Salgueiro organiza conferência sobre gestão ambiental

A Prefeitura de Salgueiro, no sertão central, realiza dia 22 de março a 5ª Conferência Municipal do Meio Ambiente. Os temas serão: Os desafios da gestão ambiental do município, marcando uma nova fase do inícios dos projetos ambientais e de desenvolvimento para a cidade. O encontro acontece no auditório do Centro de Vocação Tecnológico, das 8h às 12h.

“A intenção é que possamos reunir o maior número de pessoas interessadas ou que estejam envolvidas nas temáticas, tanto ambientais como de desenvolvimento econômico”, disse o secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Salgueiro, Geraldo Júnior. Ele frisa que a conferência será aberta a estudantes, professores, empresários, técnicos e para a população.

Conforme o secretário, a Conferência será encerrada com a escolha dos novos membros do Codema – Conselho Municipal do Meio Ambiente – órgão fundamental na gestão e acompanhamento de projetos de desenvolvimento para o município.

Leitor chama atenção para aspectos que atrapalham desenvolvimento do Bairro Gercino Coelho

Preocupado com alguns aspectos que estariam atrapalhando o desenvolvimento do Bairro Gercino Coelho, zona norte de Petrolina, o leitor Edson Andrade destacou ao Blog os principais desafios que acredita que o bairro enfrenta.

Confiram:

Prezado Carlos Britto,

Moro no Bairro Gercino Coelho desde os anos 80, e vejo com preocupação certos aspectos que atrapalham o nosso desenvolvimento. Conforme a imagem do Google Earth, podemos notar a imensa faixa de terreno sem uso algum, e que se fosse urbanizada, aumentaria a área comercial do Centro da cidade, além de provocar uma maior integração entre bairro/Centro.

Não sei a quem pertence, se é público ou privado. Sendo público, já deveria ter um projeto que beneficiasse aquele espaço.

Se privado, a prefeitura poderia se comunicar com os donos e orientá-los no sentido de que haja uma intervenção ou até mesmo a venda de terrenos para comerciantes, que com certeza construiriam diversos formatos de lojas. Sem contar que é uma área muita perigosa durante o período noturno.  

Outro problema que aflige o Gercino Coelho é a questão da segurança em torno da Rodoviária, limpeza e recuperação dos pavimentos das ruas, retomada das obras de reforma da Praça na Rua Maurício de Nassau, entre outras intervenções.

Outra sugestão que o prefeito poderia analisar seria a interdição de parte da Avenida da Integração aos domingos, para que a população pudesse usar para lazer, como visto em São Paulo, por exemplo, no trecho do Minhocão. Apesar de imenso e com uma população maior que muitas cidades pequenas, o bairro possui muito pouco espaço para atividades esportivas e culturais. 

Atenciosamente

Edson Andrade/Leitor

Novo gestor da 3ª SR Codevasf fica no discurso convencional ao falar de desafios à frente da Companhia

Aurivalter-Cordeiro-NBR-1O novo titular da 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf em Petrolina, Aurivalter Cordeiro da Silva, não saiu do convencional ao comentar sobre os desafios que terá à frente da Companhia. Em entrevista ao Programa ‘Manhã no Vale’ desta quinta-feira (14), ele falou em “união de todos” em prol do desenvolvimento da região.

“Vamos encontrar os caminhos mãos dadas”, afirmou. Ele ressaltou ainda que irá se reunir com funcionários e gestores da 3ª SR, para só depois elencar prioridades.

Com origens no Sertão pernambucano (é natural de Cabrobó), Aurivalter disse ter consciência da história da Codevasf desde a época em que ainda era a Suvale (Superintendência do Vale do São Francisco). Também afirmou que já reúne experiência da FIAM (Fundação de Desenvolvimento Municipal do Interior de Pernambuco), órgão do governo do estado, e pretende colocar esse conhecimento à frente da Regional da Codevasf em Petrolina. “Nosso desafio são as obras de infraestrutura hídrica”, adiantou. A posse de Aurivalter acontecerá nesta sexta (15), às 9h30, na sede da 3ª SR, Centro da cidade.

O ônus do desenvolvimento

Engarrafamento OrlaMotoristas e motociclistas de Petrolina já vêm sentindo na pele o ônus de uma cidade grande. Os engarrafamentos nos horários de pico estão se tornando comuns na cidade, e não apenas na região central. Quem precisa passar pela Orla, por exemplo, deve exercitar a paciência.

A demora começa no semáforo próximo às barquinhas. Depois, os condutores devem redobrar a atenção no trecho após o viaduto, que dá acesso à Orla 2, ao Centro da cidade e à Ponte Presidente Dutra. A espera no local pode durar mais de 20 minutos.

Para quem se dirige à zona oeste, o percurso ainda apresenta dois grandes desafios: O semáforo da antiga empresa Somassa, onde ainda é possível ver alguns motoristas espertinhos furarem a fila podendo provocar algum acidente, e na Avenida Clementino Coelho, quando carros, motos e caminhões se apertam no contorno da praça que dá acesso ao Distrito Industrial.

Agentes da EPTTC já estiveram na avenida para organizar o trânsito, o que não vem acontecendo nos últimos meses, mas deveria ser feito diariamente em vários pontos da cidade. O transtorno se repete em vários horários e a população literalmente ‘paga’ pelo preço do desenvolvimento.

Em Salgueiro, Paulo Câmara fala sobre as principais necessidades do Sertão Central

Paulo Câmara SalgueiroPaulo Câmara Salgueiro 2O seminário ‘Todos por Pernambuco’, depois de passar por Araripina e Petrolina, chegou a Salgueiro, neste domingo (15), com a presença do governador Paulo Câmara (PSB) e todos os secretários de governo.

Participaram 873 inscritos dos oito municípios do Sertão Central, contribuindo com 891 sugestões nas salas temáticas de Educação e Cultura; Saúde e Segurança; Água; Infraestrutura; Cidadania; Economia, Sustentabilidade e Inovação e Desenvolvimento Rural.

O governador convocou os participantes a ajudá-lo na administração de Pernambuco nos quatro anos de mandato e, depois de ouvir o relato das propostas retiradas dos grupos de trabalho, falou sobre o grande desafio da estiagem. Para ele, a saúde também precisa de mais humanização e o Lafepe deve estar mais presente, com mais medicamentos nos municípios.

Paulo Câmara comprometeu-se a cobrar do Governo Federal a regulamentação do Samu. Reconheceu a necessidade de um hospital para a mulher; do combate ao tráfico de drogas e de uma reforma no sistema prisional, com unidades menores e regionalizadas, além de condições de trabalho e de ressocialização para os detentos.

Desenvolvimento igual

O gestor estadual reforçou o compromisso com as micro e pequenas empresas e disse que irá cobrar do Governo Federal a conclusão da Transposição e da Transnordestina. Sobre a educação, Câmara afirmou que Pernambuco, atualmente, tem a maior rede de tempo integral do Brasil, mas, que desde a campanha, sabia da necessidade de mais investimentos para que todos os municípios do Estado fossem beneficiados pela ação.

“Tudo o que ouvimos, hoje, só aumentou a nossa responsabilidade e nossa determinação”, declarou, prometendo trabalhar muito para que o desenvolvimento chegue por igual a todos os pernambucanos.

O prefeito de Salgueiro, Marcones Libório de Sá, lembrou que, há quatro anos, o ex-governador Eduardo Campos estava naquele mesmo lugar ouvindo a população. “Essa caminhada que Eduardo começou, nesse modelo de gestão, trouxe muitos avanços a Pernambuco, mas temos que continuar a caminhada. O governador Paulo Câmara está aqui, hoje, para ouvir o povo, para sentir na base o que esse povo pensa, o que ele necessita”, disse. (Fonte/fotos: Ascom PMS)

Artigo do leitor: “Beleza da Catedral, beleza de Petrolina e a beleza de Deus”

padre francisco_640x360Em comemoração ao Ano Santo, com programação nesta quinta (21) em Petrolina,  o padre Francisco José Pereira Cavalcante fez um artigo analisando a importância da construção da Catedral de Petrolina, que está completando 85 anos e que influenciou social e economicamente a cidade e se tornou um marco no desenvolvimento do município – atualmente com mais de 300 mil habitantes. Confiram:

O Bispo de Diocese de Petrolina D. Manoel dos Reis Farias, há um ano convidou os petrolinenses a celebrar os 90 anos de construção de sua Catedral, no interior de um Ano Santo. O Bispo convidou os católicos, mas também os não católicos, porque a construção da Catedral da cidade é um marco no desenvolvimento da cidade, dizia um dos grandes bispos da cidade, D. Gerardo Andrade Ponte.

E a história confirma. A presença da Catedral moldou a psicologia dos petrolinenses. Esta afirmação considera aquilo que a ciência afirma, isto é, que a uma ação segue-se uma reação. A construção da Catedral, assim como a toda ação de D. Malan, em Petrolina, mudou os destinos da cidade.

Quando o primeiro bispo afirmou: “Vamos construir a Casa de Deus e o resto virá por acréscimo”, ele expôs o que aprendeu e experimentou em toda sua vida, ou seja, que a construção de um templo belo e grandioso atrairia as bênçãos de Deus, mas também mudaria a mentalidade da cidade e de suas vizinhanças.

D. Malan como seu pai espiritual, D. Bosco, eram homens de Deus, mas que acreditavam no poder transformador da educação. A ação de construir um templo de grande porte e beleza, numa cidade de apenas três mil habitantes, foi um ato de fé e educativo, entre outros. Construindo a catedral, a fé de D. Malan mudou e continua mudando a mentalidade dos petrolinenses e dos sertanejos visitantes da cidade.

O orgulho do petrolinenses em ter uma Catedral com ares internacionais de arte, beleza, grandeza, inspirou e ampliou a visão e ação das pessoas, mas de modo especial dos políticos que vieram após a construção. Estes e muitos dos que o seguiram banhados pelo testemunho, crescidos, formados e educados à sombra da beleza que é a Catedral, aprenderam a se orgulhar da cidade que tinham. Por isso trabalharam para não perder essa satisfação, antes, para aumentá-la.

Mas a construção do templo começou a mudar Petrolina desde os primeiros instantes, provocando o seu crescimento e impregnando-lhe de valor, de qualidade. A construção, que durou, cerca de cinco anos (1925-15.08.1929), exigiu mudanças na organização urbana da cidade. O centro da cidade perder a cara de comunidade rural que tinha e teve reorganizadas as ruas do centro, demolindo prédios, construindo uma avenida, construindo novas edificações (palácio episcopal, residências próximas ao palacinho, coreto), atraindo trabalhadores de diversas partes do sertão e de outras partes do Brasil.

A construção lançou o nome de Petrolina no cenário internacional. As imagens do lançamento da pedra fundamental foram transformadas em postal e circularam o mundo. A edificação do templo plantou obras de arte de alto valor artístico num sertão esquecido e desconhecido (por exemplo 55 vitrais fabricados por artistas franceses de renome internacional).

Até onde sabemos, a construção influenciou a vida de povoados e cidades da Diocese. Inspiradas na Catedral, foram construídos templos menores em tantas localidades dos sertões pernambucanos (Araripina, Santa Cruz da Venerada, Morais, Barra de S. Pedro) e em outros Estados (Picos-PI).

Na atualidade, a Catedral está cercada de imensos prédios, mas não é apenas o segundo templo de Petrolina. Em certos aspectos, a ‘professora’ foi superada, porque ensinou bem e os alunos aprenderam. Um dos prédios mais recentes, mais altos, modernos da cidade homenageia o templo inspirador com uma decoração e marco ogival.

Mas esses prédios raramente conseguem captar a atenção para si, são mais vistos em seu conjunto. Suas belezas perdem-se no interior da floresta de edifícios que se ergue, conferindo à cidade ares modernos e progressistas. Pelo contrário, os olhares param na quase centenária professora.

É à ela, Catedral, que os admiradores da beleza (os artistas) e inúmeros turistas dão atenção. Como objeto da atenção turística, continua atraindo trabalho e, portanto, riqueza e desenvolvimento para gregos e troianos. É a beleza do velho templo que deixa boquiabertos os cidadãos petrolinenses e seus visitantes. Mas por que razão é assim?

A resposta procuramos refletindo sobre a afirmação de um escritor russo chamado Dostoievsky. Ele escreveu: “A beleza salvará o mundo!!!” Mas que beleza? A beleza como a da Catedral, aquela que atrai o olhar do ser humano, mas em seguida dirige-o para a beleza verdadeira, infinita, aquela que é a fonte criadora de toda beleza e que nós chamamos de Deus.

Padre Francisco José Pereira Cavalcante

Fernando Bezerra Coelho profere palestra nesta quinta em Petrolina

Fernando Bezerra Coelho_640x480O  ex-ministro  da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB), estará em Petrolina nesta quinta feira (17). Ele vai proferir, a convite da Câmara Dirigentes Lojistas (CDL), uma palestra sobre o desenvolvimento de Pernambuco no Sest/Senat, a partir das 19h.

A palestra é aberta ao público e Fernando Bezerra deve enumerar ainda suas ações e o resultado do seu trabalho para o estado inteiro, com foco para o Sertão e o Vale do São Francisco.

No cardápio deve constar ainda uma avaliação política do quadro atual.

Artigo do leitor: “Como acreditar, como sonhar com uma nova Juazeiro?”

Juazeiro_foto ascom PMJA atual administração de Juazeiro foi o tema de um artigo enviado pelo leitor do Blog, Rogério Espíndula. No texto, o autor faz uma viagem pelo tempo e compara a cidade de hoje àquela de 18 anos atrás. Segundo ele, as promessas de desenvolvimento para o município não vingaram.

Rogério questiona como é possível acreditar e sonhar com uma cidade melhor, se os atuais governantes não querem proporcionar essas condições? No entanto, ele pede que a população se una em torno da mudança e diz que é possível, sim, “trazer a antiga Juazeiro de volta”.

Confiram:

Como posso crer nos meus sonhos pessoais – e ao mesmo tempo coletivos – se eu não consigo ver uma luz no fim do túnel? Veja como são as coisas: há 18 anos conheci Juazeiro e foi amor à primeira vista. Apaixonei-me por essa cidade, pelas pessoas que aqui viviam e ainda vivem, e mais rápido do que eu mesmo imaginava mudei de Belo Horizonte e vim morar aqui.

Lembro que era uma cidade limpa, era uma cidade onde havia segurança e os postos de saúde tinham atendimento rápido e eficiente. No entanto, os anos se passaram e tudo começou a mudar. E eu também resolvi aderir às mudanças: retornei para BH e de lá fui para o Espírito Santo, Mato Grosso, Pará e por fim interior de SP. Mas a saudade era cada vez maior dessa cidade banhada por um rio maravilhoso, caudaloso e um povo carinhoso.

Então, conversando com aquelas pessoas que sempre tiveram raízes aqui, resolvi voltar porque me disseram: ‘Juazeiro está crescendo’; ‘em Atacadão, terá novos empreendimentos, inclusive um grande e moderno shopping, etc’. E disse para mim mesmo: ‘Vou voltar, chega de saudade’. Como diz a música “eu gosto de Juazeiro, e adoro Petrolina”.

Depois de oito anos longe dessa cidade que soube me cativar, retornei a Juazeiro em novembro de 2012. Mas hoje, depois de nove meses, vejo que meus sonhos não se concretizarão porque a minha, a sua Juazeiro foi totalmente esquecida e deixada de lado.

Atualmente, por onde se anda em Juazeiro – a pé ou de carro – só se vê lixo e buracos. Nesse meio tempo, necessitei ir ao médico, não havia remédio nos postinhos e tive que comprar nas farmácias da cidade. Mas eu tenho condições de comprar, e quem não tem, como é que fica?

Como acreditar, como sonhar com uma cidade melhor, com uma qualidade de vida plausível se os governantes não querem isso? É isso mesmo juazeirense, os governantes de Juazeiro da Bahia não querem lhe proporcionar uma cidade decente para que você, eu e todos os nossos vizinhos possamos viver com dignidade, saúde e segurança. Mas a mudança está em nossas mãos, unidos em um só tom conseguiremos fazer a Juazeiro que sempre sonhamos e acreditamos.

Vamos nos unir, juazeirenses. Vamos exigir desses governantes a nossa Juazeiro de volta!

Rogério Espíndula/Leitor

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br