Escola de Petrolina publica Minidicionário do Gonzagão

2

Em meio a inúmeras homenagens que estão sendo feitas em todo Brasil pela passagem dos 100 anos de nascimento de Luiz Gonzaga, o eterno “Rei do Baião”, uma escola de Petrolina surpreende pelo ineditismo. O Vivência Centro Educacional simplesmente publicou o Minidicionário do Gonzagão.

A obra, que garimpou preciosidades da língua nordestina – entre 625 músicas distribuídas em 266 discos gravados ao longo de uma vida de realizações e muito sucesso, está sendo trabalhada com as turmas do 2º ano do Ensino Fundamental.

Segundo a coordenadora pedagógica do Vivência, Maria Conceição Souza, os alunos das séries iniciais estão convivendo com o cancioneiro gonzagueano desde o início do ano letivo, quando começou o projeto “Luiz Gonzaga,100 Anos de Amor ao Sertão”.

“Estamos trabalhando as músicas e letras do Rei do Baião, a partir de um contexto sócio-linguístico-cultural. Os alunos aprendem, compreendem e interpretam os sentimentos e costumes do povo nordestino de uma forma bastante lúdica”. A coordenadora adiantou também que a publicação do minidicionário vem completar o entendimento dos alunos com a oferta dos significados para muitos dos termos, palavras e gírias utilizadas por Luiz Gonzaga em sua rica e vasta obra.

De acordo com o poeta, jornalista e publicitário Carlos Laerte, que assina o texto de apresentação, “Luiz Gonzaga não cantou o sertão apenas enquanto temática, mas como linguagem. Assim, palavras de variações não padrão do léxico português, a exemplo de oitubro, tamo, oiando, iscrama e famia contam a história e a cultura nordestina à maneira do nordestino. Há também diversos fenômenos linguísticos: supressão de sons, síncope, nasalização e desvios morfossintáticos a pontuar uma obra de inúmeros caminhos e múltiplas veredas”.

Musicalidade

Ainda segundo Laerte, que através de sua agência, a CLAS Comunicação & Marketing, também assina a capa, o minidicionário não tem a pretensão dos estudos dialetais, mas vai facilitar a compreensão dos falares regionais, a exemplo do pernambuquês, cearês e baianês.

“Seguindo a tradição começada por Pereira da Costa em 1937 com o Vocabulário Pernambucano, o Minidicionário do Gonzagão nos conduz ao mundo encantado dos dicionários, vocabulários e glossários, pela mais pura porta da poesia e da musicalidade nordestina, a língua de Luiz Gonzaga do Nascimento, o Pernambucano do Século XX”, explica.

2 COMENTÁRIOS

    • A ideia da Escola em criar e publicar o dicionário Gonzagês foi muito criativa. Através do Jornal A Tarde, a equipe de professores da Escola Despertar, em Feira de Santana, compartilhou com as crianças, as quais acharam a ideia muito interessante e educativa. Parabéns à Escola Vivência!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome