Leitor chama atenção para descaso do BB agência Coronel Amorim com clientes

Um leitor do Blog encaminhou nota e foto reclamando do descaso da agência do Banco do Brasil da Rua Coronel Amorim, no Centro de Petrolina, vizinho à reitoria do Instituto Federal Sertão Pernambucano (FI-Sertão), com clientes e usuários do banco. Conforme o relato, as filas são enormes com idosos, clientes com crianças, pois dos sete caixas eletrônicos da agência, apenas três funcionam.

O leitor diz ainda que não há funcionário para orientar os idosos que tentam sacar e não conseguem. Quando sabem operar não tem dinheiro. Ele disse que chegou a reclamar com uma funcionária que de maneira “descortês”, nada ajudou e ainda fez cara feia, como se o cliente estivesse errado. Ele conclui: “é um total descaso”.

Centro de Convenções Senador Nilo Coelho: Retrato do descaso

Para muitas cidades, um centro de convenções é atração de visitação obrigatória. Mas infelizmente essa regra, por enquanto, não se aplica a Petrolina.

A placa indicativa da localização do Centro de Convenções, jogada ao chão, é um exemplo disso. A foto foi enviada por um leitor do Blog. Espera-se, da gestão que se inicia, um maior zelo ao patrimônio público – pelo menos maior do que foi nesses últimos anos.

Antiga estação ferroviária em Juazeiro sofre com ação do tempo e descaso do poder público

Um dos pontos históricos mais conhecidos de Juazeiro (BA) sofre com a ação natural do tempo e o descaso do poder público. (mais…)

Descaso: Busto em homenagem a Osvaldo Coelho está abandonado em Rajada

O cenário causa indignação: a imagem do busto do ex-deputado federal Osvaldo Coelho, um dos políticos mais influentes e importantes da história política de Petrolina e de Pernambuco, com mais de 50 anos de vida pública, está literalmente abandonada a sua própria sorte. O busto decorava o que seria o Parque de Exposições de Rajada, que a ex-gestão construiu para movimentar eventos no local. O equipamento foi desfeito e deixaram para trás o busto de Dr. Osvaldo (falecido em novembro de 2015).

Contratada e paga com recursos públicos municipais como forma de homenagem ao político, a imagem –  entregue com festa e muita emoção na abertura do São João Vale do ano passado, pelo ex-prefeito Julio Lossio (PMDB) – contou com a presença de familiares de Osvaldo. Mas hoje foi simplesmente esquecida.

O que pode se ver, além disso tudo, é desrespeito e descaso com a memória do ex-deputado. Segundo informações recebidas pelo Blog, a família de Dr.Osvaldo estaria indignada com o fato. E com toda a razão. Não só a família, mas quem admira e respeita a história política de um homem público no nível de Dr.Osvaldo.

Tradicional praça pública de Petrolina entregue ao lixo e descaso

praca-do-galo-lixo

Um dos equipamentos públicos mais tradicionais no Centro de Petrolina, a Praça Pio XII – que se tornou mais conhecida como a Praça do Galo – nem de longe lembra mais o que um dia já representou para a cidade. A começar de sua alcunha, já que o famoso cruzeiro com a figura do galo encontra-se quase todo quebrado. (mais…)

Campo Alegre de Lourdes: A falta de compromisso, as denúncias e o descaso com a população

campo-alegre-de-lourdes-bahia

O desgaste e as inúmeras denúncias contra a atual administração em Campo Alegre de Lourdes, no norte da Bahia, têm provocado um enorme sofrimento para a população de pouco mais de 30 mil habitantes.

Diante da alarmante situação, a população – que vive oprimida – não sabe muito a quem recorrer. A cada dia que passa, mais notícias negativas surgem. A última, por exemplo, foi registrada esta semana, quando o Ministério Público Estadual (MP-BA) deflagrou uma operação para coibir irregularidades na educação e prendeu servidores municipais por desvio de dinheiro.

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA) também é outro órgão que já detectou inúmeras irregularidades, punindo com multas a atual gestão.

Quem mora em Campo Alegre de Lourdes afirma que outras mazelas – como falta de infraestrutura e a precariedade nos serviços de saúde – deixam a cidade ainda mais abandonada. Para completar ainda carrega o triste estatus de ser a única do Estado abastecida 100% com carros-pipas, e os governos municipal, estadual e federal parecem não se importar muito com isso.

Campo Alegre está situada na divisa com o Piauí. Embora esteja dentro da área de influência do Vale do São Francisco, fica a 120 km de distância do rio. Não é cortada por nenhum curso de água permanente e localiza-se no chamado ‘polígono da seca’. Na região não há viabilidade para perfuração de poços e a única solução para abastecimento humano, de forma permanente, é a captação no Rio São Francisco. Por conta disso, a população é severamente castigada.

Por lá, os moradores dizem que o coronelismo ainda predomina. O único banco da cidade funciona de forma limitada e o medo da população é constante. A pergunta que fica é: a população de Campo Alegre de Lourdes não merece a atenção de seus representantes? (foto/reprodução)

Artigo do leitor: “Greve dos terceirizados nas escolas estaduais de Juazeiro, um descaso”

Sala de aula escolaEm e-mail enviado a este Blog, uma funcionária terceirizada de uma escola estadual de Juazeiro, que prefere o anonimato, fala sobre a greve da categoria na principal cidade do norte baiano. Ela afirma que está há três meses sem receber. A funcionária ainda questiona o governo estadual e afirma que só voltará ao trabalho quando os pagamentos forem efetuados.

Acompanhem:

Até quando? Até quando funcionários continuarão trabalhando na rede estadual de ensino sem previsão de receber salário? Até quando? Desde julho de 2016, quando o secretário de Educação Walter Pinheiro assumiu o cargo, todo dia é dia de receber os salários atrasados.

Ao entrar, pediu paciência e um voto de confiança aos funcionários terceirizados. Nos prometeu uma nova empresa e que, já no final de julho, receberíamos o primeiro salário. Isso sem falar na regularização dos salários das antigas empresas como Sandes, Saltur e Basitec. Resultado: estou há 3 meses sem receber salário. Tenho companheiras e companheiros com 5 meses sem receber. Isso é correto? Sou mãe de família, só eu trabalho dentro de casa e falta muito pouco para passar necessidade. É por isso que estou de braços cruzados. Não volto a trabalhar até receber pelos meus direitos.

Enquanto isso, convido qualquer um a visitar as escolas, as que estão funcionando. Muitas preferiram continuar funcionando, mas estão sujas e sem merenda, liberando os alunos mais cedo, reduzindo as aulas. Estão se enganando e iludindo os alunos com aulas pela metade. Poucas escolas estão funcionando normalmente (mesmo com os salários dos terceirizados atrasados). Eu cansei! Chega de descaso! Sento-Sé, Uauá, Juazeiro… várias escolas atingidas e paradas, esperando apenas a Secretaria de Educação cumprir as promessas e regularizar as pendências com os terceirizados.

Tem gente trabalhando sem contrato. Trabalharam julho e agosto e tiveram que assinar um termo de indenização para receberem esses dois meses pela Secretaria de Educação, mas nem a própria secretaria está conseguindo honrar suas responsabilidades. Até hoje não tem empresa para eles e nem receberam os meses trabalhados.

Cadê os políticos nessa hora? Cadê que batem de frente e se dispõem a lutar por uma educação de qualidade? Não quero só emprego, não, candidatos. Quero trabalhar e receber pelo meu trabalho. E alerto aos pais que têm filhos nas escolas da rede estadual, acompanhem a escola de seus filhos e vejam se não estão funcionando no ‘faz de conta’, liberando os meninos cedo e reduzindo aulas. Porque tem escola que não quer parar para não atrasar o final do ano, mas quem está pagando a conta são os alunos, que estão com aulas reduzidas e estudando na poeira e na imundície dos banheiros (correndo até risco de infecção).

Quero também agradecer aos professores e alunos que abraçaram a nossa causa e resolveram parar as atividades e lutar com a gente. E para os que continuam dando jeitinho para as escolas funcionarem, meu desprezo. Também somos parte da escola e estamos buscando o que é justo. Se o coletivo prevalecesse, tenho certeza que mais rápido as coisas se resolveriam.

Em busca de melhorias, estudantes da Uneb devem continuar movimento paredista em Juazeiro

paralisação uneb juazeiro

Em busca de melhores condições de ensino, os estudantes do Campus III da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em Juazeiro, prometem continuar o movimento paredista iniciado ontem (5), por 24 horas. A causa da paralisação é a insatisfação de alunos, professores e técnicos universitários diante da situação de “descaso” do Governo do Estado ante às reivindicações por melhorias para a instituição. Os manifestantes bloquearam a rua em frente ao DTCS por cerca de duas horas e seguiram em passeata rumo ao Centro da cidade.

Outros departamentos da universidade estão se organizando para paralisarem. O movimento continuará até que as reivindicações sejam atendidas. Entre elas estão a liberação de recursos orçamentários de material permanente, retidos; fim do corte da insalubridade e reposição social para os técnicos administrativos; Agilizar a liberação do processo de compra e contratação de serviços retidos na Secretaria de Administração (Seab); Autorização e realização de concurso público docente e técnico administrativo para não inviabilizar a universidade, entre outras questões. (foto/divulgação)

Juazeiro: Estudantes da Uneb acusam governo baiano de “descaso” e paralisam atividades nesta segunda-feira

uneb juazeiroEstudantes da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), Campus III, em Juazeiro, paralisarão as atividades nesta segunda-feira (5). De acordo com os organizadores do movimento, a medida é uma forma de protestar contra o descaso do governo do estado com o ensino superior. A concentração será em frente ao portão do Departamento de Tecnologia e Ciências Sociais (DTCS), a partir das 7h.

Pedimos aos alunos que façam o possível para comparecer. Se puderem, levem faixas, cartazes, apitos, mas tenhamos o cuidado de não desvirtuar o movimento. A última coisa que queremos é transformar o evento em um show de militância político-partidária, que tire o foco das reivindicações que queremos e precisamos. Precisamos de todo o apoio e contamos com vocês“, diz um comunicado divulgado.

Entre as demandas do Campus, segundo a comunidade estudantil, está “a situação caótica do Núcleo de Prática Jurídica, que pode ter que encerrar as atividades, comprometendo não só o serviço social prestado à comunidade mas o desempenho e aprendizagem dos próprios alunos“, destaca. Também estão sendo cobradas, entre outros pontos, a autorização e realização de concurso público docente e técnico-administrativo para não inviabilizar a universidade e regularização do calendário acadêmico em imediato. Com a palavra, o Governo da Bahia.

Cinco meses depois, comunitária do Loteamento Bella Vista continua sofrendo com esgotos e volta a cobrar promessa não cumprida da Compesa

esgotos rua 2 loteamento bella vista

A comunitária Gabriela Cavalcante voltou a reclamar do “descaso” da Compesa em relação ao esgotos estourados na Rua 2 do Loteamento Bella Vista, no bairro João de Deus, zona oeste de Petrolina, onde reside. Num email enviado por ela no dia 10 de março último, Gabriela já reclamava da demora da Companhia em sanar o problema. Hoje (25), passados mais de cinco meses, ela disse que nada foi feito e que mais dois esgotos estão estourados, incomodando ainda mais os moradores.

Acompanhem:

Mais uma vez recorro ao seu Blog para tentar dar fim ao problema que temos com os esgotos estourados em nossa rua. Sou moradora da Rua 2 do Loteamento Bella Vista, que fica próximo ao IF Sertão-PE do bairro João de Deus. No dia 10/03/2016 uma denúncia que fiz sobre o esgoto que está jorrando em frente à minha casa e dos meus vizinhos foi postada no Blog.

No dia 11/03/2016 a assessoria de comunicação Compesa se pronunciou e disse que iria até a minha rua para consertar o referido esgoto, que estava danificado. “A Companhia já está programando a troca da rede, que deve ser substituída até o final de abril”, dizia a nota. Veja bem, estamos quase em setembro e a situação ainda não foi resolvida. Pior do que isso: antes era apenas um esgoto estourado, agora são três esgotos estourados.

São quase 6 meses que a denúncia foi feita, quatro meses de espera pelo que foi prometido pela assessoria e quase dois anos com esgoto jorrando em frente à nossa casa. Isso é um absurdo! A cidade toda está abandonada, o esgoto virou parte do cenário petrolinense e isso não pode acontecer. Nós pagamos pela taxa de esgoto todos os meses, e é nosso direito ter esse serviço.

Não posso nem mesmo abrir uma janela na minha casa para o ar circular, porque a casa fica tomada pelo mau cheiro, baratas, moscas e mosquitos. Não queremos mais promessas, queremos a solução desse problema, e com urgência!

Gabriela Cavalcante/Comunitária

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br