Decreto assinado por Temer no apagar das luzes do seu governo poderá ter reflexos negativos para produtores do Vale

5

Um ato administrativo realizado pelo então presidente Michel Temer, no apagar das luzes do seu governo, poderá causar reflexos negativos para os produtores do Vale do São Francisco.

A decisão refere-se ao Decreto nº 9.642, de 27 de dezembro de 2018, que foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) no dia seguinte. O documento altera o Decreto nº 7.891, de 23 de janeiro de 2013, dispondo sobre a redução gradativa dos descontos concedidos em tarifa de uso do sistema de distribuição e tarifa de energia elétrica.

Pela proposta, que entrou em vigor desde o primeiro dia de 2019, o governo federal pretende zerar os descontos de vários setores produtivos no país, de forma gradativa. Para começar, os descontos serão reduzidos à razão de 20% ao ano sobre o valor inicial, até a alíquota chegar a zero.

Pegando um exemplo na prática dessa medida, se um agricultor com seu lote na região paga R$ 1 mil de energia elétrica atualmente, ele terá de desembolsar R$ 2 mil ou mais quando a alíquota for zerada, devido aos reajustes. A reportagem foi ouvir especialistas no assunto em Petrolina, mas por enquanto eles ainda estão se aprofundando em detalhes acerca do decreto, para somente depois emitir um posicionamento. O Blog vai desdobrar esse assunto em breve.

5 COMENTÁRIOS

  1. Está correto! Politica economica agora é sobre livre mercado. Foi isso o que a maior parte da população quis e agora precisam entender que tem que parar de mamar nas tetas do Estado e deixar a livre concorrencia agir. E isto tem que ocorrer em todos os setores da economia. Com o Estado “mais leve” é possivel diminuir a necessidade de arrecadação e da carga de impostos, consequentemente. Assim, o setor agropecuário tem que entender que acabaram todos os tipos de subsidios.

  2. tem que zerar mesmo, não é justo alguns agricultores estarem pagando menos para que a população pague caríssimo pela energia, por que além de pagar o seu consumo ainda tem que custear a energia usada pelos pequenos e grandes agricultores. Enfim, tem muitos agricultores milionários por aí às custas do povo, que paga para eles exportarem.

  3. Quero ver quando os alimentos chegarem mais caros as prateleiras. Aí todos vão sentir falta do subsídio dado aos agricultores que levam os alimentos pra nação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome