Apicultores do Roçado apresentam a secretário proposta para construção de Casa do Mel

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Agrário, José Batista da Gama, esteve reunido com representantes da Associação dos Apicultores do Roçado, comunidade da área ribeirinha de Petrolina. Ele foi convidado pela entidade para discutir uma pauta com as necessidades mais urgentes dos criadores do povoado – entre elas a aquisição de colmeias e a construção da Casa do Mel para viabilizar e baratear as despesas na produção.

O mel produzido no Roçado faz parte da merenda escolar de escolas da rede municipal. “Quero dizer que vou levar às demandas que aqui foram apresentadas no intuito de solucionar as questões“, informou. Zé Batista ainda convidou todos os participantes da reunião a conhecer o trabalho da Agência do Empreendedor (AGE), que estimula os micros empresários da cidade e proporciona o desenvolvimento dos seus empreendimentos.

Atualmente a AGE oferece três linhas de crédito com juros de 1% ao mês, e com até 10 meses para quitar o financiamento – de acordo com a linha de crédito escolhida: Popular, Plus e Megaplus. Cada uma tem suas características e exigências específicas. (Fonte/foto: Ascom divulgação)

Curso de controle alimentar é oferecido para apicultores de Petrolina

Produtores de mel participaram da primeira aula do curso de segurança alimentar e controle dos processos no último sábado (15), ministrado no N-9 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho. O evento aconteceu na Casa do Mel, sede da Associação dos Criadores de Abelha do Município de Petrolina (Ascamp). O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é parceiro da iniciativa.

O curso durou todo o dia, mas a programação se estende desta terça (18) a sexta-feira (21). Com uma carga de 32 horas de duração, a ação atende às normativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que orienta associações de criadores de abelhas a promover palestras sobre controle de perigos alimentares.

Durante a apresentação, o consultor e especialista em qualidade e segurança alimentar do Sebrae, Roberto Aquino, mostrou quais são os erros de controle de alimentos mais cometidos por apicultores e apontou, também, algumas medidas simples que podem ser determinantes para a “alta qualificação do mel”, entre os consumidores e o Estado.

Segundo Aquino, o mercado exige do produtor uma cultura preventiva, se deseja continuar nele. Ter controle sobre o que entra e sai da casa de mel, porém, é um desafio que exige atenção e domínio de conhecimento no setor. Durante a palestra, Roberto Aquino ainda adiantou como serão as próximas aulas. “Esse curso é de instrução. Então ele [o curso] tanto instigará a prever, como prevenir e corrigir erros”, explica.

Qualificação e competitividade

Além de atender às normas do MAPA, o presidente da Ascamp, Natalício Sá, disse que a execução do curso visa principalmente à qualificação e ao aumento da competitividade dos produtores participantes da qualificação. De acordo com o dirigente, a Ascamp já é responsável pelo abastecimento de escolas municipais, abrigos para menores, restaurantes populares, verdurões e supermercados da região, mas a meta da entidade é ambiciosa. “Buscamos levar ao consumidor final um produto de excelente qualidade, de forma que ele fique satisfeito e seja o nosso maior divulgador”. ressalta Natalício. “Queremos vender nosso mel não só para Petrolina, Lagoa Grande e região, nosso objetivo é alcançar todo o estado, e, quem sabe, nacionalizarmos”, afirmou o presidente da Ascamp.

O apicultor George Junior Rodrigues, 35 anos, que segue os passos do pai, também produtor de mel, acrescenta mais um motivo para se preparar melhor para a atividade. Ele disse participar do curso porque deseja aperfeiçoar seus conhecimentos. “A gente trabalha com abelhas e sabe que existem muitos detalhes na apicultura. Então temos que aprender para podermos fazer a manipulação de forma correta”, conclui. (Foto: Ascom)

Reunião discute fortalecimento da apicultura em Lagoa Grande

Apicultores de Lagoa Grande, no sertão do São Francisco, discutiram com autoridades locais, um plano de incentivo para essa cadeia produtiva que engloba mais de 3 mil produtores no município. O encontro com a presença do prefeito Vilmar Cappellaro (PMDB), representantes do IPA; Associação dos Produtores do Morro do Mel; e do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar – Sintraf, e o secretário municipal da Agricultura, Reginaldo Alencar.

Foram apresentadas demandas e a reunião foi marcada pelo início de um diálogo sobre projetos de organização das comunidades e de geração de renda. Com grande área produtiva de 1.850 Km2, Lagoa Grande, a capital da uva e do vinho do nordeste, possui mais de 50 Associações de Produtores Rurais, Assentamentos e Sindicatos com larga escala de produção.

O prefeito Vilmar Cappellaro destacou o esforço para reorganizar a gestão municipal e ampliar os serviços buscando parceiras em assistência técnica para caprinovinocultura (Jutaí); fruticultura (Ilha do Pontal, Malhada Real, Ouro Verde, Vermelhos), tomate e pisicultura (Açude Saco), entre outras.

“Temos potencial imenso de desenvolvimento. Nosso desejo é criar a feira de comercialização e distribuição. Queremos melhorar o abastecimento de água, organizar o matadouro e ampliar a compra através do PAA e PNAE. Vamos atuar em várias frente”, explicou o prefeito.

Para o presidente da Associação dos Produtores do Morro do Mel, foi uma reunião produtiva em que todos foram ouvidos para que a gestão e parceiros possam contribuir para o fortalecimento da apicultura no município. “Com esta visão e com a ajuda destes parceiros, tenho certeza que teremos daqui para frente dias melhores” declarou. (Foto: Ascom PMLG)

Preocupados com crise hídrica, apicultores de Campo Alegre de Lourdes fazem reivindicações à Codevasf

apicultoresEm meio à crise hídrica que atinge a região, apicultores do município de Campo Alegre de Lourdes, no norte da Bahia, reuniram-se com o titular da 6ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Juazeiro, Alaor Grangeon de Siqueira, para fazer algumas reivindicações junto ao órgão federal.

Os apicultores estão preocupados com a estiagem prolongada no Nordeste. Eles temem que a produção do mel seja afetada e consequentemente a economia do município.

No encontro, o superintendente da Codevasf destacou a importância da apicultura para o município, mas relatou que Companhia está atualmente sem recursos para dar andamento a alguns projetos. “Sabemos da importância que a cidade ocupa na cadeia produtiva do mel, e nós aqui valorizamos os produtores rurais que trabalham em suas terras. O investimento que o governo federal destina pode ser pouco para alguns, mas é grandioso para eles. Neste momento a Codevasf está sem recursos para alguns projetos, já demonstramos nossa situação ao ministro da Integração. No que pudermos ajudar, vamos ajudar dentro de nossa capacidade e limitações“, frisou o superintendente.

Para o engenheiro agrônomo Linderson Batista, técnico em Gestão do Cesol-SSF, o apoio da Codevasf é fundamental para ajudar os apicultores a enfrentar o problema. “A região de Campo Alegre de Lourdes tem um grande número de associações que desenvolvem a apicultura, e o apoio da Codevasf é fundamental para as associações continuar promovendo essa atividade produtiva, gerando emprego e renda nesta região. Nós do Cesol agradecemos esse contato e recepção, e esperamos que a Codevasf possa avaliar e atender as solicitações dos produtores“, disse Linderson. As informações são da assessoria.

Minicursos vão capacitar apicultores e meliponicultores da zona rural de Petrolina

Curso Apicultura Sento Sé_640x480O Centro Tecnológico de Beneficiamento de Mel (CTB) levará minicursos de capacitação, de amanhã (4) até domingo (6), a apicultores do povoado do Capim, zona rural de Petrolina.

O curso é voltado também a meliponicultores da região. De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, os participantes serão treinados a capturar e transferir abelhas em segurança, produzir caixas para as colmeias, descobrir quais são os tipos certos de plantas para a alimentação das abelhas, extração do mel além de visitarem meliponários (criatórios de abelhas sem ferrão).

Os interessados em participar dos minicursos devem solicitar a inscrição através do e-mail meliponariosenna@hotmail.com.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br