Funcionários do Banco do Nordeste continuam de braços cruzados em Petrolina

Funcionários da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil voltaram às atividades nesta quinta-feira (27), depois de nove dias de greve. Em Petrolina, apenas o Banco do Nordeste permanece de portas fechadas.

Segundo o Sindicato da categoria, os funcionários não concordam com alguns pontos da pauta de reivindicações. Uma reunião será realizada hoje à noite, às 18h, para decidir os rumos da greve.

Já na cidade vizinha, em Juazeiro, apenas os funcionários da Caixa Econômica Federal não retomaram as atividades.

Os funcionários dos bancos públicos e privados aceitaram a proposta do setor patronal de 7,5% de reajuste para os salários, o que representa um aumento real de 2%. Para repor os dias parados, os funcionários irão trabalhar, internamente, duas horas a mais por dia. O horário de funcionamento das agências não sofrerá alterações.

1ª Conferência de Desenvolvimento Regional de Pernambuco prossegue até sexta

A 1ª Conferência de Desenvolvimento Regional de Pernambuco, aberta nesta quarta-feira (26) no Recife, prosseguirá até sexta (28). Na abertura, o ministro Fernando Bezerra Coelho ressaltou a importância do evento. “Esta é a melhor oportunidade para que o Brasil possa fortalecer e desenvolver a economia e a política de suas regiões. O povo precisa se orgulhar de viver no Brasil, independente da cidade em que esteja. E é para isso que damos início a estas discussões”, enfatizou.

Realizadas pelo Ministério da Integração Nacional, em parceria com Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), as conferências unem durante três dias de debates, representantes da sociedade civil e do poder público para, em conjunto, discutir ideias em benefício da igualdade regional em todos os estados da federação.

Representando o governador Eduardo Campos, o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Frederico Amâncio, destacou ser fundamental uma sintonia entre os governos e a sociedade civil para garantir um desenvolvimento sustentável. “É claro que todos os estados brasileiros podem crescer de maneira organizada, mas, para isso, esta união entre sociedade civil e governos é fundamental para alinharmos as necessidades”.

As conferências já ocorreram em 21 estados – Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Alagoas, Rio Grande do Norte, Piauí, Roraima, Amazonas, Rio de Janeiro, Acre, Paraíba, Rondônia, Bahia, Tocantins, Amapá, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Ceará, Paraná e São Paulo. As informações são da assessoria de comunicação do Ministério da Integração Nacional. (Foto/divulgação)

Estiagem leva criadores na zona rural de Petrolina a recorrerem à silagem

O G1, portal de notícias do globo.com, destinou uma reportagem divulgada nesta quarta-feira (26), sobre a decisão dos criadores de caprinos e ovinos em Petrolina de recorrerem à silagem. Em algumas propriedades na zona rural do município, segundo a reportagem, a reserva de alimento estava guardada desde 2009.

A seca que castiga o semiárido nordestino, considerada a maior dos últimos 30 anos, destrói plantações e causa prejuízos também para criadores da região. Sem água e sem pasto, o gado perde bastante peso.

Os primeiros silos da região começaram a ser abertos neste mês. Em épocas de chuvas, quando as plantações de forrageiras, como milho e sorgo, por exemplo, estão bem verdes, uma grande quantidade é colhida, finamente triturada e armazenada nos silos, que são estruturas geralmente cobertas com plástico, que protegem o material do ar e da água, impedindo o apodrecimento. Como foi colocado por debaixo da terra, o silo é chamado de trincheira e garante uma conservação de até cinco anos.

Nas terras do criador Idílio Alves são quase 100 cabeças de gado e 200 de caprinos e ovinos. Em 2009, o criador se preveniu e resolveu investir na silagem. Como este ano o capim não vingou, o silo teve que ser aberto.

Presidente da Compesa descarta venda da Companhia, mas admite que PPP é saída para consolidar obras

Um dos assuntos inevitáveis no debate entre os candidatos a prefeito do Recife, realizado ontem (25) pela TV Jornal, a suposta venda da Compesa por parte do estado voltou a ser descartada. Primeiro foi o governador Eduardo campos (PSB) que já havia desmentido a informação veiculada no guia eleitoral de Humberto Costa (PT). Agora é o presidente da Companhia, Roberto Tavares (foto), quem ratifica a garantia do socialista.

Numa coletiva de imprensa no Recife, Tavares afirmou que privatização é bem diferente da proposta de Parceria Público-Privada (PPP), desenhada pelo governo do Estado/Compesa, na qual o poder público não irá transferir os serviços para o privado em caráter definitivo. Haverá o esforço conjunto do poder público e da iniciativa privada para a realização de obras de esgotamento sanitário em 15 municípios, sendo 14 da Região Metropolitana do Recife (RMR), mais a cidade de Goiana, na Mata Norte. O investimento previsto é de R$ 4,5 bilhões.

Não é verdade que iremos vender a Compesa. Muito pelo contrário. Em 2009, o governo estadual recomprou os 30% das ações que estavam em poder da Caixa Econômica Federal”, afirmou Tavares, ao enumerar alguns pontos que justificam a diferente entre os dois processos.

Pela PPP, haverá regras claras de eficiência para o contrato entre a Compesa e um parceiro privado responsável por realizar os serviços e obras por prazo determinado. “O controle continua sendo do estado e o parceiro privado apenas uma empresa subcontratada”, acrescentou. A população também foi tranquilizada pelo presidente da Compesa, ao garantir que a conta de água e esgoto não irá aumentar em função da PPP do Saneamento. “Não serão aplicadas tarifas diferenciadas para a RMR e o restante do Estado. A conta continuará sendo única, emitida e entregue pela Compesa”, disse.

Tarifa Social

Tavares informou ainda que a política tarifária permanecerá subordinada à deliberação da Agência de Regulação de Pernambuco (ARPE). Também lembrou que a Tarifa Social será mantida nas contas de água e que esses consumidores continuarão isentos da taxa referente aos serviços de esgoto, conforme determina decreto assinado pelo governador Eduardo Campos. Toda a política de relacionamento com os clientes continuará sendo administrada pela Compesa. Sobre as áreas consideradas de ocupação especial, que apresentem condições mínimas de urbanização, serão imediatamente contempladas. “As que não têm, faremos parcerias com as prefeituras para agilizar essas intervenções”, adiantou.

Ao justificar o projeto da PPP, Tavares explicou que apesar dos mais de R$ 2 bilhões investidos em obras de água e esgoto em Pernambuco nos últimos cinco anos, ainda há muito o que fazer. Na Região Metropolitana, o índice de cobertura de esgoto é de 30% e o do Estado, 20%. Segundo Tavares, apesar das parcerias já realizadas com o governo federal, o estado não teria capacidade de endividamento para captar todos os recursos necessários para a universalização dos serviços de esgotamento sanitário. Com a PPP, a Compesa irá ampliar de 30% para 90% o nível de atendimento em 12 anos. “Levaríamos 50 anos para executar todas as obras, levando-se em consideração o atual modelo de captação de recursos”, pontuou. As informações são da assessoria de comunicação da Compesa.

Bancários aprovam proposta da Fenaban, mas fim da greve ainda depende das assembleias

O Comando Nacional de Greve dos bancários considerou positiva a contraproposta oferecida nta terça-feira (25) pela Federação Nacional de Bancos (Fenaban). Segundo a presidente do Sindicato dos Bancários, Juvandia Moreira, o comando de greve vai recomendar a aprovação do acordo nas assembleias regionais que ocorrerão nesta quarta-feira  (26) em todo o país. “Teve avanços nos pontos que a gente tinha apontado que era importante avançar”, disse.

A proposta da Fenaban concede reajuste de 7,5% (2% de aumento real), elevação do piso da categoria e do vale-refeição e vale-alimentação em 8,5% (2,95% de reajuste sobre a inflação). Os bancários reivindicavam reajuste de 10,25%, o que significa 5% de aumento descontada a inflação do período. Antes da greve, iniciada na última terça-feira (18), os bancos tinham proposto elevar os salários da categoria em 6%, o que garantiria um ganho real de 0,58%.

Em pouco mais de uma semana de greve o movimento conseguiu paralisar 9,3 mil agências em todo o país, segundo os sindicatos. Caso a proposta dos banqueiros seja aprovada nas 137 assembleias que devem ocorrer hoje, o funcionamento dos bancos pode ser normalizado na quinta-feira (27). (de Agência)

2ª edição da “Expo7Show” movimentará setor agropecuário de Sento-Sé (BA) em novembro

O município de Sento-Sé (BA), no norte do estado, sediará de 07 a 09 de novembro a segunda edição da feira agropecuária “Expo7Show”. O evento foi lançado este mês na Câmara de Vereadores e teve a presença de produtores, estudantes, professores, representantes de associações e empresários.

O objetivo do evento é contribuir para tornar mais eficientes os sistemas de produção explorados no município, por meio da disseminação de tecnologias disponíveis. Organizada pelo Colégio Estadual Sete de Setembro, a feira envolve a participação de todos, desde a direção e professores até alunos e colaboradores. A Expo também é apoiada pela Embrapa Semiárido e Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) que, juntas, realizam na escola atividades do projeto Lago de Sobradinho (BA). Conta ainda com a parceria do Sebrae-BA, da Associação Velas do São Francisco e da Cooperativa dos Produtores de Cebola de Sento Sé.

Na primeira edição, realizada em novembro de 2011, mais de mil pessoas passaram pela feira. A exposição das tecnologias na área aberta da escola é elaborada pelos estudantes dos cursos técnicos de Agropecuária e Agronegócio, que, acompanhados pelos professores, pesquisam, fazem os plantios, montam as maquetes e os equipamentos, e se preparam para oferecer explicações aos visitantes.

Na área também são apresentados trabalhos realizados pela comunidade, associações, cooperativas, sindicatos e ONGs, visando à divulgação do potencial científico, artístico, criativo e empreendedor dos participantes. Durante a programação serão oferecidos minicursos, oficinas e palestras, ministrados por técnicos e pesquisadores da Embrapa Semiárido e outras instituições parceiras, capacitando alunos e produtores rurais em diversas áreas da produção agrícola. As informações são da assessoria da Embrapa Semiárido.

Governo de Pernambuco anuncia alíquota zero de ICMS para venda de carros usados

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta terça-feira (25), que vai isentar as vendas de carros usados do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no estado. A alíquota do ICMS é de 1% para a venda de veículos usados. A partir de 1º de dezembro, vai ser zerada por um período de seis meses. “Depois desses seis meses, vamos fazer um balanço para analisar o impacto dessa decisão sobre a nossa economia e, então, decidimos se prorrogamos ou não”, explica o governador Eduardo Campos.

O decreto foi assinado pelo governador em cerimônia na sede provisória do Governo, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, com a presença de representantes do setor de revenda de carros e de políticos.

O presidente da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores de Pernambuco, Antônio Selva, defende que a redução do imposto é essencial para a manutenção do setor. “É um esforço louvável para que possamos manter mais de 20 mil empregos diretos e indiretos, é um momento ímpar para nós”, declara Selva.

As disparidades de oportunidades entre a venda de carros novos e usados também fez parte do discurso de Eduardo, que cobra do Governo Federal uma mudança de postura. “Tem desequilíbrios que nós estamos chamando a atenção do próprio governo federal. É preciso que se dê as mesmas condições para quem vende o carro novo e o usado. O imposto cobrado é muito maior nas transações com carro usado”, afirma o governador. (Fonte/foto: Secretaria de Imprensa PE )

Em discurso da ONU, Dilma bate forte na política dos países ricos para conter crise

A presidente Dilma Rousseff criticou nesta terça-feira (25), durante discurso na abertura da 67ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA), a política dos países ricos contra a crise financeira internacional.

Segundo ela, a crise econômica internacional de 2008 “ganhou novos e inquietantes contornos”.

A opção por políticas econômicas ortodoxas vem agravando a crise em economias desenvolvidas. (…) As principais lideranças do mundo desenvolvido ainda não encontraram caminho que articulam ajustes fiscais para interromper a recessão“, disse.

O encontro da ONU em Nova York reúne os 193 países-membros da organização e se dá em meio à tensão vivida em vários países do Oriente Médio, com protestos e ataques a embaixadas dos Estados Unidos no mundo árabe. No discurso, ela também voltou a defender a soberania da Palestina e criticou o que chamou de “preconceito islamofóbico”.

Para a presidente, “a política monetária não pode ser a única resposta para interromper o crescente desemprego, a pobreza e o desalento que afeta no mundo as camadas mais vulneráveis da população”.

Segundo Dilma, as ações dos países ricos acarretam prejuízos para os países em desenvolvimento. “Os bancos centrais dos países desenvolvidos insistem em política monetária e os países emergentes perdem mercado devido à valorização artificial de suas moedas”.

Protecionismo

A presidente brasileira pediu que medidas de proteção, como as tomadas pelo governo brasileiro para defender a indústria nacional, não sejam “injustamente classificadas como protecionismo”.

“A legítima defesa comercial está amparada pelas normas da Organização Mundial do Comércio. (…) O protecionismo e formas de manipulação do comércio devem ser combatidas”, disse, acrescentando que algumas ações ocorrem de “forma espúria e fraudulenta”.

A presidente brasileira classificou como “urgente” a construção de um “amplo pacto” pela retomada do crescimento global. “Não haverá resposta eficaz à crise enquanto não se intensificarem esforços de cooperação entre os países e organismos multinacionais, como o G20″.

Dilma classificou de “falso dilema” o entendimento que as medidas de ajuste fiscal não devem ser atreladas aos estímulos ao crescimento econômico. Ela citou o exemplo do Brasil, onde, segundo a presidente, crescimento e austeridade convivem.

“Superamos a visão incorreta que coloca de um lado as medidas de austeridade e o estímulo ao crescimento. Esse é um falso dilema”, afirmou.

Assembleia da ONU

Antes do discurso, Dilma se encontrou com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Ele também falou na conferência e fez um apelo pela paz mundial. (Do G1 c/foto)

Greve nacional dos bancários completa uma semana nesta terça-feira

A greve nacional dos bancários completa nesta terça-feira (25) uma semana. Em Pernambuco, 87% das agências bancárias e mais de dez mil funcionários aderiram ao movimento. Em todo o País, são mais de dez mil agências fechadas. De acordo com a presidente do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Jaqueline Mello, não há previsão de acabar.

Bancos como o Bradesco, o Itaú, o Santander e o Banco do Brasil já entraram na Justiça com interditos proibitórios contra o direito de greve dos bancários. No entanto, a Justiça reconheceu o direito de greve dos trabalhadores e cassou as liminares. “Com essas ações, nós não podemos impedir a entrada dos clientes nem dos funcionários em agências destes bancos. Mas nós já não fazemos isso, vamos continuar com nosso trabalho de convencimento”, afirmou Jaqueline.

Os bancários solicitam, entre outros itens, 10,25% de aumento salarial. Até agora, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) só apresentou uma proposta de reajuste, de 6%. “A greve continua muito forte. Somente no Recife, 95% das agências estão fechadas e nós continuamos dispostos a conversar”, completou a presidente.(de Agência)

Escândalo do São João: Segundo “O Estado de S.Paulo”, Lóssio teria feito festa com recursos destinados à pobreza e à seca

O prefeito de Petrolina e candidato à reeleição, Júlio Lóssio (PMDB), promoveu uma festa junina de R$ 8 milhões às vésperas do período eleitoral, usando um remanejamento de despesas que tirou dos recursos de secretarias voltadas para o combate à pobreza e à seca. A denúncia foi veiculada hoje (25) pelo Jornal “O Estado de S.Paulo”.  

Descrito pela prefeitura como o maior espetáculo da região, o São João do Vale atraiu para a cidade, de 15 a 30 de junho, astros do forró e do sertanejo como Leonardo, César Menotti & Fabiano, Dominguinhos, Victor & Léo e Paula Fernandes.

O investimento só foi possível por meio de lei sancionada pelo prefeito, que autorizou a anulação de R$ 16,8 milhões em despesas de pelo menos 19 setores da administração, entre eles as Secretarias de Defesa Social, Desenvolvimento Rural e Irrigação. As duas últimas são responsáveis diretas pela assistência à população que sofre com a seca.

Os efeitos da estiagem neste ano são os piores das últimas três décadas em Pernambuco e levaram o prefeito, após a aprovação da lei, a decretar situação de emergência.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) informou ontem (24) que abrirá inquérito para averiguar possíveis irregularidades, entre elas a contratação de empresa sem capacidade econômica para organizar a festa junina.

A festa junina está sendo paga pela prefeitura em seis parcelas. Por ora, o remanejamento total do orçamento em prol do evento chega a R$ 9 milhões.

O prefeito também responde à ação ajuizada este mês por suposta burla à lei para contratar, sem licitação, entidade para execução de um projeto.

Justificativa

Segundo o jornal,  a Prefeitura de Petrolina afirma que os cortes não afetaram o combate à seca, mas outras atividades. E que, por meio de proposta enviada à Câmara, pretende incorporar ao orçamento R$ 3,1 milhões para ações como o abastecimento de água. O prefeito diz que a festa valeu a pena, pois rendeu R$ 100 milhões para a economia da cidade. “Espero que tenha me ajudado e que as pessoas tenham reconhecido isso”.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br