Caso Beatriz: vereadores de Juazeiro debatem as novidades do crime em audiência pública

4

Com novas informações e dados, dando um rosto ao assassino de Beatriz Angélica Mota e por iniciativa do Vereador Tiano Felix, a Câmara de Vereadores de Juazeiro (BA), realizou na noite de ontem (20) uma audiência especial, com a presença de Lucinha Mota e Sandro Romilton Ferreira, pais da garota assassinada nas dependências do Colégio Nossa Auxiliadora em 10 de dezembro de 2015.

Sandro Romilton, lembrou, ao pronunciar-se que “na mesma semana (do assassinato de Beatriz), morreram jovens em Juazeiro e Petrolina assassinados também, mães perderam seus filhos… esses outros casos já estão esquecidos, mas eu e Lúcia não vamos parar!

Solicitando à Câmara apoio, dos vereadores individualmente, do corpo jurídico e da instituição, para que possam manter contato com outras Câmaras em outras cidades da região Nordeste, Lucinha e Sandro, emocionam, comovem e mobilizam. Lucinha, didática, responsabiliza diretamente ao Colégio Maria Auxiliadora e demonstra que sem as falhas, de segurança, sem “a ganância, minha filha poderia estar viva”.

A sessão que se estendeu por quase duas horas, teve a participação e o pronunciamento de todos os vereadores e o compromisso das comissões da Casa de se empenharem na busca do culpado. Quem resumiu de forma simples e direta o comprometimento da Câmara foi o Vereador Tiano Feliz, autor do pedido de sessão: “Este é um compromisso que nós todos temos de assumir como pais de família. Temos de assumir a responsabilidade de contribuir para colocar este assassino na cadeia, para que pague pelos crimes cometidos”. Concluindo o debate, todos gritaram: Somos  todos Beatriz. (foto: Ascom CMJ/divulgação)

4 COMENTÁRIOS

  1. que coisa triste para os pais, depois de ano aparece isso, e pior…

    as imagens nao sao tao ruins para aparecerem so agora, dava para ter divulgado isso a muito mais tempo… so agora essa “delegada” aparece com a solucao… os outros sao tao ruins assim? parecem que acobertam alguem… bem empregado que os pais metam um processo para fechar esse colegio, aqueles que tenham filhos por la, que tirem seus filhos…

    isso e um absurdo!!! e revoltante

    • tambem acho depois de tanto tempo mas a justiça de deus tarda mais não falha.e engraçado é que tem as imagens dele entrando na festa e não tem dele saindo para ver o rosto melhor se tem porque não divulga

  2. Mario, inteire-se do assunto. As câmeras foram mandadas para São Paulo em Set/2016, e só agora é que voltou. Foi preciso um trabalho tecnológico para melhorar as imagens. Por mais que vcs evangélicos lutem para fechar o Maria Auxiliadora, isso nunca vai acontecer. A administração do colégio não tem culpa dessa tragédia, não diretamente. Todos os pais estavam presentes. Não houve transferência de responsabilidade da guarda das crianças. Tratava-se de uma solenidade, em que o colégio cedia gratuitamente o espaço, acredito eu, para a realização da festa.

    • Foi bom você reconhecer: “não diretamente”, mas assumiu o risco, evangélico, e se fosse? não precisa de rótulo para ter um ponto de vista, uma opinião.

      Lamentável como pessoas pseudo inteligentes não entendem que não precisaria mais de ano para “melhorar imagens”, com tanto recurso de mídia e super computadores, chega a um ponto que não tem o que melhorar, porque a fonte da imagem não possibilita isso.

      As investigações erraram sim, tardaram em divulgar as imagens, não divulgaram em nenhum momento essa pessoa entrando e saindo do colégio, está sim, tudo muito estranho. É lasca, o sofrimento dessa mãe não é fácil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome