Projeto colocará Petrolina como pioneira em dessalinização e melhoria da qualidade da água

Um projeto-piloto do governo federal colocará Petrolina como pioneira no quesito ‘dessalinização e melhoria da qualidade da água’. Reunidos ontem (12) em Brasília, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e o prefeito Miguel Coelho (PSB) acertaram, com representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA), a implementação do projeto do Programa Água Doce, no município. A expectativa do prefeito – que batizará o programa local com o nome de “Terreiros Produtivos” – é que as ações para a dessalinização de água salobra beneficiem as comunidades nas áreas rurais, além do consumo animal e a agricultura. O projeto já deve começar em setembro deste ano.

 “Petrolina será pioneira, em Pernambuco, no desenvolvimento deste extraordinário e necessário programa”, observou Fernando Bezerra. “Oferecer água de boa qualidade é uma medida de garantia de dignidade e saúde à população“, completou o senador, que trabalhará pela aprovação de emenda parlamentar destinada a ampliar os recursos financeiros para a execução do projeto em Petrolina, cidade-natal de Fernando Bezerra.

Além do consumo humano, a água de boa qualidade será utilizada em arranjos produtivos agrícolas e pecuários do Sertão e da caatinga“, reforçou Miguel Coelho. “Nosso desejo é também desenvolver o programa, juntamente com a Embrapa Semiárido, para o crescimento da piscicultura no município“, acrescentou o prefeito, após a audiência com o secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Jair Vieira Tannús Júnior, e o diretor de Revitalização de Bacias Hidrográficas do ministério e coordenador nacional do Programa Água Doce (PAD), Renato Ferreira.

Coordenado pelo MMA, o Água Doce é desenvolvido pelo governo federal em parceria com instituições federais de ensino e pesquisa, gestões estaduais e prefeituras, sempre com a participação direta da sociedade. O objetivo da ação é estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade, beneficiando, prioritariamente, comunidades que vivem em áreas rurais do semiárido brasileiro. Para isso, o programa prevê a incorporação de cuidados técnicos, ambientais e sociais na gestão de sistemas de dessalinização da água. (Foto/divulgação)

Comunidades juazeirenses ficarão mais uma vez sem água por conta de serviço do SAAE

Várias comunidades de Juazeiro (BA) vão sofrer mais uma vez com a interrupção no abastecimento da cidade nesta quinta (6) e sexta-feira (7). De acordo com o Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE), a paralisação será necessária para que a equipe técnica do órgão possa trocar a tubulação da rede de sucção na estação de tratamento de Água (ETA).

Amanhã os moradores dos Bairros Piranga I e II, Quidé, Palmares II, Codevasf, Antônio Conselheiro e Argemiro, além do Condomínio Jardim Vitória, ficarão das 8h às 14h sem o fornecimento.

Já na sexta (7), por conta da troca das curvas de redução da bomba 4, faltará água das 8h às 12h em toda a área do Distrito Industrial, além do João Paulo II, Antônio Guilhermino, Residenciais Praia do Rodeadouro, Morada do Salitre e São Francisco, Itaberaba, Vila Nova Fé, Sol Nascente, Alto da Aliança e Jardim São Paulo.

O serviço visa a melhorar a oferta de água em todas essas localidades e, tão logo seja concluído, o abastecimento voltará a normalidade”, frisa o SAAE, em nota da assessoria.

 

Manutenção deixará seis bairros de Petrolina sem água nesta quinta-feira

Seis bairros de Petrolina – além do Campus da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) – terão o fornecimento d’água interrompido nesta quinta-feira (29), segundo informou a Compesa. A Companhia disse que realizará um serviço emergencial num registro, para o qual precisou providenciar materiais e mobilizar equipamentos especiais. A interrupção será feita às 8h.

Ficarão sem água os Bairros Cohab Massangano, Alto do Cocar, Pedro Raimundo, Quati, Jardim São Paulo e Loteamento Bella Vista. A previsão de término do serviço é para as 18h. O fornecimento será restabelecido gradativamente.

 

Codevasf investe cerca de R$ 4,3 mi para garantir água a municípios do semiárido de PE

Água para sobrevivência de rebanhos e de pequenos cultivos, como os de hortaliças, será assegurada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em comunidades rurais de mais de 60 municípios afetados pela estiagem prolongada no semiárido de Pernambuco. Quase R$ 4,3 milhões estão sendo aplicados na execução de obras e serviços de recuperação, limpeza, manutenção e desassoreamento de aguadas, tecnologia de convivência com a seca que traz alívio para milhares de famílias.

Os moradores que convivem com longos períodos de estiagem destacam as vantagens das aguadas. “O benefício é muito grande. Com a aguada limpa, a gente captura a água da chuva que usamos para o consumo humano, plantação e rebanho. Essa área aqui tá tendo uma seca muito forte”, explicou Maria Resende, moradora da comunidade de Baixa das Caraíbas.

Ao todo, serão mais de 300 aguadas limpas ou recuperadas, ação que aumentará em 600 mil metros cúbicos o volume de reservatórios em Pernambuco – ou 600 milhões de litros, o equivalente a 240 piscinas olímpicas. A iniciativa vai garantir água para 3,5 mil famílias. Na primeira semana de maio as obras foram iniciadas no município de Bodocó; em seguida, a ação deve ocorrer em Floresta.

A expectativa é de que, até o primeiro semestre de 2018, todas as aguadas tenham sido finalizadas. Os recursos que viabilizam as obras são do Orçamento Geral da União destinados à Codevasf por meio de emendas parlamentares.

Aguadas

As aguadas são reservatórios escavados no chão para captação e retenção de água da chuva. Além de servirem para matar a sede dos animais da região, também proporcionam aos agricultores a manutenção de pequenas plantações. “Sabemos que atualmente enfrentamos um longo e duro período de estiagem, mas não podemos correr o risco de não ter onde acumular a água que deverá cair nas próximas chuvas. Com as aguadas prontas, uma boa chuva pode significar um longo período de convivência com a seca garantido”, afirma o superintendente Regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro. (Foto: Ascom)

Santa Maria da Boa Vista: Moradores do Fulgêncio dizem que empresa quer obrigá-los a pagar por água sem a conclusão de obras

Em Santa Maria da Boa Vista (PE), Sertão do São Francisco, a comunidade do Projeto Fulgêncio, na zona rural da cidade, clama por socorro. Segundo relatos de moradores repassados ao Blog, a comunidade irá ficar sem água até para beber, a partir de hoje (12).

O problema é que a empresa responsável pelo fornecimento irá sair de lá porque quer cobrar água, e os moradores não aceitam por alegar que algumas obras não estão concluídas para isso.

Eles acreditam que a decisão tomada pela empresa é para obrigar a comunidade do Fulgêncio a aceitar a cobrança. Até este momento, nem a prefeitura e nem o Ministério Público não se manifestaram sobre o assunto. Com a palavra, as autoridades.

Adutora que levará água para Campo Alegre de Lourdes terá obras retomadas

Campo Alegre de Lourdes, município no extremo norte da Bahia e em torno de 30 mil habitantes, onde se faz calor o ano inteiro, vivem ao longo de 70 anos, desde o reconhecimento como vila em 1938, inúmeros políticos faturaram votos e liderança com duas promessas básicas ao povo de Campo Alegre: estrada e água. Poucos levaram a sério as promessas, que apesar do esforço de alguns, nunca saíram do papel.

Mas, uma nova realidade para o povo de Campo Alegre de Lourdes, começou a mudar com a conquista de um projeto de uma adutora para o município, partindo do Rio São Francisco. A retomada da adutora da obra que estava interrompida, foi celebrada por lideranças do município como Gean e o médio Pérsio Antunes que apesar de ter carreeira política e profissional em Petrolina, sempre trabalhou por melhorias na terra natal. Desde 2012 que o presidente da Associação Popular Campo Alegrense, Gean Antunes, atua em defesa dessa adutora, com a colaboração dos agentes comunitários de saúde e o reforço de Pérsio. (mais…)

Vazamento desperdiça água potável há três dias na Cohab Massangano, dizem moradores

Na Cohab Massangano, zona oeste de Petrolina, um vazamento na tubulação vem ocasionando um grande desperdício de água potável. Segundo relatos de moradores ao Blog, o problema já ocorre há três dias na Avenida 21, na calçada do ponto final do terminal de ônibus na comunidade.

Aborrecidos, os comunitários clamam à Compesa – responsável pelo setor – uma solução para sanar o vazamento. Haja bronca.

Moradores de Santa Cruz da Venerada estão indignados com água que vêm consumindo na cidade

Moradores de Santa Cruz da Venerada, sertão do Araripe, estão indignados com a qualidade da água que vêm consumido. O líquido que sai das torneiras é amarelado, como se não passasse por nenhum tipo de tratamento e totalmente impróprio para consumo como acontece no bairro da Vila Nova, de onde chega essa reclamação.

Sem falar no mau cheiro que os moradores alegam ser, insuportável. Conforme a população, muita gente vem adoecendo na cidade, principalmente as crianças e a explicação só pode ser as condições da água que eles vêm consumindo.

Pedem providências à prefeita Eliane Soares (PR). A população questiona se Eliane vem tomando alguma medida em defesa do povo, pois a qualidade da água que chega até as residências, está longe de ser a ideal.

 

Ação da Codevasf permite uso racional da água em projeto irrigado no interior de Petrolina

 

Famílias produtoras de manga, uva, maracujá, melancia, goiaba, acerola, banana e mamão, entre outras culturas, no projeto público de irrigação do Muquém, zona rural de Petrolina, poderão a partir de agora fazer uso racional da água em suas áreas irrigadas. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), por meio de sua 3ª Superintendência Regional, disponibilizou 45 hidrômetros, equipamentos que fazem a medição do consumo de água pelos agricultores.

Estes hidrômetros vão permitir não só que a cobrança de água seja feita de forma mais justa – já que agora poderá ser medida a água que cada produtor consome e realizar-se a cobrança de forma individual -, mas também ajudarão a um uso mais consciente da água, pois agora irão saber que, se usarem a água de maneira indiscriminada, terão que pagar”, afirma o superintendente regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro.

O presidente da Associação dos Produtores do Perímetro Muquém, Francisco de Assis Nunes, comemorou a chegada dos equipamentos. “Significam desenvolvimento para a região. Esperamos há muito tempo por esses equipamentos, e agora estamos vendo a coisa se realizar”, disse.

Nunes explica ainda que as ações da Codevasf no projeto têm ajudado a fortalecer a economia e modificar a realidade das famílias locais.

“Com certeza, muitos dos que estão aqui foram empregados de empresas, mas hoje voltaram a trabalhar no chão que toda a vida foi seu. Se você hoje procurar um produtor nosso, que foi ex-funcionário de alguma empresa e perguntar se ele quer voltar para lá, ele não quer. Porque lá ele ganhava um salário ou pouco mais que isso, e agora ele está ganhando aqui, no mínimo, três salários mínimos. Ele hoje é um empreendedor, não mais um empregado. Isso é o desenvolvimento da região, é o papel que a Codevasf tem desempenhado, e a gente só tem a agradecer”.

Atualmente, cerca de 60 famílias produtoras de manga, uva, maracujá, melancia, goiaba, acerola, banana e mamão, entre outras culturas, são beneficiadas pelo projeto de irrigação do Muquém. (Foto: Ascom CodevasfPE)

Codevasf responde a leitor do Blog que reclamou da qualidade da água que vem abastecendo o povoado de Pedrinhas

 

Em resposta à nota do leitor do Blog, Josemir Gomes de Amorim, que reclamou de sérios problemas quanto à qualidade da água que abastece o povoado de Pedrinhas, área ribeirinha de Petrolina, a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), superintendência regional em Petrolina, informou que na agrovila da comunidade, o órgão acabou de concluir reparos no sistema.

Disse que Moreira, morador local que está responsável pela operação do sistema, está impedido de ligar o equipamento porque a presidente da Associação não quer, pois os moradores pararam de pagar a contribuição.

Ainda segundo a Codevasf, Pedrinhas só terá a água tratada quando o novo sistema operar. Enquanto for o antigo, não tem como, e o abastecimento continuará sem tratamento. O caminho conforme a Companha, é que a população procure a responsável pela associação dos moradores, pois a Codevasf cumpriu com sua obrigação.

Seminário em Juazeiro discute potencial e qualidade da água da chuva do semiárido

O potencial do aproveitamento da água de chuva no semiárido e em diferentes partes do mundo, bem como a qualidade dessa fonte de abastecimento, foram assuntos debatidos no auditório da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), na manhã desta quarta feira, dia 22 de março, data em que se celebra o Dia Mundial da Água. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas(ONU) em 1992.

O evento ‘Em Defesa da Água da Chuva’ foi promovido pelo Irpaa juntamente com a Associação Internacional de Captação e Manejo de Água de Chuva (ABCMAC) e contou com a participação de professores, estudantes e agricultores e agricultoras interessados em conhecer um pouco mais sobre o tema que vem sendo muito debatido no Brasil e diversos países, especialmente diante das crises de abastecimento que vêm preocupando autoridades populações em todo o mundo.

‘Desbloquear o Potencial da Água da Chuva’, apresentado pelo colaborador do Irpaa, João Gandlinger, foi o primeiro painel do seminário que mostrou diferentes experiências de captação e aproveitamento da água de chuva no mundo, tanto em áreas rurais como urbanas. João destacou um projeto do governo da China que há anos, irriga mais de 200 mil hectares com água de chuva armazenada em cisternas.

O professor Silvio Roberto da Universidade Estadual de Feira de Santana (UESF) e membro da ABCMAC, apresentou o ema ‘A Água de Chuva é Boa e Confiável’, com base em parâmetros e pesquisas que colocam essa fonte de água como de excelente qualidade para o consumo humano e outro fins, carecendo em alguns casos, de cuidados e tratamentos simples a depender do seu local de captação e armazenamento.

“A começar pela sua fonte, a água da chuva é totalmente purificada, inclusive com poucos sais minerais”, expôs o professor que também falou da importância da educação e da mudança de certos hábitos que podem ajudar a melhorar o consumo da água de chuva, destacando as experiencia das cisternas caseiras.

Ao responder questionamentos da plenária, os palestrantes apontaram para importância das organizações sociedade civil, dos poderes públicos e outros atores sociais, em debater e encontrar respostas para as crises de abastecimento e gestão da água a partir dos conhecimentos e experiências práticas oferecidas pelos sistemas de captação, manejo e uso da água de chuva. (Foto: Ascom)

IF-Sertão Zona Rural celebra Dia Mundial da Água

Nesta quarta-feira (22), data em que se celebra o Dia Mundial da Água, o campus Petrolina Zona Rural do IF-Sertão (Instituto Federal Sertão Pernambuco), apresentará uma programação especial para festejar a data. O evento terá início às 8h, no auditório do campus com apresentação de palestras.

Entre os convidados, os professores do campus Petrolina do IF Sertão-PE, Marcos Lima e Giovanne Monteiro, além dos servidores Graciene de Souza e Nivaldo Ribeiro, que participarão da Mostra de Dissertações.

De acordo com o coordenador de pesquisa do campus Petrolina Zona Rural, Rodolfo Peixoto, o evento tem como principal objetivo discutir problemáticas relacionadas à água. “Vivemos numa região semiárida e, em algumas regiões, a água é fator limitante para o desenvolvimento local. Neste dia, serão discutidas alternativas de reuso da água e os aspectos relacionados à potabilidade” disse Peixoto.

O coordenador ainda frisou que serão apresentados ainda os principais resultados das dissertações de dois colegas que fizeram mestrado no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP), relacionados ao tema.

 O dia Mundial da Água foi instituído em 22 de março de 1992, pela Organização das Nações Unidas (ONU), visando à conscientização da população a respeito do uso da água, bem como a discussão sobre a importância de sua preservação. O evento é gratuito e aberto ao público. (Foto: Ilustração)

Comunidades do norte baiano são capacitadas para operar dessalinizadores de água

Água mineral de alta qualidade está sendo produzida no norte baiano. Os sistemas transformam água salobra de poço em água potável da mais alta qualidade para o consumo humano, além de incentivar a autonomia das comunidades na gestão do mais precioso recurso natural.

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema), responsável pela coordenação do programa, em parceria com a Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos (Cerb) e o Ministério do Meio Ambiente, promoveu oficinas de capacitação para operadores de 28 comunidades baianas na última semana. Ao todo, cerca de 80 comunidades já receberam a capacitação, ação que visa garantir o funcionamento adequado do sistema, bem como auxiliar e incentivar as comunidades no aprimoramento da gestão da água.

A comunidade do Rodeadouro, na zona rural de Juazeiro abrigou a oficina, reunindo operadores de 13 comunidades dos municípios de Juazeiro e de Campo Alegre de Lourdes. Outras 15 comunidades de Uauá e Canudos participaram da capacitação.

Na tecnologia social proposta pelo Programa Água Doce (PAD), cada comunidade desenha a forma de gestão da água. Em geral, é cobrado um valor simbólico de R$ 0,25 por um garrafão de 20 litros de água mineral tratada. O valor cobrado vai para um fundo da própria comunidade, para garantir a manutenção do sistema. (foto/divulgação)

Serra Talhada organiza programação em defesa da Caatinga na Semana Mundial da Água

O Centro de Educação Comunitária Rural – CECOR  – promove na próxima terça-feira, 21 de março, o Seminário “Caatinga Guardiã da Água: Como guardar água por mais tempo”, a partir das 09h, no auditório da instituição, em Serra Talhada, Sertão do Pajeú. O seminário acontece dentro da programação da Semana Mundial da Água (SEMA), que será realizada de 20 a 24 de março no território do Pajeú, e tem o objetivo de debater a importância da preservação da Caatinga para a conservação da água no Semiárido.

O painel de debate está previsto para começar às 10h, com a participação de entidades, sindicatos, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UAST, igreja, agricultoras e agricultores familiares. Haverá ainda exibição de vídeo e recitação de poesia. Outros dois seminários serão realizados durante a Semana da Água na região.  Na quarta-feira (22) será em Triunfo, com o tema “Caatinga guardiã da água: Reaproveite a água que você usa” e na quinta-feira (23) será em Afogados da Ingazeira, com o tema “Caatinga guardiã da água: A água que a Caatinga guarda”.

Na quarta, haverá ainda em Serra Talhada um Ato Público em defesa do Rio Pajeú. A concentração será às 08h, no trecho do rio que fica no Bairro da Caxixola. Às 13h30 tem palestra no IF Sertão – Campus Serra Talhada e às 19h palestra no Centro Tecnológico.

 

Furto de água no canal principal do Nilo Coelho pode causar danos à estrutura e muitos prejuízos à produção irrigada da região

Os constantes desvios de água no canal principal do perímetro irrigado Senador Nilo Coelho, em Petrolina, podem danificar a estrutura do equipamento e causar grandes prejuízos aos produtores do Vale do São Francisco. A situação é de apreensão, diante do quadro apontado pelos produtores.

“Por ser o caminho principal dos pomares do vale, esse canal era pra ter proteção permanente, inclusive da Policia Federal. Essa invasão nele é criminosa. Codevasf e Distrito de Irrigação providencias”, disse Caio Coelho, diretor de marketing da Valexport.

O problema levou os produtores a constituírem um documento que será entregue às autoridades para que providências sejam tomadas. “Vimos manifestar a nossa insegurança, pois nos sentimos ameaçados, já que nos referimos a infraestrutura que dá sustentação ao projeto e entendemos que pode vir sofrer um colapso”, retrata trecho do documento.

O perímetro Nilo Coelho possui 21 hectares de áreas irrigáveis. Cerca de 60 mil habitantes é o número da população atual do Nilo Coelho. O modelo é responsável pela produção de quase metade da fruticultura brasileira, gerando 240 mil empregos entre diretos e movimenta na economia quase R$ 1 bilhão.

“Neste cenário da irrigação, o projeto Nilo Coelho tem forte impacto na economia de cidades como Petrolina, Juazeiro e Casa Nova. Caso nosso temor seja procedente, será necessário tomar medidas garantidoras (administrativas, legais e ambientais) a continuação e perpetuação do projeto“, conclui o documento.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br