Antônio Carlos Miranda

2058 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Ronaldo Cancão garante que não haverá ‘chiadeira’ dos marchantes devido a novos valores de abate no matadouro de Petrolina, mas admite terceirização

2

Integrante da base governista na Casa Plínio Amorim, o vereador Ronaldo Cancão (PTB) minimizou a questão dos novos valores a serem cobrados no abate de animais pelo Matadouro Público de Petrolina, quando entrar novamente em funcionamento após a reforma realizada pela atual gestão municipal. O vereador se disse convicto de que os marchantes entenderão isso, até porque eles estão muito mais preocupados com a carne clandestina que passou a ser consumida na cidade, após a interdição do equipamento no ano de 2012.

As pessoas, hoje, estão se dirigindo aos supermercados para comprar carne porque não acreditam na carne que é vendida nas feiras”, argumentou.

A nova tabela de abate está incluída num projeto de lei enviado à Casa Plínio Amorim pelo Executivo, em regime de urgência, que tratava do novo Código Tributário do município. A matéria foi aprovada na véspera do Dia de Finados, sob protestos da bancada de oposição, que alegou não ter tido tempo hábil para analisar o teor.

A taxa a ser cobrada pelo abate de bovinos, por exemplo, passará a custar 39,25 UFMs, ou R$ 119,7 (quase o dobro do que custava antes do fechamento); Já o abate de caprinos e ovinos foi para 10 UFMs (R$ 30,5) e suínos 15 UFMs (ou R$ 45,75). Segundo o governista, os valores são compatíveis com os preços das cabeças de cada espécie. “Um caprino custava em média, antes do fechamento do matadouro, de R$ 80,00 a R$ 100,00. Hoje um caprino custa R$ 300,00. Um bovino hoje vale R$ 2 mil”, ressaltou.

Ele lembrou que, em relação aos suínos, ainda não havia uma tabela específica à época devido à barreira sanitária com a Bahia. Cancão aproveitou para criticar o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que aceitou equivocadamente o fechamento do matadouro, o que estimulou o consumo clandestino desse tipo de carne. Também alfinetou o Judiciário de Juazeiro (BA), para onde os animais foram levados para serem batidos, que autorizou um frigorífico particular da cidade baiana a enviar a carne a Petrolina, sem a certificação necessária.

Voltando a defender a reabertura do matadouro, Cancão destacou que a carne oriunda do abate ganhará a partir de agora o Selo de Inspeção Estadual (SIE) da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) – prática não vista antes do fechamento.

Terceirização

O vereador, no entanto, admitiu que o matadouro poderá ser terceirizado, uma vez que os funcionários que trabalhavam no local eram da extinta Empa (Empresa de Abastecimento de Petrolina), e muitos já se aposentaram. Além disso outros que trabalhavam até 2012, quando o matadouro foi interditado, eram celetistas e foram demitidos ou relocados para outros órgãos da prefeitura na gestão anterior.

Perguntado sobre o porquê da administração investir dinheiro público na reforma do equipamento, e não a empresa que assumiria o equipamento, Cancão defendeu a preocupação do prefeito Miguel Coelho em preservar a saúde dos consumidores petrolinenses. “Petrolina hoje consome 7 mil caprinos clandestinos, 1,5 suínos e bovinos clandestinos, e tem de continuar na clandestinidade?”, comentou. Cancão frisou ainda que nunca foi contra a terceirização de serviços na administração municipal e assegurou que, atualmente, “a terceirização é o melhor caminho para o matadouro de Petrolina”.

Manoel da Acosap alfineta “desorganização administrativa” na Casa Plínio Amorim e ouve de Osório: “Se defende jogando os outros na lama”

0

O presidente da Casa Plínio Amorim, vereador Osório Siqueira (PSB), sentiu uma amostra do que o espera para o próximo biênio, quando comandará pela quinta vez a Mesa Diretora.

Na sessão plenária de ontem (13), Manoel da Acosap (PTB) – que também faz parte da Mesa como 1º secretário – disparou duras críticas à falta de organização administrativa do Legislativo. Nos comentários que fez, Manoel disse que até as gravações das sessões encontrou “jogadas” num canto qualquer da Casa, quando assumiu o cargo de vereador.

O 1º secretário também rasgou elogios à Câmara de Juazeiro (BA), ao compará-la com a de Petrolina. Osório não gostou e decidiu rebater o colega de Legislativo. Mesmo Manoel justificando que o presidente não pegou a história por inteiro, uma vez que ele estava respondendo a um comentário de Ronaldo Cancão (PTB)  Osório não deixou barato: “O senhor se defende jogando os outros na lama. Eu não faço isso”.

O presidente, no entanto, fez um ‘mea culpa’ das ações que ainda não conseguiu tirar do papel no sentido de promover melhorias estruturais na Casa, e espera iniciá-las na sua próxima gestão.

Líder oposicionista na Casa Plínio Amorim critica valores reajustados para abate de animais no Matadouro de Petrolina

2

Quando entrar em funcionamento após uma ampla reforma em fase de conclusão, o Matadouro Público de Petrolina trará uma novidade salgada para os marchantes. Os valores do abate de animais sofreram um reajuste considerável. Em relação aos bovinos, por exemplo, a taxa a ser cobrada será de 39,25 UFMs (o equivalente a R$ 119,7). Já o abate de suínos terá uma taxa de 15 UFMs (ou R$ 45,75); já para caprinos ou ovinos e aves de grande porte, o valor vai ser de 10 UFMs (ou R$ 30,5).

O assunto, como não poderia deixar de ser, rendeu controvérsia na Casa Plínio Amorim, durante sessão plenária desta terça-feira (13).

Em tom crítico, o líder da bancada de oposição Paulo Valgueiro (MDB) utilizou o fato para justificar o porquê da bancada ter se retirado para não votar o projeto de lei do novo Código Tributário (recentemente aprovado na Casa, de autoria do Executivo) – uma vez que os vereadores não tiveram tempo de conhecer o teor da proposta, a qual ia além da regulamentação dos terrenos. As novas taxas de abate também faziam parte do pacote.

O matadouro ainda nem foi entregue à população, mas já está previsto um aumento significativo nos preços. Os marchantes vão pagar bem mais caro. Os valores, em sua maioria, dobraram ou triplicaram. Eles já vão retornar ao matadouro, que não sabem nem quando será entregue, com esse presente de grego”, alfinetou.

Comparativo

Valgueiro disse ainda que pretende fazer um comparativo, junto aos demais companheiros de bancada, entre os novos preços do abate a serem praticados em Petrolina com os do frigorífico de Juazeiro (BA). Segundo o líder oposicionista, a ressalva em relação à gestão passada – que por uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) decidiu interditar o matadouro – era justamente a de que não seria viável aos marchantes levar seus animais para a cidade baiana devido aos altos custos.

O líder oposicionista acredita que, consequentemente, o consumidor final também sentirá esse reajuste. Ele também não acredita que a nova estrutura do matadouro seja uma desculpa alegada pela prefeitura para justificar os novos valores do abate. “Quando foi feita a promessa de reabertura do matadouro, não foi dito aos marchantes que eles pagariam mais caro pelos serviços”, pontuou.

Gabriel Menezes diz que se pronunciará “no momento certo” sobre celeuma do PSL de Petrolina

0

O vereador Gabriel Menezes evitou comentar nesta terça-feira (13) na Casa Plínio Amorim as declarações do presidente do diretório do PSL de Petrolina, Júlio Costa, e de um dos principais integrantes da legenda, Alvorlande Cruz, acerca do imbróglio em que está se transformando o comando municipal da legenda.

A esta Blog, no último final de semana, Júlio e Alvorlande condenaram veementemente Gabriel Menezes por ter pleiteado “na surdina” a presidência do PSL local, junto à Executiva Estadual do partido. O vereador, por sua vez disse hoje (13) apenas que “se pronunciará no momento certo”, a partir do processo de renovação do diretório.

Donizete ‘Pantera’ e César Prates já estão em Petrolina para Desafio dos Craques e têm papo de boleiros com equipe do Blog

1

O tão esperado ‘Desafios dos Craques’, que reunirá em Petrolina neste sábado (10), a partir das 15h, alguns dos nomes que marcaram história no futebol brasileiro, já tem algumas dessas estrelas em Petrolina. Donizete ‘Pantera’ e César Prates concederam uma entrevista a este Blog. Na verdade, nem dá para chamar dessa forma. Foi muito mais um bate-papo entre boleiros do que qualquer outra coisa.

Descontraídos, os dois comentaram sobre suas expectativas acerca do ‘duelo’ amanhã entre a seleção brasileira máster – da qual fazem parte – e a seleção máster de Petrolina. César Prates assegurou que, apesar de não atuar mais profissionalmente, mostrará ao público o que aprendeu e nunca mais esqueceu dentro das quatro linhas. “Hoje o futebol ainda faz parte das nossas vidas. (No jogo) ainda iremos dominar a bola que normalmente é incomum você dominar, porque os anos de repetição nos levou à perfeição. Fisicamente poderemos não corresponder como antes, mas vocês verão jogadas com a mesma qualidade”.

O Pantera reforça as palavras do amigo. Ele explica que participa de jogos festivos como esse em Petrolina toda semana, justamente porque ainda se preocupa com a parte física,  a exemplo de Prates. “Sou um cara que ainda coloco alimento em casa com esses eventos. É incrível. Mas como César falou, a gente ainda se cuida. Se estivesse gordão, certamente não participaria porque isso é um esporte. Você tem estar correndo, jogando com alegria”, destacou.

Currículo  

Com carreiras exitosas no futebol, Pantera e Prates trilharam em alguns momentos por caminhos distintos. O primeiro ganhou esse apelido no México, mas antes disso foi ídolo do Botafogo, Vasco e Corinthians. Já Prates começou no Internacional e passou também pelos mesmos clubes que o Pantera. No Vasco, inclusive, ambos foram campeões da Taça Libertadores em 1997. Prates também jogou no Sporting (Portugal), Real Madrid (Espanha) e Galatasaray (Turquia)

Na partida de amanhã se juntarão a eles nomes como Marcelinho Carioca e Túlio Maravilha – entre outros. Pela equipe da casa estão confirmados Juninho Petrolina, Nikson, Maurivan, Neinho, Márcio Silva e Luciano.

Os ingressos custam R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia) e podem ser adquiridos no Portal SG (Posto Orla), quiosque do Vale Ingresso (River Shopping) e Passaporte da Folia (Juazeiro). Além da prefeitura municipal, o evento tem o apoio das empresas Hanis, Gráfica Creative, MultiFrios, Podium Pneus, Brandão Turismo, Locar, Wenderson Batista (Pé de Galo), Novo Centro, AB Engenharia, Mohamed, Léo Madeiras, Fluence Cosméticos, Neto Tintas, FisiorTec, Restaurante Monjopina e Bar do Gaúcho.

Candidato à reeleição, presidente da OAB Petrolina refuta declarações de adversário: “Discurso vazio e irresponsável”

3
Torres criticou candidato concorrente

Candidato à reeleição para a presidência da Subseccional da OAB em Petrolina, encabeçando a Chapa ‘A Ordem Avança’, Alexandre Torres rebateu de forma veemente as declarações feitas na semana passada pelo seu adversário, Ivan Galvão, da Chapa ‘Uma Nova OAB por Você’. Torres afirmou que a oposição apresenta “um discurso vazio e irresponsável”, ao propagar notícias inverídicas referentes ao trabalho da atual gestão.

O atual presidente desmentiu, por exemplo, que os advogados de Petrolina estejam procurando a OAB de Juazeiro (BA) por não se sentirem devidamente assistidos pela entidade local.

Se nosso opositor estivesse presente no dia a dia da advocacia, ele veria que isso é uma inverdade. Não identificamos nenhum pedido de transferência de domicílio para a cidade de Juazeiro, nem nesse ano e nem no ano passado”, garantiu. Torres frisou, contudo, que os advogados de Petrolina e Juazeiro têm o direito de atuarem entre as duas cidades, se assim quiserem. “Temos profissionais cadastrados na base de Juazeiro que advogam em Petrolina, e profissionais em Petrolina que advogam em Juazeiro”, argumentou.

O candidato à reeleição citou a parceria feita com a Subseccional de Juazeiro justamente para acabar com a obrigação dos advogados das duas cidades terem dupla inscrição, já que pelo estatuto da entidade um profissional só pode assumir até cinco causas num domicílio que não seja sua base. O acordo, que contou com o respaldo das OABs da Bahia e Pernambuco, está em vias de ser formalizado junto ao Conselho Federal, mas na prática já acontece.

Visitamos os escritórios de jovens advogados que estão em Petrolina, mas foram inscritos em Juazeiro. Temos pessoas que trabalham na Prefeitura de Petrolina que têm inscrição na Bahia, e nem por isso são discriminadas nos postos de trabalho. Pelo contrário, são acolhidas pela cidade, assim como também o mesmo ocorre em Juazeiro”, declarou. Torres atribuiu as afirmações do adversário ao fato de, ao contrário dele e dos demais integrantes da chapa de situação, não vivenciar a rotina da Subseccional. “Ele não é militante, é advogado de gabinete. Advoga para Procuradoria do Estado e não tem nenhuma outra causa que o possibilite estar nos fóruns e sentir as necessidades da advocacia”, cutucou.

Atual vice, Leonardo Bahia, ao lado da candidata a vice na chapa da situação, Ingrid Almeida

Ações

Prestes a concluir o triênio de seu primeiro mandato, o atual presidente destacou como uma de suas principais ações a “gestão participativa e colegiada” que se propôs a fazer, acabando com a figura da ‘pirâmide’ da gestão passada, que deixava o presidente como único com poder de decisões, e este muitas vezes acabava isolado na condução dos trabalhos.

Sob sua gestão, diretoria e parte do Conselho da Subseccional se integraram para debater e elencar prioridades. Uma delas foi a criação do parlatório da Penitenciária Dr.Edvaldo Gomes, que permitiu aos advogados ter uma conversa mais reservada com seus clientes, entre outras melhorias de logística. Ele mencionou também a construção de um estacionamento no novo fórum, que se localizará entre a sede da Subseccional e do Igeprev, além de mais de 35 cursos de especialização (a maioria gratuitos), implantação de serviço de internet wi fi (sem fio) nos juizados, sistema de comunicação na justiça do trabalho, reforma da sala e troca de equipamentos de informática do fórum, climatizadores de maior potência no prédio da Subseccional.

Da parte da OAB de Pernambuco, Torres destacou o suporte dado pela entidade por meio da Escola Superior de Magistratura (ESM) – braço acadêmico da entidade – e da Caixa de Assistência dos Advogados (CAAPE), responsável por serviços como programas de vacinação e de odontologia gratuitos para os associados, seguros de vida, além do parlatório e do novo estacionamento.

Duodécimo

Torres esclareceu ainda sobre o repasse mensal (duodécimo) recebido pela OAB Petrolina, que ao contrário do que muitos possam imaginar, é de apenas R$ 3.041,00 para custear os serviços. Ele explicou que toda a arrecadação é feita em nível estadual, via OAB-PE, e boa parte dela vai para o Conselho Federal, o qual por sua vez define os critérios de repasse para a entidade de Petrolina. O presidente lembrou, inclusive, que uma mudança na legislação para melhorar esse quesito foi discutida no último encontro de colegiados de presidentes, em Garanhuns (Agreste), e será pauta da OAB nacional.

Empoderamento da mulher

Candidata a vice na chapa, Ingrid Almeida também refutou as críticas referentes à falta de ações às profissionais advogadas da cidade. Ela ressaltou que o início da atual gestão coincidiu justamente com o Plano Nacional de Valorização da Mulher Advogada, feito pela OAB nacional.

Em Petrolina, segundo ela, não faltaram ações nesse sentido, já que várias metas para beneficiar as profissionais foram traçadas. “Buscamos empoderar a mulher advogada”, conta Ingrid. Ela lembra iniciativas como fazer valer a lei que determina às mulheres gestantes ter prioridade nas audiências do fórum, bem como as lactantes, tanto nas audiências quanto no estacionamento, além de cursos e espaço sobre o enfrentamento à violência doméstica, em parceria com a administração municipal, desde o Governo Lossio. Ingrid destacou ainda que a Subseccional está buscando, junto à Escola Superior de Advocacia, a criação de um congresso regional de mulheres advogadas do Sertão.

Todas as informações sobre a atual gestão podem ser conferidas no Portal da Transparência da OAB ou mesmo na sede da entidade. Nesta terça (30), os integrantes da chapa – que além do presidente e da candidata a vice, conta ainda com Juliana Santana, como secretária geral; Dyego Patryck, como secretário adjunto; e Fernando Meireles na tesouraria – vão se reunir com jovens e veteranos profissionais da cidade no Quiosque Chopp Brahma, às 18h, na Avenida Monsenhor Ângelo. O objetivo é discutir ideias e ter um momento de descontração com a classe. A eleição da OAB acontecerá no próximo dia 19/11, das 8h às 17h.

A neutralidade de Miguel Coelho e seu projeto de reeleição

7
Foto: Anderson Stevens/foto reprodução

Apesar de jovem ainda, o atual prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), deu uma demonstração que já sabe jogar o jogo da política. Prova disso foi o anúncio que fez à imprensa, semana passada, em se manter neutro no segundo turno presidencial.

Navegando na crista da onda de popularidade que alcança sua gestão, aprovada por mais de 80% dos petrolinenses, Miguel sabia que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) havia sido derrotado em Petrolina no primeiro turno. Ontem (28), mais uma vez, ele ficou para trás de Fernando Haddad (PT) na cidade.

Como Miguel caminha forte para encarar uma segunda disputa municipal, preferiu não declarar apoio.

Se o prefeito vai buscar uma aproximação com o governo federal, aí já são outros quinhentos. Até porque, como gestor da principal cidade do Sertão pernambucano, ele não pode se privar de nenhum apoio.

Requerimentos de integrantes da oposição passam pelo crivo dos governistas na Casa Plínio Amorim

0

Sem projetos voltados ao interesse coletivo, a Casa Plínio Amorim aprovou por unanimidade na sessão plenária desta quinta-feira (25) as propostas rotineiras dos vereadores. O destaque ficou para dois requerimentos de autoria de integrantes da bancada de oposição.

Um deles (214/18), do líder da bancada, Paulo Valgueiro (MDB), solicita do prefeito de Petrolina Miguel Coelho (PSB) informações referentes a todos os documentos vigentes que dizem respeito à contratação de empresa para prestação de serviços de locação de veículos em várias secretarias.

Valgueiro quer cópias dos processos licitatórios realizados, dos contratos e identificação da autoridade responsável por cada contrato, relação dos veículos e de cada secretaria ou órgão para qual foi destinado e dos processos de pagamento.

O outro requerimento (215/18) é de Cristina Costa (PT), que pediu a Miguel Coelho detalhes do valor gasto com a duplicação da Avenida Sete de Setembro. A vereadora também gostaria de saber se as vias secundárias (laterais) estão inclusas no projeto. Por 16 votos, os dois requerimentos passaram pelo crivo da bancada governista, que é maioria na Câmara Municipal.

Eleito deputado federal, Túlio agradece votos dos petrolinenses e vê possível vitória de Bolsonaro como “retrocesso”

12

Quem cumpriu agenda pelo Sertão pernambucano, no dia de ontem (22), foi o deputado federal eleito Túlio Gadêlha (PDT). Ele fez questão de vir agradecer aos petrolinenses pelos 1.236 votos que obteve na cidade, no último dia 7.

“Foi excelente (a votação). Não paguei militância, e a gente sabe que a política, infelizmente, ainda é muito feita na base da compra de votos, e não compactuo com essas práticas”, ressaltou. Túlio acredita que seu sucesso deve-se a aliados comprometidos com causas sociais em Petrolina, destacando em especial Edinaldo Lima (ex-vereador e ex-candidato a prefeito) e Reginaldo Sales. “Nossa campanha foi pé no chão, uma das mais baratas do Brasil”, reforçou.

Professor e engajado com movimentos culturais em Pernambuco, Túlio frisou que o foco do seu mandato, a partir de 2019, serão educação e cultura. No entanto, ele disse que também irá abraçar a luta dos agricultores familiares. “A gente tem feito também uma crítica a essa política voltada para a agricultura familiar, que não consegue emancipar o homem do campo”, pontuou.

Em relação ao cenário nacional, o pedetista afirmou que, caso a vitória do presidenciável Jair Bolsonaro se confirme, será “um retrocesso político”. Ele lamentou o fato de o país ter se dividido, nessa campanha, “entre o ódio e o fanatismo”, o que impediu o eleitorado de perceber a viabilidade do nome do seu candidato, Ciro Gomes. “A candidatura de Ciro vinha numa alternativa central a tudo isso. Ciro era o único candidato que tinha condições de unir essas duas pontas, que defendia com coerência suas propostas. Infelizmente a polarização fez com que os votos migrassem para um lado ou para o outro”, analisou.

Para Túlio, que é de centro-esquerda, a oposição vai precisar se reorganizar numa frente democrática coesa, caso Bolsonaro seja eleito, “porque até a nossa democracia está em risco”, completou.

Prefeita de Dormentes e integrante do grupo de Geomarco Coelho garantem fortalecimento de aliança para 2020

1

O resultado das urnas este ano em Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco, para o governo do Estado, Assembleia Legislativa (Alepe) e Câmara Federal, representou mais do que uma vitória da atual prefeita Josimara Cavalcanti (PTB). É consequência do fortalecimento do seu grupo político, que se uniu em 2016 com o de Geomarco Coelho (falecido um ano depois)  para disputar a prefeitura e saiu exitoso. A avaliação foi feita pela própria Josimara, em entrevista a este Blog.

Ela lembra que dos 10 mil eleitores do município, o grupo conseguiu dar quase 6 votos para seus deputados majoritários Fernando Monteiro (PP), reeleito à Câmara, e Dulcicleide Amorim (PT), eleita à Alepe, sem contar o bom desempenho do governador Paulo Câmara (PSB) e dos dois candidatos a senador, Humberto Costa (PT) e Jarbas Vasconcelos (MDB). “É impressionante. Acho que o povo deu uma resposta clara de que está satisfeito com a gestão do nosso grupo”, afirmou.

As eleições 2018 sinalizaram para um cenário municipal que já começa a se desenhar em Dormentes. E, segundo a prefeita, deve ratificar o sucesso deste ano. Como caminha para disputar a reeleição em 2020, Josimara deixou claro que seus aliados e os de Geomarco devem caminhar juntos. “Estamos trabalhando dia e noite para que nosso grupo permaneça junto”, reforçou.

Ela lembrou que quando ainda era adversária política de Geomarco, procurou buscar as mesmas melhorias que ele para seu povo. Agora, com os dois grupos unidos, Dormentes só tem a ganhar. “Muita gente, até da imprensa, afirmava que a aliança não iria dar certo porque eu e Geomarco tínhamos trilhado em caminhos diferentes. Mas não olhavam que a gente tinha o mesmo propósito. Não tinha como dar errado”, analisou. Josimara lembrou, inclusive, da primeira reunião após a vitória do então prefeito, há dois anos. “Falavam que ia ter briga quando íamos montar a equipe, e não teve. Em nenhum momento foi discutida a questão de cargos”, revelou.

Convicção

Integrante da bancada governista na Câmara de Dormentes, a vereadora Paizinha (PSB) corrobora com as palavras da prefeita. E se disse tão convicta da união que assegurou que mesmo se o aliado histórico de Geomarco, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), o qual não teve seu candidato na majoritária apoiado pelo grupo, pedir para que deixasse a aliança, ela diria ‘não’. Paizinha assegurou que sua colega de Legislativo, Rosarinha (PSB), e a esposa de Geomarco, Socorro Macedo, pensam da mesma forma.

A cada dia vamos crescer o nosso grupo. Estamos alinhadas, tenho certeza que não haverá divisão com o grupo de Josimara. Até porque fizemos essa junção com amor, e o nosso prefeito (Geomarco) dizia que nunca mais queria ver uma briga como antes”, finalizou.

Ronaldo Silva diz que Brasil “precisa de um doido como Bolsonaro” e Horácio rebate: “Candidato desequilibrado”

8

O clima de acirramento nas ruas provocado pela polarização das candidaturas dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) chegou inevitavelmente à Câmara de Vereadores de Petrolina.

Na sessão plenária de ontem (9), ao responder ao comentário do integrante da bancada de oposição, Professor Gilmar Santos (PT), o governista Ronaldo Silva (PSDB) fez a seguinte afirmação: “o Brasil está precisando mesmo é de um doido (referindo-se a Bolsonaro) para acabar com a corrupção”.

Em contrapartida, o vereador Horácio Freire (PMN), que fez ontem seu discurso de despedida da Casa Plínio Amorim, declarou que a campanha de intolerância realizada por Bolsonaro reflete o quanto ele é “um candidato desequilibrado”.

Associados do Sindsemp exigem saída da atual diretoria após fim da gestão e querem Conselho Fiscal no comando

3

Com a eleição no Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) sub judice, a entidade vive mais uma crise interna. Um grupo de associados foi até a sede do Sindsemp, na manhã de hoje (9), para exigir a saída do presidente Walber Lins e demais integrantes da diretoria.

A alegação dos associados é de que o triênio da atual gestão foi encerrado ontem (8). Portanto, pelo estatuto do sindicato Walber não tem mais legitimidade para falar pela categoria. O presidente, no entanto, estaria se recusando a deixar o cargo.

De acordo com o agente de segurança patrimonial do município, Adaílton Araújo, um dos filiados ao Sindsemp, o grupo quer que o conselho fiscal assuma o comando da entidade até que a justiça dê seu veredicto final sobre a eleição para a escolha da nova diretoria, a qual acabou cancelada por suspeitas de irregularidades. “O conselho é nosso último representante legal, já que o mandato do conselho vai até março de 2019”, explicou. A gente defende isso e não abre mão”, afirmou Adaílton.

No mesmo tom, outra associada, Conceição Vieira Gomes, afirma que a atual gestão está ferindo o estatuto e a vontade da maioria. “Os servidores não querem mais essa diretoria, porque ela não nos representa. Aliás, nunca nos representou”, alfinetou. A previsão é de que a justiça analise em dezembro deste ano o impasse envolvendo a eleição do Sindsemp. Um dos atuais integrantes da atual diretoria adiantou a este Blog que o Sindicato deverá se pronunciar em breve sobre essa nova crise.

Bom desempenho nas eleições 2018 pode fazer Gabriel Menezes reavaliar decisão

9
Vereador Gabriel Menezes. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Antes de conseguir entrar na Câmara de Vereadores de Petrolina, há dois anos, Gabriel Menezes (PSL) já havia conseguido bom desempenho nas urnas na primeira vez em que concorreu, em 2008. Para a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) não foi diferente.

Concorrendo pela primeira vez este ano, Gabriel saiu das urnas sem alcançar seu objetivo, mas não com sentimento de fracasso. Ele obteve nada menos que 14.633 votos.

Gabriel pode até sonhar com esse projeto novamente em 2022, mas preferencialmente seria melhor que estivesse com mandato de vereador, cuja eleição acontecerá daqui a dois anos. O problema está justamente aí: Gabriel defende que todo político não dispute reeleição.  E sem mandato tudo fica mais complicado.

Lucinha Mota e Odacy Amorim caem de pé após resultado das urnas

7

Nem sempre a derrota nas urnas é sinônimo de fracasso. Que o digam Lucinha Mota (PSOL) e Odacy Amorim (PT).

Mãe da garotinha Beatriz Angélica Mota, que foi assassinada num colégio particular onde estudava em Petrolina, em dezembro de 2015, Lucinha levantou a bandeira por justiça e pelo combate à violência em Pernambuco. E conseguiu canalizar para ela a indignação do eleitorado do Estado.

Lucinha pode não ter sido eleita para uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), mas os 16.326 votos que obteve soaram como vitória. E serviram para mostrar a ela que há mais gente em prol de sua luta do que ela talvez imaginasse.

Para se ter ideia, Lucinha ficou à frente em Petrolina de nomes como o estadual Lucas Ramos (PSB), Andrea Lossio (Rede) e o vereador Gabriel Menezes (PSL). No geral, ela passou o ex-prefeito do Recife João da Costa (PT), que obteve 15.715 votos.

Odacy Amorim também sai das urnas com estatus de vitorioso. Candidato a federal, ele alcançou 40.050 votos e não foi eleito. Por outro lado mostrou sua liderança política, já que boa parte desse desempenho ele conquistou em Petrolina, onde foi majoritário. Além disso, o petista conseguiu transferir votos necessários para sua esposa Dulcicleide Amorim (PT), que garantiu uma vaga na Alepe.

Depois de reclamações de motoristas, AMMPLA e DNIT chegam a consenso e reabertura da Sete de Setembro sofre mudança

13

As reclamações de motoristas por conta do engarrafamento de quase 3 quilômetros, registrado na noite de ontem (3) na Avenida Sete de Setembro – que liga as zonas norte e leste com a oeste de Petrolina – levaram o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Mobilidade (AMMPLA), Edilson Leite, a se reunir com a diretoria local do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) nesta quinta-feira (4).

Na última terça (2), o órgão federal havia decidido liberar o tráfego de veículos da via. Porém informou que, por questões de segurança, os retornos à esquerda nesse trecho seriam fechados, ficando disponíveis as rotatórias do Trevo e do ponto de apoio da Gontijo para realizar tal manobra, o que ocasionou os transtornos de ontem.

Mas após reunião entre o gestor da AMMPLA, ficou acertado que as vias marginais à Sete de Setembro seriam liberadas, enquanto a principal ficará temporariamente bloqueada. Franklin Alves, da Diretoria de Trânsito da AMMPLA, explicou a este Blog que o incômodo para os condutores era muito grande da forma como a avenida foi liberada. “Eles só tinham como fazer o retorno no Monumento do Centenário ou na Bezerra Autopeças, já no final da BR-428”, frisou.

Franklin reforçou também que a decisão de liberar a Sete de Setembro é prerrogativa exclusiva do DNIT, mas fez questão de isentar o órgão pelos transtornos. “O DNIT preocupou-se em eventuais acidentes ao bloquear as vias marginais”, afirmou.

Semáforos

Em ofício enviado ao DNIT, Edilson Leite argumentou que o bloqueio da avenida e a reabertura das vias paralelas servem para dar maior fluidez ao tráfego de veículos, já que os condutores utilizam esses retornos para ter acesso a bairros das imediações, como Vila Eulália. Além disso, a medida serve também para evitar possíveis acidentes no local, uma vez que a autarquia ficará responsável pela implantação de semáforos nesses pontos. “A empresa responsável pela instalação dos equipamentos garantiu que até o dia 15 do mês corrente será instalado o semáforo no retorno de acesso ao Vila Eulália, e nos demais até o dia 30”, adiantou Edilsão do Trânsito – como é mais conhecido.

A inauguração da duplicação da Sete de Setembro está marcada para o próximo dia 25, com a presença do ministro dos Transportes, Valter Casimiro.

Petrolina
céu claro
25 ° C
25 °
25 °
57%
4.1kmh
0%
sex
33 °
sáb
32 °
dom
28 °
seg
28 °
ter
29 °