Vídeo Blog: Equipes da AMMA detectam esgoto que caía no Rio São Francisco pela rede pluvial

Preocupado com colapso do Rio São Francisco, senador FBC propõe nova audiência

Proposta pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), a próxima audiência pública a ser realizada pela Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas (CMMC) do Congresso Nacional tratará do iminente colapso do Rio São Francisco. Segundo FBC, o Velho Chico abastece diferentes municípios da Região Nordeste que, pelo sexto ano consecutivo, deverá enfrentar uma severa e prolongada seca.

Ontem (5) a CMMC aprovou requerimento do senador para a discussão do tema pelo colegiado, com destaque para a importância de revitalização das nascentes do São Francisco. “Novamente, o rio enfrenta períodos com precipitações muito baixas, sobretudo na cabeceira, o que sublinha a necessidade de serem tomadas medidas rápidas de revitalização, até mesmo em caráter emergencial”, ressaltou o líder do PSB no Senado, durante sessão de ontem à tarde do Plenário da Casa.

Para a audiência pública na CMMC, prevista para ocorrer ao longo dos próximos 15 dias, Bezerra Coelho – que foi presidente e relator da comissão em 2015 e 2016, respectivamente – antecipou que serão convidados ao debate, representantes de órgãos que monitoram o rio e acompanham a crise hídrica no Nordeste e em outras regiões do país, como no estado de Minas Gerais. “Que, junto com a Bahia, abriga grandes tributários de água para o São Francisco”, observou o líder.

Além da Agência Nacional de Águas (ANA), deverão participar da audiência pública na Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas instituições como a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o Ibama e o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O debate também tratará da situação da Serra da Canastra, em Minas Gerais, onde estão localizados importantes rios alimentadores do São Francisco. “É importante replantar as matas ciliares, drenar bancos de areia e proteger estes rios, muitas vezes esquecidos”, defendeu Fernando Bezerra, relator do Projeto de Lei 147/2010, que cria a Área de Proteção Ambiental (APA) e amplia os limites da Unidade de Conservação do Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC).

Lago de Sobradinho

Na presidência e relatoria da CMMC, o senador coordenou dezenas de audiências públicas destinadas a buscar soluções que evitassem o colapso hídrico no Nordeste. Um dos resultados destes debates foi a instalação de equipamentos de captação e bombeamento de água do Lago de Sobradinho para a garantia do abastecimento à população e aos perímetros da agricultura irrigada do Vale do São Francisco, graças ao empenho de Bezerra Coelho junto a diferentes órgãos do governo federal. As informações são da assessoria. (foto/divulgação)

Senadora baiana alerta ministro da Integração para revitalização do São Francisco

Vice-presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado, Lídice da Mata (PSB-BA) chamou a atenção do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, para a revitalização do Rio São Francisco. Durante audiência realizada nesta quarta-feira (5), cujo objetivo foi apresentar aos parlamentares as diretrizes da Pasta para os próximos dois anos, Lídice disse que sem a melhoria da qualidade da água do rio, a transposição não cumprirá sua função.

A presidente da Comissão, senadora Fátima Bezerra (PT-RN), lembrou que o assunto será tema de outra audiência pública da CDR, também com a participação do ministro, para detalhar o projeto ‘Novo Chico’, que pretende revitalizar o rio. O pedido dessa nova audiência partiu da senadora baiana, a quem o ministro, durante o encontro desta quarta, elogiou a iniciativa e confirmou participar em breve.

Lídice é autora do projeto de lei PLS 86/2015, aprovado em 2015 em decisão terminativa pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) do Senado, e prevê que o Programa de Revitalização do São Francisco se torne uma política pública mais consistente. Com este projeto, a senadora quer fazer constar em lei princípios, objetivos e ações prioritárias para revitalizar a bacia, por meio de ações coordenadas.

Ela também incluiu, na proposta, a previsão de criação de órgãos específicos para a gestão de recursos hídricos nos governos dos estados e nas prefeituras de municípios cortados pelo rio. O projeto determina, ainda, que os recursos arrecadados com a cobrança pelo uso da água do Velho Chico sejam aplicados, prioritariamente, na recuperação de áreas degradadas. Também estabelece que sejam criadas ou ampliadas unidades de conservação em áreas essenciais para a produção de água na bacia hidrográfica. O PLS 86/2015 encontra-se em análise na Câmara dos Deputados. (foto/assessoria divulgação)

 

 

Pescadores denunciam desmatamento em área ribeirinha de Petrolina

Pescadores da área ribeirinha de Petrolina denunciam desmatamento irregular de área próximo à comunidade de Pedrinhas. Em contato com o Blog, eles disseram que uma área nas imediações do Sítio Rio Verde II foi desmatada, inclusive árvores de grande porte foram derrubadas.

Jatobás, baraúnas e umburanas foram destruídas pela raiz. Além disso, estão construindo um píer e assoreando ainda mais o Rio São Francisco, que já está tão raso”, afirmaram, sem se identificar. Eles não souberam, no entanto, quem está praticando o desmatamento. Com a palavra, as autoridades competentes. (foto/ilustração)

Carga irregular de pescados é apreendida pelo Ibama em Sento-Sé

Em Sento-Sé, no norte da Bahia, o Ibama fez mais uma grande apreensão de peixes. O fato aconteceu ontem (4), próximo ao povoado de Riacho dos Paes, área rural do município. Na ação, os fiscais do órgão também apreenderam malhas de rede de pesca impróprias. Os pescados estavam sendo transportados num caminhão-baú.

De acordo com informações, o motorista e o proprietário do veículo foram encaminhados à delegacia, pois eles não possuíam licença para pesca e estavam fora dos padrões determinados pelo Ibama. Já os peixes apreendidos foram doados para instituições municipais e uma creche local. A ação contou com o apoio da Polícia Militar. (foto: Tony Lopes/divulgação)

Vídeo Blog: Secretário fala em “atuar com rigor” na legalização de licenciamentos em Petrolina

Vazão do Lago de Sobradinho volta a prejudicar barquinhas na travessia Juazeiro/Petrolina

A primeira etapa da redução da vazão, de 650 metros cúbicos de água por segundo (m³/s) do Lago de Sobradinho, no norte da Bahia, voltou a interferir no atracamento das barquinhas que fazem a travessia pelo Rio São Francisco entre Juazeiro/Petrolina.

Devido ao baixo nível do Velho Chico, as barquinhas estão parando cada vez mais distantes, o que tem ocasionado transtornos aos passageiros, que muitas vezes sujam os pés ao descerem das embarcações. Com o período chuvoso, a situação piora.

Tanto em Juazeiro quanto em Petrolina, a água já recuou bastante da margem do rio. Anteriormente, estava em vigor a autorização para a média diária mínima de 700 m³/s. Vale frisar que a o Lago de Sobradinho está, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), com pouco mais de 15% de seu volume útil.

Caso não seja observado o comprometimento aos usos da água e aos usuários do recurso, a Chesf poderá executar a segunda etapa do teste, que terá vazão reduzida para uma média diária de 600 m³/s”, justificou a Agência Nacional de Águas (ANA), após autorizar a diminuição da vazão.

Chuvas renovam esperança de sertanejos

As chuvas registradas em municípios do Sertão pernambucano e no Norte da Bahia na quarta-feira (29) animaram os moradores, que fazem questão, nesse período, de demonstrar todo o orgulho em ver e ser agraciados com um verdadeiro presente da natureza.

Em tempos de trocas rápidas de informações, as redes sociais são o ambiente mais utilizado para compartilhar com os amigos a sensação de ver a terra árida molhada pelas gotas que tocam carinhosamente um solo tão agredido.

Em Petrolina, choveu em várias localidades como Rajada e Pau Ferro, zona rural do município. Também choveu em Juazeiro, Uauá e outras cidades do norte da Bahia. A chuva também caiu em outros municípios pernambucanos a exemplo de Serra Talhada, Tabira e São José do Belmonte.

Rodrigo Novaes repercute na Alepe audiência pública sobre efeitos da transposição em Floresta

O deputado estadual Rodrigo Novaes (PSD) repercutiu na tribuna da Casa Joaquim Nabuco, nesta quarta-feira (29/03), a audiência pública realizada na Câmara de Vereadores do município de Floresta no último dia 28. O objetivo da reunião foi para tratar os efeitos da transposição do Rio São Francisco na área.  Participaram da ocasião o diretor de Extensão Rural do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Albérico da Rocha; o coordenador Estadual em Pernambuco do Departamento Nacional Contra as Secas (Dnocs), Marcos Rueda e o gerente regional da Compesa, Sérgio Bruno de Sá.

O parlamentar destacou o problema com a escassez de água na localidade. “Floresta é nascedouro do canal leste da transposição do Rio São Francisco. Vemos a água passar na nossa frente e ser levada para Campina Grande e Monteiro. O povo tem passado sede”, relatou.

O deputado fez, também, um apelo para que liberem água da Barragem do Muquém para a Barragem da Barra do Juá. A distância entre as duas é de apenas oito quilômetros. “Se conseguirmos liberar 10% da capacidade da barragem, será um grande alento para milhares de famílias ao longo de 72km do Riacho do Navio.

Novaes ressaltou ainda a importância da Barragem da Barra do Juá ser requalificada com celeridade. “Já existe uma obra em licitação em Fortaleza, no Ceará. Vamos solicitar que esta obra saia do papel e sensibilizar os órgãos em Brasília. Para o governo é só uma assinatura no papel, para toda essa gente é dignidade e esperança. É comida na mesa do trabalhador”, concluiu.

Seca castiga município de Dormentes

A seca está castigando diversos municípios da região. Em Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco, a estiagem tem castigado o homem do campo, lavouras e animais sem água apropriada para consumo e irrigação.  Sem chuva e com os reservatórios de água quase secos, os agricultores não sabem a quem recorrer.

A economia local também é afetada, pois muitos criadores estão falando em  acabar com seus rebanhos e lamentando não ter compradores interessados nas feiras. Enquanto o tempo não muda, a população continua rezando para a chuva chegar, tentando minimizar as dificuldades. Assim como em Dormentes, outros municípios aguardam ações dos governos Municipal e Estadual.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br