Eleições 2018 podem trazer um pouco mais de força política para Juazeiro

As eleições 2018 ainda estão longe, mas em Juazeiro (BA) já existe uma expectativa muito grande no ar. Ao contrário da vizinha Petrolina, o município se ressente de uma maior representação política, especialmente no cenário nacional.

Atualmente quem falar pelos juazeirenses naquela Casa é o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB), do mesmo partido do atual prefeito Paulo Bomfim e de seu assessor especial, Isaac Carvalho (foto) – que, aliás, governou o município em dois mandatos, e ainda ajudou a eleger seu sucessor Bomfim.

Para quem já teve os ex-deputados federais Jorge Khouri e Joseph Bandeira, parece pouco para a importância de Juazeiro na Bahia. Pela liderança que Isaac consolidou, é evidente que tentará um voo ousado.

Mas como o Blog já adiantou, é possível que ele não almeje a Câmara, e sim o Senado. De uma forma ou de outra, seria um ganho político concreto para o fortalecimento político do município.

Maria Elena e seu projeto para 2018, após bom resultado do São João de Petrolina

A secretária Maria Elena Alencar (Cultura, Turismo e Esportes) não disfarçou a empolgação com o resultado exitoso do São João de Petrolina este ano. Nos bastidores políticos da cidade, já se comenta que ela ganhou muitos pontos para tentar alçar seu maior voo: uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) em 2018.

Mas Maria Elena evita pensar nisso, pelo menos por enquanto. Aos mais próximos, a secretária argumenta que o momento é de “trabalhar por Petrolina”, e não de ficar especulando sobre conjunturas político-eleitorais.

Aprovação a Governo Temer vai a 7%, diz Datafolha

Apenas 7% dos brasileiros consideram o governo de Michel Temer como ótimo ou bom — a menor marca apurada pelo Instituto Datafolha em 28 anos. Na série histórica, apenas José Sarney ficou abaixo deste patamar, ao tocar 5% de aprovação em setembro de 1989, durante a crise da hiperinflação.

A impopularidade do presidente aumentou desde a revelação da colaboração premiada dos donos da JBS, que situaram Temer no centro de um esquema de corrupção nacional. Segundo o Datafolha, 69% do público considerada a gestão ruim ou péssima, e 23% avaliam o governo como regular.

Mulheres, jovens e eleitores de renda mais baixa mostram mais indisposição com Temer, em comparação com a média da população.

Em 1989, 68% consideravam ruim ou péssima a atuação de Sarney, enquanto 24% julgavam a administração regular.

O novo levantamento do instituto ouviu 2.771 pessoas entre quarta-feira e a sexta-feira. Os novos números evidenciam a queda da popularidade do presidente, que, há dois meses, somava 9% entre os entrevistados que avaliavam a gestão como ótima ou boa. No fim de abril, 61% julgavam o governo como ruim ou péssimo e 28% enxergavam uma administração regular.

Temer x Dilma

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O Datafolha ainda informou que a nota do presidente caiu de 3 para 2,7 na nova pesquisa. Não souberam responder 2% dos entrevistados.

A avaliação de Temer é pior que a de Dilma Rousseff às vésperas da conclusão do processo de impeachment, quando a petista seria destituída pelo Congresso. Na época, ela tinha 13% de aprovação e 63% de reprovação. A impopularidade do peemedebista é semelhante à da ex-presidente de agosto de 2015, quando Dilma amealhou 71% de avaliações de um governo ruim ou péssimo.

Além de Temer, Dilma e Sarney, apenas Fernando Collor atingiu índices tão negativos frente à população. Ele somava 68% de ruim e péssimo, em setembro de 1992, ao sofrer impeachment. (Fonte: O Globo/foto reprodução)

O ‘sumiço’ de Joseph

Após a derrota no ano passado, quando concorreu à prefeitura de Juazeiro (BA) ao lado de Wank Medrado como vice, o ex-prefeito e ex-deputado Joseph Bandeira desapareceu dos olhos da imprensa e das redes sociais.

Enquanto Bandeira se mantém calado, Wank Medrado já confirmou sua pre-candidatura a deputado estadual em 2018. Mas já disse que poderá abrir mão do projeto, caso Joseph entre na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

O ‘sumiço’ de Bandeira vem rendendo comentários nos bastidores da política local sobre qual estratégia ele estaria arquitetando. Como ele ainda não revelou nada, o que se comenta é que Bandeira poderia usar a mesma estratégia do ano passado, quando uniu boa parte da oposição em torno do seu nome. Quem viver, verá.

Enquanto isso…

Política se mistura a forró, sertanejo e sofrência no São João de Petrolina

Como acontece todos os anos, os festejos juninos de Petrolina sempre abrem espaço para política. Este ano, não foi diferente. Aliás, o que não faltou foi política.

Desde nomes do cenário nacional convidados pelo prefeito Miguel Coelho (PSB) para curtir o São João da cidade, a exemplo do ministro Marx Beltrão (Turismo), até os vereadores governistas, todos se deleitaram ao som do forró, sertanejo e ‘sofrência’. Ano que vem, então, nem se fala.

O que eles disseram…

Ex-presidente FHC analisa denúncia contra Temer: “Gravíssima”

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) ressaltou na manhã desta sexta-feira, 23, que o País caminha para uma situação inédita e muito séria: a de ter um presidente da República denunciado por corrupção.

“O procurador-geral da República, baseado em uma investigação da Polícia Federal, que é submetida à Presidência, se dispõe a mover uma ação contra o presidente. E por corrupção. Isso nunca houve”, disse o tucano durante palestra em São Paulo. “Se por um lado isso é sinal de que as instituições estão independentes, por outro lado, é gravíssimo”.

Ao falar sobre a chance do presidente Michel Temer (PMDB) ser denunciado pelo procurador-geral Rodrigo Janot, FHC lembrou os últimos dias de Getúlio Vargas.

Quando Getúlio Vargas era presidente, em um tempo em que os militares estavam muito assanhados, existia a chamada ‘República do Galeão’, formada pelo pessoal da Aeronáutica que fazia inquéritos militares. Um dia, chamaram o irmão do Getúlio, Benjamin Vargas. Pouco depois, Getúlio se matou porque descobriu que o irmão estava metido em confusões junto com o chefe de sua guarda pessoal. Era grave“, disse o ex-presidente, que acrescentou: “Não estou dizendo que o Temer se mate, claro, prefiro outra coisa”.

Eleições antecipadas

A “outra coisa”, segundo FHC, é a antecipação das eleições por determinação do próprio Temer. “Ele podia chamar as forças políticas e antecipar a eleição para daqui a oito, nove meses. Isso para ter legitimidade”. O tucano, mais uma vez, se posicionou contra eventuais diretas-já e citou o teórico italiano Antonio Gramsci, que diz haver situações na política onde o “velho já morreu, mas o novo não nasceu”, referindo-se à ausência de lideranças políticas no cenário brasileiro atual. (Fonte: Estadão/foto reprodução)

Presidente da Câmara Municipal de Salvador acompanha sessão da Casa Plínio Amorim e desconversa sobre candidatura à AL-BA em 2018

A sessão plenária da Casa Plínio Amorim, realizada no dia de ontem (22), foi acompanhada por um visitante especial. A convite de Ronaldo Cancão (PTB), o presidente da Câmara de Vereadores, Léo Prates (DEM), veio a Petrolina devolver a visita que Cancão lhe fez. Mas a agenda dele não ficou restrita apenas à cidade, onde curtiu os festejos juninos.

Cogitado a disputar uma vaga na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) nas eleições 2018, Léo também aproveitou para marcar terreno no norte do Estado. Ele também foi conhecer o São João de Jaguarari, mas desconversou sobre uma eventual pré-candidatura a deputado.

Acho que ainda é muito cedo para falar de candidatura. A gente só conversa sobre 2018 em 2018”, afirmou. Aos 39 anos de idade, Léo está apenas no segundo mandato e é o presidente mais jovem do Legislativo de Salvador e aquele com menor tempo de mandato. Ele garante, inclusive, que seu maior desafio no momento é colocar seu nome como um dos principais da história da Câmara de Salvador. “É nisso que estou focado”, concluiu Léo.

Ronaldo Cancão rebate críticas sobre São João de Petrolina e garante: “Prefeito zelou pelo dinheiro público”

O vereador Ronaldo Cancão (PTB) viu com naturalidade algumas críticas apontadas ontem (22) pelo integrante da bancada de oposição, Gabriel Menezes (PSL), ao São João de Petrolina, durante sessão da Casa Plínio Amorim. O governista justificou que Gabriel está executando o mesmo papel que ele cumpriu na gestão municipal passada, quando também foi líder de oposição ao então prefeito Julio Lossio (PMDB).

Mas Cancão não deixou barato as declarações de Gabriel. Ele inclusive chegou a se utilizar de uma expressão dura para rebater o colega, ao afirmar que o governo anterior “não teria moral” para criticar o São João realizado pelo atual administração.

Deixando claro que, pelo fato de atualmente ser situação não quer dizer que vá ser conivente com coisas erradas, Cancão defendeu a lisura  e transparência como ocorreu toda a organização dos festejos juninos deste ano. “O que eu quero afirmar é que o prefeito teve todos os cuidados jurídicos, o zelo pelo dinheiro público, para realizar o São João”, assegurou.

Por outro lado, o governista fez questão de ressaltar que a economia anunciada por Miguel Coelho, em mais de R$ 1 milhão dos cofres públicos, para realizar os festejos este, deve-se também porque o prefeito contou com o apoio da Caixa Econômica, a qual destinou R$ 200 mil, mais R$ 420 mil do Ministério do Turismo. Além disso, a distribuidora de bebidas que abastece o evento (Itaipava) participou e ganhou a licitação, injetando mais recursos para os festejos – sem contar o aporte financeiro do Governo de Pernambuco. “No ano passado, a prefeitura gastou pouco mais de R$ 5,7 milhões utilizando a Fonte 1 (recursos próprios)”, analisou.

O vereador destacou ainda que a empresa Abdon, a qual atua no ramo há 30 anos, também ganhou o processo licitatório para cuidar da estrutura da festa – envolvendo palco, camarote, estacionamento, barracas e banheiros químicos, entre outros itens. “O custo da festa é R$ 1 milhão. A Lei 8.666 (licitações) permite à empresa para pagar a estrutura que o município não pagou. Além disso a empresa tem a obrigação de fazer uma custódia no valor de R$ 180 mil para garantir que vai assegurar o serviço, fora os R$ 40 mil pagos pela licitação”, explicou.

Polícia Federal

Sobre os artistas contratados este ano, Cancão primeiro evitou polêmicas ao argumentar que não votou no projeto de lei da vereadora licenciada e atual secretária de Cultura, propondo que 50% da programação do São João deveriam ser formados por artistas locais. Para Cancão, essa “é prerrogativa” da administração. Depois, o governista saiu em defesa do atual prefeito quanto ao valor pago às atrações nacionais, justificando que os cachês foram compatíveis ao atual momento que cada um deles vive em suas carreiras artísticas. Perguntado sobre a presença de artistas que não se encaixam no estilo junino, o vereador rebateu argumentando que Miguel trouxe para Petrolina as atrações “que a maioria da população gostaria de ver”.

Cancão aproveitou para lembrar que os festejos da gestão passada não tiveram a mesma transparência (em especial os de 2012 e 2013), tanto é que foram alvo de uma investigação realizada pela Polícia Federal (PF). “Como ainda é segredo de justiça, em breve a população de Petrolina vai saber o que ocorreu no São João de 2012 e 2013”, finalizou.

Deputado sertanejo se levanta contra PPP para obras da transposição e pede debate na Alepe

O deputado estadual Rodrigo Novaes (PSD) fez um apelo, nesta quinta-feira (22), na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), contra a possibilidade do Governo Federal criar uma Parceria Público-Privada (PPP) nas obras da transposição do Rio São Francisco. Descontente, o parlamentar deseja a realização de um debate na Casa Joaquim Nabuco com todos os agentes envolvidos no assunto. Durante o pronunciamento, ele pediu o apoio de outros parlamentares, em especial, ao deputado Odacy Amorim (PT) que é coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco e outros rios pernambucanos.

“Não é possível que uma decisão com um impacto social tão forte seja discutida nos gabinetes de Brasília com o executivo, o mercado financeiro, os empresários e o BNDES. Não aceitamos isso. É necessário ouvir os pequenos produtores rurais que passaram a vida toda sofrendo. Com a conclusão da obra, não podemos frustrar o sonho desse povo – de poder irrigar, plantar e dar sustento a criação – de viver com dignidade“, ressaltou.

“Se a PPP foi instalada, os grandes empresários vão comprar todas as terras, vão fazer grandes plantios e o povo da gente vai virar empregado. Se hoje existe pobreza, amanhã vai existir miséria. E vamos ter frustrada nossa expectativa de desenvolvimento social e econômico com equilíbrio”, destacou Novaes.

O deputado frisou ainda que o dinheiro das obras veio do dinheiro público, e não do BNDES. “Portanto é o povo que tem que ser beneficiado”, concluiu. (fonte: assessoria parlamentar/foto reprodução)

 

Propaganda do PSB pede renúncia de Temer e pode ‘empurrar’ FBC e Fernando Filho para outra legenda

No campo do discurso, o governador de Pernambuco e vice-líder nacional do PSB, Paulo Câmara, pode até dizer que acredita na permanência do senador Fernando Bezerra Coelho e do ministro Fernando Filho (Minas e Energia) no partido. Mas na prática, essa possibilidade vai ficando distante.

Pelo menos é o que se viu na noite de ontem (22), durante a propaganda eleitoral dos socialistas, que pediram a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização imediata de eleições diretas. Se FBC e Fernando Filho defendem que o momento é de colaborar com o governo para ajudar o país a sair da crise, certamente não é no PSB que vão encontrar o respaldo que gostariam.

Vale lembrar, como este Blog já postou, que ambos estão sendo cogitados para ingressarem no DEM.

Paulo Câmara espera permanência de Fernando Bezerra e seu filho no PSB

O governador Paulo Câmara (PSB) tratou de baixar a temperatura em seu partido, do qual é vice-presidente nacional, e fez elogios ao grupo dos Coelhos. O senador Fernando Bezerra Coelho e seu filho, ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, têm entrado em rota de colisão com a executiva nacional da legenda e cogitam deixar o PSB. O PSD e o DEM são apontados como algumas das siglas que poderiam receber os descontentes.

Comigo, nas minhas conversas que sempre tive, não demonstraram nenhum interesse em sair do partido“, disse o governador durante entrevista na Rádio Jornal na manhã desta quinta-feira.

O senador e o ministro são favoráveis às reformas da Previdência e trabalhista, mas o PSB é contra as propostas do governo de Michel Temer (PMDB). O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, já criticou os pernambucanos abertamente. O clima entre o dirigente e Fernando Bezerra Coelho também não é bom porque um quer se reeleger e o outro apoiará a candidatura do vice-governador de São Paulo à presidência do partido.

O PSB, como todo partido, tem história, tradição, ideário programático, é progressista, sempre lutou por democracia e justiça, é um partido que discute muito as ideias. É um processo natural de todo partido, acontece de vez em quando em alguns os partidos e o PSB está passando por esse processo. Mas a gente sempre busca sentar na mesa e o diálogo é a forma mais adequada de superar essas questões. Tenho conversado com Fernando, com Fernando Filho, estive lá em Petrolina, com o prefeito Miguel Coelho“, disse o governador, referindo-se a outro integrante da família Coelho.

Solidariedade

Paulo Câmara afirmou que via Fernando Bezerra e Fernando Filho preocupados em ajudar o Brasil e Pernambuco e destacou que a dupla sempre foi solidária com o governo estadual na atração de recursos. “Fernando um senador importante para Pernambuco e tem nos ajudado. Fernando Filho também. Eles têm um grupo político muito forte, atuante, que sempre esteve conosco, ajudou Eduardo (o ex-governador Eduardo Campos), me ajudou, a gente tem expectativa de continuar com eles para fazer o partido crescer em Pernambuco“, afirmou o governador. (Fonte: JC Online)

Gabriel Menezes afirma que valorização de artistas locais no São João de Petrolina fica só na teoria

Nem só de elogios vive o São João de Petrolina deste ano. Integrante da bancada de oposição, o vereador Gabriel Menezes (PSL) viu várias falhas nos festejos que estão acontecendo no Pátio Ana das Carrancas, zona oeste da cidade.

Num discurso realizado durante a sessão plenária na manhã desta quinta-feira (22) na Casa Plínio Amorim, Gabriel elencou algumas críticas, a começar pela grade de artistas locais, cujos cachês foram reduzidos em detrimento das atrações de renome contratadas para a festa.

“Eu discordo da prefeitura e da secretária Maria Elena (Cultura), que afirmam que nunca houve uma valorização aos artistas da região como agora”, reclamou, referindo-se a um projeto de lei da então vereadora Maria Elena, aprovado pela Câmara Municipal, que determinava à prefeitura destinar 50% da grade de programação aos artistas da terra. Para Gabriel, não adianta garantir os artistas locais nos festejos, se seus cachês foram reduzidos – a exemplo do de Targino Gondim e de Samuel Menino de Rua.

Ele também criticou o valor de R$ 15,00 cobrado no estacionamento, além do horário marcado para começar a programação – a partir das 18h30. “Quem trabalha no comércio, acaba perdendo seu artista preferido porque ele tocou mais cedo”, afirmou. As críticas foram respaldadas pelos demais integrantes da bancada.

Comissão da Alepe aprova inclusão do Ensino Fundamental em modelo de educação integrada de PE

Na última reunião da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Pernambuco no primeiro semestre, realizada ontem (21), a qual foi presidida pelo deputado Lucas Ramos (PSB/foto), a Casa aprovou projeto de lei do Governo do Estado, que amplia o modelo de educação integral na rede pública de ensino. Pela proposta, o Ensino Fundamental também passará a ser englobado nesse formato. Atualmente, o modelo integral é aplicado apenas para o Ensino Médio.

“O projeto contribuirá para alavancar ainda mais a educação de Pernambuco, que já é referência nacional. O modelo de ensino integral transformou o Ensino Médio pernambucano no melhor do Brasil e as nossas escolas ocupam o primeiro lugar no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB)“, lembrou Lucas. “Ao ampliar para o Ensino Fundamental, forneceremos uma formação ainda melhor para os alunos que terão mais tempo para as aulas e professores mais qualificados“, detalhou.

Ainda nessa área, a Comissão de Administração Pública aprovou outro Projeto de Lei (nº 1412/2017), instituindo o Programa de Educação Integrada, voltado para fortalecer as parcerias entre o Estado e os municípios pernambucanos. O foco é o desenvolvimento de ações de colaboração para melhorar os indicadores de qualidade da Educação Infantil e do Ensino Fundamental.

 No total, foram distribuídos 18 projetos de lei e discutidas outras 10 proposições. “Imprimimos um ritmo forte neste primeiro semestre na Comissão de Administração Pública e seguiremos nesta mesma intensidade de trabalho enquanto estivermos à frente do colegiado”, destacou Lucas Ramos. (Foto/Assessoria divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br