Artigo do leitor: “O Banco do Brasil e o fechamento de agências”

Banco-do-BrasilDiante do fechamento de agências anunciado esta semana pelo Banco do Brasil, o leitor Billy Martins faz uma ponderação pertinente neste artigo enviado ao Blog.

Confiram:

Por alguns anos, sempre em meados de setembro, os bancos paravam por greve.  Os bancários não se atentaram que estavam cavando a própria cova.  A crescente utilização de aplicativos de celular, internet e lotéricas, determinaram chegar a esse ponto. Temos até um banco que abre conta pelo celular ou navegador, isso é tendência. Agora, os bancários colhem a abertura que deram, e como foram inocentes, antecipando algo que poderia ser implantado aos poucos.

Depois de testes bem executados, ficou fácil identificar que a população não tinha a mesma necessidade de ir às agências como antigamente, e mais: não fiquemos surpresos se a Caixa ou até os bancos privados acompanharem essa tendência. Posteriormente veremos uma quantidade enorme de bancários disponíveis para o mercado de trabalho, ou seja, demissões voluntárias, demissões de fato e os poucos que trabalharem nesses postos de atendimento serão terceirizados e remunerados com valores bem menores.

Outro ponto ruim para os bancários é que a maioria não se preparou para atuar em outras áreas, a não ser o próprio banco. Mesmo que recebam uma boa quantia financeira, será grande a dificuldade em se voltar para um novo momento do mercado de trabalho, aceitando até funções menores. Ou pior, como aconteceu no passado, enfrentarem o desafio de empreender e depois durarem no máximo dois anos com um formato de negócio inviável. 

Aqueles que forem “espertos”, digo espertos mesmo, não apenas inteligentes, que busquem o quanto antes a capacitação e uma nova visão do cenário atual, para não passar por grandes dificuldades.

Billy Martins/Leitor

Comentários

7 ideias sobre “Artigo do leitor: “O Banco do Brasil e o fechamento de agências””

  1. Marcel Araújo Ribeiro Araujo disse:

    Por que bancários fazem greve?
    Porque trabalham em empresas que tem lucros bilionários todos os anos e,por conta disso,querem no mínimo a reposição da inflação em seus salários.Nada mais justo,não Billy?Lembrando que a greve é a última opção ao não acordo na negociação coletiva que aconteceu entre os mêses de agosto e setembro,tudo isso previsto n CLT. Logo,a greve é culpa do banqueiro e não do bancário.BB e CAIXA juntos só em 2015 tiveram lucro líquido de R$15 bilhões.Toda essa dinheirama foi para o Tesouro Nacional.Então por que trabalhar arduamente para uma empresa que tem lucros bilionários e ver a inflação reduzir o poder de compra em 10% de seu salário e não fazer nada em relação a isso?Enquanto isso no poder Judiciário temos juizes e dezembargadores recebendo até 45% a mais do que está previsto em lei.Gastamos 1.3% do PIB com esta justiça morosa do nosso país.Outra coisa Billy,te desafio a fazer uma das seguintes opções abaixo pela internet no seu celular ou no seu computador:
    Financiar a uma casa ou um carro;Custear 10 hectares de uva irrigada;Financiar um caminhão novo para a frota de uma transportadora;Financiar um trator para sua plantação de soja; e etc.Acabe com o BB e o BNB e o agronegócio morre em Petrolina e Juazeiro.Portanto Billy,se por acaso você trabalha em uma empresa lucrativa,vá agora mesmo pedir um aumento para o seu chefe.Vai por mim,você tem esse direito.

  2. Mary disse:

    Que loucura lemos por aqui!
    Se a tecnologia estivesse realmente suprindo a necessidade dos clientes não enfrentaríamos a saga de filas gigantescas sempre que precisamos resolver algo pessoalmente nos bancos. O que acontece é que esse governo quer colocar as finanças em dias prejudicando exclusivamente a vida da população mais necessitada, mantendo as regalias dos milionários, poder judiciário (que consegue todo dia mais e mais auxílios e aumentos salariais) e dos próprios políticos!
    Até quando seremos tão fracos aceitando tudo isso bem debaixo do nosso nariz?

    1. MARCEL RICHARDI RIBEIRO ARAUJO disse:

      Concordo com você Mary.Gostaria de saber qual o estudo específico sobre o tema o autor do artigo fez para relacionar greve com desemprego estrutural,tendo em vista que professores,policiais,garis,entre outras categorias,também fazem greve e nem por isso estão sendo substituídos por máquinas ou tendo seus empregos extirpados.

  3. Ana disse:

    Que artigo imaturo,
    Realmente o senhor Billy
    Não sabe do que está falando.
    Não conhece a instituição Banco Do Brasil e o grau de importância de tal instituição não só para a região, mais para todo o território nacional.
    Não sabe que milhares de famílias,
    Desde bancários, vigilantes, pessoal de limpeza, de tecnologia, entre outros, poderão perder seus empregos.
    Não sabe que lutar, fazer greve é um direito de todos os trabalhadores…de todas categorias.
    Infeliz comentário…
    Pobre leitor imaturo….
    Estude um pouquinho sobre o BB,
    Para depois tentar escrever algo relevante…

  4. Hesler Caffé disse:

    Gostei do texto e ainda mais dos ‘comentários’!

    Se fizermos apenas uma pequena leitura das mudanças que aconteceram da revolução industrial até hoje, não é difícil se imaginar no cenário sugerido pelo autor. Texto ousado e útil!

    Uma coisa é certa: eu vejo que o proletariado só ganha uma briga paredista quando ele tem o poder na mão. Entretanto, ao observar com muita calma e cautela (como diz o presidento), parece que estamos tendo uma espécie de novo êxodo: ao invés de rural, o êxodo ‘escritorial’! Os níveis de serviços burocráticos e de escritório não funcionam mais e são pouco úteis (no mesmo sentindo de utilidade de Stuart Mill e Bentham). Esse tipo de ocupação/trabalho/emprego está acabando!

    O critério de produtividade está migrando novamente de pessoas para tecnologia (antes mudou do campo para a cidade e de braçal para mecânico). O emprego não está acabando: ele está mudando de novo!!! Talvez isso explica, para as mentes menos travantes, o que o autor quis dizer!

    Outra coisa é certa: eu nunca vi, por motivos mercadológicos, empresa que dá resultado ser fechada.

    Vamos refletir sobre isso?

    Abraços e há braços!!!

    1. Marcel Araújo Ribeiro Araujo disse:

      Parabéns.Sua mente menos travante jogou por terra a relação esdrúxula entre greve e fechamento de agências que o autor do artigo fez.Para mim,esse artigo não passa de mais um texto raivoso e preconceituoso contra trabalhadores que lutam por melhores salários ,melhores condições de trabalho e manutenção de direitos adquiridos.Nas últimas linhas do artigo o tom irônico escancara a felicidade do autor com a desgraça que acontecerá com milhares de bancários que terão seus postos de trabalho erradicados e salários reduzidos.

  5. marianadecastro.silva29@gmail.com disse:

    assim como o hesler falou, gostei tb dos comentario, eu no meu humilde entendimento nao entendi como agressao o que o autor do texto disse. Entendi como um alerta para que os bancarios fiquem atentos com o que pode vim por ai… quando falavam que a crise imobiliaria iria estourar no EUA, ninguem deu ousadia e muitos perderam emprego, se eu fosse bancaria estaria tb me defendendo como alguns fizeram… e tb olhando outros campos como opcao. as vezes nao enxergamos o que esta na nossa frente e so entende o que e conviniente.

Deixe uma resposta

Últimas notícias

Enquanto isso…

25/05/2017 às 22:12 por Carlos Britto

O que eles disseram…

25/05/2017 às 20:28 por Carlos Britto

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br