Cancão afirma que Governo Miguel Coelho “foi transparente” com gastos do São João, mas acaba expondo integrantes da gestão passada

0

Fiscalizador incansável quanto aos gastos com os festejos juninos realizados pela gestão passada, o vereador Ronaldo Cancão (PTB) mostrou-se tranquilo em relação ao requerimento do líder da bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, Paulo Valgueiro (PMDB), que pediu detalhes ao Executivo Municipal do que foi aplicado no evento deste ano. O requerimento foi aprovado na sessão plenária de ontem (1) – a primeira nesse semestre, após o recesso parlamentar.

Cancão, que na legislatura anterior fazia o papel de Valgueiro na atual, deixou claro que há uma diferença muito grande entre as duas gestões, em relação aos festejos. “Na de Miguel teve transparência. Ele zelou pelo dinheiro público”, cutucou.

Segundo o governista, com os recursos da Fonte 1 (municipal) e da iniciativa privada, o atual prefeito conseguiu reduzir em quase R$ 2 milhões os custos da festa este ano, comparados aos R$ 5,3 milhões de 2016. “Além disso ele conseguiu com a Caixa Econômica, com a Empetur e com a distribuidora em torno de R% 1,3 milhão. Quando você soma isso ao dinheiro reduzido dos R$ 5,3 milhões, você vai ter um custo de aproximadamente de R$ 4 milhões, que foi o São João de Petrolina. Então, a transparência está em primeiro lugar”, reiterou.

Cancão disse também, em relação às festas realizadas pelo governo, que os eventos fazem parte do calendário festivo da cidade, com seus respectivos orçamentos. “Tem orçamento para o Carnaval e para o São João. Ninguém está criando nada”, declarou.

O vereador explicou que, apesar de ter “herdado” uma dívida de R$ 200 milhões, Miguel tem dado respostas à população petrolinense ao realizar, por exemplo, serviços de limpeza nos bairros, tapa-buracos, além de dar continuidade a obras paralisadas por questões contratuais e ações ambientais no Rio São Francisco, com a retirada das baronesas e notificando a Compesa para evitar o despejo direto de dejetos no rio. “O prefeito anterior não teve esse cuidado”, completou.

Aliados

Perguntado se suas críticas não poderiam causar algum tipo de constrangimento, já que vários aliados de Miguel faziam parte da administração do ex-prefeito Julio Lossio (PMDB), Cancão também não se disse preocupado. “Não me preocupo com constrangimento. Tenho minha opinião formada. O governo de Julio não cuidou bem da cidade, como deveria ter cuidado. Resumiu-se apenas ao Nova Semente e às AMEs”, cutucou.

Cancão afirmou ainda que o cargo de secretário fica a convite do prefeito, não dele. Mesmo assim, fez questão de elogiar algumas caras antigas que integram a atual gestão. O Coronel Leite, que segundo ele executou um bom trabalho na área da educação municipal, e Orlando Tolentino, que faz um elo importante entre o Legislativo e Executivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome