Prefeitura irá atuar com rigor no processo de legalização dos licenciamentos em Petrolina, garante secretário

Em entrevista ao Blog, o secretario de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade de Petrolina, Eduardo Carvalho, disse que a adequação ao licenciamento urbano da cidade, está entre as prioridades da pasta. A intenção, conforme o secretário é adequar imóveis e construções que estarão incluídas na nova legislação aprovada semana passada na Câmara Municipal. Matéria proposta pelo poder executivo, as novas regras buscam regularizar edificações que não atendiam a legislação de obras e posturas e ao próprio Plano Diretor do município.

“Vamos verificar os processos de licenciamentos urbanos. Reformas, demolição, construções, vinham descumprindo os parâmetros previstos no código de obras do Plano Diretor de 2006 que é o que está em vigor. Tem construtor construindo 100% do terreno quando o código prevê até 70%. Muitas coisas vinham sendo desrespeitadas”, elencou o secretário.

Conforme o secretário, essa lei foi um freio de arrumação nessas ilegalidades que vinham ocorrendo. “Construções já concluídas ou em fase de conclusão, não tínhamos mais como embargar, demolir, então foram criados paramentos onerosos para pagar pelo que excedeu e em contrapartida eles ficarão regular perante a Prefeitura”, acrescentou.

Fundo

Conforme a lei aprovada na Câmara e sancionada pelo prefeito Miguel Coelho (PSB), será criado um Fundo de Manutenção Urbano que receberá as taxas dos empreendimentos irregulares que irão se adequar. Esses empreendimentos ainda irão contribuir com esse fundo. Os recursos, de acordo com a lei, serão utilizados em uma série de melhorias urbanas na cidade.

Vídeo Blog: Entrevista exclusiva com o prefeito Miguel Coelho

Miguel desmistifica polêmica sobre o São João 2017: “Serão 13 dias de festa, quatro nos bairros e nove no pátio oficial”

A matemática entra em campo para pôr fim à polêmica de quantos dias serão de festa no São João 2017 em Petrolina. E quem resolveu fazer a conta direitinho para que todos vejam que matemática é ciência exata, foi o prefeito Miguel Coelho (PSB), durante sua entrevista na transmissão ao vivo pela página do Blog no Facebook, ocorrida na tarde desta quarta-feira, 22.

Conforme o prefeito houve uma confusão nas cabeças das pessoas depois que ele disse que o São João este ano seria iniciado dia 16 de maio com o retorno dos festejos nos bairros, e que de 16 a 24 de junho, a festa vai acontecer no pátio oficial Ana das Carrancas.

“Quem critica que são 34, 35, 39 dias de festa, simplesmente não esta sabendo fazer a conta, porque o que anunciamos e que iriamos iniciar o período junino mais ou menos em 16 de maio nos bairros, indo até  16 de junho que é quando começaremos a festa no pátio oficial que vai de 16 a 24 de junho. Mas esses quatro finais de semana não quer dizer que serão todos os dias de festa, ninguém aguenta, a Prefeitura iria quebrar”, assinalou o gestor.

 A proposta, conforme Miguel Coelho é a retomada do São João dos Bairros quando serão escolhidos quatros bairros nas quatro regiões da cidade, para que um dia em cada final de semana, haja os festejos juninos nesses locais.

“É fazer o São João em cada bairro, para movimentar a economia para que a gente possa valorizar o artista local, enfim, para poder resgatar os desafios da rua mais ornamentada, quem fazia a melhor quadrilha, a dança mais bonita, valorizar o artista do bairro. Então, se for juntar todos os dias de festa e somar, são quatro dias nos bairros e mais nove no pátio de evento. Então são 13 dias de festa”, ressaltou o prefeito petrolinense.

Miguel comentou que fará a festa junina em Petrolina, ampliando os festejos e tudo dentro do controle, e ainda assim, economizando se comparar com o que se investiu na festa no ano passado.

“Não estamos fazendo nada fora do controle e, outra, mesmo com a volta do São João dos bairros, conseguiremos reduzir em R$ 1 milhão o que foi investido na festa no ano passado. Portanto, é fazendo mais, gastando menos e fazendo melhor, e ainda por cima, valorizando a cultura dos bairros e a cultura local”, concluiu o prefeito.

Desafio de Miguel Coelho é quitar dívidas que podem chegar a R$ 150 milhões

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), disse nesta quarta-feira, 22, durante entrevista transmitida ao vivo via página do Facebook do Blog, estar satisfeito gerindo a maior cidade do sertão. Miguel falou dos desafios, dificuldades e o que conseguiu avançar nesse pouco tempo administrando Petrolina, sonho que sempre teve. Faremos mais de uma postagem dessa entrevista com o prefeito com os temas que foram tratados, provocados também pelos seguidores do Blog na rede social. (mais…)

Blog transmitirá ao vivo entrevista com o prefeito Miguel Coelho na tarde de hoje

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), concederá entrevista a este Blog na tarde de hoje (22), oportunidade em que comentará sobre os três primeiros meses de governo.

Você, leitor, poderá acompanhar toda a entrevista, que será transmitida ao vivo pelo YouTube e redes sociais do Blog. A transmissão terá início às 14h30. Não deixe de acompanhar, pois Miguel vai contar tudo!

Secretário aponta “força política” para avanços na Infraestrutura e Habitação de Petrolina

À frente da Secretaria de Infraestrutura e Habitação de Petrolina, o Coronel Heitor Leite, que foi secretário de Educação na gestão passada,  declara ter as diretrizes básicas a serem seguidas: pensar a cidade a partir da perspectiva urbanística, melhorar a infraestrutura e avançar na política habitacional.

É mais um desafio. Na Infraestrutura, eu tenho um grupo menor, mas trabalhando para um grupo muito grande, que é toda a cidade. Na Habitação, da mesma forma. O desafio é que o cidadão seja atendido. Eu vejo esse momento apropriado para novas idéias”, disse, em entrevista a este Blog.

Questionado sobre as obras de duplicação de uma das principais avenidas da cidade, a Cardoso de Sá, que foi promessa da gestão passada, o secretário garantiu que a avenida não tem capacidade para ser duplicada e afirmou que a obra iniciada no local é “praticamente inaproveitável”.

Aquilo é uma obra paralisada e longe de ter uma posição. Pegamos um engenheiro da própria secretaria e aquela obra é praticamente inaproveitada, é praticamente um trabalho perdido. Não tem uma avaliação precisa. Pra Câmara [de Vereadores] foi prestada uma série de esclarecimentos e se fala em R$ 3 milhões, mas ali não tem um projeto licitado. Foram feitas aquisições de material e foi contratado o serviço de ressocialização dos presos, então não se tem um valor licitado pra dizer quanto foi”, afirmou.

De acordo com o Coronel Leite, o projeto da obra não foi encontrado e até o meio-fio feito na Cardoso de Sá está irregular. “Uma fileira de meio-fio está invertida, eles limitam a pista. A gente tem q tirar o meio fio para fazer uma pavimentação decente. Pra gente pavimentar a pista de ciclista, a gente tem que tirar o meio-fio, ou seja, tirar tudo.

Mas nem tudo está perdido. O secretário disse que a prefeitura já tem um projeto e que está buscando recursos. “Já temos um projeto, efetivamente, elaborado pelo engenheiro, desde o Trevo até a Facape, para que a gente possa realizar. O prefeito está buscando duas fontes de dinheiro, sendo uma o recurso do empréstimo da pavimentação – que ainda tem um saldo para receber e nós estamos tentando resolver. Se recebermos, já temos como alocar; se não recebermos, o prefeito esteve em Brasília e o Ministro das Cidades ficou de contemplar a cidade com recurso de mais de um milhão de reais”, explicou.

O Coronel Heitor Leite explicou por que a avenida Cardoso de Sá não pode ser duplicada. “A Cardoso de Sá não cabe duplicação, a idéia é que ela se mantenha naquela espessura, obviamente com recapeamento. Por que não duplicar? A idéia é tirar o trafego de carros pesados da Cardoso de Sá. Está no projeto a duplicação da Avenida Honorato Viana, da Sete de Setembro, com viaduto na Estrada da Banana, de modo que os carros pesados saiam por ali, para que eles não passem pelo Centro de Petrolina”, pontuou.

Requalificação da Orla I

O Secretário também informou que a prefeitura realizará, ainda este mês, um projeto de requalificação da Orla I e o andamento de obras nas Orlas II e III. “O prefeito, em Brasília, recebeu a promessa, e nós temos que preparar este mês o projeto de requalificação da Orla I, que contempla a região dos bares, a Portal do Rio e o terminal das barquinhas. A Orla II está com pisos intertravados e a obra da Orla III está travada por questões ambientais. Mas, nós estamos tentando destravar a obra. Já que vai fazer a Orla III, ai o município tem que recompor em alguma área ambiental para que seja liberado. Esse dinheiro para tantas intervenções, de onde sai? Foi solicitado ao Ministro das Cidades. Os recursos que seriam para o VLT autoriza a mudança de objeto, para que façam obras de mobilidade”, contou.

O secretário ainda comentou sobre o planejamento para melhorar o acesso dos ônibus nos bairros e afirmou que a manutenção de todo esse sistema de esgotamento sanitário de Petrolina é da Compesa, que tem uma parceria da prefeitura. Ele ainda disse que foi criada a Diretoria de Saneamento, “porque a prefeitura não tinha expertise nessa área. Estamos fazendo esse trabalho de integração.

Habitação

Destacando força política, através do senador Fernando Bezerra Coelho, do ministro Fernando Filho e o alinhamento com o governo federal, o Coronel Leite  contou algumas novidades, a exemplo de um programa de habitação que contemplará o homem do campo.

Mais uma vez, eu destaco essa intervenção política que está sendo feita, através do senador e do ministro. Teremos o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), que contempla o homem do campo. E mais um incremento aqui na cidade, para contemplar. Nós acreditamos que não o lançamento não deve demorar. Quando o governo federal disser com quantas unidades seremos contemplados, nós saberemos quanto será investido. A idéia é você fazer núcleos habitacionais nos projetos e também atingir comunidades mais afastadas”, destacou.

Sobre as unidades habitacionais já entregues em Petrolina, o secretário ainda disse haver irregularidades nos contemplados. Mas é preciso que a população denuncie, para que a prefeitura faça o trabalho de retomar os imóveis e repassar para as pessoas que estão na fila de espera. “Nós devemos receber, agora, 95 unidades retomadas. Os 95 da fila de espera, avançam. É necessário que a população denuncie. Não há como a gente descobrir quem está ilegal. Procura a própria Secretaria de Habitação ou liga para a Ouvidoria da Prefeitura no número 196”, reforçou.

Dilma não descarta candidatura a senadora ou deputada

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou em entrevista publicada no sábado (18) que não descarta se candidatar ao Senado ou à Câmara dos Deputados nas eleições de 2018. Apesar de ter sofrido um impeachment em agosto, Dilma não perdeu os direitos políticos e pode, portanto, tentar se eleger para cargos públicos.

Eu não serei candidata a presidente da República“, afirmou a ex-presidente em entrevista para a agência de notícias AFP, seis meses depois de ter sido destituída sob a acusação de maquiar as contas públicas. “Agora, atividade política, eu nunca vou deixar de fazer. Eu não afasto a possibilidade de me candidatar ao cargo de senadora ou deputada.

Questionada sobre o escândalo de corrupção da Petrobras, Dilma expressou frustração. “Esses assuntos são extremamente complexos. Até hoje ninguém no Brasil sabe sobre todos os casos de corrupção”, afirmou a ex-presidente, que mantém em sua conta do Twitter a descrição de “presidenta eleita do Brasil“.

A ex-presidente diz que repassa de forma sistemática os documentos do processo de impeachment que a retirou do poder e colocou no cargo o seu vice, Michel Temer, a quem acusou de liderar um golpe parlamentar. “Foi a chamada justiça do inimigo: não se julga, se destrói“, afirmou.

A ex-presidente, de 69 anos, disse que não enfrenta problemas ao percorrer as ruas do Bairro Tristeza, onde vive em Porto Alegre, nem quando viaja ao Rio de Janeiro para visitar sua mãe. Embora tenha um segurança, ela diz que “nada impede que alguém me agrida“.

Pensão

Sem receber pensão devido ao tempo como presidente da República, ela vive com um salário mensal de R$ 5.300, que recebe de aposentadoria por ter sido funcionária do Estado do Rio Grande do Sul, e complementa sua renda com o aluguel de quatro apartamentos familiares. A entrevista foi realizada na sexta-feira (17) em Brasília, onde Dilma participou de um evento organizado pela ala feminina do PT. (fonte: Portal Terra/foto: Evaristo Sá/AFP)

Após ser ameaçado de morte, jovem petrolinense busca justiça contra acusação de estupro viralizada em redes sociais

Bartolomeu do Nascimento Neto, conhecido popularmente como “Junior”, está vivendo momentos de terror após ter sua imagem associada à de um homem que aparece num vídeo estuprando uma criança de cerca de 4 anos de idade. Nas imagens divulgadas nas redes socais, segundo Bartolomeu, o homem que aparece molestando a criança tem deficiência nos membros inferiores, o que comprova que não é ele.

O absurdo é tão grande que nem pernas ele tem, e o braço dele é perfeito. Já eu tenho as duas pernas e cirurgia no braço. Já fiz dois Boletins de Ocorrência, fiz um vídeo de defesa e publiquei nas redes sociais e procurei a imprensa para ajudar a provar que eu não sou aquela pessoa”, relatou, em entrevista a este Blog.

De acordo com Bartolomeu, a polícia lhe orientou a conseguir mais provas. “A polícia me orientou a descobrir a fonte que divulgou a conversa no grupo [de WhatsApp]. Eu consegui quatro [contatos] e entreguei na delegacia. As pessoas serão intimadas a depor e vão ter que dizer de onde começou tudo isso”, explicou.

Bartolomeu ficou sabendo do vídeo na última terça-feira (17), mas o caso viralizou e tomou outra dimensão, agora envolvendo sua família. Ele contou que pessoas conhecidas em outros estados já estão sabendo do caso e disseram que, junto ao vídeo, além de sua imagem, colocaram a foto de sua ex-companheira e de seus filhos menores de idade. Ela também foi à Delegacia prestar queixa.

Eu temo pela minha vida e dos meus filhos. Estou dentro de casa, tenho medo de sair. Estou de férias do trabalho, mas a situação é horrível. Eu não estou vivendo e já fui ameaçado de morte pelos grupo de WhatsApp. Eu espero encontrar essa pessoa que fez isso. Ela vai ter que pagar e dizer por qual motivo fez isso. A justiça vai ser feita e eu quero que ela faça uma retratação pública e diga porque fez. Eu quero liberdade, para poder andar normal na rua, sem medo de ser morto”, concluiu, pedindo para que as pessoas não compartilhem o vídeo do criminoso, e sim o que ele aparece se defendendo.

Charles Leão concede entrevista ao Blog, diz que se manterá na oposição e faz revelação sobre seu futuro político

O delegado e ex-candidato a prefeito de Juazeiro (BA), Charles Leão (PPS), concedeu entrevista a este Blog na tarde de hoje (12) e fez um balanço sobre a sua participação na eleição municipal de 2016.

Leão deixou claro que se manterá na oposição e que fiscalizará de perto a gestão do prefeito Paulo Bomfim (PCdoB). Ele ainda fez revelações sobre seu futuro político. A matéria completa você confere na manhã desta sexta-feira (13).

Em entrevista para TV, Temer afirma que prisão de Lula “poderia criar problemas” para governo

michel temer

Na primeira longa entrevista para um canal de televisão, desde quando assumiu o cargo, há seis meses, o presidente da República Michel Temer foi o convidado do Programa ‘Roda Viva’, da TV Cultura.

Entre vários assuntos dos quais foi abordado, Temer comentou sobre a hipótese de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser preso.

Para o atual presidente, esse fato poderia criar problemas para o governo.

“O que eu espero, e acho que útil para o governo, é que, se houver, como tem havido acusações contra o ex-presidente, que elas sejam processadas com naturalidade. Se você me perguntar se o Lula for preso, se isso causa problema para o governo? Acho que causa, não é para o governo, é para o país. Acho que haverá movimentos sociais. Toda vez que você tem movimento social de contestação, especialmente a uma decisão do Judiciário, isto pode criar uma instabilidade”, disse, acrescentando que prefere não comentar as possibilidades de alianças e candidaturas para as próximas eleições presidenciais antes de 2018. (Fonte: Agência Brasil/foto reprodução)

Em entrevista à Folha de PE, Fernando Filho descarta privatização da Chesf

fernando filho

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, conversou com a Folha de Pernambuco sobre os principais temas que atingem o setor elétrico nacional. A crítica situação das contas da Eletrobras, a aposta do Governo Federal em fontes renováveis e a delicada situação hídrica de Sobradinho, principal reservatório para geração de energia do Nordeste, foram alguns dos destaques.

Seis meses depois de tomar posse, escolhido pelo presidente da República Michel Temer, Fernando Filho tem como maiores desafios a transparência junto aos agentes do setor energético-mineral e a redução dos subsídios para evitar que distorções ocorram na conta de luz do consumidor. Agora, as atenções estão voltadas para as chuvas na bacia do rio São Francisco e para a volta da bandeira verde, que deve acontecer nos próximos meses.

Folha – O senhor tem dito que a situação da Eletrobras e, consequentemente, das suas subsidiárias está insustentável. Sob o argumento de minimizar os impactos nas contas das empresas, abriu-se caminho para a privatização de algumas distribuidoras do Norte e Nordeste. Qual a solução para a Chesf?

Fernando Filho – Não tem saída para uma só empresa, tem saída para o grupo Eletrobras como um todo. As distribuidoras vão ser privatizadas (duas do Nordeste e quatro do Norte) porque são mal geridas nas mãos da Eletrobras. Visitamos recentemente uma distribuidora privada no Nordeste, cujo índice de perda (financeira) está em 12%, aproximadamente. Uma distribuidora do Norte nas mãos da Eletrobras tem 98% de perda. Não dá para competir num mundo como esse. É ruim para a Eletrobras e uma covardia com a população que não tem serviço de qualidade. Por isso, tomamos a decisão de vender as distribuidoras. Evidentemente que estamos acompanhando as dificuldades da holding e, consequentemente, da Chesf, que tem cem obras e apenas dez estão em andamento. Como vamos resolver isso? Cortando custos e despesas, e isso já vem sendo feito. Além disso, outras medidas serão anunciadas durante o Plano Estratégico da Eletrobras para os próximos anos. E se, mais alguma medida precisar ser tomada ao longo desse tempo, o conselho vai fazer. Privatização da Eletrobras? Da Chesf? De Furnas? Não sei de onde tiraram essa ideia. O que existe é a venda de alguns ativos para fazer frente às obrigações das empresas.

Folha – Algumas mudanças foram feitas no Ministério de Minas e Energia pelo novo governo, a começar pela sua nomeação. Mais alguma a ser feita?

Fernando Filho – Sempre pode ter mudança no processo de formatação da equipe (Furnas, Chesf). Mas o que posso garantir é que, se não foi feito antes, é porque quem está à frente das posições tem qualificação técnica independentemente do governo. Agora, de que não vai ter mais mudança, não posso assumir esse compromisso. A expectativa é que a gente possa ter gente ao nosso lado dando conta do desafio que demanda o setor elétrico.

Folha – O que o senhor pensa a respeito das fontes renováveis? Qual a participação de Pernambuco nesse mercado e de que forma pretende ajudar o Estado a despontar nas fontes alternativas de energia?

Fernando Filho – Temos uma vocação inquestionável. O Brasil é signatário do acordo de Paris, se comprometendo em aumentar as fontes renováveis para além da hidrelétrica. Vamos continuar comprando energias solar e eólica, porque temos potencial comprovado. Com Pernambuco não é diferente. Novas fronteiras de ventos estão sendo estudadas no limite com a Paraíba, na Serra do Araripe e na divisa com a Bahia e Alagoas. Ou seja, tudo se configura para sermos vencedores em grandes projetos.

Folha – O Nordeste caminha para o sexto ano consecutivo de seca, tendo, no ano passado, Sobradinho enfrentado um dos seus piores cenários hídricos, chegando a 1% da sua capacidade total. Este ano, a mesma coisa. Se não chover, quais medidas emergenciais serão tomadas?

Fernando Filho – As medidas para evitar o colapso estão sendo tomadas, porque o reservatório está numa situação muito crítica. Estamos abaixo de 20% e a expectativa é chegar ao fim do ano próximo a zero. O que posso dizer é que, independentemente de quanto de chuva vai cair, não teremos desabastecimento de energia. A redução de Sobradinho foi autorizada pelo Ibama e ANA, e a Chesf está providenciando isso. Nós temos energia suficiente para suprir a geração que Sobradinho poderia gerar. O que na verdade sempre pesa é o custo dessa geração (térmicas a diesel). No entanto, risco de apagão não existe.

Osvaldo Coelho: Um ano sem a força do Sertão

Há exatamente um ano o ex-deputado Osvaldo Coelho saía de cena para entrar definitivamente para a história de Petrolina e de Pernambuco.

A ‘Força do Sertão’ era apenas uma das alcunhas que traduzia muito bem o que Osvaldo fez pela sua terra, sobretudo ao empunhar as bandeiras da educação e da irrigação. O Blog relembra um pouco, nesta entrevista, a figura inesquecível que foi este grande guerreiro.

Vale a pena reviver Osvaldo:

 

Vídeo Blog: Entrevista com prefeito eleito Miguel Coelho

Vídeo Blog: Entrevista com o prefeito eleito de Araripina Raimundo Pimentel

Vídeo Blog: Entrevista com Paulo Bomfim

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br