Líder da oposição endurece nas críticas e reclama de falta de transparência da bancada governista na Casa Plínio Amorim

O vereador Paulo Valgueiro (PMDB), líder da oposição na Câmara de Petrolina, anda reclamando da falta de transparência dos colegas da bancada de apoio ao prefeito Miguel Coelho (PSB). Em nota enviada à imprensa, Paulinho, como é conhecido, declara que propôs na última sessão plenária, na quinta-feira, 23, requerimento com o objetivo de solicitar informações sobre o processo seletivo promovido pela Prefeitura destinado à contratações temporárias para a secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Recursos Humanos. Ele também sugeria a possibilidade de suspender o processo até que seja esclarecida a legalidade da forma de inscrição e escolha dos candidatos. Mas o requerimento foi rejeitado

“Saliente-se que muitas são as denúncias de irregularidades que se apresentam, sempre no sentido de influências externas ao certame, haja vista, a modalidade escolhida não testar o conhecimento das pessoas, tendo em vista que a seleção tem exigido somente a entrega de curriculum para a escolha dos contratados”, justificou o oposicionista no texto do requerimento.

Diante dessas irregularidades, e em nome do princípio da transparência, Valgueiro afirmou no requerimento, “ser obrigação da administração municipal prezar por ele”, por isso apresentou a solicitação. O peemedebista acrescenta que a rejeição ao seu requerimento, deixou claro a ausência de transparência no processo seletivo e teceu duras críticas diante da interferência do poder executivo nos trabalhos da Câmara de Vereadores de Petrolina.

“Petrolina foi surpreendida pelo rolo compressor do Poder Executivo, pelo simples fato de requerer transparência nos atos da administração pública municipal. Votando a rejeição ao requerimento de minha autoria, entendo que essa ação conjunta dos representantes do executivo e os colegas vereadores para barrar o requerimento nos faz refletir sobre a real possibilidade de existirem problemas no processo seletivo questionado que não possam ser trazidos a público”, alfinetou o líder da oposição.

Paulinho lembrou na nota que “o trator” da situação também derrubou uma moção de repúdio de autoria do vereador Gabriel Menezes (PSL), também da bancada de oposição, e subscrito por ele, repudiando o posicionamento dos deputados federais de Pernambuco que votaram à favor do projeto de lei nº 4302/98 que permite a terceirização das contratações para qualquer tipo de atividade das empresas.

“A grande decepção da população é saber a forma como o Poder Executivo quer interferir nos atos da Câmara, e o que é pior, assistirmos a maneira subserviente de alguns vereadores com relação aos comandos. Isso é motivo de grande preocupação, pois fere o princípio da independência harmônica entre os poderes”, conclui Paulo.

Caso Beatriz: vereadores de Juazeiro debatem as novidades do crime em audiência pública

Com novas informações e dados, dando um rosto ao assassino de Beatriz Angélica Mota e por iniciativa do Vereador Tiano Felix, a Câmara de Vereadores de Juazeiro (BA), realizou na noite de ontem (20) uma audiência especial, com a presença de Lucinha Mota e Sandro Romilton Ferreira, pais da garota assassinada nas dependências do Colégio Nossa Auxiliadora em 10 de dezembro de 2015.

Sandro Romilton, lembrou, ao pronunciar-se que “na mesma semana (do assassinato de Beatriz), morreram jovens em Juazeiro e Petrolina assassinados também, mães perderam seus filhos… esses outros casos já estão esquecidos, mas eu e Lúcia não vamos parar!

Solicitando à Câmara apoio, dos vereadores individualmente, do corpo jurídico e da instituição, para que possam manter contato com outras Câmaras em outras cidades da região Nordeste, Lucinha e Sandro, emocionam, comovem e mobilizam. Lucinha, didática, responsabiliza diretamente ao Colégio Maria Auxiliadora e demonstra que sem as falhas, de segurança, sem “a ganância, minha filha poderia estar viva”.

A sessão que se estendeu por quase duas horas, teve a participação e o pronunciamento de todos os vereadores e o compromisso das comissões da Casa de se empenharem na busca do culpado. Quem resumiu de forma simples e direta o comprometimento da Câmara foi o Vereador Tiano Feliz, autor do pedido de sessão: “Este é um compromisso que nós todos temos de assumir como pais de família. Temos de assumir a responsabilidade de contribuir para colocar este assassino na cadeia, para que pague pelos crimes cometidos”. Concluindo o debate, todos gritaram: Somos  todos Beatriz. (foto: Ascom CMJ/divulgação)

Câmara vota projeto que vai beneficiar os quebradores de pedra do Serrote Pelado

A Câmara de Vereadores de Petrolina colocará em pauta nesta terça-feira, 21, o Projeto de Lei nº 078/16  que autoriza o Poder Executivo a reconhecer no âmbito do município, os serviços de pedreira artesanal, de produção de paralelepípedo e meio fio. O texto tem como autores os vereadores Ronaldo Cancão (PTB) e Gabriel Menezes (PSL). A matéria entra em pauta após muitas discussões e polêmica na semana passada entre Ronaldo Cancão e o colega de bancada, Ronaldo Silva (PSDB), ambos integrantes da Comissão de Justiça e Redação da Casa Plínio Amorim e não se entenderam quanto a constitucionalidade do projeto.

Ainda em pauta na sessão plenária desta terça, mais dois projetos do legislativos. Um de autoria do vereador Edilsão do Trânsito (PRTB) que autoriza a Ammpla a colocação de lombadas em vias públicas de Petrolina e o terceiro do líder da oposição, vereador Paulo Valgueiro (PMDB) que pretende promover atendimento diferenciado a portadores de diabetes tipo 1 e 2 nas redes municipal, estadual e privada de Saúde do município.

Vereadores definem cronograma de trabalho das Comissões da Câmara

Vereadores titulares e suplentes das Comissões da Câmara de Petrolina se reuniram nesta manhã de segunda-feira, 20, para definir a agenda de trabalhos dos colegiados. Conforme o vereador Aero Cruz (PSB) que é relator da Comissão de Finanças da Casa, o objetivo do encontro foi ajustar a atuação dos vereadores que integram as Comissões bem como como será executado o trabalho dentro de um cronograma semanal de atuação.

Os projetos colocados em pauta, vamos dar uma maior celeridade. Já as atividades de cada Comissão, acontecerão sempre toda sexta-feira. Ainda vamos ter nova reunião para discutir as atividades de cada comissão”, relatou Aero.

A Câmara de Petrolina conta com as comissões de Justiça, Redação e Legislação; Finanças e Orçamento; Obras, Serviços Públicos e Negócios Municipais; Educação, Cultura, Esporte e Juventude; Saúde e Assistência Social; Agricultura, Interior e Meio Ambiente e Direitos Humanos e Cidadania. (Foto: Divulgação)

Grupo Rarus solicita apoio da Câmara para conquistar espaço da entidade no Parque Josefa Coelho

O apoio e a dedicação de quem precisa para ajudar os filhos a crescerem e se desenvolverem. Foi com esse objetivo que a idealizadora e coordenadora do Grupo Rarus, Patrícia Bonfim, usou a tribuna da Câmara de Petrolina durante a sessão plenária da Casa ocorrida nesta terça-feira, 14. O Grupo Rarus reúne 100 integrantes até o momento. Foi criado há seis meses por Patrícia que é mãe de uma criança portadora de síndrome rara, para junto com outras mães como ela, possam dispor de apoio necessário para os cuidados com filhos e filhas tão especiais.

A indicação da presença de Patrícia na Câmara foi do vereador Professor Gilmar Santos (PT) como também é de autoria de Gilmar, a solicitação para que o poder executivo possa destinar o espaço no Parque para o grupo e foi nessa linha que Patricia iniciou o seu pronunciamento na tribuna.

“Fomos muito bem recebidos tanto pelos vereadores como pela Mesa Diretora. Trabalhamos com crianças com doenças raras e também algumas que possuem alguma deficiência, então nós viemos para solicitar um espaço para que possamos estar nos reunindo. Um sala no Parque Municipal para que possamos receber as mães que estão entrando nessa luta e as que já tem experiência para compartilhar com a gente, receber também os voluntários e a sociedade que queira conhecer nossa causa”, contou Patrícia.

Patricia espera que toda Petrolina acolha o Grupo Rarus e se diz confiante na sensibilidade do governo municipal com essa intermediação dos vereadores, para conseguir o espaço. “Temos certeza que iremos conseguir esse local. Hoje além do espaço, também estamos em busca de profissionais capacitados para atender as mães e crianças que fazem parte da entidade. E precisamos também de mais política públicas voltadas para nosso trabalho”, assinalou Patrícia.

Pegou fogo: Ronaldo Cancão e Ronaldo Silva acirram debate sobre tramitação de projeto em Comissão da qual fazem parte

Um bate boca acirrado entre o presidente e o relator da Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Petrolina, vereadores Ronaldo Cancão (PTB) e Ronaldo Silva (PSDB), respectivamente, marcou a sessão desta terça-feira, 14. O motivo mais uma vez foi a falta de entendimento entre os parlamentares que compõem o mesmo Colegiado na Casa e cada um justificando que seguia as devidas prerrogativas legislativas em cumprimento ao regimento interno da Câmara.

Cancão queria colocar na pauta com dispensa de parecer, o projeto de lei de sua autoria que regulamenta o serviço de extração de pedra em Petrolina. O petebista alegou que a matéria tramita ha quase um ano na Casa e que nesta segunda, 13, assim como chegou às mãos de Silva o texto do executivo para doação de terreno à Compesa, aprovado na reunoão, também chegou o PL sobre as pedreiras e não entendeu por que o parecer foi somente para um projeto.

Ronaldo Cancão brigou para colocar o texto na pauta diante da urgência, pois as famílias da Pedreira Pau Darco, no Serrote Pelado, estão na iminência de deixar de sobreviver da atividade por divergências entre os donos da área da pedreira. Com a lei, os trabalhadores teriam mais segurança na atividade. A dispensa de parecer veio porque Cancão conseguiu 20 assinaturas dos colegas para que o texto entrasse na pauta sem o parecer do relator da Comissão de Justiça, como diz o regimento.

“Estou coberto pelo regimento da Casa”, disse o autor do PL. Silva rebateu. “O projeto chegou ontem às minhas mãos e tramita há um ano. É muita irresponsabilidade. Seus gritos não me amedrontam colega vereador”, atacou. O presidente da Câmara, vereador Osório Siqueira (PSB), diante do impasse e vendo que alguns colegas já tinham retirado o nome da lista de Ronaldo Cancão para a dispensa de parecer, se comprometeu em colocar o projeto em pauta na próxima quinta, 16, ou terça, 21.

O vereador que subiscreve o texto de Cancão, Gabriel Menezes (PSL), lamentou que os trabalhadores do Serrote Pelado não tivessem tido ainda a garantia de continuar sua atividade profissional na cidade por causa de toda a confuisão entre os colegas. Ele pediu desculpas, mas informou que esse comportamento mais acirrado na Casa Plinio Amorim, “faz parte do processo democrático”.

“Quero aqui deixar esse compromisso com vocês de colocar o projeto em pauta na terça ou o mais tardar, quinta. Toda essa discussão é para fazer o melhor para vocês”, ressaltou Gabriel. Sobre colegas divergerirem na mesma Comissão, a vereadora Cristina Costa (PT), alertou.

“Devemos observar e avaliar melhor. Como existir concenso num texto do Executivo e tanta divergência num projeto do Legislativo? Vamos colocar a cabeça para pensar e atuar de forma coesa para o bem dos trabalhos da Casa”, aconselhou.

Famílias do Serrote Pelado apelam a vereadores para manter atividade em pedreira

A polêmica criada em torno de uma das pedreiras da comunidade do Serrote Pelado, zona rural de Petrolina, chegou nesta terça, 14, na Câmara de Vereadores do município. Famílias que há quase 60 anos sobrevivem da atividade de extração de pedras, agora se dizem ameaçadas de não poder mais exercer a profissão. Com cartazes nas mãos, os moradores cobraram apoio dos vereadores para defenderem a sobrevivência de mais de 50 famílias que vivem da atividade.

“Nós esperamos que os vereadores nos apoiem. Lá os donos estão querendo fechar a pedreira. Nosso maridos estão em desespero, pois essa é a unica atividade que garante nossa sobrevivência. Só queremos esse reconhecimento. Pagamos R$ 100,00 por mês que da um total de R$ 5 mil mensal para continuarmos trabalhando. É caso de sobrevivência“, disse Marilene Dias, moradora do Serrote Pelado.

Dois vereadores estão discutindo diretamente com as famílias, Gabriel Menezes (PSL) e Ronaldo Cancão (PTB). Cancão é autor de projeto de lei que reconhece a pedreira como atividade profissional. “Primeiro vamos garantir o local de trabalho dessas famílias para que elas possam se organizar. Uma atividade de mais de 60 anos que ainda não tem reconhecimento”, considerou o petebista.

Para Gabriel, o importante é estar junto com as famílias e prestar o apoio necessário para manter a atividade deles. “Essas pessoas não estão pedindo nada mais do que o direito de continuar trabalhando. De ter amparado de forma legal a sua profissão e ter as condições de trabalho necessárias. Por poe isso subscrever o projeto do colega Ronaldo Cancão, por ser da mesma luta e para  reconhecer a luta dura dos trabalhadores de pedra de nossa cidade”, assinalou Gabriel.

Câmara vota doação de terreno para a Compesa

Um dos temas em debate na sessão da Câmara Municipal de Petrolina desta terça-feira, 14, é o projeto de lei de autoria do poder executivo, texto ainda da gestão anterior, que pede a desafetação de terreno para a implantação de uma estação de bombeamento da Companhia Pernambucana de Saneamento (Comepsa). A área em debate está localizada no bairro Pedra Linda, zona oeste da cidade.

A reunião plenária também contará com a presença da Coordenadora do Grupo Raros de Petrolina. Patrícia Bonfim, que irá fazer uma explanação sobre a importância da atuação do coletivo de mães de crianças e adolescentes com doenças raras e a superação das dificuldades encontradas no dia a dia, como o acesso a material específicos e a inclusão da entidade na sociedade.

Ela discutirá ainda a construção de políticas públicas de assistência aos doentes atendidos e a suas famílias. A solicitação de Patrícia para essa explanação na Casa Plínio Amorim foi do vereador Professor Gilmar Santos, do PT.

Câmara de Juazeiro garante apoio ao governo para ações voltadas à educação

Presidente da Câmara de Vereadores de Juazeiro, o vereador Alex Tanuri (PSL), participou da inauguração de duas unidades escolares da rede municipal no Residencial Juazeiro I, Bairro Itaberaba, na sexta-feira (10), juntamente com os colegas de parlamento. Tanuri aproveitou para reafirmar o compromisso do Legislativo Municipal de Juazeiro com a educação.

“Estão aqui presentes vereadores de todos os partidos, pois nos une a certeza que é pela educação de base, com qualidade, que construímos a cidadania e fortalecemos a democracia”. ressaltando o trabalho iniciado pelo prefeito Isaac Carvalho e “que tem continuidade com Paulo Bonfim.

Tanuri reforçou o compromisso da Câmara com os “trabalhadores da educação, alunos e os pais, “A Câmara será sempre uma parceira em todos os projetos que busquem a melhoria e a ampliação da educação em Juazeiro”, frisou.

As duas unidades, escola e creche, foram as primeiras dentro do programa “Minha Escola, Minha Vida”, que se propõe a construir unidades escolares em todos os residenciais de Juazeiro. (Foto: Ascom)

 

 

Vice-presidente da Fiepe em Petrolina alerta que problemas da previdência devem ser enfrentados agora para proteção dos futuros aposentados

 

“Nós temos uma Previdência Social que precisa ser reformada por que da forma como ela está posta é absolutamente inviável.” Esta foi a posição adotada pelo vice-presidente da Fiepe (Federação das Indústrias de Pernambuco) unidade regional, Rafael Coelho, durante a audiência pública realizada na sexta-feira (10) na Câmara de Vereadores de Petrolina que tratou da proposta de emenda constitucional – PEC – que prevê mudanças na previdência social.

Durante a audiência para discussão da PEC 287/16, que reuniu representantes de centrais sindicais, CUT, Sintcope, Sindilojas, Sindsemp, Sintraf e lideranças políticas regionais, Rafael afirmou ainda que não existe uma fórmula mágica para equilibrar as contas públicas e que é preciso a participação de toda sociedade para que as novas gerações não sejam prejudicadas.

“O que devemos nos perguntar é: vamos prometer mais agora e não entregar nada ou vamos prometer menos com a certeza de entregar depois?”, questionou durante sua fala no evento. (Foto- Carlos Lerte-Ascom-divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br