando o ex-gestor perdeu a eleição. O até então prefeito eleito, Ednaldo Barros, a partir de Outubro/2008 contratou o saudoso médico e amigo Dr. Eliomar Cavalcante para trabalhar no hospital, enquanto tomaria posse em 1º de Janeiro de 2009.

Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), foram realizados 942 atendimentos em julho deste ano. Consultas, acompanhamento de pacientes com doenças crônicas (hipertensão e diabetes), gestantes (pré-natal), planejamento familiar (distribuição de preservativos e, anticoncepcionais), exames ginecológicos, teste do pezinho e vacinas.

Com uma equipe composta por três dentistas e duas atendentes de consultório odontológico, os pacientes recebem atendimento de segunda a sexta-feira na Unidade Básica. Na semana que a servidora pública Maria afirmou na matéria que não houve atendimento odontológico por falta de material, os dentistas Arlindo Afonso, José Cláudio e Vital Guerra atenderam 65 pacientes.

A  denúncia de que existe muitas adolescentes com doenças sexualmente transmissíveis, não procede. Até o momento, só foi notificado 1 caso de sífilis congênita.

O município nunca deixou faltar material de limpeza nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A secretaria de saúde garante equipamentos de segurança para os profissionais e não permite que eles trabalhem sem proteção. Nas Unidades Básicas, não existem farmácias Básica, a distribuição de remédios para diabetes e pressão é feita na Farmácia localizada na sede da Secretária de Saúde.

Os agentes de endemias do município notificaram 117 casos de dengue, 66 casos de chikungunya e 14 casos de Zica vírus. Foram realizadas as seguintes ações de combate às arboviroses: mutirão de limpeza no interior e sede do município, visitas dos Agentes de Endemias nas residências segundo ciclos pactuados pelo ministério da saúde, borrifação, coleta e análise de laudos, confirmação laboratorial de casos notificados, ações educativas, mutirão de atendimento no povoado de minas de cabeludas e outros.

O número de Agentes de Combate a Endemias atende satisfatoriamente a cobertura populacional do município. O município registrou apenas 1 caso de leishmaniose, no bairro Elias Alves na sede do município. Os agentes realizaram uma ação de combate na área. Foi feito o senso canino  teste rápido com o sangue do animal para identificar os cães contaminados, após confirmação laboratorial os animais foram sacrificados e todas os imóveis foram borrifados para acabar com o foco da doença.

Assim como em todo o pais, nos Estados e municípios, a saúde pública de um modo geral, precisa ser repensada.  Considerando que é preciso ser responsável ao lidar com assuntos que interfiram na vida e imagem de outras pessoas e instituições, faz-se necessário pensar melhor sobre o que pretende divulgar. A Secretaria de Saúde lamenta que órgãos conceituados de comunicação, ao receberem denúncia, não procurem ouvir a outra parte, antes de tornar público.

Ascom/Sesau

(foto/divulgação)

Moradores denunciam fechamento do único hospital de Sento-Sé

Hospital e Maternidade Dr. Heitor de Sento-Sé,

Moradores do município de Sento-Sé, no norte da Bahia, denunciam o fechamento Hospital e Maternidade Dr. Heitor de Sento-Sé, por falta de médico – além da deficiência na estrutura, de falta de remédios e funcionários com salários atrasados. Devido ao problema, muitos pacientes são encaminhados para hospitais de Juazeiro, Petrolina e outros municípios da região.

Segundo informações, o hospital está com equipamentos defasados, a exemplo da máquina de raio-X, sem qualidade na imagem. Por este motivo não dá para identificar o problema do paciente. Relatos dão conta de que estaria faltando até desfibrilador (equipamento de reanimação em caso de ataque cardíaco). Sobre o assunto, o Blog não conseguiu contato com a prefeitura para obter algum esclarecimento. Contudo, o espaço está reservado. (foto/divulgação)

Mais de 500 mil postos de trabalho informais foram fechados em 2016

empregos[1]Em junho, 91.032 vagas de empregos formais foram fechadas no país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério do Trabalho. O resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho.

No entanto, o resultado melhorou em relação a junho de 2015, quando foram fechados 111.199 postos formais. No acumulado deste ano, o Caged contabiliza 531.765 vagas fechadas e, nos últimos 12 meses, o saldo chega a 1,765 milhão de postos com carteira assinada a menos.

O setor de serviços registrou a maior queda de vagas formais em junho deste ano, com fechamento de 42.678 postos de trabalho. O setor inclui a atividade bancária, transportes, comunicações, ensino e serviços médicos, por exemplo.

A indústria da transformação teve a segunda maior perda de postos, com fechamento de 31.102 vagas. A construção civil fechou 28.149 vagas e o comércio, 26.787 postos. As únicas atividades com novas vagas abertas foram a agricultura e a administração pública. A primeira abriu 38.630 postos em junho e a segunda, 790 vagas.

Emprego formal

As maiores perdas de postos de trabalho foram registradas em São Paulo, com fechamento de 29.914 vagas. Em segundo lugar está Rio de Janeiro, com recuo de 15.748, e em terceiro o Rio Grande do Sul, com menos 10.340 vagas. O emprego formal teve resultado positivo somente em oito unidades da Federação em junho. Foram elas: Minas Gerais (4.567), Goiás (3.369), Mato Grosso (2.589), Acre (191), Piauí (101), Amapá (54), Mato Grosso do Sul (35) e Maranhão (17). Divulgado desde 1992, o Caged registra as contratações e as demissões em empregos com carteira assinada com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho. (fonte: Agência Brasil)

Artigo do leitor: Empresário afirma que decisão de fechar Matadouro de Petrolina não poderia ser mais equivocada

matadouro petrolina

Neste artigo enviado ao Blog, o empresário Adalberto Coelho, um dos filhos de dona Josepha e Seu Quelê, põe mais lenha na polêmica acerca do Matadouro de Petrolina. Segundo Adalberto, a decisão da atual gestão municipal não poderia ser mais equivocada.

Confiram:

O Matadouro de Petrolina foi um projeto integral, elaborado e aprovado por órgãos oficiais.

– Os currais foram construídos com madeira de lei e estão em perfeito estado;

– O prédio é de sólida construção civil;

– Os equipamentos foram tecnicamente especificados e atendia a todas as exigências legais, e hoje é passível de até alguma adequação;

 – Aproveitamento integral de todos os subprodutos;

– O funcionamento atual não apresenta nenhuma agressão ao meio ambiente, que não fosse passível de alguma correção de menor expressão.

Faltou ao poder público municipal a responsabilidade de bem administrar este equipamento público, que a exemplo de vários outros exigem investimento, tais como limpeza pública, iluminação, sanitários, escolas, hospitais, estradas e tudo mais.

O fechamento do matadouro gerou muita mão de obra primária de desempregados, envolvendo mulheres idosas, transportadores, pecuaristas do setor bovino, caprino, ovino e suíno. A atitude é própria de quem não tem nenhuma visão econômica dos problemas rurais. Em resumo, um administrador apenas de problemas urbanos.

Em administração pública, a pior atitude é insistir no erro.

Querendo, ainda é tempo de corrigir esta malfadada decisão, que jogou na clandestinidade microempresários do setor, transformando homens simples, mais honrados, em marginais.

De resto prejudicou a qualidade da carne consumida pela população de, lembre-se ele, de 350 mil habitantes, de nível de educação, diferenciado.

Qualquer projeto imobiliário, por ventura existente, poderia e deveria ser executado em conjunto com o funcionamento do matadouro.

Matadouro em Petrolina existe desde 1940, pela visão lúcida e competente do médico e sanitarista, prefeito Dr. Pacífico da Luz, de origem piauiense.

Petrolina merece mais e melhor.

Atenciosamente,

Adalberto Coelho/Empresário

Moradores do João de Deus reúnem-se para discutir fechamento de posto policial

IMG-20160602-WA0012

Moradores do bairro João de Deus, na zona oeste de Petrolina,  reuniram-se nesta quarta-feira (1) para debater sobre o fechamento do posto policial da comunidade, que funcionou de 2013 até agora.

O encontro foi proposto por uma solicitação do gabinete do deputado Miguel Coelho, através do assessor Simão Durando, com o comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (5ºBPM) tenente-coronel Ricardo Peres. Na oportunidade, os moradores apresentaram reivindicações para manter a segurança no bairro. O  comandante informou que deverá promover o reforço com viaturas, assim como intensificar as blitz na comunidade.

Novo comando da Caixa estuda fechamento de agências

CaixaO novo presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, encontrará um diagnóstico que mostra como o banco estatal precisa melhorar a eficiência operacional. Uma centena de agências estão deficitárias, ou seja, fecham no vermelho, mas, mesmo assim, a vice-presidência que cuida da rede do banco recomendou o fechamento de apenas 15 delas que estão totalmente inoperantes.

A Caixa foi usada nos últimos anos pelo governo do PT como locomotiva do crédito no País, estratégia para impulsionar a atividade econômica. Dessa forma, a instituição conseguiu aumentar sua participação no mercado, mas essa expansão do crédito também provocou efeitos colaterais, como o aumento do nível de calotes do banco.

O alto número de agências deficitárias também é consequência dessa política. Desde 2010, a Caixa abriu 1.329 agências. A análise da direção do banco é que não se faz mais necessária toda essa estrutura, ainda mais com a mudança dos hábitos dos clientes, que cada vez mais optam pelos serviços pelo computador ou pelo smartphone.

No primeiro trimestre deste ano, a quantidade de usuários cadastrados para acesso via smartphones aumentou quase 63% em relação ao primeiro trimestre de 2016 e a de usuários via internet banking cresceu 20% na mesma comparação. Mesmo assim, a quantidade de transações online ainda representa menos de um quarto do total de transações realizadas no período. Um dos desafios do novo presidente será ampliar a presença do banco no meio digital.

Um empecilho para o fechamento das agências é que são usadas para o pagamento de benefícios sociais, como o Bolsa Família, mas a avaliação é de que esse serviço poderia ficar restrito às casas lotéricas. O banco tem atualmente 4,2 mil agências e pontos de atendimento e 26,5 mil correspondentes Caixa Aqui e Lotéricos.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que Gilberto Occhi já está avaliando esse estudo e tem intenção de colocá-lo em prática, mas quer avaliar o potencial de rentabilidade de cada agência e onde estão localizadas.

Redução de pessoal

O banco também deve manter a política de redução de custos com pessoal, com planos de demissão e de incentivo à aposentadoria. A Caixa cortou o número de funcionários de 100,3 mil para 97 mil em 12 meses. No período, a despesa com pessoal cresceu 1,6%, bem abaixo da inflação, totalizando R$ 5 bilhões. A instituição está buscando ações para reduzir gastos e aumentar a produtividade.

Ao assumir a Caixa, Occhi também receberá o desenho de um caminho para a abertura de capital do banco estatal ainda no governo do presidente em exercício Michel Temer. Para que uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) seja possível daqui a dois anos, o banco estatal teria de privatizar antes três áreas: seguros, loterias e cartões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (foto/reprodução)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br