Governadores do Nordeste voltam a se reunir em defesa da Chesf e apresentam outras reivindicações

1
(Foto: Divulgação)

Apostando no poder do diálogo e da união na construção de um País mais justo e equilibrado, governadores do Nordeste e do Estado de Minas Gerais se reuniram, na sexta-feira (18), no Palácio do Campo das Princesas, no Recife (PE), para defender temas cruciais para o desenvolvimento da região. Sob a coordenação do governador Paulo Câmara, o 9º Encontro dos Governadores do Nordeste apresentou uma carta aberta que contempla, entre outros pontos, a posição do grupo contra a privatização da Eletrobras e da Chesf, além de reivindicações específicas nas áreas sociais, como o Programa de Aquisição de Alimentos e o Sistema Único de Assistência Social. O documento público será encaminhado posteriormente ao Governo Federal e ao Congresso Nacional.

Nos reunimos, hoje, para apresentar esta carta de unidade da região nordestina e de Minas Gerais em favor do Brasil, em favor da democracia, mas, principalmente, em favor do debate, da transparência. Na defesa de modelos sociais e econômicos que nós vimos dar certo em períodos passados e recentes, e que nós gostaríamos muito que fossem retomadas as discussões. Porque a sociedade brasileira exige isso, discussões sérias em melhoria da qualidade dos serviços públicos“, afirmou Paulo Câmara. “Temos uma posição clara, tanto dos governadores do Nordeste quanto do governador de Minas Gerais, contra a privatização da Eletrobras e da Chesf. O Rio São Francisco, que nasce no Estado de Minas Gerais, é o rio da integração“, completou.

Paulo Câmara fez questão de ressaltar a importância do Velho Chico para o Nordeste, pontuando o futuro papel de sua transposição e o impacto que a possibilidade de privatização causará na vida de milhões de nordestinos e brasileiros. “Ele é responsável, hoje, por sistemas econômicos de irrigação em vários locais do Nordeste brasileiro e, ao mesmo, com a obra da conclusão da transposição do Rio São Francisco, será um ponto fundamental de equilíbrio hídrico para a nossa região. Esse projeto visa a privatizar a vazão do Rio São Francisco e fazer com que uma área tão estratégica e que tem uma função social e econômica tão fundamental para os nordestinos esteja num processo de discussão sem transparência, acelerado. E nós não podemos permitir. Isso vai encarecer a conta de luz de milhões de brasileiros, e não tem nenhuma contrapartida que vá garantir nenhum tipo de sustentabilidade em relação ao rio“, disse.

Na carta, os governadores lembraram que a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública – mediante Medida Provisória – “ocorreu sem prévia discussão com os Estados e atende, em parte, aos anseios do povo, mas cabe ressaltar que sua eficácia se encontra na estrita dependência da definção de seu orçamento e da extensão de suas ações em todo o território nacional, sem o que teremos, apenas, mais uma estrutura burocrática na Capital Federal.

O texto diz ainda que as administrações estaduais seguem “aguardando, ainda, a definição dos critérios da linha de financiamento da ordem de R$ 42 bilhões, prometida no último dia 9 de março, em reunião ocorrida no Palácio do Planalto, sem que nenhum dos Estados da Federação tenha logrado êxito no acesso a esses recursos, mesmo já transcorridos mais de 60 dias desde seu anúncio”. A carta completa pode ser conferida acessando aqui.

Ferrovia Oeste-Leste

Também presente no encontro, o governador da Bahia, Rui Costa, reforçou a defesa da Chesf, da retomada das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e a liberação de linha de financiamento prometida no último mês de março, em reunião no Palácio do Planalto. “Queremos o equilíbrio federativo, a retomada das obras da Fiol e a liberação da linha de financiamento da ordem de R$ 42 bilhões para os Estados nordestinos. Chega de deturpações que prejudicam quem dá duro todos os dias por uma vida melhor e mora numa região cujo índice de pobreza ultrapassa os 40%. Enquanto não for feita justiça ao Nordeste, seguiremos na luta“, acrescentou Rui.

Participaram da reunião os governadores Wellington Dias (Piauí); Camilo Santana (Ceará); Rui Costa (Bahia); Fernando Pimentel (Minas Gerais); Ricardo Coutinho (Paraíba); e Robinson Faria (Rio Grande do Norte); além do senador Humberto Costa, dos deputados federais Luciana Santos, André de Paula, Danilo Cabral e Tadeu Alencar, dos estaduais Guilherme Uchoa (presidente da Assembleia), Isaltino Nascimento (líder do Governo) e Lucas Ramos, e secretários estaduais.

1 COMENTÁRIO

  1. Ainda não venderam esse cabide de empregos? Aproveita e põe a codevasf no pacote. Não sou obrigado a pagar por cabide de empregos. Quem quiser irrigação que faça com seus próprios meios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome