Seminário sobre convivência produtiva com a seca será realizado na Embrapa Semiárido

A Embrapa Semiárido, em Petrolina, prepara-se para um seminário sobre convivência produtiva com a seca. O evento acontecerá nos dias 14 e 15 de março, das 8h às 17h. Durante o seminário serão debatidos os seguintes temas: cenários climáticos da seca prolongada e seus impactos no Bioma Caatinga, relatos de experiências exitosas em atividades de extrativismo da Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos (Coopercuc) e de produtores de cabra de leite de Riachão, além de soluções tecnológicas e experiências produtivas na pecuária em períodos de seca prolongada e gestão e uso da água.

O seminário é promovido pela própria Embrapa e tem como público-alvo os pequenos, grandes e médios produtores rurais e cooperativas, estudantes da área, agentes de Transferência de Tecnologia (TT-Ater), comunidade científica e acadêmica, institutos de pesquisa agropecuária, Organizações Não-Governamentais (ONGs), entre outros. Informações mais detalhadas sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (87) 3866-3600 ou através do email cpatsa.chgeral@embrapa.br.

Renegociação de dívidas do K1 em Pernambuco será retomada após Carnaval

Devido ao feriado de Carnaval, dia 28, e a paralisação do sistema no início de cada mês, o atendimento aos produtores dos Perímetros de Irrigação Senador Nilo Coelho e Bebedouro não será realizado durante a próxima semana, entre o dia 27 de fevereiro e 3 de março. As renegociações continuarão, normalmente, a partir do dia 6 de março.

O atendimento está sendo realizado das 8h às 11h e das 13h30, às 17h no setor financeiro. O presidente da Comissão de Negociação, Erasmo José da Silva, conta que, até aqui, os atendimentos têm sido muito proveitosos. “Até este momento, todos os produtores que estiveram aqui fecharam a renegociação. Os descontos têm sido satisfatórios e temos visto os produtores saírem da Codevasf felizes com os resultados”, informou. Ainda de acordo com Erasmo, têm sido atendidos, em média, 20 produtores por dia.

Os agricultores dos perímetros públicos de irrigação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) estão sendo beneficiados pela Lei 13.340, que autoriza a renegociação de dívidas de crédito rural de agricultores principalmente do Nordeste e do Norte. Em Pernambuco, produtores do Senador Nilo Coelho e Bebedouro já estão comparecendo à sede da 3ª Superintendência Regional (SR) Companhia, em Petrolina, para fazer a repactuação de suas dívidas.

ONG implementa novas tecnologias sociais de armazenamento d’água no Sertão pernambucano

O Centro de Educação Comunitária Rural (Cecor), situado em Serra Talhada (PE), no Sertão do Pajeú, iniciou a construção de novas tecnologias sociais de armazenamento de água e incremento à produção de alimentos do Programa Pernambuco Mais Produtivo (PE+P) nos municípios de Santa Cruz da Baixa Verde, Triunfo, Flores, Carnaíba, Quixaba e Santa Terezinha, todos no Pajeú.

No total, serão construídas 270 novas tecnologias, sendo 50 tanques de pedra, 20 barreiros lonados e 200 abrigos de secagem. Essas tecnologias estão sendo construídas na propriedade das famílias rurais que já receberam as cisternas calçadão. O Cecor já concluiu a meta da primeira etapa do PE+P, sendo construídas 3.775 cisternas calçadão de 52 mil litros e está executando atualmente a segunda etapa, que tem como meta a construção de 2.025 cisternas em vinte e três municípios dos Sertões do Pajeú e Moxotó.

As novas tecnologias são as seguintes:

Tanque de pedra (ou caldeirão) – É uma tecnologia comum em áreas de serra ou onde existem lajedos, que funcionam como área de captação da água de chuva. São fendas largas, barrocas ou buracos naturais, normalmente de granito. O volume de água armazenado vai depender do tamanho e da profundidade do tanque. Para aumentar a capacidade, são erguidas paredes na parte mais baixa ou ao redor do caldeirão natural, que servem como barreira para acumular mais água. É uma tecnologia de uso comunitário. A água armazenada é utilizada para o consumo dos animais, plantações e os afazeres domésticos. Lavar a roupa é uma das práticas mais comuns.

Abrigo de Secagem – São pequenas casas de alvenaria (medindo 5m x 2,5m) que servem para estocagem da produção de grãos e forragens. Os abrigos de armazenamento surgiram a partir da demanda da cisterna-calçadão.

Barreiro lonado – Tanque longo, estreito e fundo escavado no solo, que armazena água por mais tempo, diminuindo a evaporação durante a estiagem. Diferente do barreiro comum, o tipo lonado tem o seu fundo e superfície cobertos por uma lona plástica, com capacidade de armazenar mais de 150 mil litros. (foto/divulgação)

Curaçá: Jovens de comunidades rurais fazem levantamento de realidade e apontam propostas políticas públicas

Dezenas de jovens da região de São Bento, Riacho Seco, Mucambo e Nova Esperança – comunidades rurais do interior de Curaçá, no norte da Bahia – fizeram um importante levantamento de suas realidades observando as potencialidades e os desafios enfrentados pela juventude rural do município. Esse grupo é de famílias rurais contempladas pelas ações do Projeto de Assessoria Técnica e Extensão Rural (Ater Sustentabilidade), executado pela Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA) em cinco municípios da região sanfranciscana.

Entre as questões relacionadas ao potencial produtivo das comunidades e que podem ajudar a manter o jovem em sua terra, estão a criação de caprinos, ovinos, aves e abelhas, além da produção de frutas e a conquista da terra. O engajamento da juventude rural nas associações, sindicatos e entidades do movimento social também apareceu como ação estratégica para que a juventude assuma um pouco mais os destinos de suas comunidades.

O técnico Jadson Lopes, que esteve na equipe de facilitação do encontro, também destacou o potencial produtivo existente na área rural onde moram esses jovens, e que  pode estar gerando mudanças e transformação positivas na vida deles. Jadson lembrou que tudo o que foi apontando no levantamento vai orientar as ações do Ater e de outros projetos que chegam nessas comunidades considerando o modo de vida dos jovens que tão bem expressaram suas realidades. As discussões continuaram com outros encontros do projeto envolvendo jovens também da região de Barro Vermelho, Patamuté, Mundo Novo, Poço de Fora, entre outras comunidades rurais do município. (foto/divulgação)

Vídeo Blog: Área de preservação ambiental em perímetros da Codevasf de Petrolina está sendo devastada, dizem moradores

Prefeito de Casa Nova e MST discutem pauta de melhoria nas áreas de assentamentos e acampamentos do município

O prefeito de Casa Nova, no norte da Bahia, Wilker Tores (PSB), recebeu em seu gabinete a direção do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para debater e encaminhar a pauta com demandas para melhoria dos acampamentos e assentamentos no município. Estiveram presentes, além da direção do movimento, o chefe de Gabinete, Cosme Coelho, o assessor do prefeito, Grilo Serra, e o vereador e parceiro do MST, Uilian Pereira.

Demandas da Educação, Saúde e Infraestrutura das seis áreas localizadas no município foram categorizadas por grau de urgência, para que assim possam ser atendidas as necessidades dos acampados e assentados. Ao fim da reunião,  o prefeito recebeu das mãos dos dirigentes do MST os agradecimentos através de uma amostra da variedade da produção cultivada pelos agricultores.

Ao usar o boné do MST, Wilker firmou o compromisso com a construção da Reforma Agrária Popular. “Entendemos as demandas dos assentados e acampados. São necessidades que precisam ser atendidas o quanto antes. Entendemos também a importância da agricultura familiar em nosso contexto social e político. Por isso, vamos buscar as soluções para as suas principais demandas em caráter de urgência”, assegurou o prefeito. (foto/divulgação)

Codevasf volta a entregar obras em municípios pernambucanos

Passada a fase mais crítica da crise econômica que promoveu a diminuição no ritmo das atividades de órgãos públicos no País, a exemplo da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paranaíba (Codevasf), a 3ª Superintendência Regional (SR) da companhia em Petrolina tem retomado as ações na sua área de atuação, que corresponde a 69 municípios penambucanos. A Codevasf promoveu recentemente a entrega de equipamentos e obras nos municípios de Tabira e Solidão, Sertão do Pajeú.

O superintendente regional, Aurivalter Cordeiro, tem visitado os municípios com o objetivo de discutir ações, acompanhar obras e entregar equipamentos para o fortalecimento da agricultura familiar e melhorar a estrutura e o acesso a benefícios como a água, tão importante para o semiárido nordestino. Aurivalter esteve em Tabira para promover a entrega de um trator agrícola à Associação de Moradores do Sítio Boa Vista.

Na cidade de Solidão, o superintendente regional fez a entrega que conquistou de seis poços artesianos, articulados via emendas parlamentares. Os poços atenderão a comunidades de Caldeirão Grande, São Francisco, Pelo Sinal, Fabrício, Barra e Macambira, todas na zona rural. (foto/divulgação)

Superintendente da Codevasf solicita da PF providências contra invasões em áreas de perímetros irrigados de Petrolina

O superintendente da 3ª Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em Petrolina, Aurivalter Cordeiro, esteve nesta quinta-feira, 23, na superintendência da Polícia Federal (PF) em Juazeiro (BA). O gestor foi solicitar providências sobre invasões de áreas nos perímetros irrigados localizados na principal cidade do Sertão pernambucano.

Segundo uma fonte do Blog, as invasões ocorrem especialmente no Perímetro Senador Nilo Coelho e no Pontal. Um mandado de segurança existe desde 2012 para que as terras, que são boa parte de reserva legal de preservação do bioma Caatinga, sejam desocupadas. O Blog apurou ainda que já chega a 709 hectares o total de área de reserva legal invadida e totalmente destruída. Nas invasões, conforme informações, pode-se ver carros como caminhonetes de luxo, estacionadas.

Além de invadir área de reserva legal nos perímetros, os invasores também causam prejuízos para os agricultores legalmente instalados nas terras. Um dos problemas é o rateio da água que vem sendo retirada para atender as áreas ocupadas, em detrimento dos ocupantes legais das áreas irrigadas.

Atividade em Sobradinho estimula debate sobre Reforma da Previdência entre agricultores

Beneficiamento de frutas, importância da associação, produção e armazenamento de alimento para animais (forragem, silo). Essas foram algumas das temáticas discutidas na atividade coletiva com agricultores do município de Sobradinho, no norte da Bahia, assessoradas pelo projeto de Assessoria Técnica e Extensão Rural Sustentabilidade (Ater). Com o tema “Organização da Produção”, a atividade aconteceu na última terça-feira (21), no Centro Comunitário Antônio Conselheiro, centro da cidade.

O tema central do encontro foi uma demanda apontada pelos agricultores durante a visita de campo, realizada pela colaboradora do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA), Nadja Oliveira Costa. Uma das vertentes abordadas no debate da organização da produção foi com foco na organização para a comercialização e sua contribuição na permanência dos agricultores no campo.

Durante a discussão, também foi exposta a ameaça contra a aposentadoria especial, destinada ao homem e a mulher do campo. A reforma da previdência, proposta pelo atual governo através da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, prevê diversas mudanças que colocam em risco a seguridade social da população. Uma das alterações é em relação à idade mínima para ter direito à aposentadoria. Hoje a idade necessária é de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens, da área urbana; já para os trabalhadores do campo é de 55 anos para as mulheres e 60 para os homens. Com a reforma da previdência a idade para os trabalhadores rurais será elevada para 65 anos, para ambos os sexos. Além disso, agricultores serão obrigados a contribuir com a previdência de forma individual e periódica pelo prazo mínimo de 25 anos.

Associativismo

A importância do associativismo também esteve presente no encontro, enfatizando a necessidade dos associados se envolverem no dia-a-dia da associação comunitária, pensando e decidindo de forma coletiva os benefícios e as soluções de problemas e dessa forma fortalecendo a comunidade. A equipe do IRPAA presente na atividade expôs que “é essa união e organização das comunidades uma forte ferramenta na luta contra as ameaças e as negações de direitos da população, principalmente da zona rural, que é resultado de muita pressão social”. (foto/divulgação)

Patrões recuam e trabalhadores da hortifruticultura do Vale têm direitos assegurados

Com a decisão, na semana passada, dos trabalhadores rurais da hortifruticultura do Vale do São Francisco em Pernambuco e Bahia de deflagrarem uma greve geral por tempo indeterminado, a classe patronal resolveu recuar. Não mais serão retirados direitos da categoria.

Foram assegurados itens como pagamento das horas in itinere (percurso de casa para o trabalho e vice-versa); remuneração de hora-extra; pagamento de salário no segundo dia útil; e transporte gratuito. Com isso, as entidades representantes da categoria encaminharam, em reunião, na tarde de ontem (22), suspender a greve.

Confederações, Federações e Sindicatos dos trabalhadores dos dois Estados comemoraram, pois além dos direitos assegurados, conquistas importantes foram registradas, a partir do que foi reivindicado na 23ª Campanha Salarial da categoria, iniciada em janeiro deste ano. Entre os avanços destacam-se a reposição integral da inflação, o que significa um piso salarial de R$ 973,07, e a concessão de botas de couro, ao invés das que são utilizadas hoje, em PVC (que trazem prejuízos à saúde) para todos os trabalhadores das fazendas.

 “A greve foi deflagrada com o objetivo de impedir a retirada de direitos assegurados em lei e na convenção. Então, o recuo da classe patronal representou a aceitação do pleito dos trabalhadores, o que motivou a suspensão da paralisação. Essa foi uma grande conquista para os assalariados, que ocorreu a partir de uma forte mobilização das bases, realizada pelos Sindicatos e pelos delegados sindicais. Por isso, o resultado foi muito positivo, até porque avançamos em vários pontos”, avalia o diretor de Assalariados Rurais da Contag, Elias D’Angelo.

O secretário geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais (Contar), Everaldo Nazário Barreto, destacou a importância de os estados tomarem essa decisão de forma conjunta. Foi um posicionamento muito maduro das entidades que representam a categoria, sabendo resistir no momento certo, e também negociar, quando necessário, ponderou.

Campanha Salarial

Dados apontam que mais de 100 mil homens e mulheres atuam nessa área, sendo responsáveis pela produção de diversas culturas, que são comercializadas dentro e fora do país, promovendo o desenvolvimento da região. A última greve da categoria ocorreu há 13 anos.

A 23ª Campanha Salarial 2016/2017 dos Trabalhadores da Hortifruticultura Irrigada do Vale do São Francisco em Pernambuco e Bahia conta com a participação de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STRs) de Belém do São Francisco, Inajá, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande (em Pernambuco); e de Abaré, Curaçá, Juazeiro, Sento Sé e Sobradinho (na Bahia); Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Assalariados Rurais de Pernambuco (Fetaepe); e Federações dos Trabalhadores Rurais na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape) e da Bahia (Fetag-BA), com o apoio da Contar, Contag, CUT, CTB e Dieese. (foto/Ascom)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br