Delegada Polyana Neri é mantida à frente das investigações do Caso Beatriz e pais da menina veem esperança

9
Delegada Polyana Nery (Foto: Blog do Carlos Britto)

Em sua difícil e sofrida cruzada por justiça, o casal Sandro Romilton e Lucinha Mota – pais da menina Beatriz Angélica Mota, assassinada brutalmente há três anos no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, onde estudava – teve uma notícia alentadora esta semana. A cúpula da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) decidiu manter a delegada Polyana Neri (foto) à frente das investigações do caso.

Antes dela, outros três delegados já havia sido designados para tentar elucidar o crime, mas os pais da menina se cansaram de tantas trocas de delegados.

Também nesta semana a justiça decretou a prisão preventiva de Allinson Henrique de Carvalho Cunha, o ex-funcionário terceirizado do colégio. Ele é suspeito de ter apagado imagens das câmeras de monitoramento que teriam registrado a movimentação na noite do assassinato da menina, ocorrido em 10 de dezembro de 2015. É esperar, agora, o desenrolar desse crime que chocou toda a região e continua em mistério.

9 COMENTÁRIOS

  1. Q bom que essa delegada irá continuar!! Como a delegada ja disse alem d alisson tem outro funcionario q teve acesso as imagens e arquivos apagados,mas a investigaçao esta em sigilo!! Essa escola ê uma vergonha,se isenta d tudo e nao ajuda , so abafa tudo!!

    • Que o Estado de Pernambuco construa um complexo policial do tamanho e com qualidade que Petrolina merece para poder elucidar esse crime e outros. Pois pelo visto esse caso demonstra que a polícia da cidade não tem a mínima estrutura para solucionar crimes mais complexo.

  2. Além dos suspeitos, algumas autoridades também deveriam estarem presas, por no mínimo, negligência !
    Os equipamentos de filmagens (computador, HD…) Turismo de ser apreendido na mesma noite do crime e o suspeito ficou “enrolando” a polícia para entregar equipamentos após dezenas de fias? Ou foi …

  3. A escola fez tudo mesmo. Destruiu todas as evidências e provas. A sorte é que o foragido Alisson é dono da Suporteware. Vamos lá fazer uma visita ele? Quem sabe dando um prejuízo material ele abre o bico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome