Entidade dedicada a autistas em Petrolina cobra na Casa Plínio Amorim cumprimento de lei do diagnóstico precoce

Representantes da Associação dos Amigos dos Autistas do Vale do São Francisco (Amavasf) compareceram à Câmara de Petrolina nesta quinta-feira, 20, para pedir apoio aos vereadores apoio à causa dos autistas e também que as políticas públicas voltadas para esse público e suas famílias ou cuidadores, sejam de fato, efetivadas no município. Uma das principais cobranças da entidade é que o diagnóstico seja feito com a criança até os dois anos de idade.

“Toda criança autista precisa de um acompanhamento e atenção no desenvolvimento infantil, principalmente nos primeiros anos, mas infelizmente a saúde é precária. Então acaba sendo negligenciado pela saúde porque a criança não tem um diganóstico precoce, e isso compromete todo o desenvolvimento dela”, afirmou Janille Costa, coordenadora regional da Amavasf, que foi à Casa Plínio Amorim mostrar a importância do tema no mês dedicado ao autismo.

“Viemos cobrar a lei que já está aprovada aqui nesta Casa e que faça ela ser exercida. A lei aponta o atendimento precoce, além da educação, suporte multidisciplinar que inclui psicóloga, fonoaudióloga. Isso  hoje o município de Petrolina está desassistido. Só oferece a educação, mas temos que ter esse diagnóstico que garante diretos como aposentadoria, um dinheiro que garante levar para um tratamento, a compra de medicamentos. Se eu não tenho esse dignóstico, eu não tenho auxiliar na sala de aula, não tenho aposentadoria e isso causa uma desestrutura familiar“, alertou a coordenadora.

Conforme Janille, a bandeira da entidade é dar uma a vida digna a crianças, adultos e idosos autistas na região. Um trabalho com os cuidadores é outro foco importante da Amavasf, que promove encontros como o ‘Te Acolhe’, quando famílias e cuidadores trocam experiências, sofrimentos e alegrias de conviver com o autismo. Ela pede que as famílias entrem no movimento para fortalecer a causa para que mais políticas sejam efetivadas para as famílias com autistas em casa. “Que a família guarde o preconceito, a vergonha e venha para o movimento para fortalecer esse trabalho. Vista a camisa azul e venha”, disse Janille, informando que atende 30 famílias na Amavasf. “Estamos sempre nos encontrando através do Te Acolhe, com especialistas orientando a todos“, concluiu.

Diagnóstico tardio de câncer de mama preocupa mastologistas

A mamografia, exame que detecta o câncer de mama, aliado ao exame clínico e ao autoexame, são considerados elementos essenciais para a prevenção de novas mortes pela doença, disse o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Antônio Luiz Frasson. Neste domingo, 5, é celebrado o Dia Nacional da Mamografia.

Segundo a SBM, o Brasil registra 58 mil casos de câncer de mama por ano e a maioria é detectada com lesões muito grandes. “Aproximadamente 50% dos casos são detectados com mais de 5 centímetros. Isso significa que existe um descaso com o problema”, informou Frasson. Outra dificuldade, segundo ele, é o acesso ao tratamento quando a mulher detecta um tumor.

O presidente da SBM disse que o retardo do diagnóstico preocupa a todos os mastologistas. Cada milímetro de tumor implica risco de mais ou menos 1% de que a doença se espalhe. Caso se detecte um tumor de 5 centímetros, o risco de que, no momento do diagnóstico, já exista metástese é muito alto.

A importância do diagnóstico precoce, que é feito com exame clínico e que permite identificar lesões de 2 centímetros, é destacada pela SBM. Com a mamografia, são identificadas lesões muitas vezes milimétricas. A SBM recomenda que a mamografia seja feita a partir dos 40 anos, porque em muitas regiões do Brasil a incidência de câncer de mama em mulheres entre 40 e 50 anos não é pequena. “Varia entre 20% e 40%”, informou o especialista. (fonte: Agência Brasil/foto reprodução internet)

Atendimento às mulheres com câncer pelo Ceonco/Apami revela importância do diagnóstico precoce

diagnóstico câncer de mamaO atendimento às mulheres com câncer pela Associação Petrolinense de Amparo à Maternidade e à Infância (Apami), através do Centro de Oncologia Dr. Muccini (Ceonco), revela como é essencial o diagnóstico precoce. Sendo a doença que mais acomete as mulheres depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama vai além da questão de saúde, sendo também imprescindível o cuidado humano e social da mulher com diagnóstico positivo. E mesmo envolta a fatores de saúde e social, a doença tem um dos maiores índices de cura se descoberta logo no início, podendo chegar até a 98% de chances. (mais…)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br