Cremepe vai apurar morte de mulher após lipoaspiração em Petrolina

O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) decidiu abrir uma sindicância para apurar a morte da esteticista Uilma Fontes, de 37 anos. Ela veio a óbito em Petrolina, no último dia 10, após ser submetida a uma cirurgia de lipoaspiração.

Independentemente do laudo do exame, um inquérito já foi instaurado pelo Cremepe para verificar se o hospital era habilitado para cirurgia plástica e se o médico responsável pelo procedimento era capacitado. (com informações da Rádio Jornal)

 

Entidades médicas de Pernambuco saem em defesa do SUS: “Não vamos deixar morrer”

Numa nota enviada à imprensa, representantes do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) e Associação Médica de Pernambuco (AMPE) se posicionam veementemente contra o que consideram “falta de interesse” do governo federal em relação ao Sistema Único de Saúde (SUS). A categoria promete lutar e assegura: “não deixaremos o SUS morrer”.

Confiram a nota abaixo:

nota SUS

Presidente do Cremepe confirma que HU teve portões fechados no último sábado; Sindicância vai apurar os fatos

Hospital Universitário

O presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Sílvio Rodrigues, confirmou algumas denúncias veiculadas na mídia da região referentes à precariedade nos serviços oferecidos pelo Hospital Universitário (HU) de Petrolina. De acordo com ele, o Ministério Público Federal (MPF) já tinha pedido para que o Conselho viesse à Petrolina para realizar novas averiguações na unidade de saúde e apurar a denúncia de que o portão do HU foi fechado na madrugada do sábado (12), para o domingo (13), impossibilitando a entrada de pacientes que precisavam de atendimento. (mais…)

Para presidente do Cremepe, falta de recursos humanos ainda é o principal problema do HU

silvio rodrigues - foto marco aurélio

O presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Silvio Rodrigues, concedeu entrevista coletiva hoje (16) para falar sobre a atual situação do Hospital Universitário (HU) de Petrolina, que vem sendo novamente alvo de denúncias. Segundo ele, o Cremepe realiza constantemente fiscalizações no HU. Ele afirmou que já foram encontradas várias irregularidades na unidade, mas o que persiste é a falta de recursos humanos.

A gente tem vindo constantemente aqui em Petrolina, principalmente no HU, que o único hospital de referência de traumas que atende 53 municípios com um total de 2 milhões de pessoas. A gente sabe que o hospital tem a quantidade de leitos inferior ao necessário para a região. Já encontramos de tudo aqui, desde falta de insumo, de anestesistas de material cirúrgico. Mas o grande problema, hoje, é a falta de recursos humanos, principalmente quando se fala dos anestesistas”, explicou Silvio.

Para o presidente do Creme, o problema da falta de anestesistas é maior nos finais de semana, quando a unidade recebe um número maior de pacientes.Tanto na sexta e sábado no plantão noturno, como domingo e segunda no plantão diurno que funciona sem nenhum anestesista de plantão. Na nossa avaliação, no mínimo, é necessário ter dois anestesistas por plantão. As outras especialidades estão mais ou menos cobertas, apesar do Conselho achar que o número de clínicos no plantão ainda é inferior às necessidades. São dois clínicos por plantão, mas na nossa avaliação deveria ter até quatro clínicos no plantão”, afirmou.

Ortopedia

Sobre a fila de espera na ortopedia, Silvio Rodrigues admitiu que, devido ao grande número de acidentes que ocorrem na região – principalmente de moto, o problema ainda persiste.A fila de espera ainda continua. 95% dos pacientes internados na unidade são pacientes esperando atendimento na ortopedia. A gente constatou, também, que existe o convênio firmado com as prefeituras de Petrolina e Juazeiro (BA), para a contratação de anestesistas e ortopedistas, mas o número de vinda desses especialistas, para dar suporte conjuntamente com o hospital, ainda é pequeno”, disse, cobrando suporte dos municípios da região.Ainda precisamos do suporte de todos os municípios da região, não somente de Juazeiro e Petrolina.(foto/Marco Aurélio)

Cremepe vai pressionar prefeituras de Petrolina e Juazeiro para cumprimentos de contratos, garante representante

silvio cremepeOs convênios assinados recentemente entre o Hospital Universitário (HU) e as prefeituras de Petrolina e Juazeiro para a realização de cirurgias ortopédicas não vêm sendo cumpridos adequadamente, segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremepe), Dr. Sílvio Rodrigues.

De acordo com o representante da entidade, a parceria assegura que os médicos ortopédicos e anestesistas  contratados por estes municípios atuem na realização de cirurgias no HU, mas para o Cremepe as prefeituras não estariam cumprindo os acordos.

(mais…)

Cremepe realiza nova fiscalização no HU após denúncias no setor de emergência e UTI

Hospital UniversitárioRepresentantes do Conselho Regional de Medicina (Cremepe) estão mais uma vez em Petrolina. Eles realizaram no dia de ontem (25) uma nova fiscalização no Hospital Universitário (HU), após denúncias referentes ao fechamento de leitos e recursos humanos no setor de emergência e UTI da unidade médica.

Uma entrevista coletiva será concedida às 10h desta quinta (26), na sede do Cremepe de Petrolina, sobre o resultado da fiscalização.

Com braço quebrado, adolescente espera cirurgia há 12 dias no HU e mãe se desespera

IMG-20150904-WA0001Os últimos 12 dias têm sido de muita angústia para o estudante David Rodrigues da Silva, que segue internado no Hospital Universitário (HU) de Petrolina à espera de uma cirurgia para seu braço quebrado. Desesperada, a mãe de David, Jaqueline Alves da Silva, afirma que o procedimento ainda não foi feito devido à falta de anestesista  na unidade.

Já tem doze dias que meu filho está lá, esperando uma cirurgia, e o que me disseram é que não foi feita ainda porque não tem anestesista. Ontem (3) o médico me disse que faria a cirurgia até o dia 25, mas depois me disse que não tinha mais nem previsão. Eu estou desesperada porque eu tenho mais três filhos para cuidar e não sei nem o que fazer, porque tenho que ficar aqui com ele e larguei os outros”, disse a mãe, em entrevista ao programa ‘Manhã no Vale’, da Rádio Jornal.

Sobre a denúncia, o presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Sílvio Rodrigues, aconselhou a família a formalizar uma denúncia e lamentou que problemas pontuais continuem sendo observados no HU.

Os problemas continuam. Tem que haver uma nova fiscalização e uma pressão ainda maior para que estes problemas sejam, de fato, resolvidos”, disse.

Em contato com o Blog, o presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, vereador Ailton Guimarães, disse ter conversado com o superintendente do HU, Ricardo Pernambuco, que teria informado que, apesar da espera, David não é o primeiro na fila de cirurgias.  Ainda segundo o vereador, o superintendente teria garantido que vai liberar uma regulação e encaminhar o paciente para outra unidade – provavelmente o Hospital Sote, em Juazeiro-.

Presidente do Cremepe mostra-se supreso com informação de HU ter solicitado regulação de pacientes para outras cidades

silvio cremepe_640x360O presidente do Cremepe, Sílvio Rodrigues, demonstrou certa surpresa ao tomar conhecimento de um ofício enviado pelo superintendente do Hospital Universitário (HU) de Petrolina, Ricardo Pernambuco, solicitando que a regulação de pacientes encaminhados à unidade médica seja feita momentaneamente em outras cidades. O motivo seria a falta de antibióticos. O HU também não está realizando cirurgias devido à ausência de anestésicos.

Todas essas informações, trazidas ontem (16) com exclusividade por este Blog, foram enviadas ao delegado regional Joaquim Gomes Bedor – entre outros representantes do setor na região. Rodrigues, que ainda ontem participou de mais uma fiscalização no HU juntamente com outros integrantes do Cremepe, justificou que Bedor não teve tempo de analisar o documento.

Ao programa ‘Manhã no Vale’, da Rádio Jornal, desta sexta-feira (17), ele disse que vai incluir o ofício com prontuários de pacientes que enfrentam dificuldades de atendimento na unidade, por falta de antibióticos, ou tiveram cirurgias desmarcadas por não haver drogas anestésicas. “Vamos ver com nosso jurídico que medida poderemos tomar. Um hospital que não tem um antibiótico ou anestésico, que hospital é esse?”, criticou.

Entre as medidas, o presidente do Cremepe citou uma possível sindicância, ação civil pública ou até uma intervenção ética (como foi aprovado no início do ano pelo conselho da entidade). Ele também ressaltou que deverá novamente acionar o Ministério Público Federal (MPF). Rodrigues reconheceu que a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) até minimizou a situação com a convocação dos profissionais aprovados no concurso público. Mas os mesmos ainda enfrentam sérias dificuldades, sobretudo no setor de emergência, pela falta de medicamentos. “Ao invés de resolver a questão, o HU restringe o acesso de pacientes aos atendimentos”, finalizou.

Apesar de superintendente do HU justificar situação momentânea por falta de cirurgias, Cremepe deve mover ação contra governo federal

Hospital UniversitárioComo este Blog havia divulgado ontem (16) com exclusividade, a impossibilidade do Hospital Universitário (HU) em Petrolina de realizar cirurgias por falta de medicamentos anestésicos rendeu desdobramentos.

O superintendente da unidade, Ricardo Pernambuco, justificou aos representantes da rede integrada de saúde de Petrolina e Juazeiro da Bahia que pacientes clínicos, sobretudo os que necessitam de antibióticos, sejam regulados para outras unidades da região devido ao problema. Ele explicou que o problema é transitório, uma vez que se deve ao processo licitatório para a compra dos medicamentos.

O setor financeiro do HU empenhou R$ 1 milhão para isso, mas segundo Ricardo, as empresas têm um prazo de dez dias para entregar o material. Por isso, o superintendente garantiu que no máximo em 15 dias a situação será normalizada. Porém o Conselho Regional de Medicina (Cremepe) já se movimentou. O presidente da entidade, Sílvio Rodrigues, que está em Petrolina, concederá uma entrevista à imprensa nesta sexta-feira (17), às 10h, na sede do Cremepe, bairro Vila Mocó. Na ocasião ele falará sobre uma ação civil pública, com pedido de liminar, movida pela entidade contra o governo federal, solicitando a adequação imediata da unidade. Esse é o retrato da saúde pública de Petrolina.

IML de Petrolina pode sofrer interdição ética caso não conclua reforma em 90 dias

fa19ef0ae117b600f00fa50ca9747d3aDepois das recentes denúncias feitas pelo representante do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-PE), Roseno Neto, acerca das péssimas condições do Instituto de Medicina Legal (IML) de Petrolina, uma reforma da unidade foi aprovada e deve ser concluída em até 90 dias. Segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Silvio Rodrigues, caso os serviços não sejam concluídos dentro do prazo, a unidade sofrerá uma interdição ética devido à falta de condições para o trabalho.

Fizemos uma visita em junho e identificamos uma situação deplorável. Levamos uma proposta para a plenária e foi dado o prazo de 90 dias para que o IML se adeque às necessidades. E vamos acompanhar isso de perto. Se a reforma não for cumprida neste prazo, se não houver andamento, haverá uma interdição ética na unidade”, disse Sílvio.

Ainda de acordo com o representante do Cremepe, a Secretaria de Defesa Social (SDS) havia apresentado, de início, um projeto para mudar o local do IML de Petrolina. Contudo, posteriormente ficou acordado que a unidade deveria passar por uma reforma na qual pudessem ser feitas todas as melhorias necessárias.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br