Contra privatização da Chesf, Lucas Ramos volta a alertar sobre aumento na conta de luz se Companhia for vendida

2
Foto: Ascom Danilo Cabral/divulgação

Os impactos da privatização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) foram debatidos, no dia de ontem (26), em audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A venda da Estatal está inserida no PL 9463 – Projeto de Lei do Governo Temer que trata a privatização da Eletrobrás e suas subsidiárias. Um grupo de parlamentares contra esse processo, entre eles o deputado estadual Lucas Ramos (PSB), participou do debate.

O socialista teme, entre outras questões, o aumento da conta de luz dos pernambucanos. Lucas preside a Frente Estadual em Defesa da Chesf. Ele aproveitou a oportunidade para nivelar os pernambucanos sobre o andamento dos trabalhos na Comissão Especial que trata o PL. O deputado informou que audiências como essa estão acontecendo em diversos Estados onde há empresas controladas pela Eletrobras. “Estamos lutando para barrar essa privatização. Vender a Chesf é vender o Rio São Francisco”, ratificou.

Coordenador da audiência, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) é um dos parlamentares mais críticos à proposta de venda do setor elétrico brasileiro. Reforçando o alerta de Lucas, ele reiterou que a possível privatização pode acarretar um reajuste de 17% na tarifa, conforme anunciado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Entusiasta da venda da Companhia, o colega de Danilo na Câmara Federal e ex-ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, vai na contramão desses argumentos, assegurando que a conta de luz terá redução, não um aumento.

Participaram ainda representantes dos Sindicatos dos Urbanitários e dos Engenheiros de Pernambuco, além de técnicos do setor, como Mozart Bandeira, ex-diretor da Chesf; Vicente Guillo, ex-presidente da ANA (Agência Nacional das Águas; e José Carlos Miranda, ex-presidente da Chesf e atual vice-presidente da Academia Pernambucana de Engenharia. A presidência da Companhia foi convidada, mas não mandou representante.

Audiência lotou plenário da Alepe/foto: divulgação

2 COMENTÁRIOS

  1. Um governo como esse que aí está não tem a confiança necessária para conduzir um processo de privatização, um governo atolado em denuncias de corrupção, o que eles querem na verdade é grana pra financiar a campanha eleitoral, infelizmente os representantes de Petrolina e que eu ajudei a eleger se aliou a esse tipo de gente. Simplesmente lamentável.

  2. Governos irresponsáveis e sem compromissos com o cidadão ou o pais, pegam uma empresa que foi investido bilhões do dinheiro do contribuinte em logística, imóveis, linhas de transmissão equipamentos e outros, então através de acordos muitas vezes ilícitos visando apenas propinas e benefícios próprios, entregam a iniciativa privada pra explorar todo patrimônio criado com dinheiro público. Esta ai a Celpe um exemplo disso, pegou toda estrutura (linhas de transmissão de energia) construida com nosso dinheiro, e quer praticar aumento três vezes maior que a lei manda, quem deveria fiscalizar a iniciativa privada são comparsas de políticos corruptos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome