Paulo Valgueiro rebate declarações de gerente da Compesa: “Cara de pau”

O vereador da bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, Paulo Valgueiro, não gostou nem um pouco das declarações do gerente regional da Compesa, João Raphael Queiroz, o qual afirmou ontem (25), durante audiência pública, que os investimentos da empresa em Petrolina, na área de água e esgoto, não foram maiores por conta da gestão do ex-prefeito Julio Lossio, que tentou quebrar a concessão do serviço. Valgueiro tachou o gerente de “cara de pau”, justificando que Lossio tentou justamente buscar um diálogo junto à Companhia, em buscas de melhorias para o abastecimento d’água e esgotamento sanitário da cidade, e não obteve êxito.

O vereador enviou ao Blog uma nota, manifestando seu repúdio às declarações de João Raphael. Confiram:

É muita cara de pau, para pouco óleo de peroba! Isso mesmo. Não há outra forma de definir a atitude do gerente regional da Compesa, Sr. João Raphael Queiroz, em colocar a culpa da má gestão da Compesa em Petrolina na gestão do Prefeito Julio Lossio.

Não é segredo que foi exatamente pelo fato de a Compesa faturar alto em nossa cidade e não oferecer a devida contrapartida, investindo em saneamento, que o Prefeito Julio Lossio tentou municipalizar o sistema de água e esgoto do município, que é superavitário.

E é bom que se diga, que antes de partir para o embate visando ao cancelamento da concessão para exploração dos serviços de saneamento em Petrolina, a gestão de Lossio buscou o diálogo junto à Compesa para tentar encontrar uma solução para a melhoria do serviço, sem que tenho obtido êxito.

E o que vimos, ao longo dos últimos anos, foi a sociedade ser castigada pela má gestão da Compesa, que esteve em audiência pública na Câmara de Vereadores, nesta terça-feira, 25 de abril, justamente em decorrência das reclamações da população em Petrolina, que sofre sem água nas torneiras e com os inconvenientes da falta de esgotamento sanitário em vários bairros da cidade.

Sabemos, também, que os últimos investimentos realizados pela Compesa no Município de Petrolina foram feitos com recursos do Governo Federal.

Infelizmente, parece que a Compesa tem usado a receita arrecadada em Petrolina para financiar a sua incompetência gerencial em outras cidades pernambucanas, deixando a nossa cidade desabastecida e a população sedenta de soluções para o abastecimento de água e o esgotamento sanitário que lhes proporcione uma melhor qualidade de vida.

Talvez uma pista para a falta de recursos para investimentos da Compesa em nosso Município e no Estado seja a odiosa parceria que a Compesa fez na região metropolitana com a empresa mais corrupta de história do Brasil: a Odebrecht, cuja promiscuidade em todos os seus negócios tem saltado aos olhos da nação em um dos maiores escândalos de corrupção que já tivemos notícias.

Mas não estou aqui para torcer contra. Ao contrário, espero que a Compesa aprimore os seus serviços e possa estar trazendo mais investimentos para a nossa cidade e transforme Petrolina em um canteiro de obras de saneamento de qualidade, beneficiando toda a população e fazendo de Petrolina uma cidade ainda melhor para se viver. Aliás, esse é um compromisso que a Compesa vem assumindo e é isso que todos nós esperamos dela.

Paulo Valgueiro/Vereador do PMDB

Suplente Júnior do Gás assume vaga de Cícero Freire na Casa Plínio Amorim

A composição na Câmara de Vereadores de Petrolina vai mudar mais uma vez na atual legislatura. Toma posse no próximo dia 2 de maio o primeiro suplente do PR, Junior Gás. O novo integrante da Casa Plínio Amorim foi anunciado pelo titular do mandato e companheiro de sigla de Júnior, vereador Cícero Freire, ao final da audiência pública que promoveu nesta terça-feira, 25.

“Antes de encerrar nosso trabalhos aqui, quero anunciar que estarei me licenciando por motivo de saúde a partir do dia 30. Durante a licença, assume o mandato o meu companheiro de partido e suplente de nossa coligação, Júnior Gás”, revelou Cícero Freire.

Oficialmente, Cícero sairá para realizar uma cirurgia no joelho que vai demandar um tempo de recuperação, mas nos bastidores o republicano teria sofrido pressão da sigla para que se cumprisse um acordo durante a campanha: quem se elegesse, deixaria o mandato para ocupar cargo no governo municipal, do qual o PR é aliado, para o primeiro suplente assumir a vaga.

Deconhecimento

Júnior Gás afirma que não tem conhecimento desse acordo e que assumirá naturalmente como primeiro suplente, devido à questão da licença saúde do colega.

“Eu desconheço esse acordo. Chego para atuar em favor do meu bairro que é o João de Deus, cobrando melhorias, especialmente na questão da segurança. Assumo o mandado para ajudar os meus companheiros da bancada do prefeito Miguel Coelho (PSB) e em defesa do povo”, frisou o futuro vereador que declarou também não saber de acordo para permanecer no mandato em troca de um cargo para Cícero Freire no governo municipal.

Com a licença de Cícero, passam a ser três os vereadores licenciados da atual legislatura na Câmara Municipal. Os outros dois são os vereadores José Batista da Gama (PDT), que está licenciado para comandar a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Agrário; e Maria Elena Alencar, que se licenciou para assumir a pasta de Cultura, Esporte e Turismo de Petrolina.

Cícero Freire chama Osório de “meu deputado” durante audiência na Casa Plínio Amorim

Um dos autores da proposta da audiência pública que debate na Casa Plínio Amorim, na manhã de hoje (25), a problemática do sistema de esgotamento sanitário e abastecimento d’água em Petrolina, o vereador Cícero Freire (PR) está se habituando a ser o ‘inusitado’ da Câmara.

Ansioso para que a audiência começasse logo, Cícero não se conteve e apelou de forma contundente, ao microfone, para que seu colega Osório Siqueira (PSB), presidente da Mesa Diretora, desse início ao debate. Mas o que chamou a atenção foi a forma pela qual Cícero se referiu ao socialista: “Osório, meu deputado, vamos começar logo os trabalhos”. Será o presidente da Casa mais um na disputa em 2018?

Gerente da Compesa em Petrolina garante que investimentos em água e esgoto só não foram maiores por causa do Governo Lossio

Momentos antes da audiência pública que começou agora há pouco na Casa Plínio Amorim, sobre os problemas no abastecimento d’água e esgotamento sanitário de Petrolina, o gerente regional da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), João Raphael Queiroz concedeu uma rápida entrevista à imprensa, assegurando que a empresa fez os investimentos necessários no setor. Segundo ele, o que atrapalhou foi a gestão municipal passada, do prefeito Julio Lossio, que tentou quebrar a concessão da Compesa.

Segundo João Raphael, os R$ 65 milhões enviados pelo governo federal foram aplicados para melhorias no setor em Petrolina. No entanto, a tentativa do governo passado em quebrar a concessão da Compesa impediu a Companhia de continuar investindo no sistema em mais bairros da cidade.

“Estávamos fazendo um investimento muito alto, e a gente precisa que esse investimento retorne aos cofres da empresa. Então isso fez com que a gente não investisse mais em bairros onde não existe rede coletora, infraestrutura, para que a gente possa operar e dar manutenção ao sistema”, explicou.

Esperado para a audiência, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, estava cumprindo agenda em Brasília (DF) e não pôde comparecer. Igor Falcão, representante da prefeitura, está no debate.

Paulo Valgueiro joga para jurídico e presidente da Câmara presença de servidor da PMP sobre polêmica ‘mala preta’

Frisando que fez o papel de fiscalizador e defensor do Legislativo Municipal de Petrolina, o líder da oposição, vereador Paulo Valgueiro (PMDB), disse nesta quinta-feira, 20, que agora caberá aos advogados da Casa e ao presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), a vinda do servidor Talles Khalil para esclarecimentos, conforme aprovado no seu requerimentos na última terça, 18.

O servidor foi acusado pelos vereadores de denegrir a imagem da Câmara e dos vereadores, ao espalhar nas redes sociais, segundo Valgueiro em seu requerimento, um banner apócrifo sobre uma suposta ‘mala preta’ na Casa Plínio Amorim em troca da aprovação das contas do ex-prefeito Julio Lóssio (PMDB).

O servidor mandou informar que não iria porque o Regimento Interno da Câmara não permite. O vereador da situação, Aero Cruz (PSB), reforçou o argumento de Talles após consultar o departamento jurídico da Casa, mas Valgueiro afirma que fez o seu papel de fiscalizador.

“O requerimento foi aprovado e cabe ao presidente a Casa e ao jurídico convocar ou não o servidor. Fiz minha parte. Ficará agora a cargo da presidência”, ressaltou, lembrando que quem encaminha o requerimento é Osório. Sobre a defesa de Aero ao servidor, Valgueiro não deixou passar em branco. “Se Aero consegue afirmar que não foi Talles Khalil, então ele deve sabe quem foi. Essas definições de obrigar ou não a vinda do servidor, repito, cabe agora ao jurídico da Casa. Minha função é fiscalizar”, acrescentou o oposicionista.

Julio Lossio Filho

Quem também falou sobre esse assunto foi o estudante de Direito, Julio Lossio Filho, presidente municipal do PMDB, que veio passar o feriado na cidade e foi à Casa Plínio Amorim, a convite dos amigos peemedebistas na Câmara. Filho do ex-prefeito, Julinho tachou de “falta de respeito” com a imagem do seu pai o envio do banner da ‘mala preta’.

“Eu achei muita falta de respeito, até porque meu pai não está aqui para responder. As contas dele foram aprovadas pelo Tribunal de Contas, e aqui cada um sabe o que faz e irá avaliar com suas consciências”, destacou, frisando que o melhor é que tanto o grupo do pai dele como o do atual prefeito Miguel Coelho (PSB), trabalham “pelo melhor por Petrolina”.

 

Com mediação da Câmara, servidores e Prefeitura de Petrolina fecham acordo e projeto de reajuste é aprovado na Casa

Depois de vários dias de impasse entre os servidores públicos de Petrolina e o Governo Miguel Coelho (PSB), um acordo foi firmado sobre 0 reajuste salarial do funcionalismo público que teve grande parte da categoria contemplada com a reposição da inflação, que ficou em 6,29% em 2016. A Câmara inclusive colocou em pauta nesta quinta-feira, 20, o projeto de lei que concede o reajuste dentro do percentual de perdas da inflação. A matéria foi aprovada por 17 votos. O reajuste é retroativo ao mês de janeiro, data base da categoria.

Sem muitas discussões, até porque o acordo entre a categoria representada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Petrolina (Sindsemp) com a administração municipal tinha sido construído com a intermediação do Poder Legislativo Municipal, o texto deixou de fora as categorias específicas que estão há mais tempo sem aumento e que possuem leis próprias. Neste caso, o sindicato e o Poder Executivo sentarão novamente à mesa de negociações no dia 26, às 17h, para buscar um percentual de reajuste.

“Restabelecemos o piso no nível elementar com o salário minimo sendo o menor salário a ser pago ao um servidor do município; tivemos de volta a gratificação de difícil acesso para os secretários escolares, mas ainda pesam as categorias que estão sem reajuste há bastantes tempo e que estão sobre legislação específicas. São 115 efetivos e 120 contratados, e não é um numero grande. Por isso temos perspectivas de avançar nessa discussão dia 26″, contou o presidente do Sindsemp, Walber Lins.

O sindicalista agradeceu à Casa Plínio Amorim, que fez a mediação do processo de negociação junto ao Executivo. “Também agradecemos ao servidor, que participou ativamente para a construção dessa conquista”, frisou Lins. Walber reforça a importância do diálogo para construir o acordo e esperar novamente que ocorra na mesa de negociação, no dia 26. “Essa mesa irá contemplar os que não entraram, e que somam 25% do funcionalismo com a reposição inflacionária que será feita com efeito retroativo”, assinalou o presidente do Sindsemp.

Vereador oposicionista mostra estar desinformado em relação a recente polêmica na Casa Plínio Amorim

Difícil a situação da Câmara de Vereadores de Petrolina. Nossos parlamentares poderiam aproveitar o tempo de forma mais eficiente para ações mais produtivas. Estudar, por exemplo.

Poderiam começar pela Lei Orgânica e o Regimento Interno. Se o vereador Paulo Valgueiro (PMDB), por exemplo, fizesse isso, não estaria promovendo um ‘cavalo de batalha’ por uma questão inconstitucional e desprovida de amparo legal.

É que o artigo 222 do Regimento Interno da Casa Plínio Amorim é muito claro: diz que só podem ser convocados para prestar esclarecimentos secretários ou responsáveis por entidades públicas da administração. Somente o responsável. Ainda assim, esse profissional só estará obrigado a responder assuntos da administração do órgão ao qual está veiculado.

Portanto, o servidor comissionado Talles Khalil não é obrigado a comparecer à Casa. Ou seja, o vereador está desinformado. Esperamos um nível melhor de trabalho até o final dessa legislatura.

Vereador Aero se posiciona sobre ‘bola nas costas’da bancada: “Não foi em mim, votei contra”

O vereador de Petrolina Aero Cruz (PSB), relator da comissão de Finanças,  procurou este Blog e comentou sobre o seu voto contrário a convocação do servidor Thales Kallil, aprovado na Casa Plínio Amorim com o voto dos vereadores da situação.

Votei contra, não vi nada demais, até porque várias pessoas compartilharam e comentaram a mesma matéria. Ele é cidadão e tem direito de usar a rede social como desejar. Ele não citou nomes, não agrediu ninguém. Se a gente for convocar todo mundo que tem opinião, a gente só faria isso. Isso é uma democracia, cada um tem direito de se expressar. O que temos que fazer aqui é fiscalizar e fazer os projetos para o bem do povo de Petrolina”, declarou.

Aero disse ainda que o que está acontecendo é uma perseguição.

“Essa convocação está acontecendo porque o rapaz é do grupo do prefeito Miguel Coelho, está no governo. Então esse é um movimento político, nós percebemos isso. Me acompanharam votando contra essa convocação os meus colegas Ronaldo Silva, Pastor Alex, Gaturiano Cigano, Gilberto Melo, Zenildo do Alto do Cocar e Elias Jardim”, completou Aero.

Panfleto apócrifo ‘alerta’ vereadores de Petrolina sobre prestação de contas de ex-prefeito Julio Lossio

A força das mídias sociais se mostra a cada dia mais evidente. Desde ontem (12) começaram a pipocar cobranças à postura dos vereadores de Petrolina. Um panfleto exige postura dos atuais representantes da Casa Plínio Amorim na votação das contas do ex-prefeito Julio Lossio (PMDB).

O panfleto fala em “mala preta” que já estaria circulando pelos corredores do Legislativo Municipal, para que a prestação de contas de Lossio seja aprovada.

No panfleto, o qual não se sabe a autoria, ainda há o seguinte aviso: “estamos de olho, e a polícia também”. Em tempos de investigações, um ato impensado poderá custar caro.

Sessão plenária na Casa Plínio Amorim retorna somente na próxima semana

A sessão plenária de ontem (11) foi a última desta semana na Casa Plínio Amorim. O presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), já adiantou que amanhã (13), véspera de Semana Santa, não haverá sessão.

Os trabalhos plenários na Câmara Municipal retornarão normalmente na próxima terça-feira (18).

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br