Vídeo Blog: Tentativa de assalto a empresa de valores em Petrolina gera momentos de terror

PM procura bando que explodiu carro-forte e tentou assaltar empresa de segurança de valores em Petrolina

A Polícia Militar em Petrolina continua em diligência à procura de um grupo de assaltantes que tentou assaltar no início da tarde desta terça-feira (25) uma empresa de segurança de valores, localizada por trás do Hospital Geral e Urgência (HGU), na Avenida Honorato Viana. Durante a investida o bando  explodiu um carro-forte e trocou tiros com a polícia, provocando momentos de terror entre moradores e comerciantes da área.

Segundo o Major Ivanildo, em entrevista ao programa Revista da Tarde, da Rádio Jornal Petrolina, os assaltantes fugiram no sentido BR-407, em direção aos perímetros de irrigação, distrito de Rajada e município de Afrânio (PE), no sertão do São Francisco. Ele revelou que o grupo chegou num veículo modelo Toyota SW4, cor preta. Ainda não se sabe quantos eram os assaltantes.

O major acrescentou que a PM pernambucana solicitou apoio da Polícia Militar da Bahia na caça ao grupo. Ele confirmou que não houve feridos durante a tentativa de assalto. A investida provocou apenas danos materiais e muito susto.

Bombeiros

O Corpo de Bombeiros também foi acionado por uma funcionária da empresa, informando sobre derramamento de muito combustível ao redor da empresa, o que ocasionou a explosão do carro-forte. O fato chamou a atenção das pessoas que estavam próximas ao local e logo as imagens e áudios da ação se espalhou pelas redes sociais.

Empresa de valores no Bairro Atrás da Banca tira sossego de moradores e gera aborrecimentos

empresa-preserve

Há mais de oito anos os comunitários da Rua Dária de Souza, no Parque Bandeirantes – ou Bairro Atrás da Banca -, na área central da cidade, não sabem o que é ter uma rotina de sossego. O motivo se deve a uma empresa de valores, a Preserve, que se instalou no local desde então. De lá para cá, as dores de cabeça da vizinhança só aumentam. Quem relata os transtornos é uma das comunitárias, Ana Rosa, que mora no bairro há 34 anos. Outros familiares dela, inclusive, são seus vizinhos. Segundo ela, um dos problemas é o fato de a empresa, além de ser uma transportadora de valores, também guardar numerário, já que possui tesouraria. Ana diz que os moradores se sentem inseguros por conta disso. (mais…)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br