Enquanto isso…

mariano

Papa Francisco elogia acordo climático da COP-21

Papa Francisco

O Papa Francisco elogiou neste domingo (13) o acordo adotado pelos 195 países para lutar contra o aquecimento global, pedindo bastante atenção para com os países mais afetados por este fenômeno. “A aplicação do acordo que muitos classificam como histórico exigirá um compromisso unânime e um generoso envolvimento por parte de cada um”, afirmou o Papa, durante a tradicional oração do Angelus na Praça de São Pedro.

O papa insistiu que se dê atenção às populações mais vulneráveis.

“Peço à comunidade internacional em sua totalidade que acompanhe cuidadosamente o caminho empreendido, dentro de uma solidariedade cada vez mais ativa”, concluiu.

Um acordo inédito para lutar contra o aquecimento global, cuja velocidade ameaça o planeta com catástrofes climáticas, foi adotado durante a COP-21 neste sábado (12) em Paris, sob uma salva de palmas por 195 países, após vários anos de negociações extremamente árduas.

O Acordo de Paris vai substituir a partir de 2020 irá o atual Protocolo de Kyoto, e estabelece as bases para a redução das emissões de gases de efeito estufa e, mais importante, para começar a sonhar com um mundo sem combustíveis fósseis. (fonte/foto: AFP)

Senado aprova MP que permite a concessionárias de energia reajustar tarifa por conta de estiagem

hidrelétrica sobradinhoNa véspera do leilão de 29 usinas hidrelétricas, o plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (24), por 44 votos a favor e 20 contra, a medida provisória que permite que as concessionárias de energia repassem para o consumidor final os custos de despesas extraordinárias provocadas pela estiagem na geração de energia hidrelétrica. A proposta do Executivo pretende compensar as hidrelétricas por eventuais perdas financeiras.

O texto, que já foi aprovado pela Câmara dos Deputados, seguirá agora para a sanção ou veto da presidente Dilma Rousseff. O Executivo contava com a aprovação da medida provisória antes do leilão das hidrelétricas cujos contratos de concessão venceram ou estão próximos do fim.

A proposta estabelece que, se houver uma seca muito forte, a tarifa da conta de luz poderá aumentar. Por outro lado, se tiver excesso de chuva e, consequentemente, maior geração de energia, o consumidor poderá ser beneficiado.

O governo justifica a necessidade da medida para equilibrar as perdas das empresas geradoras de energia devido à estiagem que atinge o país desde 2013.

Diante da seca, as empresas intensificaram o uso de usinas térmicas – que é uma energia mais cara – para conseguir cumprir seus contratos e acabaram com um rombo financeiro.

Bônus

Com o leilão marcado para esta quarta, o governo federal projeta receber R$ 17 bilhões em bônus de outorga, sendo que R$ 11 bilhões serão pagos no ato da assinatura da concessão, ainda neste ano. A equipe econômica conta com esses recursos para cumprir sua meta de déficit primário em 2015. Se a expectativa de receita com o leilão for frustrada, o déficit pode ser ainda maior.

O relator da proposta no Senado, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), destacou que a aprovação da medida provisória ajudará “sobremaneira” o caixa do Tesouro Nacional. “Neste momento de fragilidade, trata-se de medida justa para a saúde fiscal da União”, disse. A aposta do Executivo é que a MP trará mais segurança jurídica para o setor em relação aos riscos da crise hídrica, tornando o leilão mais atrativo para interessados. (fonte: G1/foto Barragem de Sobradinho/reprodução)

Enquanto isso…

paz1-438x420.jpg.pagespeed.ce.qvbFpkhgb_

Após atentados de ontem, França vive pior dia de sua história desde a 2ª Guerra Mundial

atentados frança

Poucas horas após o mais violento ataque da história francesa desde a Segunda Guerra Mundial, imagens da madrugada deste sábado mostravam uma Paris quase deserta – algo bastante sintomático para aquela que é uma das mais boêmias metrópoles do mundo.

Relatos dão conta de que as poucas pessoas que tentaram sair às ruas foram orientadas pelos mais de 1.500 soldados que tomaram a cidade a se recolherem – mesmo pedido da prefeitura parisiense e da polícia desde o início dos ataques que deixaram mais de 120 mortos e um rastro de feridos na noite desta sexta-feira.

A França amanhece em estado nacional de emergência pela primeira vez desde 2005 – o decreto permite às autoridades a fechar espaços públicos, impor toque de recolher e restrições à circulação de veículos e pessoas.

Embora suas fronteiras tenham sido fechadas, serviços de trem, como o prestado pela Eurostar entre Paris e Londres, devem ser mantidos. Pelo Twitter, a empresa confirmou que as viagens continuarão, mas ofereceu aos passageiros a possibilidade de remarcar seus tickets.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, os aeroportos ficarão abertos e operando. Já escolas e universidades da região de Paris amanheceriam fechadas, diziam as agências de notícias.

Em meio a informações ainda desencontradas sobre o número de vítimas e de autores dos ataques mortos, um promotor afirmou a jornalistas que cúmplices dos atentados ainda poderiam estar à solta. Até a publicação deste texto, nenhum grupo havia reivindicado os ataques. Relatos apontavam que oito dos autores haviam morrido, sete deles após acionarem cintos suicidas.

“Ato bárbaro”

O clima de insegurança chegou aos Estados Unidos, onde algumas grandes cidades, como Nova York, afirmaram que reforçariam sua vigilância nos próximos dias. A Bélgica anunciou um aumento no controle de suas fronteiras, especialmente a que a liga com a França.

Ao falar com a imprensa do lado de fora da casa de shows Bataclan, cenário de maior parte das mortes, o presidente francês, François Hollande, classificou os atentados como “uma abominação e um ato bárbaro” e disse que o país travará uma luta “sem misericórdia” contra os “terroristas”. Ele cancelou sua viagem à Turquia, onde participaria do encontro do G20.

Líderes mundiais, como presidente norte-americano, Barack Obama, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, prestaram solidariedade e ofereceram ajuda à França. (fonte/foto: BBC Brasil)

‘Não me enterrem’: apelo de menino ferido se torna símbolo contra a guerra no Iêmen

farred

Um vídeo de um menino do Iêmen (país Árabe) deitado em uma cama de hospital sendo atendido por médicos após um ataque com míssil foi visto mais de 50 mil vezes no Facebook e virou um símbolo do custo humano da guerra em seu país. O vídeo mostra Fareed Shawki, de seis anos, com lágrimas nos olhos, pedindo aos médicos: “Não me enterrem”. (mais…)

Cônsul de Cuba visita Vale do São Francisco para reforçar parcerias

Laura Ivet CubaQuem está em visita ao Vale do São Francisco é a cônsul de Cuba, Laura Ivet Pujol Torres. Nesta quinta (15) e sexta-feira (16) ela conhecerá vinícolas em Pernambuco e Bahia e terá reuniões com os prefeitos Julio Lossio (Petrolina) e Isaac Carvalho (Juazeiro).

O objetivo da vinda de Laura à região é promover negócios entre o Vale e o país de Fidel Castro. Na sua agenda, ela vai proferir uma palestra para empresários, às 20h desta quinta, no Grande Hotel de Juazeiro. (foto/reprodução)

Atirador invade universidade norte-americana e deixa ao menos 10 mortos, segundo rede de TV

oregon-faculdadeUm atirador disparou nesta quinta-feira (1º) na Umpqua Community College, faculdade comunitária no estado do Oregon, nos Estados Unidos. A faculdade, que fica a 9,7 km da cidade de Roseburg, foi fechada. A polícia foi ao local, houve troca de tiros com o suspeito, e ele morreu.

O xerife do condado de Douglas, John Hanlin, deu uma coletiva de imprensa, mas não divulgou o número de mortos. Ele informou apenas que o atirador era um homem que foi localizado em uma sala de aula. Segundo o xerife, houve troca de tiros, e o suspeito foi morto. Os policiais não ficaram feridos. A governadora do Oregon, Kate Brown, disse em pronunciamento em Portland que o atirador tinha 20 anos.

Até o momento o número de mortos no incidente não está claro. A rede CNN informa que 10 pessoas morreram e 20 ficaram feridas com os disparos. Já a agência Reuters diz que a imprensa local informa 15 mortos citando a polícia do Oregon. O procurador-geral do estado disse à afiliada da rede NBC em Portland que 13 pessoas morreram.

Os feridos foram transportados para receber atendimento médico. Outros estudantes e funcionários da faculdade foram levados de ônibus a um centro do condado para encontrar seus familiares.

Lei

O Oregon é um dos estados americanos que permitem a entrada com armas de fogo no campus das universidades públicas – as instituições podem proibi-las apenas dentro dos edifícios.

De acordo com o projeto Armed Campuses, que monitora as leis relativas ao tema em cada estado do país, em 2011 a Justiça decidiu que as universidades e escolas públicas do Oregon não tinham mais autoridade para proibir a entrada com armas em seu espaço físico.

A lei permite que cada instituição restrinja armas somente dentro dos edifícios, alojamentos, centros de eventos e salas de aula. A regra não vale para universidades privadas, que ainda têm o direito de proibir as armas em todo o seu espaço. (fonte: G1-SP/foto: Mike Sullivan/Roseburg News-Review via AP)

Papa se encontra com ex-presidente Fidel Castro

sop_ap_spani_span_cu_franO Papa Francisco se encontrou com o ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, neste domingo (20), e fez uma visita ao líder revolucionário de 89 anos em sua casa em Havana, de acordo com um porta-voz do Vaticano.

Segundo o padre Federico Lombardi, a reunião entre Francisco e o ex-presidente teria durado entre 30 e 40 minutos e ocorreu em um “ambiente muito familiar e informal”, com a presença da esposa do líder cubano, Dalia Soto del Valle.

O encontro foi realizado durante a visita do Papa Francisco à Cuba, que chegou ao país neste sábado (19). Fidel Castro, irmão mais velho do atual presidente de Cuba, Raul Castro, esteve à frente do governo cubano desde 1959, até renunciar por questões de saúde primeiramente em 2006, e então, de forma definitiva, em 2008.

Francisco também pediu durante a celebração que o governo da Colômbia e os guerrilheiros das Farc garantam que as negociações de paz que já duram três anos sejam bem sucedidas, pondo fim a uma “longa noite” de conflitos.

Por favor, não temos direito de permitir outro fracasso neste caminho de paz e reconciliação“, disse o Papa, durante uma missa campal na Praça da Revolução, em Havana, para logo depois agradecer ao presidente cubano Raul Castro por seu apoio a este diálogo.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos colocou sua reputação em jogo ao buscar um pacto com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), tentando colocar fim à insurgência mais longa da história da América Latina, que já matou 220 mil pessoas e deslocou milhões ao longo de 50 anos.

Que o sangue vertido por milhares de inocentes durante tantas décadas de conflito armado (…) dê sustentação a todos os esforços que estão sendo feitos, inclusive aqui nesta bela ilha, para uma definitiva reconciliação. Assim, essa longa noite de dor e de violência poderá se transformar em um dia sem anoitecer”, disse Francisco. (De agência/foto reprodução)

Jornal britânico sentencia: “Brasil é um doente em estado terminal”

ftSe o Brasil fosse um paciente internado, os médicos do pronto-socorro o diagnosticariam como doente terminal”, diz o jornal britânico “Financial Times”. “Os rins já pararam; o coração vai em breve” – segundo a publicação, a avaliação é de um senador do Partido dos Trabalhadores (PT).

Em análise publicada com o título “A terrível queda do Brasil da graça econômica”, o jornal diz que a economia brasileira está “uma bagunça”, e que deve encolher até 3% este ano e 2% em 2016.

“As finanças públicas estão em desordem”, diz o texto, lembrando que o governo estimou, este mês, que as contas públicas deverão ter déficit primário no próximo ano, o que levou a agência de classificação de risco Standard & Poor’s a retirar o grau de investimento do Brasil.

“Dado o difícil ambiente externo – a desaceleração da economia da China, o colapso dos preços das commodities e a alta dos juros dos EUA – o Brasil está sofrendo os primeiros sinais de um estresse econômico extremo”, diz o “FT”.

Crise política

O jornal aponta, no entanto, que “ironicamente”, não foram os problemas econômicos que levaram à decisão da S&P, mas sim a crise política: “Dilma Rousseff, a presidente, não é amada por seu próprio partido, e sofre forte rejeição: ela é o presidente mais impopular da história do Brasil. Por isso é quase impossível para ela responder adequadamente aos problemas econômicos. Especialmente com o Congresso mais preocupado em salvar a própria pele de uma investigação de corrupção que desviou US$ 2 bilhões da estatal de petróleo, a Petrobras”.

“O sistema político brasileiro é bem conhecido por ser pobre. Agora também não está funcionando”, diz o texto. (fonte: G1-SP/foto reprodução: Financial Times)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br