Araripina: Emoção e adrenalina deverão marcar 1º Encontro de Jipeiros

Quem é fissurado por uma aventura radical, gosta de jipe e é amante da natureza vai poder colocar tudo isso em prática em Araripina (PE). A cidade será o local do 1º Encontro de Jipeiros, que acontecerá de 19 a 21 deste mês. O evento terá uma trilha pela zona rural da cidade – na Chapada do Araripe – e indoor no Parque 3 Vaqueiros, com premiações que chegam à R$ 3 mil mais troféus.

O encontro é realizado pelo Araripina Jeep Clube e tem o apoio da prefeitura. A trilha off road, no dia 20 (sábado) vai percorrer os cenários de chapada e minas de gipsita, que são típicos da região. Ao final os trilheiros serão recepcionados no Parque 3 Vaqueiros com músicas e comidas regionais.

No dia seguinte, 21 (domingo), a partir das 9h, começa a emoção no Parque Três Vaqueiros, onde foi construído um circuito fechado para a competição de jeep cross. O indoor será dividido em cinco categorias: Jeep; Jeep Original; Jeep Adaptado; Força Livre; e diesel. As corridas serão registradas através de sistema profissional de foto sensor e cronometragem e seguirá os padrões de segurança adotados em eventos nacionais.

O encontro vai receber comitivas de diversas cidades de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Embora as trilhas sejam repletas de muita adrenalina, os encontros de jipeiros promovem acima de tudo o espírito de confraternização de todas as famílias. O Jeep Clube de Araripina existe há sete anos e é formado por um grupo de 15 integrantes, que se reúnem para espalhar diversão e divulgar o turismo ecológico, desbravando áreas com grande beleza natural. Para mais informações os contatos são Ricardo V8, pelo número (87) 9 9141-7411, ou Marinho, pelo número (81) 9 9711-7947.

Termo de compromisso garante R$ 6,5 milhões para preservação do Araripe

chapada-do-araripe-no-cratoA Chapada do Araripe, no Sertão pernambucano, produz sozinha 95% do gesso existente no Brasil. No entanto, a indústria gesseira também ostenta resultado desfavorável quanto à conservação das florestas nativas. Para reverter esse cenário, um termo de compromisso firmado entre o Ministério da Integração Nacional e o Governo de Pernambuco destinará R$ 6,5 milhões, sendo R$ 500 mil de contrapartida da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA). O recurso será usado para a implementação do Programa de Desenvolvimento Florestal Sustentável da Região do Araripe Pernambucano, abrangendo 15 municípios.

O programa será executado pelo Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e o prazo de conclusão das ações é 2018. Entre os objetivos específicos estão a elaboração do zoneamento agroecológico da região do Araripe, elaboração e implementação de planos de manejo florestal, realização de oficinas de capacitação técnica junto aos agricultores para conhecimento sobre as técnicas de manejo e exploração florestal de forma a permitir o desenvolvimento sustentável, além da implementação de 15 projetos de recuperação de áreas degradadas.

A região da Chapada do Araripe é formada por 15 municípios, cerca de um quinto do território pernambucano. No Araripe, está situada a maior reserva de gipsita do Brasil e a segunda do mundo. As jazidas estão concentradas em Araripina, Ipubi, Trindade, Bodocó e Ouricuri. (da Folha de PE)

3ª Jornada Literária da Chapada do Araripe é encerrada com ‘chave de ouro’

RécitaFlavio e bandaO céu de Bodocó ficou mais colorido no último sábado (23). Na Agrovila Várzea do Meio, fogos de artifício reluziam e anunciavam o encontro da literatura com a poesia e a música. Era noite de encerramento da 3ª edição da Jornada Literária Chapada do Araripe, realizada pelo Sesc Pernambuco.

Após percorrer as cidades de Araripina, Trindade, Ipubi, Ouricuri, Granito, Exu e Moreilândia, a terceira edição da Jornada despediu-se em Bodocó. De 13 a 23 de maio, a programação recheada de atividades formativas de estímulo à leitura proporcionou grandes encontros para a difusão da literatura e suas oralidades através do universo da palavra e seus formadores.

A Jornada trouxe ainda em sua programação atividades como alvoradas, recitais, visitas de escritores a escolas, mesas de glosa, rodas de conversas e leituras, cantorias e intervenções.

Entre prosas e metáforas, o homenageado da terceira edição, o bodocoense Lourival Holanda tocou “um dedo de prosa” com outro bodocoense, o jornalista e escritor Cícero Belmar. Na conversa, Lourival, professor do curso de pós-graduação de Letras da UFPE e diretor da Editora Universitária da mesma universidade, recordou sua infância em Bodocó e falou do amor pela literatura que herdou da sua avó Dona Maria Holanda.

 “Meu imaginário é marcado pelas loas da minha avó e as lembranças da minha infância no sertão,” disse. Lourival agradeceu à coordenação do Sesc pela homenagem e ressaltou: “a Jornada Literária tem uma função mais que pedagógica. Ela faz toda uma região sonhar e despertar para a literatura.” Para ele a literatura tem a função de gerar expectativa. “Quando você lê, você alarga o seu próprio universo,” afirmou.

Poemas

Após as honrarias ao homenageado, os poetas Paulo Moura, Zé Andrade, Cida Pedrosa, Joy Carlu e Silvana Menezes, uniram-se em récita e declamaram poemas com motes que versavam entre amor, infância, sertão, política, natureza e saudade.

No cenário da casa de taipa, o público se deixou embalar pelas canções revividas em uma serenata de artistas bodocoenses: Zé Pereira, Miguel Filho, Carlinhos e Paulo de Bilinha. Aos 75 anos, seu Zé Pereira lembrou com nostalgia seu amor pela música. “Toco desde os 12 anos e me senti muito bem quando me convidaram para fazer essa serenata. Fazia muito tempo que não participava de uma. Quero participar da Jornada novamente por muitos anos ainda.”

Para encerrar a Jornada Literária 2015, Flávio Leandro cantou seu autêntico forró nordestino, animando o público. Revelando que estava duplamente feliz por estar pela terceira vez encerrando a Jornada. O ‘Poeta Cantador’ (como é conhecido), natural de Bodocó, também faz parte do berço de artistas da Várzea do Meio.

Em suas palavras, Andréa Pedroza, gerente do Sesc Ler Bodocó, destacou a importância da Jornada para a região do Araripe. Ela agradeceu a toda a equipe de execução do evento e rendeu agradecimentos em especial ao gerente de cultura do Sesc Pernambuco e coordenador geral da Jornada, José Manoel Sobrinho, e aos curadores do evento, Cida Pedrosa e Sennor Ramos. “O Sertão é grato por vocês terem trazido a arte da poesia para cá. O Sesc Pernambuco transformou o Araripe em corredores culturais, trazendo a cultura da arte e da leitura,” enfatizou. (com a colaboração de Elba Galindo/para o Blog/foto reprodução)

Ouricuri: Jornada Literária chega ao fim com show poético-musical de pai e filho

Pai e Filho, no BNB._640x425Um espetáculo em família. Pai e filho, o poeta e o menino, “o menino e o poeta”, em um show de música e rimas pouco visto no Sertão pernambucano. A literatura se fez música, e a música literatura. Foi assim que a Jornada Literária Chapada do Araripe se despediu da cidade de Ouricuri na noite de ontem (18), no Clube BNB.

Virgílio e Davi Siqueira, pai e filho, conquistaram aplausos do público na intervenção poético-musical “O menino e o poeta”, na qual poemas eram declamados ao som contagiante de um violão.  “Nossa parceria começou muito cedo, quando eu tinha uns 14 ou 15 anos e passei a fazer melodias para os poemas dele”, lembrou Davi.

O estudante Marcos Paulo Siqueira, 19, atento ao espetáculo, disse nunca ter assistido a um show poético-musical, e enfatizou a carência de ações culturais como estas na região. “Não é tão comum a gente assistir a esse tipo de show com poesia. A região ainda necessita de mais iniciativas como essas, porque é uma forma de resgatar a literatura local”.

Já o artista Nelson Júnior, que após o show recitou alguns versos, disse que as atrações poético-musicais, embora não sejam muito comuns na região, têm adquirido seu espaço. “Através do Sesc e de outras ações locais, a poesia e a música reunidas em atrações desse tipo estão se tornado mais frequentes”, declarou.

O menino e o poeta dão as mãos e seguem”. Com esse trecho, cantarolado por pai e filho, chega ao fim a Jornada Literária Chapada do Araripe em Ouricuri. Hoje (19), a Jornada iniciou sua programação no município de Granito, seguindo por Exu (20/05), Moreilândia (21/05) e Bodocó (22 e 23/05). (com a colaboração de Paulo Pedroza/para o Blog/foto: Rômulo Lima)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br