Avenida Cardoso de Sá pode ser alterada para melhorar tráfego de veículos

O vereador Edilsão do Trânsito (PRTB) solicitou à Secretaria de Infraestrutura e Habitação de Petrolina um estudo para diminuir o tamanho da calçada localizada na Avenida Cardoso de Sá, próximo ao cruzamento com a Rua Hortêncio Joaquim de Araújo (de acesso a Garage Hamburgueria) e na Rua Araripina.

Conforme Edilsão, a diminuição da calçada, do lado da orla fluvial, poderá melhorar o fluxo de veículos pela Cardoso de Sá nos horários de pico.

Estudo vai avaliar as condições das praças de Petrolina

A Prefeitura de Petrolina vai realizar estudo para avaliar as condições das praças do município. A iniciativa, que será realizada em parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS), Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) e Secretaria de Planejamento e Inovação (SEPI), começa nesta segunda-feira (5). As ações vão ser desenvolvidas paralelamente ao programa ‘Nossa Praça’, lançado no último dia 31 de maio, que tem como objetivo unir a população e o empresariado na preservação das praças da cidade.

As equipes envolvidas no projeto vão percorrer todo o município, desde o perímetro urbano da sede até povoados e distritos localizados na zona rural. Estudos preliminares apontam a existência de aproximadamente 110 praças em toda Petrolina. Com um auxílio de um aplicativo desenvolvido pela SEPI, será possível tabular alguns dados sobre as praças, como quantidade e localização. Além disso, o estado de conservação de cada uma também será avaliado a partir da análise de itens que compõem a estrutura física dos espaços, a exemplo de piso, iluminação, bancos, vegetação, calçadas e equipamentos de lazer. A característica predominante de cada praça também será definida, afinal, é importante saber se o espaço possui perfil esportivo, cultural ou histórico.

Depois deste trabalho de campo, o diagnóstico ainda vai contar com outras duas fases. A elaboração do plano de intervenções a serem realizadas nas praças e a estruturação da manutenção necessária em cada caso.

Após dois meses de ação conjunta de limpeza, nível de oxigênio no Velho Chico passa dos 500% na margem de Petrolina

Um estudo realizado pela Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA), em parceria com a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf e o Instituto Federal de Ciência, Tecnologia e Educação do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), diagnosticou na semana passada que a qualidade da água do Rio São Francisco na orla de Petrolina está melhor graças ao trabalho desenvolvido pela prefeitura no Projeto ‘Orla Nossa’, que atua na revitalização do Velho Chico.

A tarefa de eliminar pontos de esgoto que caíam no rio, realizada pela Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Mobilidade (SEINFRAHM) juntamente com a Compesa, e a remoção de boa parte das baronesas acumuladas às margens do São Francisco foi essencial para a elevação do oxigênio diluído na água, que saiu de 1,3 mg/L para 8,1 mg/L. Um aumento significativo que ultrapassa os 500%, superando o recomendado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) para um corpo de água doce de classe 1 – que é 6,0 mg/L.

Além disso, também houve avanço em outros aspectos da água, como turbidez, transparência, pH, salinidade, além da presença de nitratos provenientes de esgoto.

De acordo com o gerente de Projetos da AMMA, Victor Flores, esses indicadores revelam que mesmo em pouco tempo, o trabalho de recuperação do rio está dando certo. “Nós ficamos muito felizes com os resultados dos estudos, que são monitorados desde janeiro (…) Ainda há muito a ser feito e o trabalho deve e precisa continuar com a mesma força que teve até agora“, destaca.

Peixamento

Outro ponto positivo do resultado do estudo da qualidade da água do Velho Chico é que agora os ambientalistas da Codevasf têm a segurança científica para poder realizar um peixamento no rio. A ação está marcada para o próximo dia 5 de junho, data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, e será mais um marco da recuperação do Velho Chico, já que 20 mil alevinos da espécie nativa Piau vão voltar a povoar o rio nas margens de Petrolina. (Fonte/foto: Ascom PMP)

Bancada do governo levará ao prefeito Miguel Coelho demanda do passe livre para estudantes da rede pública de Petrolina

 

Após protestos nas ruas e na Câmara de Vereadores, estudantes de Petrolina tiveram na sessão desta terça-feira, 28, a confirmação da bancada do Governo Miguel Coelho na Casa que o prefeito já dispõe de um estudo para que a maior cidade do sertão implante o passe livre para os estudantes da rede pública.

“O prefeito está concluindo um estudo de ordem econômica para cumprir o que ele prometeu na campanha. Ele está levantando para colocar ainda esse ano o passe livre para que seja oferecido o benefício, mas que dentro desse estudo, possa pagar também as empresas que prestam serviço. Na Região Metropolitana do Recife, as empresas andam cobrando da Prefeitura e do governo estadual, o repasse acordado para que o passe livre pudesse ser implantado lá”, disse o líder do governo, vereador Ruy Wanderley. (mais…)

Alunos de escola pública de Santa Maria da Boa Vista integram estudo sobre Bioma Caatinga

Os alunos do Erempem – Escola de Referência do Ensino Médio Professora Edite Matos em Santa Maria da Boa Vista, no sertão do São Francisco, puderam conhecer os resultados de uma pesquisa que está sendo desenvolvida na Univasf (Universidade Federal do Vale do São Francisco) com apoio da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Sudene – Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste. Trata-se de um estudo profundo sobre o potencial das plantas encontradas no Bioma Caatinga.

“Inicialmente visitamos as comunidades tradicionais das cidades de Lagoa Grande e Santa Maria e Buíque e conhecemos as plantas para a partir daí elaborar uma lista das que tem maior potencial medicinal. Levamos para a Universidade e estudamos. Agora estamos trazendo os resultados para a população do que encontramos”, disse a professora Márcia Vanusa, do Departamento de Bioquímica da UFPE, que encabeça a pesquisa.

“Além do potencial medicinal, as plantas encontradas na caatinga em nosso município foram analisados também os potenciais cosméticos e alimentares dessas ervas. O objetivo é que futuramente isso possa mobilizar e impulsionar o desenvolvimento dessa região, quem sabe com a produção de um repelente natural”, afirmou Vanusa.

A pesquisadora afirma que Bioma Caatinga é o único desse tipo no mundo e por isso guarda muitas riquezas ainda desconhecidas, em meio aos galhos secos e pequenos arbustos. “Embora muita gente não perceba que a caatinga conserva em seu solo seco e árido vidas diferentes – fauna e flora diversificadas e exclusivas mundialmente. Por isso, a Univasf, também com o apoio da Prefeitura Municipal, vem se debruçando nos estudos detalhados desse Bioma”, finalizou a professora.

Estudo do TCE-PE aponta que lixões imperam em municípios sertanejos

O Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) divulgou nesta terça-feira (7) um levantamento sobre a situação da destinação dos resíduos sólidos domésticos por parte das prefeituras no Estado. O estudo mostra que dos 184 municípios de Pernambuco, apenas 33 (17,9%) utilizam corretamente aterros sanitários para colocação do lixo.

A maioria, ou seja, 128 cidades (68,5%), ainda despeja a sujeira em lixões em campo aberto, numa conduta bastante lesiva ao meio ambiente. Os outros 23 municípios (13,6%) encontram-se em uma situação intermediária, depositando os resíduos em aterros que não atendem por completo às exigências legais e ambientalmente adequadas. No sertão. apenas Petrolina, Petrolândia e Arcoverde, possuem aterro sanitário. Nas outras cidades, os lixões imperam.

O estudo, feito pelo Núcleo de Engenharia do TCE-PE, tomou por base dados das inspeções realizadas entre janeiro e dezembro de 2016 pela equipe técnica, bem como informações fornecidas pela CPRH (Agência Estadual de Meio Ambiente). “A situação salta aos olhos quando se conclui que mais de 4 mil toneladas de dejetos ainda são lançadas em lixões a céu aberto todos os dias em Pernambuco”, preocupa-se Pedro Teixeira, auditor responsável pela elaboração do estudo.

Pernambuco dispõe apenas de 10 aterros sanitários licenciados, um número bem abaixo do considerado ideal pelo Plano Estadual de Resíduos Sólidos para atender às necessidades da população, que seria de 54 aterros. Os municípios que despejam os resíduos de forma ambientalmente adequada, ou que estão com o local de destinação final em fase de licenciamento junto à CPRH, recebem uma importante parcela do ICMS Socioambiental, que, em muitos casos, cobre totalmente as despesas com operação e manutenção desses locais.

Levantamento

O quadro não apresenta evolução significativa comparado aos resultados obtidos nos anos de 2014 e 2015, tanto em número de municípios, quanto em quantidade de lixo destinada de forma ambientalmente adequada. Em 2015, 129 municípios (70,1%) despejavam os resíduos em lixões, praticamente o mesmo percentual registrado em 2016. As informações contidas no levantamento feito pelo TCE-PE serão disponibilizadas na sua página na internet e enviados ao Ministério Público de Pernambuco para auxiliar no monitoramento da regularização da destinação do lixo. (Foto: Ascom/TCE-PE)

Centro promoverá em Juazeiro Estudo do Livro dos Espíritos

O Centro Espírita Luz, Amor e Caridade (Celac), em Juazeiro (BA), está formando turma para o Curso de Estudo do Livro do Espíritos, que terá início a partir do dia 7 de fevereiro (2017), na sede da instituição.

Lançado inicialmente na França em abril de 1857, o Livro dos Espíritos é o primeiro e um dos principais livros publicado por Alan Kardec – educador francês que codificou e difundiu a Doutrina Espírita e teve como um dos seus maiores seguidores no Brasil o mineiro Francisco Cândido Xavier, popularmente conhecido como Chico Xavier.

O Livro apresenta, de forma sintética, o espiritualismo ligado aos seus principais aspectos. Por esta razão, traz como fundamento a “filosofia espiritualista”. Para Clarice Carvalho e Josenilde Barbosa, presidente e vice da instituição, respectivamente, “o estudo do Livro dos Espíritos proporciona um amplo conhecimento sobre a doutrina, que tem como base a ciência e a filosofia espírita, bem como as ligações históricas de todas as fases da evolução humana. Por isso, vale muito a pena conhecer”.

Os interessados em participar devem inscrever-se diretamente na sede do CELAC, na Rua Professor Olavo Balbino, nº 218, Bairro Santo Antônio, pelos telefones (74) 98806-6117/ (87) 98865-5277 ou ainda pelo e-mail josbsn@hotmail.com. O curso é gratuito e aberto ao público em geral.

Pesquisa define controle de nova praga da uva no Vale do São Francisco

praa-uvaAté pouco tempo atrás, o único registro da presença do inseto Lasiothyris luminosa no Brasil tinha acontecido em 1983 no município de Brusque, Estado de Santa Catarina, e sem relação alguma com infestação ou dano econômico em áreas de produção. Mas no segundo semestre de 2015, após relatos de larvas causando danos extensos às flores e bagas de uva, a ponto de causar perdas de produção equivalentes a 5.150 dólares/hectare, lá estava ele identificado em propriedades de Lagoa Grande (PE), no Sertão do São Francisco. Já é uma nova praga dos parreirais no Nordeste brasileiro: traça-da-videira. (mais…)

Embrapa impediu a entrada de mais de 70 espécies de pragas agrícolas no Brasil, revela estudo

embrapa-controle-de-pragasDe 1977 a 2013, as ações de quarentena de plantas desenvolvidas pela Embrapa barraram a entrada de 75 espécies exóticas de pragas agrícolas no Brasil. A informação foi divulgada em estudo realizado por pesquisadores da empresa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, responsável pela pesquisa agropecuária no País. Entre essas pragas estão insetos, ácaros, fungos e bactérias – todas desconhecidas pela pesquisa científica nacional e, portanto, de difícil combate.

Segundo a Embrapa, o trabalho de quarentena é importante para economia brasileira. Um exemplo do estrago causado por uma praga exótica no agronegócio é o da lagarta Helicoverpa armigera, que entrou no Brasil no início dos anos 2000. Segundo a Embrapa, a infestação da praga nas lavouras de milho, soja e algodão causou prejuízo de cerca de um bilhão e setecentos milhões de dólares.

O estudo da Embrapa também chegou a outra importante conclusão: a de que o envio de sementes é a forma mais segura de intercâmbio internacional de culturas agrícolas. Segundo os pesquisadores da empresa, a incidência de pragas interceptadas de mudas e estacas de oliveira, lírio, maçã e videira foi 21 vezes maior do que em culturas exportadas em sementes como as de milho, trigo, arroz e algodão.

No trabalho de defesa vegetal no Brasil, se as pragas detectadas existirem no território nacional, as plantas são tratadas e liberadas. Se forem exóticas, o material é incinerado. (Com informações da Embrapa/foto: Cláudio Bezerra/divulgação)

Muriçoca pode ser “potencial transmissor” do Zika Vírus, diz estudo da Fiocruz

muriçoca zikaUm estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) constatou a presença do vírus Zika em mosquitos Culex quinquefasciatus (nome científico da muriçoca ou pernilongo doméstico) coletados na cidade do Recife. Com isso, o inseto pode ser um potencial transmissor do vírus. Até o momento, nenhuma pesquisa científica comprova essa possiblidade.

A pesquisa foi feita pela Fiocruz Pernambuco na região metropolitana do Recife, onde a população do Coldex quinquefasciatus é cerca de 20 vezes maior do que a do Aedes aegypti, principal transmissor do vírus. Os resultados preliminares da pesquisa de campo identificaram a presença de Culex quinquefasciatus infectados naturalmente pelo vírus Zika em três dos 80 grupos de mosquitos analisados até o momento.

Em duas dessas amostras, os mosquitos não estavam alimentados, demonstrando que o vírus estava disseminado no organismo do inseto e não em uma alimentação recente num hospedeiro infectado.

A coleta dos mosquitos foi feita com base nos endereços dos casos relatados de Zika nas cidades do Recife e Arcoverde, obtidos com a Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco (SES-PE).

O número total de mosquitos examinados na pesquisa foi de aproximadamente 500. O objetivo do projeto é comparar o papel de algumas espécies de mosquitos do Brasil na transmissão de arboviroses. Foi dada prioridade ao vírus Zika devido à epidemia da doença no Brasil e sua ligação com casos de microcefalia.

Um grupo controle, com mosquitos alimentados com sangue sem o vírus, também foi mantido. Cada mosquito foi dissecado para a extração do intestino e da glândula salivar, tecidos que representam barreiras ao desenvolvimento do vírus. O procedimento se dá de maneira que, se a espécie não é vetor, em determinado momento o desenvolvimento do vírus é bloqueado pelo mosquito. No entanto, se a espécie é vetor, a replicação do vírus acontece, se dissemina no corpo do inseto e acaba infectando a glândula salivar, a partir da qual poderá ser transmitido para outros hospedeiros durante a alimentação sanguínea, pela liberação de saliva contendo vírus.

Estudos adicionais

A partir dos dados obtidos serão necessários estudos adicionais para avaliar o potencial da participação do Culex na disseminação do vírus Zika e seu real papel na epidemia. O estudo atual tem grande relevância, uma vez que as medidas de controle de vetores são diferentes. Até os resultados de novas evidências, a política de controle da epidemia de Zika continuará pautada pelas mesmas diretrizes, tendo seu foco central no controle do Aedes aegypti. (fonte: Agência Brasil/foto reprodução)

Com acidentes e congestionamentos, vereador apela ao DNIT melhorias para rotatórias e contornos de Petrolina

Rotatória GontijoOs constantes acidentes nas rotatórias e contornos de Petrolina preocupam condutores e pedestres há anos. Nas proximidades do Ceape, por exemplo, as colisões acontecem todos os dias em duas rotatórias, na frente de uma concessionária e próximo à emissora Grande Rio AM. Mais uma vez, na tentativa de amenizar o problema, o vereador Edilsão do Trânsito (PSL) chamou a atenção da gerência regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

O ofício encaminhado ao supervisor regional, Leandro Miranda Teixeira, cobra do Dnit um estudo nas seguintes rotatórias e contornos: próximo à empresa Gontijo (Avenida Sete de Setembro), Viaduto dos Barranqueiros (Centro), contornos da concessionária Bari e do Ceape (Avenida Sete de Setembro) e rotatória do Trevo (BR-428).

Para Edilsão, além dos acidentes, os congestionamentos também estão causando transtornos nesses locais. “É preciso fazer um estudo nesses contornos e rotatórias a fim de implantar medidas para melhorar o fluxo de veículos, consequentemente a mobilidade urbana. Os congestionamentos estão se tornando cada vez mais frequentes e o risco de acidentes cada vez maior”, explicou.

Número de partos cesarianos sem necessidade é alarmante na região, aponta estudo

cicatriz-cesarea-cesariana-partoO crescimento de partos cesarianos sem necessidade continua preocupando as autoridades em todo o país. Essa realidade, infelizmente, é ainda mais alarmante nas duas principais cidades do Vale do São Francisco: Petrolina e Juazeiro.

Pelo menos é o que mostra um estudo feito por Maria Elda Alves de Lacerda Campos, professora-assistente da Universidade de Pernambuco (UPE), e pelas enfermeiras Denise Ferreira Alcântara e Luciana Patrícia Brito Lopes Gois, com a colaboração da obstetra Melânia Amorim, da cidade de Campina Grande (PE). Parte desse estudo você confere agora, na íntegra:

[gview file=”http://www.carlosbritto.com/wp-content/uploads/2013/11/INDUSTRIA-DE-PARTOS-EM-PETROLINA.pdf” cache=”0″]

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br