Feijoada beneficente em Juazeiro ajudará na campanha ‘Somos Todos Beatriz’

A campanha ‘Somos Todos Beatriz’ ganhará o reforço de mais um ato de solidariedade. Uma feijoada beneficente será realizada em Juazeiro (BA), no próximo dia 28 de maio. O evento servirá para angariar recursos e continuar a campanha para prender o assassino da garota, que foi morta em dezembro de 2015, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, Centro de Petrolina.

Todo o dinheiro arrecadado será destinado à produção de cartazes, outdoors e outras mídias com o disque-denúncia e informações acerca do caso, que chocou o Vale do São Francisco. O objetivo da campanha é alcançar o máximo possível de pessoas até que o caso tenha um desfecho.

O valor do ticket individual é de R$ 15. Quem deseja ajudar, pode comprar na Idealpet Petrolina (Avenida Nilo Coelho, nº 325, Gercino Coelho) e Idealpet Juazeiro (Praça Dom Tomaz, nº 24, Santo Antônio).  Quem quiser saber mais informações e outras formas de comprar os tickets, pode entrar em contato através da página do grupo no Facebook. A entrega da feijoada será das 11h às 15h, na Avenida Ulisses Guimarães, em frente ao Rapport Hotel, bairro Lomanto Junior, na cidade baiana.

Caso Beatriz: vereadores de Juazeiro debatem as novidades do crime em audiência pública

Com novas informações e dados, dando um rosto ao assassino de Beatriz Angélica Mota e por iniciativa do Vereador Tiano Felix, a Câmara de Vereadores de Juazeiro (BA), realizou na noite de ontem (20) uma audiência especial, com a presença de Lucinha Mota e Sandro Romilton Ferreira, pais da garota assassinada nas dependências do Colégio Nossa Auxiliadora em 10 de dezembro de 2015.

Sandro Romilton, lembrou, ao pronunciar-se que “na mesma semana (do assassinato de Beatriz), morreram jovens em Juazeiro e Petrolina assassinados também, mães perderam seus filhos… esses outros casos já estão esquecidos, mas eu e Lúcia não vamos parar!

Solicitando à Câmara apoio, dos vereadores individualmente, do corpo jurídico e da instituição, para que possam manter contato com outras Câmaras em outras cidades da região Nordeste, Lucinha e Sandro, emocionam, comovem e mobilizam. Lucinha, didática, responsabiliza diretamente ao Colégio Maria Auxiliadora e demonstra que sem as falhas, de segurança, sem “a ganância, minha filha poderia estar viva”.

A sessão que se estendeu por quase duas horas, teve a participação e o pronunciamento de todos os vereadores e o compromisso das comissões da Casa de se empenharem na busca do culpado. Quem resumiu de forma simples e direta o comprometimento da Câmara foi o Vereador Tiano Feliz, autor do pedido de sessão: “Este é um compromisso que nós todos temos de assumir como pais de família. Temos de assumir a responsabilidade de contribuir para colocar este assassino na cadeia, para que pague pelos crimes cometidos”. Concluindo o debate, todos gritaram: Somos  todos Beatriz. (foto: Ascom CMJ/divulgação)

Procurador-geral de Justiça de PE se reúne com pais de Beatriz e reforça apoio à investigação

O procurador-geral de Justiça de Pernambuco, Francisco Dirceu Barros reforçou, ontem (17), todo o empenho do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) nas investigações sobre o assassinato da menina Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva, 7 anos, morta em dezembro de 2015, na escola em que estudava, em Petrolina. Francisco Dirceu se reuniu com os pais de Beatriz, Lucia Mota e Sandro Romilton, acompanhado dos promotores de Justiça que formam a força-tarefa do MPPE nas investigações.

Francisco Dirceu ouviu dos promotores detalhes sobre o caso, que teve o que o Ministério Público considera uma evolução nos últimos tempos, culminando com a divulgação, por parte da Polícia Civil, das imagens de um homem considerado o principal suspeito do crime, que chocou o País. Além disso, o procurador-geral de Justiça também explicou aos pais de Beatriz o esforço do MPPE em solucionar o caso.

Atuei como promotor criminal por 17 anos, mas não posso mensurar a dor que vocês estão sentindo. O que posso dizer é que o Ministério Público de Pernambuco não está medindo esforços para que cheguemos a uma solução positiva do caso, que é com o culpado na cadeia e condenado pelo crime”, afirmou Francisco Dirceu.

A promotora coordenadora do grupo de trabalho, Rosane Cavalcanti destacou que a investigação está em uma fase muito importante da investigação. “Continuaremos a trabalhar porque ainda não chegamos ao nosso objetivo, que é a prisão e condenação do suspeito”, destacou.

Disque-Denúncia

O Disque-Denúncia de Pernambuco continua oferecendo R$ 10 mil de recompensa para quem tiver informações sobre a localização do assassino da menina Beatriz Angélica Mota, morta em 10 de dezembro passado, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadoa, Centro de Petrolina.

Quem tiver informações que possam auxiliar a polícia na identificação do suspeito que aparece nas imagens pode entrar em contato com os investigadores através dos números abaixo: Ouvidoria SDS – 181 WhatsApp – (87) 9 9911-8104 Disque-Denúncia  (81) 3421-9595 (81) 3719-4545. (foto/reprodução)

Vídeo Blog: Caso Beatriz, investigação com novos rumos e um novo suspeito

Caso Beatriz: MPPE reforça apelo para que a população contribua para a identificação do suspeito

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) reforça, por meio do grupo de atuação instituído para investigar o crime cometido contra a criança Beatriz Mota, em Petrolina, o apelo para que a população contribua para a identificação do suspeito. O MPPE está aberto para receber informações sobre o caso através do WhatsApp, no número (81) 98878.5733, criado em dezembro de 2016 para facilitar o envio de informações sobre o caso; por telefone, para a Promotoria de Justiça de Petrolina no (87) 3866.6400; e pessoalmente, na sede das Promotorias de Justiça de Petrolina, na Avenida Fernando Góes, 625.

Mesmo com a divulgação das imagens, o trabalho de investigação do MPPE continua, cobrindo outras frentes para elucidar o caso e levar a julgamento os responsáveis, cumprindo sua missão institucional em defesa da sociedade pernambucana.

Histórico

O MPPE instituiu, em junho de 2016, grupo de atuação conjunta composto por seis promotores de Justiça para apurar, em conjunto com a Polícia Civil e Polícia Científica, o crime cometido contra Beatriz Mota. Os seis promotores de Justiça são: Carlan Carlo, Ana Rúbia Torres de Carvalho, Júlio César Soares Lira, Lauriney Reis Lopes, Bruno de Brito Veiga e Rosane Moreira Cavalcanti.

Pais de Beatriz continuam acreditando que crime foi premeditado: “Houve um mentor e houve um executor”

Em coletiva de imprensa na tarde de ontem (16) na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Juazeiro (BA), os pais da menina Beatriz Angélica Mota, Sandro Romilton e Lucia Mota, comentaram sobre  as novas imagens do suspeito de ter cometido o crime. Sandro e Lúcia, assim como a delegada Gleide Ângelo, continuam acreditando que o crime foi premeditado. “Se a pessoa está fora [do colégio], com um celular, a todo momento olhando, foi uma ordem que ele recebeu. Houve um mentor e houve um executor”, afirmou o pai da menina. (mais…)

Disque-Denúncia continua oferecendo R$ 10 mil por informações sobre assassino de Beatriz

O Disque-Denúncia de Pernambuco continua oferecendo R$ 10 mil de recompensa para quem tiver informações sobre a localização do assassino da menina Beatriz Angélica Mota, morta em 10 de dezembro passado, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadoa, Centro de Petrolina.

Depois de um ano e três meses, a Polícia Civil  divulgou imagens que revelam a face do autor do brutal crime. Para a delegada Gleide Ângelo, responsável pelas investigações, não há dúvidas de que o homem que aparece nas filmagens de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, onde a vítima estudava, é o assassino.

Quem tiver informações que possam auxiliar a polícia na identificação do suspeito que aparece nas imagens pode entrar em contato com os investigadores através dos números abaixo: Ouvidoria SDS – 181 WhatsApp – (87) 9 9911-8104 Disque-Denúncia  (81) 3421-9595 (81) 3719-4545. (foto/divulgação)

Mais uma coletiva sobre o Caso Beatriz no Recife, a contramão da racionalidade

Novos elementos da investigação do Caso Beatriz serão apresentados daqui a pouco em coletiva no Recife

A Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco apresentará, nesta quarta-feira (15), às 14h, em entrevista coletiva, no auditório da SDS, no Recife (PE), novos elementos da investigação sobre o assassinato da menina Beatriz Angélica Mota, então com 7 anos, ocorrido em dezembro de 2015, no Colégio Auxiliadora, centro de Petrolina.

Na ocasião, o secretário Angelo Gioia apresentará à imprensa as estatísticas da segurança em Pernambuco. O Caso Beatriz é investigado pela delegada Gleide Ângelo. O crime completou um ano e três meses na última sexta-feira (10).

Caso Beatriz: 15 meses sem desfecho

Completou um ano e três meses hoje (10) o assassinato da menina Beatriz Angélica Mota. Apesar do tempo, o caso segue sem desfecho e a sociedade continua desinformada do andamento das investigações, que agora são comandadas pela delegada Gleide Ângelo.

Beatriz tinha sete anos de idade quando foi encontrada morta numa sala desativada de material esportivo no Colégio Maria Auxiliadora, Centro de Petrolina, durante a festa de encerramento do ano letivo, dia 10 de dezembro de 2015. De lá pra cá, vários protestos foram realizados em Petrolina, Juazeiro e no Recife para cobrar celeridade nas investigações. A garota é filha do professor Sandro Romilton, que dava aulas no colégio e estava na festa quando a tragédia aconteceu.

Durante as investigações, a Polícia Civil apontou alguns funcionários da escola como suspeitos de participar do crime, mas nada foi comprovado. Um retrato falado de um homem que seria o autor do crime também foi divulgado para auxiliar nas investigações. Depois do nono mês do crime, a polícia divulgou um vídeo, que mostra um homem considerado suspeito, andando nas imediações da escola, instantes antes da vítima ter sido vista pela última vez.

A polícia chegou a afirmar que existem indícios de que Beatriz não tenha sido morta no local onde seu corpo foi encontrado. Conforme a polícia, no corpo da menina foi encontrado mais de um DNA masculino, reforçando a hipótese de que a garota pode ter sido morta por mais de uma pessoa. Um material genético foi encontrado na faca utilizada no crime e o outro nas unhas da mão direita de Beatriz. Enquanto isso, a sociedade aguarda ansiosa por um desfecho do caso.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br