Fernando Filho se antecipa à bancada do PSB e garante permanecer no Ministério

Licenciado do cargo de deputado federal, Fernando Filho não esperou a decisão da bancada do seu partido – o PSB – na Câmara para confirmar que ficará à frente do Ministério das Minas e Energia.

Por meio de uma nota enviada à imprensa, o ministro garantiu nesta tarde (23) que continua comandando a Pasta no Governo Temer. Confiram, no link, a íntegra da nota de Fernando Filho: documento_ministro. (Foto/divulgação)

Bancada do PSB na Câmara dos Deputados definirá nesta quarta posicionamento do partido em relação ao Governo Temer

Cogitado em deixar o Ministério das Minas e Energia, Fernando Filho deverá permanecer por enquanto no cargo.

O posicionamento do ministro deve valer ao menos até quarta-feira (24), quando a bancada do seu partido, o PSB, fará mais uma reunião para bater o martelo sobre os rumos dos socialistas em relação ao Governo Temer.

Como já é notório, Fernando Filho é da cota pessoal do presidente. Portanto, não foi indicado pelo PSB.

Nova crise política leva senador FBC a convocar reunião da bancada socialista para próxima semana

A mais nova ‘hecatombe’ política que se abateu sobre o país, após denúncias envolvendo o presidente da República, Michel Temer (PMDB), levou o líder do PSB no Senado, Fernando Bezerra Coelho, a convocar uma reunião da bancada socialista na próxima segunda-feira (22). A intenção, segundo o senador pernambucano, é decidir sobre um posicionamento definitivo da legenda após os últimos acontecimentos.

“A gravidade da situação política do país, diante das novas denúncias publicadas pela imprensa nacional, exigem serenidade, maturidade e responsabilidade com a estabilidade política e a governabilidade. É preciso que todas as forças políticas se empenhem na busca de uma saída, nos marcos legais e constitucionais, que assegure um ambiente político capaz de conduzir a transição até as eleições de 2018. Nesse sentido, convoco uma reunião da Bancada do PSB no Senado Federal, para a próxima segunda-feira (22), para que, após o conhecimento pleno dos fatos, deliberemos uma posição coletiva sobre a grave conjuntura política atual”, explicou FBC, em nota enviada a este Blog. (Foto/arquivo)

 

Bancada de Miguel Coelho apara arestas e sai de reunião em clima “de paz e amor”

Diferente do que deixou no ar na sessão da terça-feira, 9, a bancada do prefeito Miguel Coelho (PSB) na Câmara de Petrolina decidiu aparar as arestas e voltou a dialogar – como deve ser um grupo coeso que defende o mesmo lado. Nas últimas reuniões plenárias ocorreram alguns desentendimentos, como o que foi visto entre os vereadores Ronaldo Cancão (PTB) e o líder governista Ruy Wanderley (PSC). Entretanto, o clima na reunião mensal do grupo, ocorrida nesta quarta, 10, ao que parece serviu para acalmar os ânimos e a conversa foi na base do clima de “paz e amor”.

Conforme o vereador Aero Cruz (PSB), o encontro contou com ampla maioria da bancada, inclusive com a presença de Ronaldo Cancão, o qual tinha dito que não iria. “É uma reunião que temos todos os meses e todos compareceram. Colocamos nossos pontos. Cancão e Ruy entraram num entendimento. Ficou acertado que vamos nos policiar para que as divergências não ocorram. E se tiver que ocorrerem, que não atrapalhem o andamento dos trabalhos da bancada no Poder Legislativo”, disse Aero.

Conforme Aero, ficou acertado também que os desentendimentos que houver devem ser resolvidos na bancada. “Cada um colocou sua opinião, falou onde tem erro para corrigirmos e digo que nossa bancada é zero racha. Estamos cada vez mas unidos, coesos, na defesa do governo Miguel Coelho”, completou o vereador, que discorda que eles estão ‘levando bola nas costas’ ou ‘comendo moscas’, por a oposição estar aprovando requerimentos que podem desgastar o governo.

“Estamos atentos, sim. Quanto à aprovação dos requerimentos, nós avaliamos e o governo de Miguel é novo, não tem nada a esconder“, concluiu.

Câmara de Petrolina poderá ganhar uma bancada independente

Nos bastidores da política, Petrolina tem sempre novidades. A que vem sendo comentada ainda de forma velada nos últimos dias, diz respeito à formação de uma bancada independente na Câmara Municipal. O grupo poderá ter entre os integrantes, nomes como os vereadores Cícero Freire (PR), Osinaldo Souza (PTB) e Gaturiano Cigano (PRTB). Entre os motivos para a formação da nova bancada, seria especialmente, uma maior liberdade para poder debater e votar projetos dentro de uma linha nem tão governista nem tão oposicionista.

A intenção, como se observa nos bastidores da Casa Plínio Amorim, é que a bancada independente possa atuar de uma forma menos amarrada, em projetos e discussões que chegam à Câmara e que tenham interferência direto na sociedade petrolinense. A formação desse novo grupo no Legislativo Municipal ainda está meio que embrionária, mas pelo que se observa, vem ganhando corpo e força.

Líder da oposição endurece nas críticas e reclama de falta de transparência da bancada governista na Casa Plínio Amorim

O vereador Paulo Valgueiro (PMDB), líder da oposição na Câmara de Petrolina, anda reclamando da falta de transparência dos colegas da bancada de apoio ao prefeito Miguel Coelho (PSB). Em nota enviada à imprensa, Paulinho, como é conhecido, declara que propôs na última sessão plenária, na quinta-feira, 23, requerimento com o objetivo de solicitar informações sobre o processo seletivo promovido pela Prefeitura destinado à contratações temporárias para a secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Recursos Humanos. Ele também sugeria a possibilidade de suspender o processo até que seja esclarecida a legalidade da forma de inscrição e escolha dos candidatos. Mas o requerimento foi rejeitado

“Saliente-se que muitas são as denúncias de irregularidades que se apresentam, sempre no sentido de influências externas ao certame, haja vista, a modalidade escolhida não testar o conhecimento das pessoas, tendo em vista que a seleção tem exigido somente a entrega de curriculum para a escolha dos contratados”, justificou o oposicionista no texto do requerimento.

Diante dessas irregularidades, e em nome do princípio da transparência, Valgueiro afirmou no requerimento, “ser obrigação da administração municipal prezar por ele”, por isso apresentou a solicitação. O peemedebista acrescenta que a rejeição ao seu requerimento, deixou claro a ausência de transparência no processo seletivo e teceu duras críticas diante da interferência do poder executivo nos trabalhos da Câmara de Vereadores de Petrolina.

“Petrolina foi surpreendida pelo rolo compressor do Poder Executivo, pelo simples fato de requerer transparência nos atos da administração pública municipal. Votando a rejeição ao requerimento de minha autoria, entendo que essa ação conjunta dos representantes do executivo e os colegas vereadores para barrar o requerimento nos faz refletir sobre a real possibilidade de existirem problemas no processo seletivo questionado que não possam ser trazidos a público”, alfinetou o líder da oposição.

Paulinho lembrou na nota que “o trator” da situação também derrubou uma moção de repúdio de autoria do vereador Gabriel Menezes (PSL), também da bancada de oposição, e subscrito por ele, repudiando o posicionamento dos deputados federais de Pernambuco que votaram à favor do projeto de lei nº 4302/98 que permite a terceirização das contratações para qualquer tipo de atividade das empresas.

“A grande decepção da população é saber a forma como o Poder Executivo quer interferir nos atos da Câmara, e o que é pior, assistirmos a maneira subserviente de alguns vereadores com relação aos comandos. Isso é motivo de grande preocupação, pois fere o princípio da independência harmônica entre os poderes”, conclui Paulo.

Municípios perdem R$ 1 bi do FEM, segundo oposição na Alepe

Os municípios pernambucanos deixaram de receber cerca de R$ 1 bilhão do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), segundo levantamento realizado pela Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sobre os repasses do programa.

Lançado em 2013 como carro-chefe do governo do PSB, o FEM deveria ter disponibilizado para as prefeituras do Estado um total de R$ 1,34 bilhão. No entanto, sob a gestão Paulo Câmara pouco se avançou e as edições de 2016 e 2017 sequer chegaram a ser lançadas. “Do FEM 2015, o último lançado pelo Governo, apenas 3,5% foram efetivamente repassados aos municípios pernambucanos, sendo pagos R$ 9,3 milhões de um total anunciado de R$ 263,2 milhões”, detalhou o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Alepe.

Hoje, há um saldo em aberto no FEM de R$ 436,3 milhões, que somado às edições de 2016 e 2017 do programa (R$ 607,4 milhões) que deixaram de ser lançadas, eleva para R$ 1 bilhão o total de recursos que as administrações municipais deixaram de receber.

De acordo com o estudo da Oposição, nos últimos anos a execução orçamentária do FEM vem caindo acentuadamente, penalizando os municípios. Ex-prefeito de Canhotinho, o deputado Álvaro Porto (PSD) destaca que, além de obrigar gestores a paralisar obras, o esvaziamento do FEM tornou municípios devedores . “Há situações em que as obras estão terminadas, as prestações de conta estão em dia, as vistorias também e, ainda assim, o dinheiro aprovado pelo programa não chega aos municípios”, diz.

Segundo ele este Governo está desmontando todas as iniciativas positivas criadas pelos Governos de Eduardo Campos. “Já acabou com o Pacto Pela Vida e agora acabou com o FEM”, salienta.

Silvio acrescenta ainda que o não lançamento das edições 2016 e 2017 do FEM penaliza as prefeituras que consigam cumprir seus programas de investimentos. “Se um prefeito conseguir cumprir todos os projetos previstos no FEM, ele não terá mais recursos para ir buscar, porque o Estado não disponibilizou novas verbas”, criticou.

Após o Carnaval, anuncia Silvio, a Oposição vai convidar o secretário Márcio Stefani (Planejamento), a Amupe e a União de Vereadores de Pernambuco (UVP) para discutir o programa em audiência pública na Alepe. (Foto e informações-Ascom)

Bancada do PSB no Senado reúne-se para analisar prioridades em 2017

O novo líder do PSB no Senado, Fernando Bezerra Coelho (PE), reuniu a bancada socialista nesta terça-feira (7), durante almoço oferecido no seu gabinete. No encontro, FBC transmitiu aos seis colegas da legenda os principais destaques da reunião do Colégio de Líderes com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), também realizada hoje: as prioridades da Casa e do Congresso Nacional para este ano.

O almoço – do qual participaram os senadores Lúcia Vânia (GO), Lídice da Mata (BA), João Capiberibe (AP), Antônio Carlos Valadares (SE), Romário (RJ) e Roberto Rocha (MA) – também contou com a presença do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira.

Bancada de oposição na Alepe definirá novo líder da oposição ainda hoje

A bancada de oposição ao Governo Paulo Câmara (PSB) está reunida neste momento na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para escolher seu novo líder. A reunião vem sendo conduzida pelo atual líder da bancada, deputado estadual Sílvio Costa Filho (PRB).

PT, PSD, PTB, PRB e PSOL são as principais siglas oposicionistas na Alepe e devem indicar o novo líder da bancada. Após o recesso, as atividades serão retomadas oficialmente no Poder Legislativo Estadual a partir desta quarta (1). (foto/divulgação)

A vez dos evangélicos na Casa Plínio Amorim

elias_640x360Chamou atenção, nas eleições do último domingo (2), a representação evangélica que a Casa Plínio Amorim passará a contar a partir de fevereiro de 2017.

Na atual legislatura, a comunidade evangélica tinha apenas o vereador Elias Jardim (PHS/foto), reeleito com 3.050 votos. Agora passará a contar com outros três representantes: Osinaldo Souza (PTB), que teve 1.926 votos e está retornando à Casa; Alex de Jesus (PRB), eleito com 1.798 votos; e Ruy Wanderley (PSL), outro que está voltando por causa dos seus 1.355 votos.

Embora em linhas políticas distintas, os quatro falam por uma comunidade unidade, com voz e vez em Petrolina. E por esta razão deverá ser uma bancada com peso no Legislativo Municipal.

Reinado ameaçado

casa-plinio-amorimMaior bancada da Casa Plínio Amorim na atual legislatura, o PMDB do prefeito Julio Lossio pode não repetir o feito nas eleições municipais deste domingo (2).

Se o vereador Edinaldo Lima foi um a menos nessa disputa, em compensação há outros nomes com mandato na Casa – a exemplo de Betão, Elismar Gonçalves, Ailton Guimarães e Paraíba – que vão disputar votos com ex-secretários da atual administração, bem avaliados pelos petrolinenses.

Célia Regina, que foi titular da Pasta de Cidadania, por exemplo, é uma das concorrentes. Não será fácil.

Bancada do PSB na Câmara dos Deputados decide apoiar impeachment de Dilma

Fernando Filho PSB

A bancada do Partido Socialista Brasileiro (PSB) na Câmara dos Deputados decidiu, em reunião com a Presidência Nacional da legenda nesta quinta-feira (7), apoiar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), que tramita na Casa.

Em nota enviada à imprensa, a cúpula do PSB justifica que a decisão se deve “a razões de ordem política, inquestionáveis, tendo Sua Excelência perdido completamente a condição de liderar uma retomada, diante da desastrosa gestão do País, que nos levou a uma crise profunda; bem assim, a razões jurídicas que autorizam, nesta fase, a abertura de processo, pois o seu julgamento será realizado no Senado Federal”.

O posicionamento dos socialistas será defendido na reunião da Comissão Executiva Nacional do PSB, marcada para a próxima segunda-feira (11) em Brasília (DF).

Se destacou: Fernando Filho é reconduzido à liderança do PSB na Câmara dos Deputados

Fernando Filho

O deputado federal Fernando Filho foi reconduzido pelos seus colegas à liderança do PSB na Câmara dos Deputados. A bancada socialista considerou que o deputado “exerceu com competência” o cargo que lhe foi confiado. O deputado federal Gonzaga Patriota já tinha dito a este Blog que Fernando Filho estava se destacando e se mostrado “um grande líder”.

Com essa decisão o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) se fortalece no estado de Pernambuco.

Bancada do PSB na Câmara dos Deputados respalda abertura de processo contra Eduardo Cunha na Comissão de Ética

eduardo cunhaPor meio de nota emitida à imprensa pelo seu líder na Câmara dos Deputados, Fernando Filho, a bancada do PSB respaldou a abertura do processo, no Conselho de Ética, que pode culminar com o impeachment do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB/foto).

Confiram a nota, na íntegra:

A bancada do PSB na Câmara dos Deputados vem reiterar o seu posicionamento acerca das denúncias envolvendo o Presidente da Casa, Deputado Eduardo Cunha.

Superada a análise preliminar por parte do relator no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, manifestando-se o mesmo pela admissibilidade da denúncia e prosseguimento do processo, a Bancada do PSB informa que apoia integralmente a posição do relator.

Trata-se de etapa processual importante para a apuração dos fatos, mediante análise das provas apresentadas com a Representação ao Conselho de Ética, garantindo ao representado, em contrapartida, se aprovado o parecer e aberto o processo, o direito constitucional à ampla defesa e ao contraditório.

Confia, desta forma, que a análise judiciosa e isenta das provas, à luz do Código de Ética da Câmara dos Deputados e da Constituição da República é fundamental para a preservação da imagem do parlamento brasileiro.

Fernando Coelho Filho/Líder do PSB na Câmara dos Deputados

(foto/reprodução)

Mesmo com voto contrário da bancada do PSB, Câmara dos Deputados mantém veto de Dilma a reajuste do Judiciário

Fernando FilhoNão foi por falta de vontade da bancada do PSB na Câmara dos Deputados que o veto da presidente Dilma Rousseff ao reajuste do Judiciário (PL 7.920/14), votado ontem (17), foi mantido.

De acordo com o líder socialista Fernando Filho, “o PSB entende que o momento é de dificuldade, que o momento é de crise, mas o ajuste [fiscal] não pode ser pago pelos servidores do Judiciário. Demos a nossa contribuição a favor do País quando votamos algumas medidas do ajuste, porque nós queremos sim restabelecer o ambiente de crescimento econômico do Brasil, mas não podemos ver os servidores do Judiciário há nove anos sem reajuste e achar que isso é normal”.

Apesar da posição do PSB, a Câmara manteve o veto. Para derrubar a restrição ao reajuste seriam necessários 257 votos na Câmara, mas foram registrados 251 votos. Outros 152 deputados votaram a favor da manutenção do veto. Com o resultado, a matéria não será analisada no Senado. (com informações da Agência Câmara/foto arquivo: Assessoria)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br