Inscritos no Garantia Safra em Petrolina começam a receber benefício a partir de hoje

Os agricultores familiares inscritos no programa Garantia Safra em Petrolina começam a receber hoje (18) os valores referentes à safra 2015/2016. A Portaria nº 39 do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que prevê o pagamento, foi publicada no Diário Oficial da União de ontem (17).

Neste mês, mais de 3 mil famílias vão receber R$ 850,00, depositados em cinco parcelas mensais de R$170,00 através da Caixa Econômica Federal ou correspondente bancário, nas mesmas datas do calendário do Bolsa Família.

O Garantia-Safra é uma ação voltada para agricultores familiares que se encontram em municípios sujeitos a perdas de safra devido à seca ou ao excesso de chuvas.

Em Petrolina, o Garantia-Safra é operacionalizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário, por meio de várias ações. Entre elas estão o recebimento de inscrições, a emissão dos laudos técnicos de verificação do plantio e de casos onde há perdas. Além disso, a Secretaria apoia a divulgação do programa.

Os agricultores que não possuem cartão cidadão ou bolsa família devem se dirigir até a Secretaria de Desenvolvimento Rural, que fica localizada na Avenida Honorato Viana, Nº 948, Bairro Gercino Coelho, próximo à UPA, para pegar uma autorização e receber o benefício.

Valores do Garantia Safra

O benefício é pago com recursos do Fundo Garantia-Safra, composto por contribuições do agricultor, do município, do Estado e da União. Na safra 2015/2016, a contribuição do agricultor foi de 2% do valor do benefício (R$ 17,00), o município paga 6% (R$ 51,00 por agricultor); o Estado contribui com 12% do valor ao Fundo (R$ 102,00) e a União paga, no mínimo, 40 % (R$ 340,00 por agricultor que aderir ao Garantia-Safra). As informações são da assessoria. (foto/divulgação)

Programa de Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite deve ser implantado em Juazeiro

A implantação do Programa de Aquisição de Alimento (PAA-Leite) em Juazeiro (BA) foi pauta de uma reunião ontem (17) entre representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária, da empresa laticínio Bom Sabor, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeiro (STRJ) e da Cooperativa da Agropecuária Familiar de Juazeiro e Região (Cooafjur).

O programa visa a fomentar o fortalecimento e desenvolvimento da cadeia produtiva do setor leiteiro local, contribuindo para redução da vulnerabilidade social e a desnutrição infantil. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária, Maraíza Carvalho, falou da necessidade de fazer um novo convênio com o Governo do Estado, via cooperativa e laticínio, para inserir além do leite de vaca o leite de cabra no programa. A secretária ainda quer que produtores de outros municípios poderão ser integrados no programa.

O PAA Leite beneficiará crianças de 2 a 7 anos matriculadas em creches e pré-escolas, gestantes, nutrizes, idosos com 60 anos ou mais e povos e comunidades tradicionais. O programa é fruto de convênio celebrado entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário e o Governo da Bahia e tem o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do setor lácteo, por meio da geração de renda e da garantia de preço justo ao produto da agricultura familiar, auxiliando ao combate a insegurança alimentar. (foto/reprodução)

Experiência de agricultores de Juazeiro será destaque em televisão chinesa

Embora a estiagem prolongada e seus efeitos estejam ocupando um lugar de destaque na grande mídia brasileira, é importante registrar que mesmo com a seca, inúmeras famílias do semiárido conseguem viver e produzir nesse período. E foi com essa visão que o canal de TV Chine Global Television Netkwork (CGTN), emissora chinesa que também transmite sua programação em inglês e para diferentes partes do mundo, está produzindo matérias sobre a região. (mais…)

Mapa político de PE atesta hegemonia das famílias

O mapa político pernambucano, desenhado nas últimas eleições, atestou a hegemonia de famílias tradicionais no poder. E este retrato traduz um fenômeno histórico, e recorrente, que se perpetua ao longo das gerações. No último dia 1, tomaram posse 61 prefeitos (veja a lista aqui) com sobrenomes influentes ou parentesco com lideranças da política estadual. Um poder que nos próximos quatro anos irá dominar receitas municipais que vão desde os R$ 23.410.625,40 de Brejão, comandada por um herdeiro da família Cadengue (Beto Cadengue), até os R$ 1.162.240.000 de Jaboatão dos Guararapes, sob liderança de um dos rebentos da família Ferreira (Anderson Ferreira).

A ascensão dos representantes desses grupos não é mero acaso. Seu poder é proveniente de uma estrutura que cria raízes nos municípios e se espalha por outras esferas, elegendo seus integrantes no Executivo e Legislativo. Dessa forma, eles criam uma verdadeira rede para manter sua força e influência nos redutos eleitorais. São sobrenomes que se repetem por décadas no comando das mesmas cidades, se espalham por mais de um município, chegam aos parlamentos e são transferidos de pai para filhos, esposas, irmãos, sobrinhos e primos.

Os Coelhos – Quatro gerações de poder

Um legado que ultrapassou quatro gerações, está hoje nas mãos do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e dos seus filhos Miguel Coelho (prefeito eleito de Petrolina) e Fernando Filho (ministro de Minas e Energia). Os três representam, atualmente, a maior força política do Sertão pernambucano. A força política deste grupo familiar se iniciou com Clementino Coelho, conhecido como Coronel Quelê, e Dona Josefa, que tiveram tiveram seus 11 filhos e mal sabiam que sua liderança política na Região do São Francisco iria se espalhar da República Velha por mais três gerações de poder. A força da família e sua influência na Região criaram um núcleo que se estende até hoje na política pernambucana. Nos tempos de Quelê, os Coelhos comandavam um forte capital com hotéis, construtoras, indústrias e alimentos. Um império que ajudou a construir a carreira dos seus herdeiros e está de pé até hoje. Sua hegemonia na política local só foi ameaçada por uma liderança, João Barracão, que foi prefeito do município em 1947 a 1951, desafiando a dinastia familiar.

Com a morte de Clementino Coelho aos 67 anos, coube a Dona Josefa ser a mentora da família Coelho. A senhora de origem humilde acabou virando a maior referência política do São Francisco. Presidentes, governadores e autoridades que visitassem a Região tinham como parada obrigatória a casa de dona Josefa. Sua liderança foi o esteio da carreira política de seus filhos Nilo Coelho, Gercino Coelho, Osvaldo Coelho, José Coelho e Geraldo Coelho. Todos foram para a política, mas tinham em Dona Josefa o norte das suas carreiras.

Campos/Arraes – Um legado em disputa

Da figura quase mítica e cultuada por populares de Miguel Arraes de Alencar até o estilo moderno e ambicioso de Eduardo Campos, a nova geração das famílias Campos-Arraes tentam levar adiante um legado que é alvo, hoje, de uma disputa entre os Campos – aliados da nova geração do PSB – e os Arraes, mais ligados aos líderes antigos da sigla. Resquícios de perdas que ocorreram cedo demais, principalmente, a de Eduardo, morto em um acidente aéreo em 2014.

A história do grupo começa na saga de Arraes do Sertão do Ceará até Pernambuco. Arraes foi trazido para a política foi Barbosa Lima Sobrinho, que o convidou para ser seu secretário da Fazenda. Foi eleito pela primeira vez em 1962, em uma disputa acirrada e fortemente ideológica. Com a ditadura militar foi exilado na Argelia e somente retornou em 1979, com a anistia. Na volta, disputou mais três vezes o Governo do Estado, saindo vitorioso em duas delas (1986 e 1994). A derrota mais amarga foi em 1998 para o arqui-inimigo na época Jarbas Vasconcelos.

Foi na volta de Arraes que a liderança do seu neto Eduardo cresceu. E foi ganhando, a cada ano, mais espaço dentro do partido. Foi deputado estadual, secretário da Fazenda e deputado federal. A divisão ocorreu quando ambos resolveram disputar em 2002 uma vaga para federal.

Com a morte de Eduardo, foi iniciada a divisão que tem de um lado a viúva Renata Campos e de outro o irmão do ex-governador, o advogado Antônio Campos. No meio dessa disputa, uma incógnita: a ministra do TCU, Ana Arraes. Sua volta é incentivada por parte do partido para resgatar a força dos históricos do PSB diante da nova geração, mas a ex-deputada permanece em sigilo, observando de longe a disputa que atinge o seio familiar.

Família Lyra – O legado nas mãos de Raquel

Após duas gerações formadas, exclusivamente, por homens, o legado da família Lyra repousa nas mãos da primeira mulher eleita prefeita de Caruaru, Raquel Lyra. Única representante da terceira geração do grupo, ela é a aposta para o futuro da família que começou a construir sua história em Caruaru pelo mascate e caminhoneiro João Lyra Filho, que, em meio às viagens, estacionou seu veículo na cidade e nela começou a desenhar seu futuro político. De vendedor de automóveis, ele se tornou empresário do ramo de ônibus intermunicipais e prefeito de Caruaru por duas vezes, em 1959 e 1972.
Seus dois filhos, João Lyra Neto e Fernando Lyra, seguiram os passos do pai na política, mas com rumos diferentes. Lyra Neto fincou seus pés em Caruaru, enquanto Fernando tinha como palco Brasília. O primeiro participou do movimento estudantil, se dedicou aos negócios da família e eleito prefeito de Caruaru por dois mandatos em 1988 e 1997. Já Fernando Lyra foi deputado federal por oito mandatos consecutivos, foi um dos articuladores da eleição de Tancredo Neves e ministro da Justiça no Governo Sarney. A atual prefeita Raquel Lyra foi a única herdeira a continuar na política. (Folha)

Petrolina ganhará fábrica de polpa de frutas

Um passo importante para a construção de uma fábrica de polpa de frutas em Petrolina foi dado na manhã desta quinta-feira (12). A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário do município fechou uma parceria para construção do empreendimento. O secretário José Batista da Gama visitou o terreno de 16 mil metros quadrados (m²), localizado na Estrada da Banana, zona norte da cidade, juntamente com o empresário Abdoval Gomes Lima, responsável pelo projeto.

A obra terá início no dia 1 de fevereiro e a previsão de término é para o segundo semestre deste ano. “A secretaria vai dar todo apoio logístico para que o mais rápido possível essa fábrica esteja produzindo e gerando muitos empregos”, comentou José Batista.

A indústria de polpa passará será chamada de Valle Fruit. A empresa, especializada em polpa de frutas e creme de açaí, foi criada em 2007, em Petrolina. “Graças ao potencial da fruticultura irrigada da região, a empresa vai construir a sua fábrica de produção, aumentando o número de funcionários, de 17 empregos diretos e 25 indiretos, para 50 diretos e 65 indiretos”, revelou o secretário.

Segundo a equipe técnica da secretaria, o município possui pontos positivos como localização diferenciada e mão-de-obra qualificada disponível, o que facilita a instalação do empreendimento. as informações são da assessoria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário. (foto/divulgação)

Em Orocó, Gonzaga Patriota e Odacy Amorim reforçam compromissos com agricultores familiares

Majoritários em Orocó (PE), no Sertão do São Francisco, o deputado estadual Odacy Amorim (PT) e o federal Gonzaga Patriota (PSB) estiveram ontem (11) na cidade, reunidos com os filiados à Associação Comunitária dos Produtores Rurais da Boa Paz (Asprobap).

Os parlamentares debateram com os agricultores familiares do município os problemas relativos ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Orocó.  O socialista informou já ter destinado em torno de R$ 3 milhões para o PAA e assegurou que continuará lutando pela categoria.

Odacy também se comprometeu em cobrar do Governo do Estado, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), um maior incentivo à agricultura familiar em Orocó. (foto/divulgação)

Após fim da PPP, MST e Codevasf em Petrolina discutem situação das famílias que ocupam o Pontal

Representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no Sertão do São Francisco estiveram nesta terça-feira, 10, reunidos com o titular da 3ª Superitendência Regional (SR) da Codevasf em Petrolina, Aurivalter Cordeiro, para saber os próximos rumos do Projeto Pontal. O MST acompanha as famílias que ocupam há quase dois anos a área do projeto.

Com o anúncio do distrato da PPP (Parceria Público Privada) anunciado pela presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, na semana passada numa visita a Petrolina, o MST quer saber como ficará a licitação dos lotes e demais assuntos relacionados ao rumos do projeto. Conforme Aurivalter Cordeiro, a presidente já iniciou conversas com o Incra para discutir modelos de licitação e como ficará a situação das mais de 400 famílias que ocupam o projeto.

A Codevasf vai pedir a reintegração de posse da área nos próximos dias. (Foto: Ascom/Codevasf)

 

 

 

Incra-BA tem novo superintendente

O engenheiro agrônomo Giuseppe Serra Seca Vieira assumiu a superintendência regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Bahia.

Vieira destaca que pretende fazer um trabalho transparente à frente da regional baiana, buscando sempre o diálogo. “Não existe uma gestão que trabalhe só, então somando esforços e parcerias poderemos desenvolver um bom trabalho aqui na Bahia, que é um estado grande e desafiador“, frisa o superintendente.

Natural de Aracaju (SE) e servidor de carreira do Incra, desde 2008 Giuseppe iniciou sua carreira na Superintendência de Marabá, no Estado do Pará, onde conduziu o Serviço e a Divisão de Obtenção de Terras e coordenou a Assessoria Técnica, Social e Ambiental à Reforma Agrária (Ates). Ano passado ele atuou novamente como chefe da Divisão de Obtenção de Terras, dessa vez no Incra de Goiás.

Giuseppe Vieira já dirigiu também as superintendências do Incra do Mato Grosso, entre os anos de 2015 e 2016 e do Sul do Pará, de onde saiu para assumir a regional baiana. (foto/divulgação)

Enquanto agricultores de Afrânio podem não receber Garantia Safra, Petrolina prorroga prazo para beneficiar mais produtores

Agricultores de Afrânio, no Sertão do São Francisco, cadastrados no Programa Garantia Safra, poderão não receber o benefício este ano. O motivo: a gestão anterior não teria dado a contrapartida que caberia ao município para que agricultores e produtores atingidos por perda na lavoura devido à seca fossem contemplados com o programa. O pagamento do Garantia Safra só funciona com a contrapartida do município, Estado e da União. A informação foi repassada a este Blog pelo vereador Vavá do Pipa (PMDB).

Já em Petrolina, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário prorrogou até o dia 20 de janeiro o prazo para o pagamento do Garantia Safra pelos agricultores. A prorrogação é referente ao prazo concedido para os contemplados efetuarem o pagamento do boleto. No município já foram gerados aproximadamente 3 mil boletos. O prazo foi ampliado para que mais agricultores possam ser beneficiados com a ação referente ao ano de 2017.

O agricultor que aderir ao programa deve fazer o pagamento de um boleto no valor de R$ 17,00. O valor do benefício é de R$ 850,00, pago em cinco parcelas de R$ 170,00.

 

 

Governo baiano amplia ações de regularização fundiária na Bahia

As ações de regularização fundiária na Bahia estão sendo ampliadas e a garantia da titularidade de posse da terra se tornou uma realidade para milhares de agricultores familiares baianos. Por meio do projeto Bahia Mais Forte/Terra Legal, foram firmadas parcerias com Consórcios Públicos municipais com esse objetivo. A iniciativa é da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR).

Até 2016, foram celebradas 11 parcerias, com investimento do Governo do Estado de mais de R$ 12 milhões. Até o final de 2017, a expectativa é que sejam regularizadas 40 mil propriedades rurais, na modalidade de doação, que abrange áreas de até 100 hectares, em mais de 140 municípios.

Entre os anos de 2015 e 2016, foram emitidos 10 mil títulos de terra. O benefício contribui para resgatar a cidadania, garantir a sucessão rural e possibilitar o acesso a políticas públicas que impactam no fortalecimento do desenvolvimento rural do estado.

A CDA também continuará trabalhando na ampliação da identificação e arrecadação de terras públicas, estaduais e devolutas com o objetivo de viabilizar a atração de investimentos como, por exemplo, no setor de produção de energia limpa. A identificação e delimitação das áreas urbanas e suburbanas é outro serviço executado pela Coordenação de extrema relevância para a gestão municipal. Para dar mais agilidade e eficiência a estas ações, o Núcleo Jurídico do órgão, passará a contar com um setor especialmente dedicado à atividade das discriminatórias urbanas e suburbanas. Além disso, serão otimizadas as ações de regularização de terras devolutas, ocupadas tradicionalmente por comunidades quilombolas e de fundo e fecho de pasto. As informações são da SDR. (foto/arquivo)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br