Aero Cruz admite que exoneração de professora contratada foi questionável, mas lamenta que Valgueiro se aproveite para “partidarizar” questão

1

Enganou-se quem esperava do líder da bancada governista Aero Cruz (PSB) uma postura totalmente reativa quanto à exoneração de vários servidores contratados para a rede municipal de ensino de Petrolina. A polêmica acerca do assunto ganhou ainda mais dimensão após uma das educadoras com contrato temporário, Laís da Mata, ter postado pelas redes sociais que foi demitida em plena sala de aula.

Aero admitiu, em entrevista à imprensa na manhã de ontem (3) na Casa Plínio Amorim, que a forma como se deu a demissão é questionável. Segundo ele, a professora contratada poderia ter sido chamada na Secretaria e ser informada sobre o seu desligamento, e não como aconteceu.

O líder governista argumento, no entanto, que a demissão dos contratados acontece porque os profissionais efetivos aprovados em concurso público da educação estão sendo convocados para seus respectivos cargos. Aero justificou ainda que o contrato dos profissionais temporários prevê esse tipo de situação.

Ele voltou a citar a preocupação da administração municipal com o setor, lembrando a quantidade de professores já convocados até o momento, e criticou o líder da oposição por tirar “proveito político” do momento, uma vez que os próprios opositores cobravam do Executivo a realização de concursos. “Lamento que o líder da oposição Paulo Valgueiro queira partidarizar a educação. Sempre tivemos preocupação com a educação. Em pouco mais de dois anos, nós já efetivamos mais do que os oito anos do governo passado, do vereador Paulo Valgueiro”, cutucou Aero.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome