Gerente da Compesa em Petrolina assegura: “90% do que arrecadamos ficam na cidade”

4

Alvo de reclamações de dez entre dez petrolinenses, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) tem um plano de investimentos que inclui, num prazo de 20 anos, tentar a universalização dos serviços de água e esgoto em Petrolina. A afirmação é do gerente regional João Raphael de Queiroz, em entrevista ao talk show do Blog nesta sexta-feira (19).

Em meio ao anúncio feito recentemente pelo prefeito Miguel Coelho, acerca de uma nova concessão no setor, João Raphael lembrou que o assunto ‘municipalização’ volta ao centro das discussões na cidade pela terceira vez. Mas preferiu não entrar nessa seara.

Voltando a citar os investimentos já feitos em Petrolina pela Companhia, o gerente assegurou que somente nos últimos dez anos, um total de 90% do volume arrecadado ficou na cidade. “A gente tem cerca de 60% com custos de operação e manutenção. Se você for buscar o que a gente investiu nos últimos dez anos, dá 30%. Somando 60% mais 30%, dá 90%. Então, 90% do que a gente arrecada está gastando aqui em Petrolina”, afirmou.

Sobre o polêmico subsídio cruzado, João Raphael explica que a prática é utilizada para que outras comunidades possam pagar a taxa de água, uma vez que a Compesa tem seus custos e precisa operar em locais considerados deficitários.

Furtos de água

O gerente revelou ainda que Petrolina conseguiu manter em 2017 um desperdício d’água de apenas 25% – abaixo da média nacional, de 40% -, graças aos esforços da Companhia. Esse número é um pouco maior do que 2016, que foi de 23%, mas João Raphael justifica que a empresa conseguiu intensificar o abastecimento no ano passado.

Segundo o gerente, o contrato da Compesa com o município prevê o combate aos furtos de água, o que pode reduzir ainda mais esse número. Ele explicou que a empresa em Petrolina possui 70% de “perdas aparentes”, ou seja, aquelas pelas quais a Compesa não fatura, mas a população está se beneficiando.

Pelo contrato, iniciado em agosto passado, a Compesa instalou hidrômetros e fez um estudo técnico junto à população para verificar se o consumo está adequado, e o resultado já causou surpresa porque essa ainda nem é a etapa em que a Companhia atuará no combate às ligações clandestinas.

Só na fase de instalação de hidrômetros, para fazer o diagnóstico, a gente encontrou 6% de fraudes. Para se ter uma ideia, essa empresa já trabalhou em cidades como Rio de Janeiro, no Mato Grosso, e não encontrou tantas fraudes como as que foram encontradas em Petrolina”, disse. O gerente informou ainda que a meta, ao fim do contrato de seis anos da terceirização desse serviço, é reduzir o desperdício d’água para 15%.

4 COMENTÁRIOS

  1. A infraestrutura de abastecimento de água e esgoto é do povo de Petrolina.
    A Compesa, no passado, era uma empresa que agente confiava.
    Quando era preciso de assistência, ela chegava.
    Ruim é ficar sem água dentro de nossa casa.
    Precisamos de solução!

  2. Não parece ta muito mal aplicado esse dinheiro só vê o centro de petrolina é uma vergonha com tanto cano estourado uma podridão danada eles deviam toma vergonha na cara e fazer o cerviso bem feito porque dinheiro tem.

  3. Pior ainda. Se fica na cidade, o dinheiro está muito mal administrado. Além dos serviços básicos que deixam a desejar ( água e esgoto) ainda destroem o pavimento da cidade sem repará-lo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome