Shopping popular e Diocese de Petrolina: Uma cronologia e a verdade dos fatos na guerra santa

22

A celeuma da obra nos arredores do Palácio Episcopal para se construir um camelódromo ganhou proporções gigantescas em Petrolina. Mais que um negócio, dilapidação do patrimônio histórico da cidade, gente ganhando muito dinheiro, muita informação que não está clara e histórias que não se sabe.

O Blog teve acesso a documentos, foi checar informações e fez descobertas inesperadas.

Nossa primeira pesquisa foi sobre a legalidade de toda essa operação. Quem pediu, quem participa, quem assinou, disse que não assinou, o porquê teria assinado. Quando foi feito? Nessa gestão, na gestão passada?

Elaboramos um cronograma para que você entenda tudo isso:

1. O contrato de locação entre a Mitra Diocesana de Petrolina, na ocasião representada por Dom Manuel dos Reis de Farias, e os empresários Francisco José Patriota de Souza, Francisco Patriota de Sousa Júnior, João Batista Siqueira Santos e José Emilson de Morais, foi assinado em 19 de outubro de 2014;

2. A Diocese de Petrolina obteve, em 28 de janeiro de 2015, o termo de anuência n° 005/2015, para uso do solo e consequentemente proceder à abertura de processo para Licença de Construção, assinada pelo então secretário municipal Marcelo Cavalcanti e pela secretária-executiva de Urbanismo, Mônica Nahú;

3. O processo para licença de construção do centro comercial teve seu início em 2015, a requerimento da Diocese de Petrolina;

4. Em 11 de agosto de 2016, o Conselho de Desenvolvimento Urbano (CDU) do município, criado pelo Decreto 52/2015, aprovou a concepção arquitetônica do projeto. O CDU foi um órgão colegiado de natureza consultiva formada por 5 membros: 1 representante da Secretaria da Cidade, 1 representante da AMMA, 1 representante da AMMPLA, 1 representante da Procuradoria Municipal e 1 representante do gabinete do Prefeito.

5. A pré-aprovação do projeto arquitetônico teve a assinatura, em 22 de novembro de 2016, da ex-secretária municipal da Cidade, Rosimare de Sá, e de sua executiva de Urbanismo, Mônica Nahú. A referida pré-aprovação é documento necessário e fundamental para obtenção da licença ambiental, aprovação na AMMPLA e do atestado de conformidade do Corpo de Bombeiros;

6. Em 13 de dezembro de 2016, o projeto recebeu parecer definitivo favorável do CDU, assinado pelo membro técnico Rogério Valença, para reforma e ampliação do ‘Projeto Comercial Box Park’;

7. Estranhamente a AMMA emitiu, em 27 de dezembro de 2016, a licença ambiental prévia e a licença ambiental de instalação, que tramitaram sob os números 01.065.2016 e 02.075.2016;

8. Por fim, a Licença de Construção foi expedida em 23 de maio de 2017, após o recebimento do Atestado de Vistoria e Regularidade do Corpo de Bombeiros.

Confiram os documentos no slide abaixo:

Comentário meu:

Com toda essa cronologia, fica a pergunta que não quer calar: será que todos esses atores erraram na aprovação do projeto? será que ninguém pensou sobre a preservação do patrimônio histórico da cidade? será que a própria Diocese não enxergou os seus inúmeros outros patrimônios e agora mudar a estrutura de lindo patrimônio dos petrolinenses? isso não foi levado em conta por ninguém de todas as pessoas envolvidas?

O que vemos no momento é o início de um jogo de empurra-empurra de responsabilidades de toda sorte, no qual já se registram inclusive depoimentos de quem teria pré-aprovado e agora nega assinatura, sugerindo até mesmo falsificação de rubrica.

Uma obra com essa envergadura merece todo cuidado e atenção e, por toda cronologia, até pela urgência e emergência de certas decisões que deveriam levar dias em apreciação que se resolvia no mesmo dia, mostra-se interesse de diversos personagens. Uma pena que em uma história que envolva a Santa Igreja seja contada assim de forma tão dura.

22 COMENTÁRIOS

  1. É uma tristeza, um terreno que no passado foi doado a diocese, e hoje pessoas que defendem seus próprios interesses. E o mais triste ainda, pessoas que se dizem mensageiros do evangelho de Jesus, querendo medir forças mostrando poder.

  2. A minha opiniao é que esse comercio nao deveria acontecer.o palacio é bonito a estrutura é bem definida enfim,um patrimonia que deveria ser preservada como tornar um ponto de cultura.deveria alugar a prefeitura e la tornar a casa da cultura.com cursos diversos como teatro ,danças ,sala de musica inclusive a banda 21 de Setembro ter lá seu apoio.tenho certeza que a igreja vai ganhar a populaçao tambem e o patrimonio de petrolina iria ser preservado.por favor.peguem aquela parte proxima a emissora rural e façam lá esse projeto por favor o palacio não.

  3. Nesta história tem muito dinheiro envolvido. Agora me entristece é ver está briga dentro da Santa Igreja. Sou a favor da preservação deste patrimônio histórico, pois nota – se que os gestores municipais deste e de mandatos anteriores não estão preocupados em preservar os patrimônios históricos existentes nesta cidade, um belo exemplo disso, é a Petrolina antiga. Penso que o desfecho desta história, será a derruba do palácio, como o ocorreu com o EMAAF.

  4. rapaz não há em momento algum a assunto demolição do palácio episcopal, o que havera sera a recuperação.
    A obra em em nada modificara o palacio, apenas utilizara espaços do terreno, o predio sera preservado.

  5. Dom Paulo foi um grande bispo, mas, se comporta feito um rei deposto que se esperneia porque seus ex-súditos não o obedecem. Meu Deus, imaginem se o Papa Bento escrevesse uma carta esculachando o Papa Francisco, que falta de amor pela Igreja de Cristo. Britto sua matéria mostra que a obra é totalmente regular. E para os que não entenderam, não vai demolir o palácio, pelo contrário. Como católica, nem me preocupa mais a discussão sobre a obra, pois se o Palácio esteve jogado às traças por 27 anos e nunca prejudicou a sociedade, por que prejudicaria a sua restauração? Lamento pela Igreja ser exposta por quem deveria protegê-la. Fim dos Tempos!!

    • Maria de Souza, é o seguinte: Já demoliram o Centro Diocesano, que durante anos abrigou religiosos e muitas pessoas que hoje tem família em Petrolina. Isso sem consultar ninguém, e apesar de ser patrimônio da Diocese, também era da população, da história de Petrolina. A exploração da área atrás do Palácio é ideia de quem só pensa em dinheiro, e no início ninguém havia falado em restaurar o Palácio. Só agora,. com a repercussão desse balcão de negócios, é que estão falando em restaurar. Dom Paulo está certo em colocar esse assunto para a população, pois os dirigentes já tomaram outras decisões,, como vender uma casa da Diocese e terrenos, para fazer dinheiro. Mas ondeie aplicou este dinheiro? Você sabe o que fizeram com o Colégio Dom Bosco? Um dos mais tradicionais da cidade e que ERA exemplo de excelência?

      • Maristela vc está muito mal informada minha querida, o colégio Dom Bosco vai muito bem e organizado , com uma equipe de gestores preocupados com o crescimento do colégio , ainda não ouvi criticas de alunos ao sistema COC e a atual gestão , os professores demitidos estavam atrapalhando a nova gestão , não aceitaram o novo , sendo que na gestão de Terezinha os Padres e seminaristas do clero não frequentavam e sequer eram convidados pra eventos do colégio , parecia algo pessoal de teresinha e sua máfia de professores , hoje os Padres que são preparados dão aula no colégio , dão palpites na administração e participam de suas atividades e eventos , nos tempos de Teresinha tínhamos que pagar aluguel da chácara pra usarmos em eventos religiosos ( uma vergonha) hoje sinto o CDB verdadeiramente diocesano e do clero e não uma administração pessoal de velhas apegadas ao poder .

        • Leandro, acho melhor você se informar mais, procurar, de fato, saber a verdadeira situação do CDB, não com o diretor e com os amigos dele, mas com os pais dos alunos e funcionários num todo! O CDB perdeu uma gama de alunos, muitos mesmo, coisa que não acontecia na época de Teresinha (Deixo aqui meu enorme respeito e admiração por ela). Não quero dizer que a ex gestão foi 100%, ou que não houve erros, mas que essa gestão que está lá, de boa não tem nada! Você a defende porque é amigo do diretor, todos que lhe conhecem sabem os motivos! Então caia na real !

          Abraço

      • Maristela Aguiar, vc é católica? o que importa agora e sempre é a unidade da Igreja. Todas as denuncias feitas aqui podem e devem ser apuradas, mas, não precisa chamar a imprensa para resolver. Não existem sábios entre nós? Lamentável! com certeza a atitude de DPaulo, infringe códigos canônicos. Que pena expor a Igreja aos pagãos. Isso não é amor, é apego ao patrimônio e ao poder.

  6. Antes de qualquer comentário as pessoas devem se informar. Pelo que li, o projeto não toca na arquitetura do Palácio.
    O Projeto pretende usar o espaço atrás do palácio, que está vazio, servindo apenas de estacionamento para a construção de um shopping popular .

  7. A Santa Igreja, sabiamente, jubila seus bispos aos 75 anos, para que depois de combaterem o bom combate, guardem a fé e deixem que seus sucessores sigam a boa obra, pois a Obra de Deus não pára. O bispo émerito, pode estar coberto de razão, mas, deve ter humildade de não macular a boa fama de seus filhos (o clero), ou de seu irmão (bispo sucessor). Nas três décadas em que governou, cometeu algum erro? Todos a sua volta o protegeram, não o expuseram, se não por ele, mas, pela unidade da Igreja. Talvez esteja aí o motivo pelo qual D.Manoel desistiu. Que D.Paulo se arrependa e que N.Sra. Rainha dos Anjos e Sta. Teresinha do Menino Jesus o abençoem no propósito de ver a Igreja acima do apego ao poder. Que Jesus Sacramentado Tenha misericórdia de nós!

  8. A obra do palácio não vai ser destruída e sim restaurada , o espaço que foi vendido e vai ser construído um shopping popular não tinha utilidade para a diocese , ali era um quintal sujo e desorganizado ….. essa construção em nada vai prejudicar a originalidade e importância do palácio para a diocese e sociedade Petrolinense , deixemos de promover confusão entre o clero que só quer o melhor pra essa diocese que há 93 anos caminha sob ás luzes do Espírito.

  9. O que vocês não percebem é que as pessoas envolvidas só pensam em dinheiro, assim como os políticos de todo o Brasil. “Estou envergonhado por ser brasileiro, e presenciar isso.”
    O terreno foi doado , usar um espaço doado pra ganhar dinheiro, alguém esta sendo favorecido indevidamente de maneira direta ou indireta. Percebam!.
    Tudo acontece por debaixo dos panos(nomeação de cargo fantasma, desvio de verba pública, nomeação de cargo comicionado pra não contratar concursado, nomear parente de vereador que não trabalha por favorecimento indireto. E muito mais).
    Pessoal acompanhem o diário oficial de Petrolina, vejam o que estão fazendo com Petrolina, nesta gestão e na gestão passada.
    ” A regra por lá é vamos vê se passa. ”
    ” Obá, passou! ”
    “Dessa vez não passou!”
    Tem um jeito pra tudo, e confundem a cabeça da população.
    Petrolina acorda!

  10. Que se chame de reforma, reestruturação, restauração ou seja qual nome queira dar o fato é que o patrimônio da igreja em Petrolina esta sendo dilapidado e entregue a particulares para construir empreendimentos comerciais que visam lucros para terceiros e nenhum lucro para a igreja. Ja que a maioria dos terrenos e imoveis estam sendo “cedidos” e não vendidos. o que implica na ocupação da área por esses terceiros e futuramente daqui a alguns anos a tomada da posse em definitivo por esses particulares. Infelizmente como ja disse antes isso cheira a especulação imobiliária sem nenhuma preocupação com a historia e o patrimônio histórico de Petrolina.

  11. Caro Leandro:
    Respeite a história construída por Teresinha Teixeira nos seus 40 anos de administração do Colégio Dom Bosco. O seu comentário é insignificante porque é um amiguinho do padre Antonio. Os professores estão insatisfeitos, saíram muitos alunos, ex-alunos não podem visitar a sua antiga escola, o material é fraco, identificado pelos próprios professores e o padre é arrogante com pais e professores. A Chácara nunca foi alugada à Diocese. Nos eventos do Colégio, o clero sempre foi convidado, pergunte aos sérios, não aos debochados e invejosos. Teresinha é um patrimônio vivo dessa cidade. É só ver o carinho que Petrolina tem por ela. Procure informar-se antes de postar besteira.

  12. Completando – Teresinha nunca teve máfia de professores, , fazendo empréstimos de milhões para comprar terrenos da própria Diocese. Onde está esse dinheiro? Onde estão os doze milhões da venda do Centro de Treinamento? I\

  13. Engraçado que falam do aluguel da Chácara para eventos religiosos e o valor absurdo do Centro Monte Carmelo? Sou de grupo de jovens e não sai tão barato. Isso ninguém vê. Acho que a questão é o Palácio mas tem alguém aqui mandado para defender o Dom Bosco que vai mal das pernas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome