1ª Convenção Nacional dos Produtores de Coco será realizada em Salvador

1

A 1ª Convenção Nacional dos Produtores de Coco será realizada na próxima semana – dias 17 e 18 – no Auditório Rosa Abreu da Secretaria de Agricultura da Bahia (Seagri). O encontro é promovido pelo Movimento Nacional dos Produtores em Defesa da Cadeia Produtiva do Coco. O evento reunirá empresários do setor e pessoas ligadas a essa cultura em dez Estados brasileiros. No dia 17, a convenção acontecerá das 9h às 17h; no dia 18, das 9h às 13h.

O evento debaterá sobre a grave crise da cocoicultura do país, que está afetando mais de um milhão de pessoas envolvidas na cadeia produtiva. Esta crise é catalisada pelas importações desenfreadas de produtos derivados do coco por parte de grandes indústrias brasileiras. Tais derivados importados de coco, possuem baixa qualidade nutricional e alto potencial de contaminação microbiológica porque são resíduos de baixo valor em seus países de origem.

O pior é que tais importações contam com a anuência das autoridades de diversas esferas de governo estaduais e federal. Essas indústrias contam com significativos benefícios fiscais concedidos em troca de ações de estímulo à produção local. No entanto, a realidade é outra. As industrias desativaram as unidades de extração e processamento e agora apenas reembalam a matéria-prima importada, adquirida a preços muito baixos, e é vendida no mercado brasileiro como sendo produtos fabricados no país, originado nas fazendas brasileiras.

Tal prática, força o preço pago ao produtor brasileiro a valores abaixo do custo de produção. Já o produto de exportação para países como EUA, usa matéria-prima brasileira extraída dos coqueirais brasileiros.

Associação

O evento culminará com a fundação da Associação Nacional dos Produtores de Coco (Aprococo), no dia 17, às 9h, no auditório da Secretaria de Agricultura da Bahia, entidade localizada à 4ª Avenida do Centro Administrativo da Bahia. A instituição será vinculada à cadeia produtiva que irá desenvolver ações de regulamentação da qualidade dos produtos de coco junto às autoridades sanitárias brasileiras e de defesa do consumidor – entre outras.

1 COMENTÁRIO

  1. “O Sindicato Nacional dos Produtores (Sindcoco) alerta que o coco ralado e a água de coco importados de países asiáticos, como Indonésia, Malásia, Vietnã, Tailândia e Filipinas, são de “baixa qualidade” e podem conter “fungos cancerígenos”. O alerta já foi feito pelo Sindcoco ao Ministério da Agricultura e à presidente Dilma Rousseff pelo senador Humberto Costa (PT/PE).

    Por incrível que pareça, o Brasil também compra em Sri Lanka e Costa do Marfim, na África, o coco ralado que adoça nossos bolos e quindins. Isso acontece principalmente entre junho e outubro, quando a produção do Nordeste diminui. Sem respeitar as mesmas exigências sanitárias e compromissos trabalhistas dos produtores brasileiros, os exportadores conseguem colocar o produto aqui com preços baixos, configurando uma concorrência desleal que inibe o crescimento da produção brasileira”.
    TUDO ISSO FOI ALERTADO A MUITO TEMPO, ESPERAMOS QUE AGORA SE RESOLVA O PROBLEMA…. AGRICULTORES DO VALE DO SÃO FRANCISCO ESTÃO AMARGANDO PREJUÍZOS E NADA FOI FEITO PELOS POLÍTICOS LOCAIS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome