Vídeo Blog: Presidente da Compesa revela que empresa poderá assumir esgotamento sanitário de Petrolina

Compesa negocia com prefeitura para assumir todo o esgotamento sanitário de Petrolina

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, que acompanhou o governador Paulo Câmara nas visitas aos Sertões do Araripe e Central no final de semana, deu uma parada em Petrolina na última sexta-feira, 5, para visitar algumas ações que desenvolve na cidade e aproveitou também para se reunir com o prefeito Miguel Coelho (PSB). Ele também veio ao Blog, falar das novidades do trabalho que implementa na empresa, especialmente para a melhoria da imagem da Companhia perante o cidadão petrolinense.

Conforme o presidente, um dos projetos que pensa para Petrolina é tornar a Compesa a única operadora do sistema de esgotamento sanitário do município. Esse é um dos pontos que já discute com Miguel, a partir do momento que ele se colocou à disposição de dialogar com o órgão para buscar a prestação de um melhor serviço no município

“Hoje, a cidade ainda enfrenta problemas nesta questão, por ser um sistema pulverizado, parte administrado pela Compesa, parte pela Prefeitura. São obras que foram feitas por gestões anteriores, sistemas com mais de 20 anos. Então, na base do diálogo, estamos discutindo esse processo com o prefeito Miguel Coelho e acreditamos nessa negociação. Do jeito que está, a situação não é boa nem para o cidadão, nem para a prefeitura e nem para a Compesa”, revelou Tavares.

O presidente frisa que Petrolina poderia ter avançado mais em obras de saneamento, mas a falta de um melhor diálogo com a gestão anterior impossibilitou que novos investimentos pudessem chegar ao município para se avançar nessa área. “Estou na Compesa há dez anos. Em 2011, uma das primeiras reuniões que fiz com toda a diretoria da empresa foi aqui. Fizemos questão de visitar o então prefeito Julio Lossio”, citou. Ele frisa que ficou difícil captar recursos para novos investimentos em saneamento diante do impasse gerado pela ex-gestão, que questionou a concessão da Compesa na justiça, alegando não cumprimento da lei de renovação da concessão, o que gerou insegurança.

“Petrolina sempre perdeu com os momentos de crise entre a Compesa e a Prefeitura por um motivo simples. Nenhum financiador, nenhum banco, BNDES, Caixa ou até o próprio governo federal vai colocar dinheiro numa concessão que está em risco. Nós acreditamos que o diálogo é a melhor forma de trazermos investimentos para Petrolina, quando fizemos um acerto em 2007. Num acordo em que renovamos a concessão, conseguimos captar recursos e investimentos de R$ 150 milhões”, lembrou Roberto Tavares, dizendo que quer evitar que a falta de diálogo volte a acontecer.

Melhoria

“Nos colocamos à disposição de Miguel para evitar isso. Por isso fizemos um plano de 100 dias para atacar as demandas mais emergenciais, porque se trabalharmos juntos, a comunidade vai perceber que a melhoria virá mais rápido do que ficar nesse jogo de empurra”, acrescentou. O presidente enfatizou ainda que a Compesa sempre estará à disposição para a melhoria do sistema como um todo, porque o real interessado é o cidadão. “É ele quem precisa que isso esteja funcionando. Os políticos passam, os gestores passam, mas o cidadão fica. Então o nosso real interesse é o morador, é o cidadão de Petrolina”, concluiu.

Petrolina receberá investimento de R$ 5 milhões para obras de esgotamento sanitário

A cidade de Petrolina  receberá um investimento de R$ 5 milhões para obras de esgotamento sanitário. Na manhã de hoje (13), foi autorizado o convênio entre a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em evento realizado na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE)/Centro. A intervenção beneficiará cerca de 7 mil moradores dos bairros Jatobá, Idalino Bezerra e Henrique Leite.

Participaram da solenidade os Ministros da Integração Nacional, Helder Barbalho, das Minas  e Energia, Fernando Filho, o senador Fernando Bezerra Coelho,  o secretário de Desenvolvimento Econômico e vice-governador,  Raul Henry, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, o presidente da  Compesa, Roberto Tavares e a  presidente da Codevasf, Kênia Marcelino.

As obras  anunciadas irão  contemplar ações na  Bacia do Jatobá, com a implantação de rede coletora de esgoto nos bairros de Jatobá e Fernando Idalino, área central de Petrolina. De acordo com a Compesa, as intervenções serão executadas em até 18 meses. A comitiva também visitou a Estação de Tratamento de Água Vitória.

Renegociação

Além do anúncio dos recursos para saneamento, Helder Barbalho assinou a regulamentação da lei de renegociação dos débitos dos produtores dos projetos irrigados referentes à titulação dos lotes e ao K1 (tarifa por uso de água e infraestrutura fornecidos pela Codevasf). (foto/divulgação)

Após reclamação de moradores, Edilsão reforça que tem cobrado prefeitura por melhorias no esgotamento sanitário do Monsenhor Bernardino

edilsao-no-monsenhor-bernardino

Após a reclamação dos moradores do Residencial Monsenhor Bernardino, em Petrolina, acerca dos problemas recorrentes no esgotamento sanitário do local, o vereador Edilsão do Trânsito (PRTB) reforçou ao Blog que esse “descaso” não é de agora.

Edilsão ressaltou que vem acompanhando a situação dos comunitários, inclusive cobrando do Executivo Municipal providências para esses problemas, como fez na sessão plenária da Casa Plínio Amorim no último dia 1°.

O esgoto está voltando para dentro das casas, alagando as residências e nenhuma providência foi tomada. Temos denunciado essa situação há mais de um ano e nada foi feito por parte da Prefeitura”, reivindica o vereador. Até o momento ele já fez mais de seis ofícios, indicações e requerimentos solicitando melhorias no esgotamento sanitário do residencial. Com a palavra, a administração municipal. (foto/divulgação)

Falta de energia faz debate na casa Plínio Amorim ser encerrado antes do previsto

sessão casa plinio amorim quórumO debate sobre os problemas de esgotamento sanitário da Bacia do Bairro Dom Avelar, na zona norte de Petrolina, realizado na manhã desta terça (30) na Casa Plínio Amorim, foi encerrado antes do tempo previsto.

O motivo foi um ‘apagão’ que atingiu todo o Centro da cidade. As discussões já avançavam para o início desta tarde. Mas, sem energia elétrica, a presidência da Casa decidiu dar o evento por encerrado.

Ministério da Integração afirma que revitalização do Rio São Francisco faz parte de “trabalho permanente”

O Ministério da Integração Nacional afirmou que ações de revitalização do Rio São Francisco fazem parte de um trabalho permanente, sendo que esgotamento sanitário é uma das principais estratégias. As ações, segundo a Pasta, têm o objetivo não apenas de aumentar o volume de água disponível, mas também de melhorar sua qualidade.

O Ministério afirma que, desde 2007, foram concluídas 83 obras de sistemas de esgotamento sanitário que beneficiam 847 mil pessoas de cinco estados – Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe. Por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), o Governo Federal já investiu R$ 1,3 bilhão. Outras 24 estão em execução.

Minas Gerais é o estado com maior número de obras, por ser o que tem maior contribuição hídrica ao Rio São Francisco. Ou seja, onde estão localizadas as nascentes do manancial e seus afluentes. Já são 42 obras entregues, sete em execução e uma em ação preparatória.

Na Bahia, 26 empreendimentos foram concluídos e outros dois estão em execução e um em ação preparatória. Já em Alagoas, quatro obras estão finalizadas e outras seis estão em andamento. Pernambuco conta com dez obras entregues e sete em atividade. O Estado de Sergipe tem um sistema concluído e duas obras em execução. Apesar de o governo anunciar investimentos e ações para o Velho Chico, na prática as imagens são outras. Pelo menos é o que se vê na região, onde o rio a cada dia agoniza mais e mais.

Vereador Edilsão e gerente da Compesa discutem problemas de esgotamento sanitário em Petrolina

edilsão e joão raphael

O vereador Edilsão do Trânsito (PRTB) reuniu-se ontem (5) com o gerente regional da Compesa em Petrolina, João Rafael de Queiroz. Na pauta, algumas demandas da população em relação ao trabalho prestado pela Companhia no município.

Durante o encontro, o vereador levantou a bandeira da comunidade do Vale Dourado, que há mais de um mês solicita um reparo no esgoto entupido na Rua 21. A situação nessa via é crônica e tem como agravante estar em frente à Estação de Tratamento do loteamento. “Já estive no local para ver de perto o problema e venho cobrando uma solução definitiva para esse problema, já que os reparos feitos não são suficientes e a comunidade está sendo obrigada a viver com esgoto escorrendo pelas ruas do loteamento“, disse Edilsão.

Outras reivindicações apresentadas pelo vereador foram o esgotamento sanitário no bairro Caminho do Sol, José e Maria e Park Jatobá II. Edilsão aproveitou a visita para reconhecer o compromisso da empresa em relação às suas cobranças. “Solicitei alguns serviços no bairro Dom Malan e Caminho do Sol e prontamente uma equipe da Compesa foi solucionar os entupimentos nas redes”, destacou.

Além da reunião na Compesa, ele também se reuniu com um grupo de servidores da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina (Facape), na Câmara de Vereadores, para discutir alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) da classe. O Projeto de Lei de autoria do Executivo tramita na Casa Plínio Amorim e prevê duas alterações na Lei nº 2.492/2012.

Compesa anuncia melhorias nos sistemas de abastecimento d’água e esgotamento sanitário em Dormentes

águaOs sistemas de abastecimento d’água e esgotamento sanitário de Dormentes, no Sertão do São Francisco, vão receber melhorias. As ações serão feitas pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e foram anunciadas em audiência pública realizada na última semana na Câmara de Vereadores da cidade.

De acordo com a Companhia, as Estações Elevatórias de Esgoto estão sendo recuperadas e limpas. As unidades também receberão novos conjuntos motor-bomba, que vão substituir os conjuntos existentes, dando mais segurança ao funcionamento das unidades.

O sistema de abastecimento d’água da cidade também será beneficiado. A obra de modernização da captação e Estação de Tratamento do Morro do Crioulo, que está em execução, vai ampliar a produção de água da região em 20 litros/segundo. A reforma inclui a instalação de novos filtros, aumento da subestação da captação e novos quadros de comandos para acionamento das bombas na captação.

 Em 2004, quando foi inaugurado, o Sistema Adutor Maria Coelho abastecia apenas 10 comunidades rurais – além das cidades de Afrânio e Dormentes. A partir de 2006, novas ramificações foram implantadas para levar água tratada para outras áreas. Atualmente mais de 50 localidades rurais são abastecidas diretamente pela adutora.

Codevasf e Compesa iniciam processo de transferência de gestão dos sistemas de esgotamento sanitário

obra-de-esgotamento-em-municpio-mineiro-vai-beneficiar-cerca-de-35-mil-habitantes_11645222024_o - CópiaDurante esta primeira semana de março, representantes da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) estiveram reunidos para discutir o encaminhamento e andamento das obras de esgotamento sanitário na área de atuação da Codevasf em Pernambuco.

(mais…)

Comunitário de Juazeiro questiona obra de saneamento no bairro João Paulo II e afirma que dejetos vão direto para o Velho Chico

Preocupado com a questão do saneamento básico do bairro João Paulo II, em especial de residenciais do Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, o comunitário juazeirense David Lima enviou e-mail a este Blog, no qual mostra sua indignação com os problemas relacionados ao esgotamento dessas localidades que, segundo ele, vai direto para o Velho Chico.

Acompanhe:

Continua o descalabro. O saneamento do bairro João Paulo II foi inaugurado com toda pompa e foguetório, digno de uma obra de fato realizada com sucesso. Entretanto, a realidade é outra: as fotos não mentem jamais, feitas no dia 11 de fevereiro de 2016. Pode o leitor observar o crescimento da lagoa de fezes ao longo da Avenida, descendo e formando um córrego na direção do riacho que corta o bairro Itaberaba, passando ao lado do Atacadão e do Shopping Juá Garden, indo desaguar no Rio São Francisco.

Seria a Secretaria de Meio Ambiente responsável por esse crime contra saúde pública? Seria do Ibama a responsabilidade desse crime contra a saúde pública? Seria do Inema? A quem interessar, o fato é real. Essas fezes são oriundas dos conjuntos do Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, Morada do Salitre e Praia do Rodeadouro com mais de 4 mil moradores. Que tal o Ministério Público Estadual averiguar? Estamos em tempo de grandes investigações.

David Lima/Comunitário

Julio Lossio afirma que problemas com esgotamento sanitário em Petrolina só serão resolvidos com municipalização da Compesa

O saneamento básico de Petrolina e a briga judicial com a Compesa pela municipalização dos serviços oferecidos na cidade foram alguns dos assuntos debatidos pelo prefeito Julio Lossio durante entrevista coletiva realizada no sábado (16), onde o gestor fez um balanço de seu governo e aproveitou para anunciar novos investimentos para o município.

Problema antigo da cidade, o esgotamento sanitário é alvo constante de reclamações dos petrolinenses, que dizem que há um “jogo de empurraempurra” entre  a Compesa e a Prefeitura. Sobre este assunto, Julio Lossio afirmou que “isso é uma discussão antiga, pois o governador Paulo Câmara quer manter a Compesa no Estado e o município quer municipalizar”.

Lossio reforçou que não é possível resolver os problemas de esgotamento sanitário de Petrolina sem a municipalização. “Só vejo um caminho para resolver a questão do esgotamento no município: a municipalização”, afirmou, citando como exemplo a municipalização da iluminação pública – segundo ele já bem sucedido -, que agora é de responsabilidade da prefeitura.

O prefeito também acusou a Companhia de jogar a culpa dos problemas sobre a Prefeitura. “A Compesa, quando está acuada, ela tenta jogar a culpa pra cima da prefeitura. Mas isso é muito claro. É porque ela tem um contrato de concessão. Então, a responsabilidade pela casa que você mora alugada não é do dono da casa, a responsabilidade é sua, você tem que entregar do jeito que recebeu. Se for fazer uma avaliação você vai ver que 99% dos investimentos feitos em Petrolina em saneamento são com recursos federais.

Concessão municipal

Segundo Julio Lossio, estudos – realizados há cerca de um ano – comprovam que o município ganharia muito em investimentos com a concessão municipal. “Se a gente municipalizasse hoje, a gente faria uma concessão pública, íamos conseguir R$ 400 milhões em investimentos no sistema de água e esgoto, íamos conseguir investimentos em pavimentação, por exemplo, e o preço da água seria reduzido em 5%. Isso seria um ganho enorme, porque nós íamos pegar o dinheiro de Petrolina e aplicar em Petrolina”, garantiu.

A briga judicial pela concessão do serviço voltará, de acordo com Julio Lossio, a ser travada este ano, agora não mais no Recife, pois o processo já se encontra em Brasília (DF). (foto/Janko Moura)

Compesa consegue reforço de R$ 100 milhões para continuar obras em Pernambuco

compesa serviço avenda são francisco_640x360

Para continuar investindo em obras de abastecimento d’água e esgotamento sanitário no estado em 2016, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) conseguiu um reforço no caixa de R$ 100 milhões, com a emissão de debêntures no mercado.

Debêntures são uma forma de captação de recursos por meio de títulos, de médio e longo prazo, que conferem ao seu detentor um direito de crédito em relação à companhia emissora.

As obras que receberão esses recursos ainda não foram definidas pela Compesa – decisão que deverá ocorrer nos próximos 15 dias, no mesmo período da assinatura do contrato com o banco Santander, o agente financeiro que venceu o pregão presencial ao oferecer as melhores condições de taxas de juros e prazo para a quitação do empréstimo.

A expectativa da Compesa é receber os recursos em 45 dias. A sua utilização será restrita aos investimentos da carteira de recursos públicos, não podendo ser usados em custeio ou em obras financiadas pelo governo federal. Esta é a terceira vez que a Compesa emite debêntures para incrementar o seu caixa para investimentos. No pregão realizado em dezembro do ano passado, três bancos participaram da disputa. Além do vencedor da licitação, participaram ainda o Banco do Brasil e o consórcio formado pelos bancos ABC e Fator.

Segundo a diretora de Gestão Corporativa da Compesa, Simone Albuquerque, este último processo contou com uma nova metodologia de captação. “Fomos para o mercado com as especificações pré-definidas no edital da licitação, com o objetivo de fechar a operação com quem oferecesse uma condição mais atrativa”, afirmou.

Quitação

A Compesa pagará a captação em 72 meses, sendo 12 meses de carência. O custo da comissão de estruturação da operação ficou em 1,4% do montante total emitido, somado a despesas reembolsáveis, que pode chegar até R$ 220 mil, o que corresponde a um total em torno de R$ 1,6 milhão. O valor é bem abaixo daquele acordado com o Banco do Brasil em 2014, que foi uma taxa de 2,5%. As informações são da assessoria. (foto/arquivo Blog)

Após denúncia no Blog, leitor agradece à Compesa por solucionar problema na Vila Eduardo

CompesaO leitor Josemir Joca Amorim, do bairro Vila Eduardo, zona leste de Petrolina, enviou e-mail para agradecer à Compesa por solucionar um problema no esgotamento sanitário da Rua Cabrobó I, onde mora. A denúncia foi feita por ele e publicada neste Blog.

Acompanhem:

Estou retornando a este Blog, a fim de registrar os meus agradecimentos à empresa Compesa, pois tem se mostrado eficiente e célere, através de seus funcionários, no que diz respeito ao desentupimento de esgotos estourados nas ruas. Foram rápidos e resolveram o problema aqui da Rua Cabrobó I, no bairro Vila Eduardo. Rua esta que dá acesso à Escola Maroquinha.

Só chamo a atenção dos cidadãos para que zelem por suas residências, evitando jogar, no vaso e nas pias, restos de alimentos que podem gerar entupimentos na rede de esgoto,  ocasionando incômodos causados pela água suja saindo pelas calçadas e atrapalhando pedestres e veículos de circularem. Valeu, Compesa!

Josemir Joca Amorim/Leitor

Compesa resolverá problema em lagoa de estabilização no Centro de Dormentes, informa Roniere Reis

roniere reunião com marconi azevedo compesa

Os problemas ocasionados por uma lagoa de estabilização localizada nas imediações do Centro de Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco, estão com os dias contados. (mais…)

Bairros de Petrolina ganham novas redes de esgotamento sanitário

esgotamento bairros petrolinaDiversas comunidades de Petrolina foram beneficiadas com novas redes de esgotamento sanitário. No bairro cidade Jardim, foi realizada a substituição da rede condominial de esgoto na Rua Inácio Rodrigues. A demanda, solicitada pelos moradores, garantiu a implantação de 84 metros de novos tubos.

O João de Deus também foi contemplado com novas redes. Os serviços foram executados nas ruas 60 e quatro, onde a população deixou de utilizar a fossa e agora conta com um sistema completo de saneamento básico. No bairro foram implantados mais de 500 metros de tubos de PVC.

O mesmo serviço foi realizado nas ruas 10, 11 e 12, do Bairro Pedra Linda, que receberam rede condominial contemplando uma média de 60 imóveis. Por lá, a rede de PVC implantada possui uma extensão total de 670 metros.

Para atender a restaurantes localizados no bairro Jardim Maravilha, a Compesa também implantou 20 metros de rede condominial de esgoto na Rua João Ramos da Silva da comunidade, em áreas que não possuíam sistema de esgotamento sanitário.

De janeiro a setembro deste ano, mais de R$ 550 mil foram investidos em intervenções que garantiram a implantação de redes de esgoto com diâmetros entre 150 e 300 milímetros.

Cronograma

Segundo o gerente regional, João Raphael de Queiroz, por mês mais de mil metros de tubulações de esgoto são implantados na cidade, além das substituições. “Esse é um trabalho feito constantemente a partir da solicitação de moradores, assim como das equipes de campo e comercial, que fiscalizam as áreas e sempre avaliam necessidade de troca ou implantação de rede nos locais que não possuem sistemas completos de saneamento”, finalizou Queiroz. (fonte/foto: Ascom Compesa)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br