Ronaldo Cancão afirma que incidente durante audiência na Casa Plínio Amorim partiu de “grupo pequeno do PT”; Odacy minimiza críticas

6

Ao contrário do deputado federal Gonzaga Patriota (PSB), os vereadores Ronaldo Cancão e Osinaldo Souza (ambos PTB) foram bem mais críticos quanto aos manifestantes do Movimento ‘Fora Temer’, que interromperam a audiência pública nesta manhã, na Casa Plínio Amorim, para discutir questões ligadas ao Rio São Francisco. O debate foi proposto por ambos.

Para Cancão, o que aconteceu foi uma “falta de respeito a um assunto que é de importância, inclusive, para os próprios manifestantes”. O vereador disse ler legítimo o direito de protestar, desde que haja respeito ao direito dos demais.

Hoje aqui não se tratava nem de Temer, nem de Lula. Nem do PMDB, nem do PT”, alfinetou Cancão. Segundo o vereador, a ideia era fazer um relatório dos assuntos abordados após a audiência, como já ocorreu em Minas Gerais e na Bahia, sobre a Bacia do Rio São Francisco. Mas o protesto impediu essa parte final do debate. “Eles deixaram de dar sua parcela de contribuição ao debate. O Rio São Francisco morre aos poucos e eles ajudam a gente a ficar omisso”, completou.

Sem citar nomes, o vereador atribuiu a atitude “a um grupo pequeno do PT, que só quer destruir o que alguém quer construir. Culpa também do PT, que não cuidou do São Francisco”, afirmou. “O movimento foi provocado por uma decisão política, e aqui era uma decisão política. Nós somos a primeira cidade de Pernambuco a abrir um fórum de discussões sobre a situação do São Francisco, e hoje me senti revoltado com essa atitude covarde, porque isso não ajuda”, criticou Cancão.

Osinaldo Souza seguiu na mesma linha. Segundo ele, os manifestantes “confundiram” o direito de protestar. “As pessoas querem seus direitos, mas tirar o dos outros? Nós acabamos uma audiência pública por falta de respeito dos manifestantes. Eu, como presidente da Comissão de Direitos Humanos desta Casa, não posso apoiar da forma como foi feito”, alfinetou.

Odacy

O deputado estadual Odacy Amorim (PT), um dos convidados da audiência, chegou atrasado justamente porque se encontrava na greve geral realizada no Centro da cidade. Apesar disso, ele demonstrou surpresa porque não sabia da mobilização promovida pela Brasil Popular na Câmara Municipal, e minimizou as críticas dos vereadores aos manifestantes. “A Frente Brasil pode surpreender em qualquer lugar, inclusive aqui na Câmara de Vereadores. É um fato que fica como reflexão para, em outro momento, se pensar nessas agendas”, analisou Odacy, referindo-se à data da audiência, que coincidiu com a greve nacional.

6 COMENTÁRIOS

  1. Osinaldo Souza os manifestantes nao confundiram o direito de protestar nao, os politicos do nosso país que não tem vergonha na cara e roubam na cara de pau. entao me diga qual respeito que vocês passam para nós???. politicos querem ter direitos mais dever não, isso é injusto. eu achei que fizeram foi pouco deveriam ter soltado pelo menos um rojao ai dentro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome