Projeto conhecido como “Cura gay” gera nova polêmica na Assembleia Legislativa de Pernambuco

4
A audiência pública na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na última quarta-feira (19), com o Conselho Regional de Psicologia de Pernambuco (CRP-PE) para debater o projeto de lei, que ficou conhecido como “Cura Gay”, do deputado federal Pastor Eurico (PHS-PE), teve reverberação no plenário da Casa. O projeto visa sustar a resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proíbe a atuação do psicólogo em relação à orientação sexual.
Na tribuna, o deputado estadual Cleiton Collins (PP) disse que foi alvo de “intolerância religiosa” e criticou a condução do colegiado pelo deputado estadual Edilson Silva (PSOL), que estava ausente no momento da crítica. O pepista afirmou que o profissional de Psicologia tinha de ter liberdade para atuar porque “pessoas precisam de ajuda” e cobrou audiência com Pastor Eurico. “Não sei qual é a farofa que o deputado Edilson quer fazer daquela comissão. Quer jogar essa Casa contra o povo. A bancada evangélica não vai aceitar isso”.
Um dos presentes na audiência pública chamou a atenção para a laicidade do Estado e sugeriu que se retirasse o crucifixo afixado na parede do plenário. Diversos deputados evangélicos fizeram apartes, corroborando a crítica de Collins. O deputado estadual Adalto Santos (PSB) reclamou do que considerou uma falta de respeito da pessoa que pediu para que se retirasse o crucifixo do plenário. “Nem a Deus respeitam mais”, disse. (Com informações da Folha de PE)

4 COMENTÁRIOS

  1. O que tem que ser curado é a hipocresia desses deputados, eles tem que procurar a cura para a corrupção e não para os gays que não causam mau algum já a corrupção está acabando com o Brasil.

  2. Esses assembleianos de Pernambuco se acham o topo da salvação do Brasil né?! As leis e normais federais vão ter que se curvar perante um estado é? Eles têm é que procurar psicólogos para se curarem de tamanha hipocresia, machismo e alienação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome