Aniversário da Igreja Pentecostal movimenta bairros da Zona Oeste de Petrolina neste final de semana

aniversário igrejaA Igreja Pentecostal Viva do Senhor, em Petrolina, comemorará seu aniversário neste final de semana – sábado (11) e domingo (12) – numa grande festa que deverá mobilizar comunidades evangélicas dos bairros João de Deus e Cohab VI, zona oeste da cidade.

De acordo com a organização do evento, a comemoração contará com a presença do preletor, o pastor Júnior Silva, da cidade de Afrânio (PE), Sertão do São Francisco, da Comunidade Cristã Evangélica.

Os locais do evento serão os seguintes:

– No sábado, a comemoração acontecerá na Congregação do João de Deus, localizada na Rua 31 (nº 12 A), no bairro João de Deus, a partir das 18h;

– No domingo, o encerramento vai se dar na sede da igreja, localizada na Rua 45 (nº 145 A), na  Cohab VI, também a partir das 18h.

O evento tem como objetivo socializar toda comunidade na divulgação do evangelho de Jesus Cristo. A entrada é franca.

5° BPM celebrará no próximo mês 46° aniversário de fundação

5BPMO 5° Batalhão de Polícia Militar (BPM)/Governador Nilo Coelho celebrará no próximo dia 3 de julho seus 46 anos de fundação.

A solenidade de comemoração está marcada para as 19h, na sede do 5°BPM, localizada na Avenida Cardoso de Sá. Autoridades policiais e da política local, além de personalidades da sociedade petrolinense, deverão prestigiar o evento.

Desfile Cívico marca comemoração dos 20 anos de Lagoa Grande

desfile cívicoO tradicional desfile Cívico em comemoração aos 20 anos de emancipação política de Lagoa Grande (PE, Sertão do São Francisco foi realizado no domingo (14). A concentração começou ás 8h e seguiu até a Praça Hermes Amorim, no centro da cidade onde estavam as autoridades e o grande público. Este ano, o tema da apresentação foi ‘Lagoa Grande 20 anos, uma Festa de Ritmos e Cores’. Foram apresentadas as músicas da região, como o axé, frevo baião, as danças tradicionais e as cores que representam o município.

O desfile iniciou com o prefeito Dhoni Amorim (PSB) e o Comandante da Polícia Militar, Major Lenildo da policia militar de Pernambuco desfilando em carro aberto e, em sequência várias escolas desfilaram com diversos temas culturais da região.

Para o secretario de educação, Daniel Torres , o desfile superou suas expectativas. “A minha avaliação do desfile é simplesmente, que foi tudo perfeito, isso é Lagoa Grande uma cidade de ritmos e cores, uma cidade que a cada ano vem se destacando. Fico imensamente feliz pelo esforço, dedicação e paciência de cada professor, gestor, e claro das crianças e jovens que participaram desse desfile, que não é fácil, mas todos se empenharam o máximo e, é o que vimos na avenida, uma festa que contou desde a emancipação da nossa cidade em 1995. Fico muito feliz por tamanha realização para Lagoa Grande, nosso povo merece”, concluiu.

No cortejo final do desfile,as bandas marciais sinfônicas faziam suas coreografias em frente o palco onde estavam concentradas as autoridades politicas do município. E para agradecer a população fecharam o desfile, o prefeito Dhoni Amorim, o secretário de educação e os gestores da educação encerraram as comemorações ao som da Banda Marcial de Juazeiro (BA). (foto/divulgação)

Programação intensa marcará 15 anos da Feira Agroecológica de Serra Talhada

fast 15 anosUma intensa programação marcará neste sábado (13), em Serra Talhada (PE), no Sertão do Pajeú, os 15 anos da Feira Agroecológica. A festa de aniversário será regada a um café da manhã para convidados, além de apresentações culturais, distribuição de mudas nativas, forrageiras e frutíferas.

As atividades começarão logo cedo, a partir das 6h, na Praça Sérgio Magalhães, Centro, com o grupo Folhas Outonais. Em seguida, será servido o tradicional café da manhã para o público presente, ao som de forró pé de serra. Depois, representantes das Organizações Não Governamentais (ONGs) que assessoram a feira – Centro de Educação Comunitária Rural (Cecor), Adessu Baixa Verde e Centro Sabiá – irão falar sobre a relação entre a agroecologia e o meio ambiente, a importância da produção agroecológica e os riscos do consumo de agrotóxicos à saúde humana.

O Grupo Herdeiros do Xaxado, da Fundação Cabras de Lampião, dará seu recado arrastando as alpargatas em comemoração aos 15 anos de resistência das 16 famílias agricultoras dos municípios de Serra Talhada, Santa Cruz da Baixa Verde e Triunfo, que compõem a feira.

No final, ocorrerá o bingo de um bode da raça Boer. Neste ano, o aniversário da feira contará com o apoio da Coordenadoria Ecumênica de Serviço (Cese). (foto: Assessoria/divulgação)

Prestes a completar 84 anos, João Gilberto ganhará homenagens de conterrâneos em Juazeiro

comemoração niver joão gilbertoO aniversário de 84 anos do cantor e compositor João Gilberto, no dia 10 de junho, será marcado por apresentações em Juazeiro (BA), sua cidade natal.

Pensando em homenagear um dos maiores gênios da Música Popular Brasileira – que hoje em dia vive recluso em seu apartamento no Rio de Janeiro -, um grupo de produtores culturais resolveu organizar um evento para divulgar a arte do saudoso mestre.

A começar pela Rádio Web Ride FM, www.ridefm.com.br, que vai tocar exaustivamente João Gilberto na programação de junho, e de lá veio o mote das comemorações do aniversário de João: “Em junho Viva João!, São João com seu carneirinho e João Gilberto com seu violão.

Também está na produção do evento o poeta e jornalista Luiz Hélio Alves, articulador da editora e produtora Art Pop Zine, que esclarece: “Esta singela homenagem tem a marca do sentimento de João por Juazeiro, que mesmo à distância mantém a cidade em sua alma e em sua arte.

O evento consiste em shows de música e sarau de poesia. Já confirmaram presença os músicos Paulo César de Oliveira, Fred Pontes, Maurício Dias, Paulo César Carvalho, Celso de Carvalho, e os poetas Angelo Roncalli e Luiz Hélio Alves, além do ator Élder Ferrari. A comemoração acontecerá no Pernalonga Lounge Bar, que é capitaneado por Léo Lustosa, no Pólo Armazém Caffé, no bairro Jardim Vitória, a partir das 19h, com entrada franca. (foto/divulgação)

82 anos da dama do rádio

Inah TorresHoje é aniversário de Inah Torres.Essa dama completa 82 anos.

Dona Inah virou madrinha de muita gente e é uma doce referência para todos os comunicadores do Vale do São Francisco. Foi ela quem inaugurou o colunismo social radiofônico na região.

Os amigos começaram a visitá-la desde cedo, foram tomar café em sua casa e as homenagens devem continuar por todo esse domingo.

Aniversário dos 137 anos de Juazeiro terá eventos náuticos no Velho Chico

w_h_20090605145531Atividades náuticas como vela, remo, canoagem e jet ski no Rio São Francisco irão compor as comemorações pelos 137 anos de Juazeiro, que serão comemorados em julho. Além das atividades náuticas, também serão oferecidas modalidades como vôlei de praia, futebol de areia e ações voltadas à preservação ambiental do rio.

De acordo com o superintendente de Esportes, Gilberto Pacheco, uma estrutura com arquibancadas (estilo arena) será montada na Orla Nova e no bairro do Angari, às margens do Velho Chico, onde a população poderá assistir aos eventos esportivos.

70 anos de Chico Pé de Louro

989768

989705Chico Pé de Louro fez 70 anos, e os amigos foram abraçá-lo. Centenas de pessoas foram até sua roça, onde foram recepcionados com muita música e alegria.

“Só brinco com quem eu gosto. Todos que aqui estiveram são meus amigos e fiz questão de comemorar com todos”, afirmou.

Chico chegou a Petrolina nos anos 60 como jogador do Caiano e nunca mais saiu daqui. Agora tem 5 filhos, 12 netos e raízes profundas na cidade que o distinguiu com a honra de ser Cidadão Petrolinense. É isso aí.

Comemoração pelos 25 anos do IRPAA terá minicursos, feiras e show cultural em Juazeiro

IRPAAOs 25 anos de atividades do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA) em defesa da Convivência com o Semiárido será celebrado de 14 a 18 de abril deste ano, com uma programação diversificada que acontecerá no Centro de Cultura João Gilberto e no Centro de Formação D. José Rodrigues, em Juazeiro.

Agricultores, organizações parceiras e demais convidados irão participar de minicursos, seminários, painéis de trocas de experiências, Feira de Saberes e Sabores do Semiárido, além de shows, apresentações culturais e celebração religiosa. Durante o evento haverá também lançamento do vídeo institucional e de publicações da entidade e de outros autores.

A programação, que terá início dia 14 (terça-feira), às 19h30, foi pensada para festejar não apenas o aniversário da instituição, mas toda a caminhada em defesa da convivência com o semiárido, considerando o protagonismo das comunidades e das famílias que acreditaram e passaram a vivenciar na prática esta proposta.

Estarão presentes nos espaços de discussão representantes das comunidades acompanhadas pelo IRPAA ao longo dos anos, bem como organizações da sociedade civil, instituições de ensino e pesquisa e órgãos dos governos municipais, estadual e federal que se relacionam com o trabalho do IRPAA.

Ao longo dos dias, haverá também uma vasta programação cultural, com destaque para grupos populares regionais de música, capoeira, hip-hop, repente, samba-de-véio, teatro, dança, cordel. A Feira de Saberes e Sabores, que acontecerá nos dias 15 e 16, e o show cultural na noite do dia 18, ambos no Centro de Cultura João Gilberto, serão abertos ao público em geral. Outras informações sobre o IRPAA podem ser acessadas aqui. (foto/divulgação)

De forma inédita, Câmara Municipal de Floresta reunirá 35 políticos para homenagem em vida

floresta - sessão homenagemO Município de Floresta (PE) completa, nesta terça (31), 169 anos de Emancipação Política. Pela importância da data, o presidente da Câmara de Vereadores, Murilo Alexandre de Almeida, está fazendo um trabalho de resgate da história política do município e organizando uma sessão solene, que acontecerá no próximo sábado (04), às 19:30, onde serão homenageados , de forma inédita, todos os homens e mulheres vivos, que fizeram parte do cenário político do município.

São 35 homenageados entre ex-prefeitos, ex-vice-prefeitos, ex-deputados estaduais e ex-vereadores. Segundo o presidente, esse é um momento oportuno para trazer a memória e se fazer conhecer a história de lutas e conquistas desses que são a parte viva da história do município de Floresta.

Ainda faz parte da programação, a inauguração da sala de informática na Câmara de Vereadores, Espaço Aberto Vereadora Ceiça Lira – O povo Conectado, idealizada pelo presidente Murilo Almeida, com o objetivo de oferecer às pessoas que não têm acesso à informática/internet, um espaço gratuito, equipado para pesquisas, trabalhos escolares, entre outros.

O carro chefe da nossa administração será aproximar o povo dessa Casa. Esse é um paço importante para atingirmos esse objetivo. Estamos fazendo um trabalho intenso de divulgação dos dias e horários das reuniões e sessões, e chamando a população para participar. Queremos ouvir o povo, as opiniões, as necessidades, para trabalharmos em conformidade com as demandas dos florestanos“, destacou Murilo.

Para saber mais sobre a história da cidade de Floresta, basta acessar aqui. (foto/divulgação)

Deputados aprovam projeto que define 2016 como o ano de Arraes em Pernambuco

Miguel ArraesO ano de 2016 será dedicado às comemorações do centenário do nascimento do ex-governador Miguel Arraes de Alencar. A proposta foi aprovada ontem (3) pela Comissão de Justiça da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). O projeto, de autoria do deputado Henrique Queiroz, do PR, prevê a realização de homenagens ao político, em parceria com o Governo do Estado e o Instituto Miguel Arraes.

Para o deputado estadual Odacy Amorim, do PT, a homenagem a Arraes é mais que justa. O ex-governador, segundo o parlamentar, atuou em defesa de melhorias para a população de menor renda.

“Miguel Arraes foi um dos principais incentivos para que eu começasse a militar na política. Ainda com 17 anos, em Rajada, distrito de Petrolina, fazia questão de participar dos atos políticos que tivesse a participação do ex-governador. É um dos meus ídolos na política e abracei a vida pública, incentivado pela luta, história e o trabalho político do ex-governador”, assinalou Odacy.

Cearense de nascimento, Arraes construiu sua carreira política em Pernambuco. Foi deputado estadual de 1951 a 1958, prefeito do Recife e governador pela primeira vez em 1962, mandato interrompido pela ditadura militar. Depois de passar 14 anos exilado na Argélia, foi eleito deputado federal por três vezes, e governador de Pernambuco em 1986 e 1994. Morreu em 2005, aos 88 anos.

 

Geraldo Azevedo chega aos 70 anos focado em novos projetos

 

20150109192857836538iEm sete décadas de existência, ele deixou o interior de Petrolina, a 712 quilômetros do Recife, e se projetou como expoente da música popular brasileira. Propagou o sotaque nordestino em shows, rádios e telenovelas. Cantou a liberdade na era de chumbo da década de 1970 e foi detido pelos militares. Lançou 25 álbuns – somando produções solo e parcerias – durante os mais de 40 anos de carreira. Foi premiado com (quantos?) discos de ouro e platina, disputou o Grammy Latino, subiu ao palco ao lado dos filhos, também músicos, e compôs trilhas sonoras para histórias de amor e revolução. Dia branco e Canção da Despedida estão entre as composições que o músico considera obras primas, ambas fruto de parcerias com outros compositores.

Além de artista, Geraldo Azevedo é um diplomata nas rodas da música e poesia nacionais. Alceu Valença, Elba e Zé Ramalho, Fagner, Geraldo Vandré, Fausto Nilo, Moraes Moreira, José Carlos Capinan, Assunção de Maria e Carlos Fernandes são nomes na extensa lista de parceiros musicais.

Para ele, a história dos 70 anos de idade, comemorados neste domingo (11), é feita de causos conduzidos pela música. Geraldo Azevedo de Amorim, que na adolescência sonhava em se tornar arquiteto, diz ter sido envolvido pela arte – fio condutor de possibilidades infinitas, nas palavras do aniversariante. “Durante toda a vida, a música me levou aonde quis”, ele diz. Então, embarque com o Viver em uma viagem com canções, do pernambucano e de amigos, pela vida do sertanejo.

Trajetória

O primeiro violão foi feito e entregue pelas mãos do pai, José Amorim, quando Geraldo tinha apenas cinco anos de idade. Autodidata, o menino cantava e tocava desde a infância, se apresentando na escola de alfabetização coordenada pela mãe, em Petrolina, interior de Pernambuco. “Cresci numa casa que mais parecia um centro cultural no cenário dominado pela roça. Minha mãe cantava bastante e meu pai deixava sempre um instrumento musical ao nosso alcance. Eu não cresci com pretensões artísticas, mas houve uma ligação intuitiva com a música. Graças à convivência com o violão, eu e meus irmãos aprendemos a manuseá-lo. Na ascensão da bossa nova, com acordes e arranjos inéditos, me interessei pela primeira vez em estudar as notas e acordes da teoria musical”.

Aos 18 anos, Geraldo deixou a cidade-natal e partiu rumo à capital pernambucana, onde pretendia concluir os estudos e prestar vestibular para o curso de arquitetura. “Em Petrolina, as escolas ofereciam turmas somente até o ginásio (ensino fundamental). Me mudei para o Recife planejando me tornar engenheiro ou arquiteto, mais provavelmente arquiteto. Sempre gostei de cálculos, matemática, física e desenho. Ainda hoje rabisco algumas gravuras, que já foram usadas como inspiração para os cenários de alguns shows”, conta o músico, que não chegou a se graduar.

Graças a apresentações cada vez mais frequentes na noite recifense, ganhou espaço entre os artistas e boêmios locais e se juntou a Naná Vasconcelos, Toinho Alves e Marcelo Melo no grupo cultural intitulado Construção. A convite da cantora Eliana Pittman, que o via tocar, embarcou com 22 anos para o primeiro show fora de Pernambuco. Apresentou-se no Rio de Janeiro, onde Eliana gravou a canção Aquela rosa, composta por Geraldo. “No Rio, conheci meu parceiro musical Geraldo Vandré e o caminho da música se tornou sem volta. Tudo começou a acontecer“.

Durante o período da ditadura militar no Brasil (1964-1984), Geraldo Azevedo foi preso e torturado pelo regime duas vezes. A primeira no governo Costa e Silva, durante 41 dias. A segunda no período Geisel, quando foi “confundido” com um rapaz chamado Valério. Chegou a ser enviado à solitária, de onde saiu com traumas físicos e emocionais. Um violão o salvou. Quando souberam da identidade artística, os militares lhe entregaram o instrumento para que ele “mostrasse a habilidade“. Sem roupa, ele cantou e dançou para os algozes.

Foi solto e jamais processado. A música Canção da Despedida – segundo o intérprete, escrita em parceria com Geraldo Vandré em 1968 – foi censurada por fazer alusão ao exílio e ao governo ditatorial. Gravada mais tarde por Elba Ramalho, acabou se popularizando como canção romântica sem cunho político. Em entrevista polêmica na década de 2000, Vandré negou quaisquer parcerias nessa fase da vida. Geraldo, por sua vez, elogia o trabalho da dupla e diz considerar a letra uma das preferidas. Sobre a evolução democrática, afirma: “Hoje fazemos música em um país mais livre. Mas a lição que tirei daquela época e repasso aos mais jovens é que a arte sempre prevalece. Mesmo nas condições mais adversas, a arte e a cultura se sobressaem”.

Nos anos 1970, Geraldo construiu uma das mais marcantes parcerias musicais. Provavelmente a mais conhecida pelo público dele. “Naquele tempo eu me apresentava junto com Geraldo Vandré, e já havia notado a presença de Alceu (Valença) na plateia em algumas ocasiões. Certa noite, ele se apresentou como músico, conversamos e senti uma empatia imediata. Nasceu uma irmandade. No dia seguinte ele já estava em minha casa, quando escrevemos nossa primeira música juntos, Talismã. Começamos a trabalhar em parceria e não paramos mais. Conseguimos espaço no Festival Universitário da TV Tupi, do qual saímos sem prêmio algum, mas com convites para shows e turnês”.

Em 1972, foi lançado o primeiro álbum da carreira de Geraldo, intitulado Alceu Valença e Geraldo Azevedo – Quadrafônico, encartado pela Copacabana Discos. “Até hoje nos confundem, Alceu e eu. Já aproveitamos a semelhança para trocar de lugar propositalmente algumas vezes. Um dia, numa barraca de coco na praia, o vendedor me disse: ‘Alceu, eu sou seu fã! Você aqui não paga nada!’, e eu me passei por ele. Tomei o coco e fui embora sem pagar.”

Geraldo desenvolveu sua obra atrelando-a às de outros talentos da MPB. Além de Alceu, seu grande amigo, Fausto Nilo, Carlos Fernando, Fagner, Moraes Moreira, Zé Ramalho, Naná Vasconcelos, Geraldo Vandré, Elba Ramalho e os poetas José Carlos Capinan e Assunção de Maria se integraram às suas composições. O músico recifense Carlos Fernando, falecido em 2013, tem lugar especial na lista. “Ele foi um dos meus primeiros e principais parceiros. Infelizmente foi embora, mas tenho parcerias nossas inéditas. São três ou quatro canções que ainda pretendo gravar”, revela Geraldo. “Eu simplesmente adoro trabalhar em parceria! Táxi Lunar, por exemplo, que considero um marco na minha carreira, foi feita junto com Alceu Valença e Zé Ramalho. Foi a primeira música que levou minha voz às rádios de todo o país”, conta. Sobre o projeto O Grande encontro – que reúne Geraldo, Elba, Zé e Alceu – prevê futuro: “Foi um trabalho memorável e acredito que, apesar de desencontros entre nossas agendas e pretensões, ainda se repita em um novo volume.”

A primeira compilação de músicas do quarteto foi encartada em 1996 – o segundo volume veio em 1997 e o terceiro, em 2000 – com faixas como Sabiá (Luiz Gonzaga e Zé Dantas), Trem das sete (Raul Seixas), Banho de cheiro (Carlos Fernando), Chão de giz e Admirável gado novo (Zé Ramalho), Coração Bobo e Tesoura do Desejo (Alceu Valença). “Nós quatro sempre tivemos bastante afinidade, além de termos trabalhado juntos sempre. Dois, três ou quatro de nós, em diversas ocasiões. Nos conhecemos profundamente, há uma sintonia evidente no palco“, conta.

Fruto da iniciativa em conjunto do grupo, que ansiava por registrar em disco a parceria, O Grande encontro foi gravado ao vivo no dia 19 de setembro de 1996, no Canecão, Rio de Janeiro, e recebeu disco de platina triplo pela sua comercialização.

As longas temporadas na estrada abalaram a convivência do músico com a família. Viagens demoradas o impediam com frequência de acompanhar o crescimento dos filhos, o que não os distanciou da carreira musical. Com o tempo, Lucas, Tiago e Clarice se tornaram músicos assim como o pai. Gabriela virou produtora e assumiu o controle dos bastidores das turnês. “Esse convívio sobre o palco compensa em parte a minha ausência no passado. Mas sempre os incentivo a buscar trabalhos independentes, em paralelo ao que desenvolvemos juntos. Assim eles não dependem exclusivamente de mim. Clarice, por exemplo, tem negócios com venda de calçados, faz suas próprias composições, atua em diversas áreas. Todos eles são muito ativos e estudam bastante. Vencemos a saudade de outrora com nosso trabalho em equipe“, explica.

Novas composições

A música, para Geraldo, sempre foi prioridade. “É uma arte de possibilidades infinitas“, classifica ele, que há anos grava de forma independente, longe das grandes corporações fonográficas. Para o músico, preservar a autonomia e criatividade de sua obra foi preponderante nessa decisão. “Já fui submetido à exigência de vantagens, além de boicotes, quando trabalhava com gravadoras. Então passei a usar os lucros dos shows para gravar meus discos. O fato de a música não ser mais consumida somente em discos fornece liberdade ao artista, que se torna tão poderoso quanto qualquer empresa.”

Dar vazão à música é o mais importante para Geraldo, que planeja gravar álbum erudito, em parceria com orquestras sinfônicas, mas que também não abre mão de estar em sintonia com as novas batidas digitais. Entre o clássico e o contemporâneo, ele revela ainda: “Sonho em ir ao Recife no futuro gravar um CD de frevo. Quero registrar a alegria que sinto diante do povo recifense nos carnavais. Quero também concluir o projeto Canta, canta, passarinho, com cantigas inspiradas em pássaros, voltado para crianças. E tenho composições inéditas que rendem mais de dois álbuns completos”, anuncia.

Aniversário

Para o domingo de aniversário, Geraldo não tem planos. “Quer saber de uma coisa engraçada? Eu tinha um show programado para o dia seguinte, em Boston. Sabendo disso, não organizei nenhuma comemoração. Por motivos operacionais, o show foi cancelado há alguns dias e agora não sei o que fazer. É uma data icônica. Meus filhos organizam tantas festas, deve haver comemoração. Fiquei desprevenido sem o show. Mas ainda estou considerando a possibilidade de viajar em família“, conta aos risos.

E se pudesse fazer um pedido, diz que deseja que as pessoas se amem e se respeitem mais, que entendam que precisam umas das outras e também da natureza. “Somos todos irmãos, a natureza inteira, não apenas os seres humanos“, reforça o compositor do álbum Salve São Francisco – indicado ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música de Raízes Brasileiras – Regional Nativa – composto em defesa do rio que entrecorta a cidade de Petrolina, onde ele nasceu. (fonte/foto: Diário de PE)

Escola de Ballet Geraldo Pontes comemora 35 anos de existência com festival e lançamento de revista

geraldo pontes_640x480Um festival com números de ballet, musicais, dança contemporânea e contos infantis marcará neste sábado (13) e domingo (14), no Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro (BA), as comemorações dos 35 anos da Escola de Ballet Geraldo Pontes. Durante o evento, que começa às 20h, será lançada também a revista ‘Ballet Geraldo Pontes – 35 anos compartilhando sonhos’, que conta em 20 páginas parte substancial da história desta escola, uma das pioneiras e de maior tradição dessa arte no Vale do São Francisco.

A escola foi fundada em 1978 por Geraldo Pontes, um professor licenciado em Dança pela UFBA e Pedagogia pela Uneb, com especialização em Psicopedagogia e Dança Educacional e Artes Cênicas. Desde então vem colaborando na educação e no estímulo à capacitação profissional de crianças e adolescentes da região.

Desenvolvendo aspectos cognitivos, psicomotor e afetivo, a escola vem se destacando também pelo desempenho de ex-alunos, hoje licenciados em dança por universidades, a exemplo da UFBA e instituições no exterior. Outra face evidenciada ao longo da história da escola diz respeito aos inúmeros projetos sociais que participa. As parcerias com a Fundação Lar Feliz, Apae de Juazeiro e o CRAS da Malhada da Areia resultaram em belos momentos de dança e solidariedade.

Buscando constantemente o aprimoramento e a busca de novas informações, o professor Geraldo Pontes participa com muita frequência de eventos do segmento na região e em várias partes do país. Este mês, por exemplo, ele viajou a Salvador, a convite do 2º Fórum de Educadores de Dança da Bahia. Em janeiro do ano que vem, participará em São Paulo do Pás de Cuba, um curso profissionalizante para professores. (fonte/foto: CLAS Comunicação)

Exu já conta as horas para festejar os 102 anos de nascimento do Rei do Baião

Luiz GonzagaBerço do eterno Rei do Baião, Luiz Gonzaga, a cidade de Exu, no Sertão do Araripe, Terra do Rei do Baião, conta as horas para comemorar mais uma data alusiva ao nascimento do filho mais ilustre da terra. Se estivesse vivo, Gonzagão completaria 102 anos neste sábado (13).

A programação em homenagem ao artista faz parte da última etapa do Festival ‘Pernambuco Nação Cultura’, projeto promovido pelo governo do estado por meio da Secretaria de Cultura e Fundarpe, em parceria com a Prefeitura de Exu.

Entre esta sexta-feira (12) até domingo (14), o Parque Aza Branca, local onde o Mestre Lua morou até o dia de sua morte, receberá shows de artistas que dão continuidade ao legado de Seu Luiz do jeito que ele mais gostava: com muito forró.

Na abertura, sexta, os shows serão dos grupos Os Três do Cariri e Seguidores do Rei, além dos cantores Danilo Pernambucano e Tony Monteiro. Já no sábado (data de nascimento do Rei do Baião) quem abre a noite é Joquinha Gonzaga, sobrinho do Velho Lua, além do neto dele, Daniel Gonzaga (filho de Dominguinhos), que fará uma participação no show de Flávio Leandro. Nessa noite, ainda sobem ao palco os forrozeiros Fábio Carneirinho e Targino Gondim.

Todos os anos, sempre no domingo que sucede a data de 13 de dezembro, centenas de pessoas se reúnem para tocar e dançar embaixo do famoso pé de juazeiro cantado pelo Mestre, que há no Parque Aza Branca até os dias de hoje. A programação deste ano começa às 11h, com a tradicional Missa de Ação de Graças que conta com a participação de sanfoneiros. A partir das 15h, o forró volta a ditar a festa e prossegue até a madrugada. O público vai dançar ao som das crianças do Ponto de Cultura Alegria de Pé de Serra, Donizete Barbosa, Epitácio Pessoa, Joãozinho de Exu, Di Jesus, Toinho do Baião, Jorge do Acordeon, Jaiminho de Exu, entre outros.

Consolidado na Secretaria de Cultura, o projeto ‘Cultura Livre nas Feiras’ preparou uma programação especial para o aniversário de Gonzagão. No dia 13/12, a partir das 8h, na feira livre do Exu, haverá degustação gastronômica, mostra de artesanato, espetáculos de dança e, claro, forró pé de serra.

Palestra

Considerado um dos maiores estudiosos da vida e obra de Gonzagão, o jornalista paraibano radicado em Petrolina, Ney Vital, é outro a marcar presença em Exu. Ele vai proferir uma palestra nesta quinta (11), promovida pela Secretaria Municipal de Cultura, às 19h na Escola Barbara de Alencar, cujo tema será “Exu, Luiz Gonzaga, Patrimônio e Identidade Cultural”. O evento abre os festejos culturais dos 102 anos de Luiz Gonzaga. Haverá entrega de troféus e a apresentação do Projeto Asa Branca. Ney Vital é pós-graduado em ensino de comunicação social (pela Uneb e UFRN); também é apresentador e produtor do Programa ‘Nas Asas da Asa Branca-Viva Luiz Gonzaga’, que vai ao ar todos os sábados pela manhã na Cidade AM, de Juazeiro (BA). (foto/reprodução)

A Voz do São Francisco/Emissora Rural chega aos 52 anos e brinda petrolinenses com Os Nonatos

Prestes a comemorar 52 anos de fundação, a Voz do São Francisco/Emissora Rural terá uma programação repleta de atrações para brindar a comunidade petrolinense.

A principal delas será a dupla Os Nonatos, que se apresentará na Concha Acústica, no próximo dia 28/10, às 21h.

Confiram, abaixo, a programação completa de aniversário da rádio:

aniversário 52 anos voz do são francisco_332x480

 

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br