Sobre paralisação de trabalhadores da Saúde em Juazeiro, Secretaria garante diálogo com categorias para evitar greve

A Secretaria de Saúde (Sesau) de Juazeiro (BA) enviou uma nota de esclarecimento sobre a paralisação de 72 horas dos trabalhadores da Saúde do município, a qual terá início nesta terça-feira (18). O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Saúde (Sintrab-Saúde) alega, entre outras coisas, “ausência de manifestação de recurso no processo judicial que trata da alteração da carga horária dos servidores públicos municipais da saúde“.

Na nota, a Sesau informa que “vem dialogando com todas as categorias, inclusive com representantes do Sintrab-Saúde, com intuito de ouvir as solicitações e buscar um denominador comum entre a gestão e os profissionais, para que a greve não seja efetivada e a população não seja prejudicada”. A Secretaria ainda reforça “que é uma prática da gestão manter uma mesa de diálogo permanente com os servidores municipais”.

Servidores de Petrolina voltam à Câmara e pedem apoio dos vereadores para retomar diálogo com Executivo

O Sindicato dos Servidores Públicos de Petrolina (Sindsemp) voltou hoje à Câmara Municipal para solicitar a intermediação dos vereadores para que o Poder Executivo volte a dialogar com a categoria. Na última reunião entre a entidade e os representantes do governo municipal, ocorrida no último dia 26 de abril, ainda ficaram 25% do funcionalismo sem reajuste. O acordo seria que a administração enviaria uma proposta. Entretanto, até o momento nada foi encaminhado aos representantes dos servidores.

Conforme o presidente do Sindsemp, a resposta que eles tem é que só em julho que o governo deverá retornar com as conversações sobre as pendências de reajuste do funcionalismo. “Só que a data base dos servidores é 1º de janeiro e julho já é segundo semestre, o que a categoria não pretende aceitar, por isso viemos buscar esse apoio dos vereadores”, destacou Walber, frisando que várias categorias não tiveram reajuste nenhum.

“Nem o repasse da inflação, tiveram. O acordo é que a prefeitura enviaria uma proposta para nossa apreciação. Estão nesta lista servidores da saúde, auditores, várias categorias específicas”, explicou Lins. O presidente frisou ainda que a categoria esta paralisada durante 24 horas nesta terça-feira, 16, sendo resguardadas somente as funções essenciais. (Foto: Ascom)

Governador Paulo Câmara reforça decisão sobre reforma e cobra “diálogo” do Governo Temer

Vice-presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, também se manifestou oficialmente sobre a decisão da legenda socialista de não apoiar as reformas propostas pelo presidente Michel Temer, numa nota enviada ao Blog por sua assessoria.

Segundo Câmara, as mudanças no sistema são necessárias, mas não pode prejudicar setores mais vulneráveis da sociedade – a exemplo dos trabalhadores rurais, sobretudo os do Nordeste.

O governador ressaltou, ainda, ser necessário “um diálogo” para esse debate, o que para ele não aconteceu.

Confiram a nota do socialista:

O Brasil necessita de uma Reforma da Previdência, excluindo mudanças que prejudiquem os mais vulneráveis, como os trabalhadores rurais, especialmente os do Nordeste.

Mais uma vez, infelizmente, podemos pagar o preço de uma discussão superficial, que não avalia corretamente o impacto que a ausência dessa reforma terá sobre o futuro do Brasil.

O Governo não dimensionou corretamente a reação contrária à Reforma, ao enviar uma proposta ao Congresso Nacional antes de estabelecer diálogo com setores importantes da sociedade, que poderiam ter evitado esse desgaste atual.

É verdade que as alterações promovidas pelo Governo na proposta original foram importantes, corrigiram problemas evidentes, mas ainda necessita de mais diálogo.

A decisão do PSB reflete muito essas questões. Respeito a posição tomada pelo partido, mas continuo defendendo a manutenção do diálogo. Por isso, entendo precipitado e discordo do fechamento de questão sobre a votação da Reforma da Previdência.

Insisto: sem diálogo será impossível o Brasil superar os atuais desafios nacionais.

Paulo Câmara/Governador de Pernambuco

Miguel mantém informalidade nas redes sociais como estratégia para dialogar com petrolinenses

Hoje, mais do que nunca, são as mídias sociais que aproximam as pessoas e contribuem para um diálogo mais aberto e informal. No caso da política, os usuários das redes aproveitam para saber o que a comunidade pensa sobre determinados assunto, bem como sobre as ações de governo de um gestor. Em Petrolina, o prefeito Miguel Coelho (PSB) é usuário assíduos dessas ferramentas e aposta no diálogo informal para chegar ainda mais perto da população. Essa semana, por exemplo, ele se manifestou sobre uma área na Areia Branca, zona lestede Petrolina, que tinha sido limpa recentemente pela prefeitura, mas que já estava suja.

Assim é complicado, galera… Realmente não adianta a prefeitura fazer a limpeza e a população não conservar. É preciso que este projeto seja realizado por todos nós e diariamente, caso contrário é dinheiro jogado fora, e que poderia ser usado para limpar outros bairros ou ser empregado em outras áreas. Todos temos que fazer a nossa parte e também fiscalizar, pois a maior prejudicada nessa história é a população. Bora colaborar?“, escreveu o gestor.

Nas redes sociais, a posição estrutural dos indivíduos é dinâmica, pois está definida pelas relações em constante evolução. Neste caso, a função que o prefeito desempenha já não está determinada pela sua função formal, mas pela sua localização estratégica na rede. É uma maneira de se destacar na internet e defender seu trabalho. (foto/reprodução Instagram)

Último contato entre piloto do avião da Chapecoense e torre de controle revela diálogo desesperador: “Falha total e sem combustível”

aviao-chapecoense

Áudio divulgado na tarde desta quarta-feira (30) por um veículo de imprensa da Colômbia revela o que foi o último diálogo entre o avião que transportava a delegação da Chapecoense e a torre de controle do aeroporto de Rionegro. O piloto comunicou “falha total elétrica e sem combustível”.

No diálogo, de pouco mais de 11 minutos, se ouve a comunicação do avião LaMia CP-2933 – que levava jogadores e dirigentes da Chapecoense, jornalistas e convidados – e outras duas aeronaves que também sobrevoavam a área com a área de controle.

Já nos últimos três minutos registrados pelo áudio publicado, Miguel Quiroga, piloto do avião da Chapecoense, reporta estar em “falha total elétrica e sem combustível” e se declara em emergência. Antes, ele já havia falado sobre problema com combustível, mas sem pedir emergência.

Nos primeiros minutos do áudio, a controladora explica às aeronaves que se aproximavam que havia um avião (da VivaColombia) que reportou “fuga de combustível”. Quiroga diz que está “em aproximação” e solicita “prioridade para a aproximação”, por ter “um problema de combustível”.

A torre responde que “entende o pedido de prioridade para a aterrissagem” e pede confirmação. A voz do piloto não é clara neste momento, mas ela prossegue dizendo que “em aproximadamente sete minutos” poderá iniciar a aproximação.

Na reta final do áudio, pouco mais de um minuto depois de dizer que estava “em falha total elétrica e sem combustível”, Quiroga grita “vetores, senhorita, vetores – como havia descrito testemunha em outro áudio divulgado nesta quarta-feira. A torre avisa que ele está a 8,2 milhas do aeroporto, e pouco depois se ouve “Jesus”.

A torre de comando pergunta então a que altitude a aeronave está naquele momento, mas não recebe mais resposta. O último diálogo registrado no áudio é do piloto de outra aeronave consultando o rumo a seguir para realizar seu pouso.

Mais cedo, Alfredo Bocanegra, diretor da Aeronáutica Civil da Colômbia, havia concedido entrevista à rádio local “Blu” e explicado a diferença entre pedido de “prioridade” e “emergência”.

Bocanegra afirmou que é preciso diferenciar os termos utilizados na linguagem aérea e que “uma coisa é prioridade e outra coisa é se declarar em emergência, que quer dizer que há um perigo insuperável, e é isso que passou”.

Último diálogo

Veja o trecho do diálogo com a última comunicação do avião da Chapecoense:

Piloto: Senhorita, LaMia 933 está em falha total, falha elétrica total, sem combustível.

Torre de controle: Pista livre e esperando chuva sobre a superfície, Lamia 933. Bombeiros alertados.

Piloto: Vetores, senhorita, vetores para a pista.

Torre de controle: O sinal do radar se perdeu, não tenho, notifique o rumo agora. (…) Não tenho sua altitude, LaMia 933.

Piloto: 9 mil pés, senhorita… Vetores, vetores.

Torre de controle: Você está a 8,2 milhas da pista.

Piloto: Jesus

Torre de controle: Qual altitude tem agora?

(Entra piloto do voo Colombia 3020)

Torre de controle: Lamia 933, posição?

(fonte: ESPN/foto reprodução)  

Representante de ambulantes de Petrolina cobra melhorias e mais diálogo da prefeitura com categoria

IMG-20150928-WA0001As recentes polêmicas envolvendo trabalhadores de Petrolina levaram a presidente da União dos Ambulantes, Elinete Oliveira, a cobrar da administração municipal mais diálogo com a categoria. Segundo a representante, muitos ambulantes ainda sofrem sem condições de trabalho e estariam sendo prejudicados pela falta de sintonia com as autoridades.

Eu queria que a administração sentasse conosco e ouvisse as nossas demandas para melhorar o nosso trabalho. São muitas pessoas nesta cidade que só querem ganhar seu dinheiro honestamente”, disse Elinete, em entrevista ao programa ‘Manhã no Vale’ da rádio Jornal.

Outra reclamação da ambulante é com relação a falta de estrutura no pátio de eventos Ana das Carrancas, onde é realizado o São João do Vale. Elinete, que trabalha com a venda de tapioca, diz que o local se parece com uma “favelinha” e que não oferece as condições de higiene necessárias para a comercialização de alimentos.

Lá [pátio de eventos] é tudo lindo por dentro, mas fora não tem estrutura nenhuma, não tem iluminação, não tem nada. Eu é que não vou vender tapioca em meio àquela poeira, não tem condições. Eu digo que mais parece uma favelinha. Eles precisam olhar para isso”, reclamou.

Para superar mágoas no PSB local, Maria Elena defende que FBC puxe diálogo com Gonzaga

maria elenaApegando-se ao velho ditado de que “a esperança é a última que morre”, a vereadora Maria Elena acredita piamente que o PSB de Petrolina possa juntar os cacos quebrados após a executiva estadual decidir entregar o comando da comissão provisória da legenda ao deputado estadual Miguel Coelho, que toma posse no início da noite de hoje (14). O clima ficou pesado porque o deputado federal Gonzaga Patriota, que esteve à frente do PSB na cidade por mais de 20 anos, sentiu-se “apunhalado” pelo senador Fernando Bezerra Coelho (pai de Miguel).

Ao Blog, Maria Elena voltou a enaltecer as virtudes de Gonzaga durante o tempo em que presidiu o partido em Petrolina. Mas lembrou também que o PSB passou por momentos delicados e precisava “se reoxigenar”. Ligada ao grupo político de Fernando, a vereadora, no entanto, defende um diálogo aberto entre as lideranças socialistas na cidade.

Maria Elena sugeriu, inclusive, que esse gesto conciliador – se ainda não aconteceu – deve partir do líder do seu grupo, o senador FBC. Ao mesmo tempo, a vereadora ressaltou que o processo de mudança na comissão provisória do PSB não teve a ver com Fernando, e sim partiu da direção estadual da legenda.

Essa não foi uma questão de Petrolina. Além disso ele (Gonzaga) teve problemas com o presidente estadual (Sileno Guedes)”, afirmou Maria Elena. No entanto, a vereadora se diz mais uma vez convicta de que as mágoas de Gonzaga – e também de Lucas Ramos, outro que se contrariou com a escolha de Miguel, a ponto de recusar participar da comissão – serão superadas. Sobre a pré-candidatura já anunciada de Gonzaga, ela também crê num recuo estratégico do deputado. “Pela sua experiência política, ele não vai querer trazer para si a possibilidade de uma nova derrota, por mais uma vez dividir o partido. Também não podemos prescindir do apoio do nosso querido Gonzaga”, pontuou.

Permissionários do Ceape voltam a cobrar diálogo com Lossio após receberem mais uma sentença judicial favorável

ceapeMais sete permissionários do Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape) ganharam na Justiça o direito de permanecer no local até que a prefeitura construa um novo espaço para os trabalhadores. Esta foi a quarta sentença favorável aos permissionários.

Em entrevista ao Blog, o presidente da Associação de Comerciantes do Centro de Abastecimento de Petrolina (ACCAP), Pedro Mariano, disse que, mesmo com a autorização judicial, a prefeitura não estaria respeitando os permissionários. “Foi isso que o juiz autorizou, e vamos permanecer no Ceape. Apesar da administração não respeitar as decisões judiciais, nós queremos um diálogo com o prefeito, para que ele assuma uma posição e construa um local com infraestrutura adequada”, disse.

Caso descumpra a lei, de acordo com a sentença, a prefeitura poderá ser penalizada com multa diária que pode variar de R$ 1 mil a R$ 50 mil.

Escrituras públicas

Sobre a questão do novo espaço para o Ceape, no bairro José e Maria, na zona norte, Pedro Mariano foi enfático ao dizer que os permissionários não aceitam resolver o impasse do jeito que a prefeitura deseja. “Através de escrituras públicas, simplesmente não temos nenhum tipo de segurança. Ele [prefeito Julio Lossio] dá hoje e pode revogar amanhã, aí perderemos tudo.

Vale ressaltar que a Câmara de Vereadores já aprovou o projeto que doa imóveis públicos aos permissionários. No entanto, os comerciantes são contra, pois o projeto autoriza a doação de imóveis em diversos pontos da cidade. Na atual área onde hoje funciona o Ceape, a prefeitura deverá construir um Centro Administrativo que concentrará todos os órgãos públicos num só local.

FBC volta a se manifestar contra impeachment de Dilma e cobra diálogo do governo federal

FBC_disc_senadoEnsaiando uma reaproximação com o governo federal, como sugerem os rumores, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) voltou a se manifestar contrário ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em pronunciamento nesta terça-feira (12), na tribuna do Senado, ele aproveitou também para alertar o governo quanto à necessidade de dialogar, para que o país possa fazer os ajustes necessários e retomar o caminho do crescimento.

O senador pernambucano avaliou que a abertura de um processo de impedimento mergulharia o Brasil num cenário de incertezas, que traria prejuízos à economia nacional. “Equivaleria a navegar na imprevisibilidade. A recuperação econômica que se pretende ficaria inviabilizada diante da paralisia das instituições“, ponderou.

FBC lembrou também que após o término das eleições de 2014, o PSB publicou uma carta assumindo uma postura de independência da gestão de Dilma. Isso não quer dizer, no entanto, que o respeito às instituições democráticas e aos processos eleitorais deva ser ‘atropelado’.

Lideranças nacionais as mais sensatas, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Tasso Jereissati e Geraldo Alckmin manifestaram opinião contrária ao impeachment no entendimento de que esse recurso extremo carece de sustentação (…) O Brasil, sétima maior economia do mundo, consolidou seu patrimônio democrático, é um dos principais líderes entre as nações emergentes e cada vez tem sido mais presente nas relações diplomáticas internacionais e multilaterais (…) Superação de Turbulências, sim, com estabilidade institucional. Ruptura da governabilidade, não!“, destacou o senador.

Mas ele ressaltou que o governo precisa adotar uma postura de austeridade diante das próprias contas, reduzindo custos, abrindo os caminhos do diálogo e praticando a “boa governança”. (foto: Assessoria/divulgação)

Paulo Câmara faz apelo a professores da rede estadual para evitarem greve

Paulo Câmara Salgueiro 2A postura dos professores da rede estadual de paralisar as atividades nesta quarta (25) e quinta-feira (26) foi condenada pelo governo Paulo Câmara (PSB). Em uma cerimônia no Palácio do Campo das Princesas, o socialista disse que a iniciativa é negativa.

“A gente conclama a categoria que evite esse tipo de paralisação enquanto estamos discutindo. Isso não faz bem a Pernambuco. Não estamos fechando portas, negociação, absolutamente nada. O caminho agora é de conversar, sentar na mesa, ver os números, entender o momento que o Brasil vive”, falou.

De acordo com Paulo Câmara, o governo está aberto ao diálogo com os professores e uma paralisação coloca em risco o ano letivo dos alunos pernambucanos. “Acho isso muito ruim (paralisação) porque prejudica o andamento das aulas e o ensino dos alunos. Não faz bem para Pernambuco. Pernambuco viveu um momento atrás de dez anos com nove greves. Foram 200 dias parados. Isso não fez bem para o Estado”, declarou. (Fonte: JC Online)

Secretário de Paulo Câmara alfineta Dilma: “Ou você escuta o povo, ou você escuta a voz do povo nas ruas”

Danilo Cabral 2Durante a abertura do seminário Todos por Pernambuco em Arcoverde, no Sertão do Moxotó, o secretário de Planejamento e Gestão e deputado federal licenciado, Danilo Cabral, aproveitou a plateia de mais de 1 mil pessoas para alfinetar o Governo Federal. Ele defendeu a apuração de todos os indícios de corrupção e criticou o posicionamento do Palácio do Planalto diante das crises política e ética.

“Aqui não tem gente que está se escondendo da crise, que enterrou a cabeça no chão e deixou de conversar com o povo. Ou você escuta o povo  fazendo um governo aberto de forma organizada, abrindo canal de diálogo com transparência,  ou você  escuta a voz do povo nas ruas, como a gente tem visto”, discursou, lembrando que o Brasil vive  um momento desafiador marcado pela falta de diálogo, de unidade e, sobretudo, de um estadista capaz de construir um consenso, fazendo referência ao ex-governador Eduardo Campos.

O cenário de recessão, a crise energética e hídrica também foram temas citados por Danilo como desafios que precisam ser enfrentados num debate conjunto entre o Governo Federal e os estados.

“É um momento desafiador para todo mundo. A inflação está voltando. Estamos vemos a subida dos preços da energia e do combustível e o desemprego aumentando. Há quatro anos o nosso Nordeste  e nosso Pernambuco vivem a dureza da estiagem que massacra o mundo rural e o Governo Federal não chega junto para ajudar”, disparou. (Fonte/foto: assessoria)

Miguel quer levar a Paulo Câmara impasse envolvendo os permissionários do Ceape

Miguel CeapeOs permissionários do Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape) tiveram a oportunidade de conversar com o deputado estadual Miguel Coelho (PSB) sobre o impasse envolvendo o centro e a prefeitura. Em uma reunião na tarde de ontem (12), o parlamentar disse que vai levar o problema ao governador Paulo Câmara (PSB), que estará na cidade neste sábado (14) para agenda do ‘Todos por Pernambuco’.

Segundo Miguel, a ideia é abrir o diálogo entre permissionários, prefeitura e Estado. “Vamos conversar com o governador Paulo Câmara na tentativa de encontrar uma solução para todo esse processo”, ressaltou.

Além dos permissionários, participaram do encontro os vereadores Ronaldo Cancão, Adalberto Bruno e Ibamar Fernandes. Todos saíram esperançosos da reunião.

“Esse encontro fortaleceu a nossa luta e com a ajuda de Miguel Coelho junto ao Governo do Estado, nós chegaremos a uma solução que seja satisfatória aos permissionários e à população do município”, disse o permissionário Pedro Mariano.

Lossio espera manter canal de diálogo com Câmara

lossio e osvaldoSe depender do prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), um canal de diálogo será mantido com o atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). Essa tentativa praticamente inexistiu com o ex-governador Eduardo Campos e só começou a ser viabilizada com João Lyra Neto.

A declaração de Lossio foi dada ao Blog no último domingo (8), quando prestigiou a festa de aniversário Samuel Moura, um dos filhos do médico José Carlos Moura, ao lado do ex-deputado Osvaldo Coelho.

O prefeito ressaltou já ter dado o primeiro passo nesse sentido. Recentemente ele se reuniu com o secretário estadual de Saúde, Iran Costa Júnior, no Recife, juntamente com a secretária Lúcia Giesta, para tratar de investimentos no setor em Petrolina.

Lossio afirmou ainda que Câmara já se mostrou propenso ao diálogo e teria manifestado a intenção de conversar com o gestor. Mas está priorizando nesse primeiro momento os aliados que o apoiaram em 2014 – que não é o caso do prefeito, o qual apoiou Armando Monteiro Neto (PTB). “É natural. Eu também faria isso”, declarou Lossio.

5º congresso nacional do PT deve colocar em pauta temas abordados durante campanha de reeleição de Dilma

PT_640x480Após a reeleição da presidente Dilma Rousseff, o diretório nacional do PT programa para os dias 28 e 29 deste mês o 5º Congresso da legenda. E temas relevantes deverão ser colocados em pauta.

Um deles é uma maior abertura de diálogo, tanto com aqueles que ajudaram a reeleger Dilma, como os que criticam o PT.

No encontro também deverão constar a reforma política, o fim do Fator Previdenciário e a polêmica Lei da Mídia Democrática – que para alguns setores da imprensa, nada mais significa do que uma tentativa do governo de controlar os veículos de comunicação.

Senadores petistas acertam calendário de reuniões com Lula e Dilma

senadores PT e LulaO líder do PT no Senado, Humberto Costa, voltou a ‘bater na tecla’ do diálogo entre o Governo Dilma Rousseff e o novo Congresso Nacional, a partir de 2015. A avaliação foi feita ontem (6), após o petista reunir a atual e a nova bancada do partido no Senado com o ex-presidente Lula e o presidente do PT, Rui Falcão.

O encontro serviu para fazer um balanço das eleições deste ano e traçar estratégias políticas para a nova legislatura.

É preciso consolidar o relacionamento no Senado. Do ponto de vista da oposição, realmente a expectativa é de ter um debate mais rico, mais duro, negociação, entendimento, dialogo mais permanente“, afirmou Humberto.

O petista considerou “muito positivo” o resultado das eleições deste ano, reforçando que o recado dos brasileiros será levado à risca pela legenda. “Tivemos uma grande vitória porque não só derrotamos Aécio Neves, como todos os candidatos que perderam no primeiro turno e que o apoiaram. Como também derrotamos uma grande articulação de setores da mídia que tentaram influenciar o resultado eleitoral.  Então, a nossa perspectiva é de um governo muito bom, com o compromisso com mudanças e que já apresentou os caminhos pra isso”, afirmou Humberto.

O objetivo agora é traçar um calendário de reuniões periódicas com o ex-presidente Lula e com a presidente Dilma Rousseff (PT) – a qual, inclusive, convidou ontem para o Palácio da Alvorada, deputados, senadores e governadores do partido para um encontro.

Além de Humberto, participaram do encontro os senadores Delcídio Amaral (MS); Eduardo Suplicy (SP); Ana Rita (ES); Wellington Dias, governador eleito do Piauí; Maria Regina Sousa, suplente de Wellington; Ângela Portela (RR); Fátima Bezerra, eleita pelo Rio Grande do Norte; Gleisi Hoffman (PR); Paulo Paim (RS); Aníbal Diniz (AC); José Pimentel (CE); Walter Pinheiro (BA); Paulo Rocha, eleito pelo Pará; e Lindbergh Farias (RJ). (foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br